DASH

DASH #05: Bastion

Ainda tentando correr atrás da enxurrada de grandes jogos de 2011, no DASH dessa semana André Campos e Ricardo Dias discutem sobre mais um jogo independente. Só que dessa vez, um que ocupa seu espaço no mais luxuoso extremo do espectro indie.

Como descrever Bastion? Diablo, Zelda, Command & Conquer, uma mistura de dezenas de influências para criar algo sem paralelo direto existente? O que chamou a atenção dos organizadores da PAX para esse joguinho de visão isométrica em 2010? E o que fez com que recebesse tanto amor, prêmios e versões de fãs de suas músicas pelo YouTube afora em 2011?

Conheça a pequena equipe da Supergiant Games, suas origens e completo desrespeito pela principal lei da alquimia. Entenda o que faz de Bastion uma experiência tão rica e com tanta profundidade e, enfim, discuta conosco as nuances da história, o final e demais teorias malucas em nosso bloco final de SPOILERS.

Tá No seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links

Podcasts Relacionados:

X