DASH #39: Você Joga com o Meu Jogo?

2014-02-14T23:00:32+00:00 31 de agosto de 2013|DASH|59 Comentários

“Nunca jogarei!”, disse o preconceituoso jogador, inadvertidamente fechando dezenas de portas para fantásticas experiências gamísticas nunca antes tidas.

É para expandir seus horizontes e, quem sabe, descobrir novos paladares, que nesse trigésimo nono episódio, os dashers darão uma chance a jogos que jamais teriam lugar em seus corações – ou discos rígidos.

Ricardo Dias nunca jogou Dark Souls, mas agora terá que pegar o próximo corvo gigante para Lordran, tocar uns sinos e cortar uns rabos. Eduardo Fonseca disse não à Civilization V, mas vai ter que cometer genocídios com Gandhi e inventar o aerosol antes da roda. André Campos esnobava DotA 2, e agora prepara-se para encarar um solo top contra um pub tryhard, tomando cuidado para não feedar e ainda gankar quando lhe for requisitado.

Qual será o resultado disso? Como se dá o aprendizado em Dark Souls? Quais as semelhanças de Civilization com uma noite de bebedeira? O Rick é capaz de prever o futuro?

Escute já e descubra!

Tá No Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links

  • PhilStark

    Ainda acho que Dark Souls merecia um Dash à parte……..

    • Ouve o Podcast primeiro! =D

      • PhilStark

        Rick, ainda não ouvi pq tô assistindo o seu stream do Dark Souls… cara… que nervoso vc matando o Capra Demon na marra e com o controle ruim…. mas parabéns!! xD

        • Hahahah valeu! Foi bem difícil. Mas para adiantar: Falamos no podcast que teremos um cast só sobre Dark Souls no futuro. =0

          • PhilStark

            SHOW!!! o/ Mas deixa eu adivinhar o futuro….. quando estiver perto do lançamento do DS2, certo?? =P

  • Panda Pedinte

    Quem diria o André jogando DotA 2!

  • Carai… Andre no dota? Esse promete…

    Ideia genial para um cast btw. Tomara q um dia o dash volte a ser semanal. Voces sao tao fodas que eu me dou ao trabalho de vim aki comentar(baixo pelo feed do itunes), habito q n pratico desde o fim da era nowloading.

  • bigodehimura

    Puts, que iniciativa animal!

  • André, não tem o link para o meu desenho! >.<

    • Panda Pedinte

      Tenho muito medo do que seu desenho possa ser.

    • Panda Pedinte

      Fenomenal esse seu desenho.

  • Clei

    Caraca! Pior que eu larguei Dark Souls essa semana! Não quero mais jogar essa bagaça nunca mais! Até entendo a paixão que muita gente tem pelo jogo, me forcei a jogar por 12 horas mas não gostei mesmo da mecânica dele. =/

  • Poisony

    Sem stream de André jogando DOTA 2 é fake!

  • Dark Souls é amor!

  • Nabeshin

    DOTA 2 é fácil, quero ver o André jogar PES 13.

  • Essa arte para o jogo está muito boa! Parabéns, agora baixando o dash para escutar nessa noite de sábado

  • Rafael Rodrigues

    Excelente como sempre. Sobre cast musicais, nunca gostei, desde o Nowloading, mas o feedback das pessoas é tão positivo que não tem porque eu reclamar, os outros casts são tão bons que vale a pena ter um que n goste de vez em quando. Alias gosto do Dash assim mesmo, bem variado. Na pesquisa eu n queria selecionar apenas um tema, queria todos, se virar um podcast apenas com jogos novos enjoa, tem que ter assuntos diversos mesmo.
    Sobre Dark Souls, pra mim foi mais ou menos o que o Andre falou do Dota, via os videos e n conseguia enxergar nele o que era tão divertido nele. Apesar de ter ps3 só o joguei quando saiu pra PC, de tanto todo mundo falar dele, e foi amor e ódio. Bati umas 100 horas de jogo, entra fácil no meu top 3, mas não consigo convencer meus amigos a jogarem. Espero que mudem de ideia após esse ouvir esse Dash.

  • Dota 2? Dark Souls? Oops… podcast errado. =P

  • Dinopron

    Esse banner tá muito legal! ***Dark Souls deixam meus mamilos durinhos*** Baixando!

  • Skarma

    Não acredito no que eu ouvi! como assim a história dos personagens é whatever?, por favor, vejam essa coleção maravilhosa de videos!. http://www.youtube.com/watch?v=vBJDBtn2MbQ

  • Dudley_o_Boxista

    Mais um Dash muito foda, achei o tema muito criativo. Só de ter feito o Rick dar uma chance pra Dark Souls já valeu. E foi bacana ver esse antes e depois de vocês jogarem o jogo. Sempre bom ouvir as opiniões e argumentações dos senhores no podcast. Espero ansiosamente o próximo podcast, e domingo estarei lá assistindo o vértice ao vivo mais uma vez.

  • Bode333

    Gostei muito da proposta desse dash, eu já me peguei com preconceito de alguns jogos só por não ter jogado o bastante. Como os chapas do super controle falam: Pra falar mal tem que virar!

    Sobre dota 2, existem heróis que são bem mais fáceis de jogar e se você tem um amigo pra te ensinar o básico, você pode ir jogar online sem medo de ser rechaçado, pq você vai estar jogando contra iniciantes também.

    O que pode acontecer é de aparecer um espertão que já sabe jogar e criou uma conta nova pra zoar os iniciantes, aí pra esse caso sempre existe o botãozinho de mute que é uma das melhores invenções da humanidade.

    Podia rolar um stream de dota com os jogabilideiros, não? O Sushi ainda não venceu o preconceito hehe.

  • Alderic

    Na real, acho que um grande problema ou obstáculo que as pessoas tem para tanto jogos como Civilization (e qualquer jogo de estratégia parecido ou mais complicado) ou mesmo Dark Souls é o fato que elas se acostumaram a narrativas ou jogabilidades na qual elas sempre estão vencendo (ou tem que estar sempre vencendo). Nos quais não existe qualquer possibilidade de um revês ou derrota e nem a volta por cima.

    Foi algo que notei, por exemplo, vendo o jeito que algumas pessoas reclamavam do Dark Souls, ou mesmo jogando o Shogun 2 em multiplayer e vendo gente dar ragequit por que uma unidade entrou em pânico.

    Isso me parece parte consequência de tanto como os jogos competitivos se tornaram, quando a maneira que os jogadores passaram a joga-los e como isso acaba sendo transferido para outros jogos. O destino ficou mais importante que a jornada.

    Civ assim como jogos ou mesmo Dark Souls (e talvez até jogos indies), não é tanto sobre ganhar, mas sobre a jornada e as histórias que vão surgindo ao longo dela. Claro, vários jogos tentam isso, nem todos são bem sucedidos, talvez seja um problema no The Sims e mesmo no Civ.

    No caso de quando o André jogou no primeiro stream de Civ 5, o problema foi que ele considerou uma coisa que é um revês normal, uma derrota total (fato é, em outros jogos, principalmente RTS competitivos, isso seria o fim).

    Mas analisando o André jogou super bem, mesmo tendo sua unidades batidas e sendo atacado em dois fronts ele não perdeu nenhuma cidade e conseguiu forçar os chineses a uma paz branca (ninguém ganhou ou perdeu nada) e reverter a situação. Na guerra contra os otomanos ele tinha boas chances de ganhar.

    Não que eu seja o maior fã de civ, na real tenho minhas próprias críticas ao jogo, mas considero ele muito bem feito e bem acessível.

    Alias uma matéria bem interessante um post-morten do civ 5 escrito pelo próprio Jon Shafer o designer principal <a href="http://(http://www.gamasutra.com/blogs/JonShafer/20130218/186843/Revisiting_the_Design_of_Civ_5.php)” target=”_blank”>(http://www.gamasutra.com/blogs/JonShafer/20130218/186843/Revisiting_the_Design_of_Civ_5.php)

    Por fim, concordo com o Sushi, Endless Space é muito bom, talvez esse sim seja um real sucessor espiritual do Master of Orion.

    Ah, uma última curiosidade, sobre o Civ: sabem a vitória espacial? tecnicamente ela é para Alpha Centuri, que é para ser uma continuação do civ.

    • Eu não me incomodo com a derrota em si. Talvez o que tenha me desanimado naquela situação do Civ foi a sensação de que, depois de tanto tempo investido, minha estrategia tenha sido tão facilmente desbancada (a bem da verdade, uma estratégia bem porca) e sem muito feedback do jogo me explicando o por quê. Eu não aprendi nada com a derrota: eu deveria juntar mais unidades? Unidades diferentes? Me posicionar de outra maneira? Eu não sei.

      O Dark Souls também não te explica muito bem o que fazer ou pra onde ir, mas pelo menos lá o resultado do seu erro é instantâneo e o feedback do jogo costuma ser muito claro em te explicar o que você fez errado.

      • Alderic

        Concordo, como comentei, o Civ tem lá seus problemas. Um dele é justamente que nem sempre o por que das coisas acontecerem é claro. Falta as vezes meio ou aviso de ver as possíveis consequências (como por exemplo, dizer que havia a chance da China atacar, ou pelo menos um aviso sobre a força geral dos exércitos ou um simples aviso "traga unidade de cerco".

        Uma grande crítica pessoal que tenho com o Civ 5 e que está relacionada a isso: O comportamento das outras civilizações no original é muito arbitrário (pelo menos até o Gods and Kings), elas mudam de atitude sem qualquer explicação e declaram guerra do dia para noite. O que produz justamente o cenário que você comentou – um longo tempo gasto e de repente algo acontece sem qualquer explicação.

        Jogos da Paradox, lidam muito melhor com isso, neles é necessário um "casus belli" (um motivo de guerra) há um sistema de relações mais bem desenvolvido, quando as coisas vão acontecer ou acontecem, você entende claramente o porque.

        Concordo quanto ao Dark Souls, pois também senti que depois de jogar de novo, tudo foi tão mais rápido. Mesmo nos pontos que ficava encalhado eu entendi bem o porque.

  • Eu gostei muito(muio mesmo!) do último gamescore, mas não quero que seja frequente. Deixa eu explicar:

    O gamescore foi uma celebração da música, não teve muito o que pensar e discutir, só ouvir a música e curtir. É legal não ter que discutir de vez em quando. Mas a "forma básica" do podcast penso ser justamente discutir e questionar diversos elementos que formam os jogos.

    Só devo dizer que fiquei empolgado para jogar civ 5 e totalmente desestimulado pra jogar DotA 2. Mas o nível de dedicação necessário para jogar efetivamente é alto demais, é o tipo de jogo que você tem que alocar tempo de antemão para evitar ressaca moral.

    O problema de DotA eu não acho que é necessariamente um problema, é a natureza do jogo. Dwarf Fortress é um jogo solo e igualmente (ou mais) hermético. Acho que o principal é ter moderação para controlar a toxicidade do ambiente, assim o povo cria coragem para entrar no jogo.

  • xdrogba

    Rick se você estiver usando um controle de play 3 eu consertei 3 controles meus que estavam acionando os botões sozinhos com esse tutorial, usando aqueles plásticos de pasta catalogo pra criar volume e durex. Vale a pena tentar http://migre.me/fVh7R

    • Opa! Valeu! Vou tentar fazer isso depois sim!!

      Esse "fix" serve para o D-Pad também?

      • xdrogba

        Funciona sim. Um dos controles estava com o problema em todos os botões, inclusive no D-Pad. No Batman trocava de gadgets sozinho. Estou fazendo rodizio com os controles e todos estão ok.

  • Por favor, qual a fonte usada no nome VERTICE ?
    obrigado xD

  • anonimo

    Muito bom o dash como sempre mas jah ta gastando de mais esse dota 2 o jogo eh fantastico sim mas tem q falar de outros jogos tb….vlw!!!^^

  • pedrinho toto

    Ainda esperando pelo Dash de Demons Souls e Dark Souls

  • pedrinho toto

    E o Dash ficou muito foda. Vocês são demais! Continuem com o incrível trabalho.

  • Dovahkiin

    Pra mim o melhor jogo que já joguei: Dark Souls. Tem um "quê" de Metroidvânia com uma excelente mecânica de luta.

  • Galera, excelente cast, como sempre. Sobre os MOBAs, tá ai um tipo de jogo que pretendo nunca jogar, não por preconceito, longe disso, mas sim por causa da questão da sua responsabilidade para com o time. Neste ponto, ainda prefiro jogos competitivos em que o jogador compete sozinho, como jogos de luta e afins. Seu eu for falhar miseravelmente, pelo menos o faço sozinho. Acho que sou um lobo solitário então. =]

    Sucesso ai galera!

  • Bom cast!
    Adoro Civilization, embora tenha começado a jogar apenas a partir do Civ4. Fiquei pensando no que vocês comentaram sobre o jogo… Foi interessante ouvir a opinião do André e do Sushi, que se encaixam no tipo "jogador eventual"/"iniciante" de Civilization, e saber que o poder viciante do jogo os alcançou, haha. Pelo que entendi, o sentimento de "arrependimento" mencionado por vocês foi o que estragou a experiência. Considero que, para desfrutar um jogo como Civilization, a pessoa tem que estar ciente que gastará muito tempo. E que durante as primeiras dezenas de horas precisará gastar muito deste tempo estudando o jogo, compreendendo as suas mecânicas, avaliando cada jogada e descobrindo o jogo em cada ação. Em outras palavras, considerando a relação custo/benefício, não consigo vislumbrar ocasião em que Civilization possa ser aproveitado (plenamente) com um jogo "casual", ao menos por quem não é um iniciado em suas mecânicas.
    Tendo por base a minha experiência, o "estudo" ou "aprendizado" do jogo não é difícil ou dificultado pelo jogo, acho até que ocorre de modo bem natural. ENTRETANTO, o jogador precisa estar prestando atenção a cada detalhe e informação passada a ele. Enfim, o "jogar" tem que estar acompanhado do "estudar", para que depois de algumas sessões, o jogador possa ter a experiência correta do jogo.
    Pelo que me lembro do primeiro jogo do André (não vi o segundo), ele foi seguindo intuitivamente uma estratégia, sem parar muito para descobrir miudezas do jogo (que fazem muita diferença). E ele estava no direito dele (ainda mais num stream multiplayer), de seguir seu próprio fluxo de ideias, ainda que descoladas de algo que fosse recompensado pelo jogo. Acontece que chegamos em um empasse: após tudo isso ele se sente "arrependido", talvez porque percebeu que o aprendizado foi insuficiente.
    A pergunta que pode surgir de tudo isto: é justo um jogo exigir tanto para ser apreciado corretamente? Eu acho que sim, e adoro Civ! 😛

    • Eu já fui para o jogo sabendo que iria perder muitas horas em uma só partida, só que o prazer e diversão que o jogo me proporcionou não valeu o tempo investido, infelizmente.
      Acho muito válido um jogo que precise de muitas horas de investimento, ele só não é o meu tipo de jogo.

  • Alexandre Gueths

    Olha só… Pellek no final do cast =D
    Curti (y)

    Gostei do cast, muito bom.
    Como jogador de LoL, tenho que concordar com o Rick que a pior coisa nos MOBA são as pessoas, que não costumam ter paciência com as outras, obrigando os iniciantes começarem jogando contra a IA.
    Acho que até existe um meio de ensinar melhor o jogador a como começar a jogar, mas o trabalho de balancear heróis/campeões e criar novos é mais importante para a Valve/Riot, já que melhorar essa parte é tão complicada quanto o balanceamento.

  • Rafael Quina

    Excelente cast, Curti =D
    Mas fiquei com MUITA vontade de um cast de Demon's Souls e de Dark Souls =/

  • FeroZ

    André, sério que tu acha o Ornstein and Smough os mais difíceis?! Pra mim, pelo menos a princípio, o mais difícil foi aquela porqueira do Centipede Demon, porque eu me ferrava na lava o tempo inteiro, demorei pra descobrir pra onde ir pra enfrentá-lo mais facilmente. Além do que, a aparência dele é bem aterradora também.

    • É, pra mim o Centipede Demon só é assustador mesmo. A batalha em si eu sempre achei bem tranquila! Até Bed of Chaos é mais chato que ele!

      • FeroZ

        Bed of Chaos se você for sozinho é bem chata mesmo.

        Tem o Four Kings que também pode ser muito difícil se você bobear.

  • Mikhail_Yeenov

    Não comentarei sobre os jogos, pois nunca joguei Dark Souls (só Demons Souls) e Civ V (só o III e o Alpha Centauri), além de não ter tido um mestre paciente para DotA 1, como o André teve no 2.

    No entanto, como eu falei no twitter, achei que este Dash é perfeito para ser o "Dash de apresentação", na minha opinião. A razão é que ele tem todas as características do Dash: o humor, um pouco menos acentuado do que alguns episódios; uma boa trilha sonora, que faz um diferença boçal num podcast e, mais importante ainda, a capacidade de análise e crítica.
    Vocês, do Dash (Dashers…? Dashetes….?), pegaram 3 grades jogos e os dissecaram, explicando a opinião de vocês com justificativas não apenas plausíveis, mas totalmente compreensíveis para quem está disposto a escutar.

    • Mikhail_Yeenov

      Ops, não consegui terminar.

      Dashes como "Jogabilidade Justificada", apesar de serem interessantes, muito reflexivos sobre a indústria e os próprios jogos, podem ser enfadonhos para novos ouvintes, que podem ligá-los a um conteúdo sempre mais sério e profundo, mesmo com a dose de humor nesses episódios.
      Além disso, não vejo como episódios de análises de jogos, como o Dash de Last of Us ou Bioshock, poderiam ser bons para apresentar todo uma “linha” de podcast, pois entendo como necessário conhecer os tipos de humor, análise e andamento feitos pelos participantes, para ser possível gostar de um podcast.
      Claro, isso é a minha opinião e outros ouvintes podem discordar de mim, dizendo que conheceram num desses Dashes mais focados ou algo do gênero. Mas mantenho minha posição em relação a um público que é gamer, conhece um bocado de jogos, mas não é conhecedor tão profundo assim desse mundo.

      No mais, parabéns pelo podcastç. O Jogabilidade é o Cidadão Kane da mídia brasileira de videogames.

      • Po Mikhail, você tem toda razão. Depois de ouvir esse cast, me pareceu um bom ponto de partida para novos ouvintes mesmo. =)

  • FeroZ

    Cara, jogo Dota 1 desde a época que a Lina ainda era Link… Tem muuuuito tempo. 2005 eu acho. E realmente é um dos jogos mais difíceis de se aprender e mais ainda de se "masterizar".

    Não me lembro bem como cheguei a aprender. Não tive alguem pra me ensinar diretamente, mas acho que de tanto ver amigos jogar eu peguei o começo. E depois, eu joguei com eles, sempre tomando ferro. Lembro da minha alegria quando matei o primeiro herói. haha.

    Acho que um jeito mais tranquilo pra quem ta começando é pegar algum herói com escape rápido (invi, blink, etc). De preferência ranged. Clinks é uma boa pedida, visto que pode ficar invi já no lvl 1 e ainda corre muito caso perseguido.

    Apesar de ter jogado muito o Dota 1 (estou parado a algum tempo), tenho o Dota 2 instalado aqui mas nunca joguei. Nunca nem vi alguém jogando.

    Então eu pergunto pro sr. Rick. Mudou muito a mecânica do jogo? E os heróis e itens? Acha que se eu começar a jogar o Dota 2 vou estranhar muito em relação ao 1?

    Obrigado.

    • Mudou algumas coisas sim, mas acho que o que você mais vai estranhar é não identificar logo de cara os efeitos das magias, a aparencia dos herois, onde que fica certos comandos ,etc… .mas a mecânica é muito similar ao dota 1! =D

      • FeroZ

        Obrigado Rick. Vou dar uma chance. rss

  • RHÁ! Ganhei abraço!!! Sintam-se reabraçados "Dashers" (ou seja lá como são chamados)! 8-D

  • Sarath

    Ótimo cast como sempre, graças a esse cast resolvi tomar coragem (e vergonha na cara) para jogar Dark Souls. Obrigado

  • JessicaTSilva

    Eu fiz isso de jogar algo que não me agradava muito recentemente, joguei Metal Guear Solid 3 pela primeira vez a pedido do meu namorado. Até agora foi o único da série que eu joguei, e posso dizer que não foi de todo ruim. É até divertido nas partes de stealth e bosses são bem equilibrados. Tirando o fato de eu ser beeem ruim no jogo, a primeira impressão me deixou com vontade de terminar e tbm de jogar o 4 (não sei ainda os dois primeiros).

  • JessicaTSilva

    Estou jogando Deamons Souls e concordo plenamente com o que o Rick disse, mas ainda assim não penso como um demerito do jogo e mais como algo que poderia ter sido melhor programado e que foi concertado em Dark Souls.

    Alias eu sou a única que acha que deveria ter algo como "bla bla Souls" no lugar de um Dark Souls 2? Tenho medo do que esse 2 no titulo pode fazer a série. E tbm gostaria que a Atlus ainda fosse a publiser só pra ter aquele manual bacanudo que nem tem em Deamons Souls

    • O mais preocupante pra mim sobre o Dark Souls 2 nem é o nome, é o fato de terem mudado o diretor!

      Dark Souls só não se chama Demon's Souls 2 porque o primeiro jogo foi publicado pela Sony e ela tem os direitos sobre o nome!

  • SeoCrispim

    Cara, já tentei jogar DOTA e LOL. Mobas não são pra mim definitivamente…

  • Juliano

    Po legal o cast, dos 3 só não joguei o Dark Souls(meu humilde pc não tá podendo rodar ele), estou numa quest eterna pra tunar esse pc pra conseguir jogar o tão famoso Dark Souls e sua dificuldade. Sobre Dota, cara, descobri esse negocio tipo, dezembro de 2012 e viciei nesse troço. Bem aí que mora o perigo, ferrei 2 semestres praticamente por causa dele, juntava os stress da vida e descontava jogando Dota. Agora no momento tenho jogado bem pouco, estranho que agora em relação a ele me dá muito mais prazer assistir os campeonatos ou partida dos outros do que jogar realmente, nem me estresso tanto com o pessoal ruim que surge pra jogar no mesmo time, só termino a partida desligo e saio de boa. Mas maneiro ver o pessoal tentando coisas novas por aí, se até hoje não consegui fazer com que um amigo jogue portal e portal 2.

  • Pingback: locksmith near me()

  • Pingback: locksmith locations()

  • Pingback: รถมือสอง()

  • Pingback: DASH #83: Você Joga com o Meu Jogo? (Vol. 2) | Jogabilidade!()

X