DASH #48: Demon’s Souls

2014-04-19T11:41:10+00:00 19 de abril de 2014|DASH|80 Comentários

Buscais podcasts sobre a série Souls, não é mesmo? Então toca o demônio dentro de mim…

“Não, por favor, não literalmente!”, gritam André Campos, Ricardo Dias e Eduardo Fonseca enquanto se deparam com o desafio que os espera além da névoa branca.

Fica claro que, para enfim começarem a cumprir a tão prometida discussão e análise desses jogos, terão que summonar a ajuda de Douglas Pereira, o Dougão (Revista Playstation e Games on the Rocks) para juntos embarcarem no quadragésimo oitavo DASH Podcast, que também é o segundo maior já produzido por aqui.

Nossos heróis circulam assuntos como as origens da From Software e os antecessores espirituais de Demon’s Souls, administram sua stamina em embates contra a complexa e minimalista história, dão fulminantes backstabs nos geniais e intrincados conceitos de jogabilidade, enquanto rolam para longe das comparações com Dark Souls… por enquanto.

Dê o play no podcast para que o mundo seja restaurado. Para que o mundo seja restaurado.

(Esse podcast contém spoilers sobre Demon’s Souls!)

Tá No Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links

  • Pedro14505

    MELHOR PRESENTE DE PÁSCOA DE TODOS OS TEMPOS <3

  • rockman_kun

    PQP! Até que enfim! Maaaaaaaas, eu nunca joguei Demons Souls, só o Dark Souls 1 e to aguardando a versão de PC do 2, mas assim mesmo irei escutar, por mais que pegue os spoilers, sei que o forte da franquia é a experiencia do gameplay.

  • NacibVeio

    AEEEEE!!!!

    Que saudade do Dash! *-*

  • espantalho555

    De tanto o pessoal do jogabilidade fala de Dark Souls resolvi dar mais uma chance pra série e comecei com o Demon’s Souls (por motivos de eu já tinha ele de graça na Plus).

    Pensava que eles iriam fazer um cast sobre Dark Souls, mas qual é a minha surpresa ao ver agora que, exatamente uma semana depois que terminei, eles fazem um cast sobre o Demon’s Souls o/ (se fosse combinado não daria certo).

    Depois de jogar, agora eu tenho uma relação bizarra de amor e ódio com Demon’s Souls.

    Não sei se é contra a política de postagem nos comentário o hábito do jabá, mas escrevi um pouco sobre essa minha experiência com Demon’s Souls (se for proibido postar esse tipo de coisa, podem deletar depois): http://cerebroespantalho.wordpress.com/2014/04/17/demons-souls-e/

  • madrugatina

    Cara estou sem palavras, vocês são fodas! Comento sobre o cast depois da visita na sogra ¬¬…..

  • JorgeMonteiroPedrosa

    Praise the Sun!

  • vinisepulveda

    Valeu a pena esperar. T_T

  • victorbass

    HOOORAAAYYY

    Dash sobre o melhor exclusivo de PS3 que não se chama The Last of Us! o/

    Pensei sinceramente que vocês pulariam o Demon’s e iriam direto para os Darks, fico feliz em ver que estava errado.

    Umbasa!

  • RoxDan

    Daaaasshhh yaay e de demons souls ainda! Nem vou dormir de felicidade hj

  • JP_Oliveira91

    Duas coisas:

    ALELUIAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA O~/

    e

    DOUGÃOOOOOOOOOOOOO O~/

  • Jeronimous_

    Obrigado coelhinho!!!

  • Juliano Da Silveira Rica

    deixar uma mensagem aqui sobre o formato e o que eu mais gosto no Dash, o foco e o aprofundamento, é isso que eu acho que torna o melhor podcast de games. Seria interessante que vocês fizessem algo para o you tube, nem que seja postar algo que já fazem aqui lá.

  • Jeronimous_

    Amazing dash ahead

  • Shirokasi

    Muito bom, não joguei Demon’s Souls pela falta de um PS3, joguei apenas Dark Souls no PC.

    Mesmo assim, tenho muito interesse de jogar Demon’s algum dia, talvez seja estranho jogar depois do Dark Souls, mas mesmo, gostaria muito de experimentar.

  • PowerOtaku

    Foda! Adorei esse episódio de Demon’s Souls e por causa dele penso em ir atrás do jogo. Vlw o/

    Ps: Na espera do vídeo do Rick Coelhinho XP

  • ItalloAlexsander

    Só pude jogar DeS depois do DaS, porque adquiri apenas recentemente um PS3. E ainda bem que tive a oportunidade. Pode não ser tão bom quanto a sequência, pelo menos eu não achei, mas tem a base do que fez Dark Souls um dos melhores jogos dos ultimos 10 anos, e até de todos os tempos. Atmosfera, e uma incrivel sensação de recompensa após matar um boss(olhando pra você Flamelurker), assim como level design inteligente que lhe ensina puramente através de mecânicas como lidar com várias situações e por aí vai. Um ótimo Dash, sobre um jogo excelente. Continuem o trabalho, porque vocês são o melhor podcast de games do Brasil. 

    PRAISE THE DOUGÃO

  • pandapedinte

    Vocês comentaram que o Patches é um sacana, mas só acho que ele é um brasileiro incompreendido. :p

  • pandapedinte  Que é a mesma coisa de ser sacana. xD

  • kandongasd

    Ficou foda a edição e o cast André e afiliados, parabéns!

  • igorjack1

    amem

  • marcus maia

    Cast Muito Bom agradeço muito pelo programa, já que estava pedindo a + ou – 2 semanas no Twitter, chegar aki e encontrar o programa foi uma grata surpresa, especialmente com o Sr Dougão ( cade o Dougcast ?), nao pude jogar Demons Souls, por ser exclusivo do PS3.
    Mas esse Cast foi uma exercicio de busca, era um nome falado já estava no google para ver as imagens rsrsr.
    Só senti falta de um pouco de humor e do Sr Marcio Barrios!
    Obrigado Novamente.

  • GabrielBerilio

    ficou bom pra caralho esse podcast. parabéns.

  • marciosbarrios

    Não é pq sou estagiário não, mas esses meninos mandam muito o/ melhor cast da série Souls já feito

  • DeltaSnake

    Ok, escutei 2 vezes, e baixei para posteridade, assim como farei com os próximos casts de Dark Souls 1 e 2

  • dan_smith7

    Concordo com o querido Marcio Barrios ditador deposto do Drink’n Play e agora estagiário do Jogabilidade, este é o melhor  podcast da serie Souls que já ouvi até hoje, e eu até cheguei a ouvir alguns podcasts “gringos” por falta de podcasts nacionais falando sobre a série.

    Apesar de Demon’s Souls ser o jogo que eu menos gosto da série acho ele um excelente jogo e considero ele o jogo mais importante da geração, ele fez muitas coisas diferentes tomando muitos riscos no caminho, o sistema multiplayer por exemplo que eu acho genial e nunca tinha visto nada parecido antes, um sistema sem lobby, encaixado e explicado dentro do universo do próprio jogo, coisa que depois  Journey utilizou em um sistema similar e brilhantemente também. O fato de ele ser um jogo de médio porte que foi bem sucedido mesmo com pouco marketing, o que ajudou ele a vender foi o boca a boca dos jogadores ele meio que prova que se um jogo for feito com carinho e tiver “alma” ele pode ter chance de ser bem sucedido mesmo sem ser um grande AAA e sem muito marketing, e por fim ele arriscou a punir o jogador e entregar um desafio, em uma época em que a grande maioria dos jogos segura na mão dos jogadores Demon’s Souls colocava uma espada na tua mão um escudo na outra e dizia “se vira ai negão”, OK ele até tinha alguns tutoriais para te ensinar o básico mas era só isso. Estes 3 pontos pra mim já são suficientes para considerar ele o jogo mais importante da geração mas ainda temos a jogabilidade soberba com o que eu considero o melhor sistema de combate meele já criado que depois seria aprimorado em Dark Souls, um sistema que valoriza a inteligência estratégica do jogador e também sua habilidade.

    <SPOILER DO FINAL DE DEMON’S SOULS ABAIXO>
    Estou no time Sushi e sou uma pessoa inocente que acredita na Maiden in Black. Tanto é que só vi o final em que você mata ela pelo youtube porque nunca tive coragem de mata-la, depois de todo o tempo que ela passa te ajudando a subir de nível e te dando algumas instruções eu acabei me apegando a ela, mas achei legal o André apontar que ela pode estar te manipulando o jogo inteiro e até faz sentido especialmente levando em conta que ele faz parte da série Souls.
    </ FIM DO SPOILER DO FINAL DE DEMON’S SOULS>

    Para finalizar este comentário já grande demais esse é o único jogo que fez eu pagar um mico e ficar parecendo um maluco, meu irmão e uns amigos dele estavam fazendo um trabalho de faculdade perto da sala onde eu estava jogando Demon’s Souls, eu estava lutando contra o False King Alant e não muito surpreendentemente ele estava limpando o chão com a minha cara, eu lembro de ele ter sugado mais de 5 leveis de mim com aquele maldito ataque especial dele e provavelmente ele me matou mais de 10 vezes, quando eu depois de uma épica peleja consegui derrota-lo eu não me segurei e comecei a gritar “Isso! Consegui! toma essa seu filha da p***!” quando eu viro pro lado estão meu irmão e os amigos dele me encarando e dando risada de mim… eu fiquei sem palavras, desviei o olhar e foquei na tela da TV pensando como aquele jogo tinha me absorvido, me feito esquecer completamente de tudo ao meu redor e me feito gritar de felicidade por ter derrotado um punhado de pixels.

    Enfim muito obrigado pelo podcast, fico no aguardo do Dash de Dark Souls, seja lá quando ele vier, e espero que o Dougão seja summonado novamente, gostei muito da participação dele neste cast, me desculpem pelo comentário gigante.

  • DeltaSnake

    dan_smith7  Melhor cast, da melhor série de games, do melhor podcast, e esse, o melhor comentário. Parabéns!

  • wilbacelar

    Eu consegui platinar Demon’s Souls usando um guia da revista Playstation. Será que foi o Dougão que escreveu ele.

  • Bode333

    Salve dashers! Como não joguei o jogo não terei nada de relevante para acrescentar, só queria deixar uma coisinha registrada, André, reparei nesse cast que você usa “né” como vírgula né e agora que eu percebi né não consigo mais deixar de reparar né? 😀

    Ah e eu tive que bloquear o Dougão no twitter, toda semana tava levando spoilerzin de naruto (Que está uma merda mas como disse o Fred: É o meu filho drogado que eu não consigo abandonar)

  • Bode333  Ih, foi bom te ter como ouvinte então, né? Porque agora nunca mais conseguirá ouvir outro podcast sem ficar reparando nos nés, né?

  • Armoderic

    Excelente o cast, muito legal a participação do Dougão. mal posso esperar pelo de Dark Soul.
    Uma curiosidade, ouvindo o cast vocês falaram sobre “Mind Flayers” ou “Illithids” ou algo muito parecido com eles, mas o fato é que essas criaturas são originalmente de Dungeons and Dragons e surgiram bem no início dele (lá pela década de 70) apesar de serem mais conhecidos por sua aparição no cenário de campanha Spelljammer. Eles usavam poderes psíquicos e os tentáculos eram para inserir dentro cabeça da pessoa e devorar seu cérebro.
    Outra curiosidade é que “Illithids” se não me engano são marca registrada pela Wizards of the Coast (ou pelo menos não fazem parte da Open License). Pelo visto a From Software fez um acordo ou pelo visto deu um drible usando o nome de “Mind Flayer” (muita gente faz coisa parecida com Beholders, colocam uma criatura com nome diferente e levemente diferente) e fizeram a cabeça em forma diferente como normalmente aparece nos livros de D&D, apesar de manter os tentáculos.

  • Dougao

    Bode333

  • Bode333

    @Majin Estou demitido como ouvinte, é isso que você está me dizendo? D:

  • rodrigogac

    antes de escutar, só queria dizer e fazer esse podcast pode ter sido mais difícil que zerar o jogo !!! parabéns meu garotos !!! um pedido !! se possível disponibilizem outra forma de fazer doações não tenho cartão internacional e gosta ria muito de ajudar vocês !!!

  • rodrigogac

    Velho e dougão !!!

  • PedroHenriquePrado

    Eu nunca joguei (time x-box nessa geração), mas vi alguns play-troughs e posso dizer que a Lore desse jogo é simplesmente fascinante.
    A série Souls é conhecida pela sua dificuldade, mas eu acho que a estória por trás de tantos momentos de raiva é recompensadora se você tiver a devida paciência para tentar entender o que se passa. São tantas referências e detalhes escondidos que tornam a leitura de uma simples descrição tão valiosa quanto tudo aquilo que se passou até chegar a ela.
    E o game design parece cruel, mas é extremamente inteligente. Quando a fase é mais simples e menos complicada, o Boss é geralmente mais forte, quando você paga os pecados até chegar ao Boss, ele é menos dificil.
    Esse jogo é a expressão “Seja melhor” escrita em código binário. Como vocês disseram, o jogo fica mais fácil quando se tem experiência.
    Parabéns pelo podcast, ficou muito bom!
     Umbassa!

  • Jessica T Silva

    Meu contato com Demons Souls veio do meu namorado. Quando ele ganhou o jogo ele se irritava muito, bufava  e jogava por horas intermináveis. E eu só uma espectadora olhava aquele troço e sentia uma profunda falta de simpatia pelo jogo: “pra que eu vo jogar um jogo em que eu quero arremessar o controle na parede?”. Depois de um tempo, eu não tinha muito o que jogar e resolvi começar um jogo meu, e a minha resposta é: “Não faço a menor ideia!”. Simplesmente porque não tem uma resposta. É o desafio pessoal, e a imersão do jogo, é um paralelo de quando eu jogava Crash no play 1 a milhões de anos atrás e morria muito…
    Claro que me irrita muito o fato de eu ter ficado 3 meses pra passar do 4.1 pro 4.2 (sim 3 meses!), mas ainda assim gostar do jogo e ter vontade de jogá-lo e não de quebra-lo em mil pedaços.
    O cast foi muito bom e resume tudo de bom e de falho que o DS apresenta.

  • RenDaemon

    Gostei muito do cast, e esse era bastante esperado!
    Achei que ficou bem claro na discussão de vocês, mas gostaria de enfatizar o quanto eu gostei do fato de que o grinding não é necessário, a não ser que você seja extremamente descuidado. Os níveis não importam tanto quanto em outros RPGs (e vejam bem, não estou dizendo que não importam!). Não faz taaanta diferença se você está no nível 40 ou 50 na hora de enfrentar aquele chefão. Claro, se você estiver no nível 10 vai fazer muita diferença… A não ser que você seja “elite gamer” e se esquive de todos os golpes, hehehe…
    Um belo passo rumo a Dark Souls! 😀

  • Jessica T Silva

    Eu errei, fiquei presa entre o 4.2 e 4.3

  • dan_smith7

    DeltaSnake dan_smith7  obrigado pela parte de melhor comentário, ou como diriam alguns NPCs de DS: “Thank you kindly.Ne he he he he!”

  • Armoderic  A gente chamou aqueles monstros de Mind Flayers por conhecer eles do D&D, ou de outro lugar, no Demon’s Souls mesmo não falam o nome deles.

  • GuilhermeBonatti

    Opa, estou jogando esse jogo, muito bom mesmo, acho em alguns pontos até melhor que Dark Souls.
    Mas sem vergonha de dizer que estou usando o guia que veio com o jogo, hahahahah! Mas dessa vez deixei de enrolar e vou até o fim (tenho o jogo a muitos anos…. assim como o Dark Souls que comprei na pré venda e nunca terminei também).

    Enfim, baixando o cast agora para ouvir!

  • BodeMistico

    estou adorando a discussao, gosto muito do mundo e da ideia do jogo e da serie. Gostaria de indicacoes para jogar a serie, porem, tenho um computador da xuxa e tenho planos para no futuro comprar um pc decente, quais sao os exclusivos e como poderia jogar os outros em um pc?

  • madrugatina

    Ola amigos dasheiros, 
     Eu so terminei dark souls ate agora, escutei o cast e adorei, to louco para pegar um ps3 e detonar esse game, mas concordo com  Sushi a serie souls nao e tao dificil, ela s[o da uma jogabilidade pouco explorada nos games a DEFENSIVA, nos passamos anos sendo os brucutus que destruiam tudo com a tecnica esmaga botao e nesse game seu escudo e paciencia ser’ao seus melhores amigos, depois que vc aprende isso o game esta resolvido.
     Continuem o bom trabalho.

  • kiliano

    Ow que cast legal! o Estou insistindo com Dark Souls ainda, passei por várias tentativas até realmente tomar gosto pelo jogo. Se minha jornada por DarkSouls acabar dando certo, prometo que vou dar uma passada de olho no Demon Souls 🙂 Obrigado novamente por esse cast tão rico, abraços! =D

  • BodeMistico  O único exclusivo é o Demon’s Souls, que foi publicado pela Sony, no Japão. Ambos jogos da série Dark Souls foram lançados para PC, o primeiro sempre participa das grandes promoções do steam, então fácil achar ele por menos de 20 reais. E pelo que sei, nenhum dos dois precisa de PCs fodões para conseguir roda-los.

  • bigodehimura

    Considerações sobre o podcast:

    1 – Ficou foda, um dos melhores podcasts do site e da podosfera brazuka!
    2 – Como resumir a série Souls com uma frase do Major “Dutch”: ” se sangra, podemos matá-lo”.
    3 – Tentem convidar o Fernando Muciolli para o podcast de Dark Souls. Ele é mais um apaixonado pela série e o Dougão sabe disso.

  • ViniciusAbolis

    O melhor cast que
    já ouvi em todos os tempos, parabéns e obrigado!

    Queria compartilhar alguns momentos épicos que tive em Demon’s
    Souls. Antes de iniciar quero dizer que é minha franquia favorita e  experimentei de tudo no “universo Demons’s Souls”(e suas sequencias) e esse jogo foi meu primeiro joguinho do PS3 e que não saiu dele durante muitos meses.

    Bom, minha biuld
    favorita era focar no uso da “BlueBlood Sword”, uma espada que necessitava de
    muito status diferentes, no entanto muito recompensador com o seu alto dano,
    possibilitando utilizar encantamentos aumentando o poder de ataque mais e uma espada leve,
    possibilitando diversos ataque consecutivos e muito dano.

    Eu sempre tive experiências online. Quando eu era
    impossibilitado de jogar online, eu simplesmente não jogava. Hahaha! Adorava a experiência
    de poder interagir com outras realidades. Para mim foi/é uma grande imersão no
    jogo.  Jogava frequentemente com um
    amigo, nos conectamos em uma conferencia no Skype, e a partir disso combinávamos
    os locais de encontro e compartilhávamos experiências “online”.
    Lembro que na primeira vez que estávamos jogando, e quase no
    final do jogo onde temos que subir uma escadaria para enfrentar o “False King”, um dragão tentando impedir o avanço. Já estávamos “cagando” de medo e ainda
    por cima recebemos uma invasão em meu mundo, onde esse meu amigo estava me
    ajudando. Pronto, esse foi o estopim para congelar e simplesmente levantar o
    escudo, escorados na parede, para não receber um “backstabbing”. Quando o PVP
    apareceu acidentalmente eu aperte o botão PS, do dualshock 3, nisso deixei meu
    parceiro na mão enfrentando sozinho um PVP bem mais forte que nos e na
    tentativa dele me salvar acabou morrendo, pois não foi tão rápido para sair do
    menu do PS3, porque é bem lento quando acessa o menu e esta jogando algum jogo
    online. 
    Foi um dos momentos de invasão que recebemos mais marcantes,
    pois foi muito engraçado e ao mesmo tempo desesperador pois não podia fazer
    nada. Final da historia, morremos! Hahahaha.

    Éramos iniciantes nesse época e depois com as sequencias de
    criações de novos personagens, N+ e etc. Acabamos dominando tudo sobre o jogo e
    nos tornando muito fortes com poucos leveis.

    Como mencionei a BlueBlood Sword, foi minha queridinha e com
    ela fiz muitos estragos em lutas contra Black Phantom. Me recordo que eu ia
    para a 4-1 apenas para receber invasões e eliminar todo PVP que invadia meu
    mundo. Acho que peguei “raiva” de tanto morrer por eles, que me tornei um “Caçador”
    de Black Phantom. Hahahaha!
    Lembro que dizia para meus colegas. Hoje não vou jogar PVE,
    a caçada de Black Phantom foi aberta.
    Uma dessas vezes, uma mago invadiu meu mundo, e foi uma batalha
    muito épica, onde meu amigo, morreu com apenas um ataque magico, e eu utilizava
    um Miracle que impedia o uso de magias, bom esse foi o fim do Black Phantom que
    invadiu meu mundo. Logo após ele ser derrotado, ele me enviou uma mensagem na
    PSN, dizendo que havia muito tempo que ele não era derrotado e combinou um
    local para me doar algumas pedras para forjar armas.

    Já recebi muitas mensagens na PSN, após derrotar outros
    players, me perguntando qual era a espada que eu estava utilizando e minha biuld. Pois eu os derrotava com
    facilidade.

    Não estou querendo me gabar dizendo isso, eu apenas quero
    compartilhar algo que o jogo me ensinou a ser para sobreviver e ajudar os
    outros em PVE que tinham dificuldades. Durante muito tempo jogava apenas para
    ajudar outros e frustrar alguns Black Phantom. E como foi marcante jogar Demon’s
    Souls(e as sequencias).

    Como foi dito por vocês, para conversar sobre esse game 2 horas
    não é o suficiente ou nem mesmo mil palavras, por isso vou finalizar aqui. Se
    não vou ter uma baita tendinite de tanto escrever.  😛  Hahahaha!

    Abraço e boas jogatinas!

    Para quem joga no PS3, pode me adicionar. Apenas identifique
    o pedido de amizade. J
    ID: OldAbolis

  • Sr Elton

    ViniciusAbolis  Cara, eu tenho muito ódio dos Black Phantons também; principalmente porque na maioria das vezes que eu morri pra algum foi porque ele se utilizava de alguma “apelação”, foram raras as vezes em que algum cara me invadiu e me chamou pra uma luta limpa.
    Eu invadi poucas vezes algum mundo, na maioria das vezes eu gosto mesmo de ser um Blue Phanton de suporte porque minha build sempre foi de balancear magia e ataque procurando sempre usar equipamentos que me dessem bônus em um ou em outro, assim eu posso usar poucas magias, mas muito poderosas e atacar pouco, mas com muito dano por bonus.

  • lucasgbassi

    Primeiro Dash´s Souls!!!

    Inicialmente, apesar de pouco construtivo, é um dever sempre agradecer aos excelentes podcast de vocês. É, definitivamente, o melhor no quesito de profundidade e temas bem selecionados, o que só é possível por terem participantes que gostam e são bons no que fazem!

    Sobre o Dash 48 especificadamente, gostaria de resumir o contexto do jogo pelo que apresentaram e outras informações coletadas na internet, para que alguns possam mais facilmente visualizar a bela história (ou estória, hã hã!? rs) construída.

    Apesar de existir um grande perigo de ter errado alguma síntese aqui, segue um sumário abaixo para quem ficou um pouco perdido e eventualmente para estimular outros a jogarem pela primeira vez ou novamente:

    O mundo que era habitado por seres humanos com almas, luz. Após aprenderem como manipular as Soul Arts, pelo abuso desse poder, o “Deus” criou o Old One para devastar a humanidade – um demônio devorador de almas – e com esse veio uma névoa “sem cor” por todo o mundo trazendo demônios que roubavam as almas dos seres humanos, tornando-os “vazios”, descerebrados – “desalmados”. Essa devastação separou as partes do mundo. 
    Ao que parece, mesmo com a ajuda de poderosos guerreiros de Boletaria, a primeira parte a sucumbir a essa invasão devastadora foi o “Reino do Norte”, o lar dos gigantes, o que trouxe muita preocupação de todos. Numa tentativa de conter o caos que tomou esse reino, o seu elo com os demais foi destruído (Archstone). 
    Depois de muita luta, bravos guerreiros silenciaram o Old One, exilando-o, e que posteriormente o mantinha nessa situação com encantamentos, sendo denominados como “Monumentals”. 
    Mesmo com esses esforços e êxito, mais da metade da humanidade foi perdida. E, com o intuito de reconstruir o devastado, as diversas regiões separadas foram unidas Monumental por meio das Archstones. Esses portais permitiam a interconexão das áreas e essa liga é mantida e interligada pelo Nexus (HUB) – que pode ser definida como um templo escondido no tempo e espaço de onde os Monumentals perpetuam o exílio do Old One.

    Entretanto, com o passar do tempo, no reinado de Alant XII teve ciência da Soul Arts e da existência (exilada) do Old One. Assim,  desgostando da velhice e não pretendendo encontrar a morte, o Alant XII fez um pacto com o Old One, tornando-se poderoso e imortal, trazendo com isso novamente a névoa incolor com sua orda de demônios devoradores de almas.

    Nesse tempo é que é introduzido o jogador. O último Monumental, que traz regularmente guerreiros ao Nexus para expurgar o mal que assola o mundo, conduz o jogador ao “Hub” e o inicie nessa missão.

    Assim pode ser delineado o contexto inicial do jogo, creio.

    Comentários rápidos:

    * Vocês chegaram a comentar sobre a existência de tendência de mundo, “pure white”, “pure black”, contudo, faltou explicitar que existem duas vertentes (e que tornam o game muito chato para platinar, num jogo descuidado): essa variação de branco e preto existe tanto para o Mundo (numa média, se você  estiver online, ou isoladamente, em offline) quanto para o seu Personagem – por isso o mapa geral possui as lápides e um homem no centro (eles se modificam conforme as respectivas tendências). E, diferentemente do Sushi0 , pelo que me recordo, creio que não é possível realizar o pure black para o pure white na TENDÊNCIA do Caráter num só jogo (para pegar o anel “friends” alguma coisa com o último “menininho” rs rs), pois, na melhor das hipóteses, não teria como se beneficiar, ao menos offline.

    * concordo que a Maiden in Black  fez alguma coisa de errado nessa história e, até por culpa, esta tentando consertar tudo agora. A magia http://demonssouls.wikidot.com/soulsucker que o Falso Rei possui é nítida e “animicamente” ligado a ela.

    * acho o chefe 2-1 muito massa, se você vai de meele. No começo, por instinto de sobrevivência e ainda teoricamente não conhecer muito o jogo, você não consegue chegar perto dela com facilidade, pois você toma muito dano antes se errar o desvio (possível combo: teia + bola de fogo). E, tempos atrás, 2-1 era um lugar que as invasões (PvP) ocorriam muito e era tenso enfrentar lá.

    * Demon´s Souls, na minha visão, é mais difícil e cruel que o Dark Souls, por não possuir uma “curva de aprendizado descente” e seus itens de cura não se restaurarem com a morte (como ocorre no DaS, com o Estus). Acho ele mais obscuro também. A mecânica é extremamente agradável, trazendo, minha opinião, mais rapidez até aos combates (fora as flechas “slow motion”). Uma outra diferença que considero grande são os atalhos… nossa, no Demons Souls, fora o 1-1, não ajudam muito, o que não ocorre no Dark Souls. OBS: Platinei os dois em períodos distintos (primeiro joguei e zerei o Demon´s Soul, depois platinei o Dark Souls e, finalmente, voltei a jogar para platinar o DeS), logo, possuo alguma legitimidade para opinar! rs rs

    Abs

  • lucasgbassi

    ViniciusAbolis  sua descrição vale para a maioria, creio! É isso mesmo. Nossa, lembro que a build de BBS (BlueBlood Sword) era foda demais, pq é leve, rápida e com dano animal. O pior é que, inicialmente, não dá para montar um Char para ela se você a desconhece (salvo engano, ela escalona forte com Luck, não? Quem ia investir nisso no primeiro game?). Sempre preferi Guerreiros Clérigos (aliás, mesmo no DaS é assim), mas tinha outros Char (pra platinar, um Royal mais pra mago, claro). Engraçado que, intencionalmente, sempre comecei os 3 jogos com guerreiros meeles puros, pois acho que proporciona a experiência mais tensa e intensa que o jogo possui – ainda não terminei o DaS2 (e não estou lendo nada ainda, pq não zerei nenhuma vez), mas é muito interessante perceber que para mago será muito mole também – como disse o Dougão, creio, “mago é o easy mode da franquia” ahahuaha

    Qualquer coisa, estou na PSN tb: sess_rp (mas só no DaS 2 e com o Char meele-pereba – acho que lvl 72, por aí)

    Abs!!

  • lucasgbassi

    Sr Elton ViniciusAbolis  é que a maioria das vezes você não está esperando ser invadido e, ao contrário, quem invade está muito preparado para isso. Quantas vezes estava morrendo ou envenenado ou fudido com PvEs/creeps e aparecia um fdp. Mas acho que isso integra a graça do jogo… é muita tensão. Como o maajin disse, é um jogo de terror! E, vamos combinar, num mundo como o descrito por eles, se o jogo não fosse aterrorizante ele seria mentiroso! rs rs

    O melhor mesmo é modo cooperativo para vencer. Gostei muito de jogar assim. Não gostava muito de invadir e quando fiz, curti e fazia a outra pessoa (se não estavam em 3) curtir também. Cumprimentava, trocava msg e itens depois etc. Isso ás vezes não dá pra fazer, pq as pessoas ficam muito na defensiva e nem sempre tem maturidade (pelas msgs “lol… noob…” vc identifica isso)

  • ovmateusix

    Parabéns, gatos.

    Não joguei Demon’s Souls, mas eu sabia do lançamento deste cast e estava ansioso para ouvir o mesmo. Calma, não joguei Demon’s Souls por motivos de não ter mais meu PS3 e (que eu lembro) as noticias falaram lá por meados do ano passado que o server ia ser desligado antes do lançamento de DS2. Já conhecia a série na época e acompanhei os lançamentos da série Souls ali, meio sem querer, mas ai em outubro do ano passado, após ver o Rick matar o Capra Demon, pensei: Ok, hora de dar mais uma chance para esse jogo e ir até o final. (me referindo a Dark Souls)
    E ele É BOM,  E que série, com certeza, se ornou a minha preferida. Ai fui atrás de jogar e me apaixonar. E caras, como eu quero/espero ouvir um cast sobre Dark Souls I e Dark Souls II. Ainda farei um podcast só pra comentar DS II e convidar os jogabilideiros que me instigaram cada vez mais a jogar.

    Sou um dos “advogados do game” agora, Tem sempre  o pessoal que não gosta, e eu até entendo, mas pelo menos esse pessoal TEM que reconhecer que a série fez para  o mundo, o que ela trouxe de bom. E isso ficou muito bem descrito no podcast.

    Não ouvi todo não, por conter spoilers das áreas e chefes de Demon’s Soul, game ese que foi o único da série que não joguei, mas pretendo pegar ele assim que me sobrar um tempo (e um PS3 vier parar nas minhas mãos denovo).

    Parabéns, mesmo, por instigarem as pessoas a conhecerem mais e mais dessa série maravilhosa. Abraços.

  • Sr Elton

    lucasgbassi Sr Elton ViniciusAbolis maajin  Hahah é mesmo, quando você recebe na cara um “lol noob” é foda!

    Bom, de fato quem invade está mais preparado, mas também é certo que os caras vêm na trairagem muitas vezes… Mas isso ajuda a compor o universo do game, sem dúvida alguma!

  • lucasgbassi

    Sr Elton lucasgbassi ViniciusAbolis maajin  Aliás, esse jogo permite umas trairagens homéricas (juro, tem gente que invade para matar os cristais lizards e jogá-los/inutilizá-los, principalmente no 4-2, p. ex.) – claro, perde para o Dark Souls 1, que parece que foi arquitetado para permitir a prática da trollagem avançada (youtube não me deixa mentir).

    Mas o que curtia nos PvPs do Demon´s Souls era a honestidade e brutalidade dos combates. Tipo, não raro era 3×1 só que ninguém apelava tanto (como ocorre no DaS, onde cercam onde o cara vai nascer só para matar antes da pessoa respirar). Era emocionante lutar em desvantagem ou, pior, ser morto mesmo estando com um amigo! Outro fato é que não tinha choro de usar qualquer coisa para se safar (quem invade ou é invadido podia se curar sem ser tachado de covarde – ora, é um recurso do jogo – o que não é tão verdade no DaS, por isso existe uma diferença de postura de aceitação ou não da cura, imagino).

    Enfim, curti bastante mesmo, e ainda hoje, de vez em quando, na pegava etílica, jogo um pouco para sentir o climão Demons Souls.

  • Bravehunter

    Me indiquem passo a passo pra fazer builds pra ver se consigo gostar desse jogo, porque jogando na raça num dá não xD

  • lucasgbassi

    Bravehunter  poderia te indicar um zilhão de builds, mas o jogo depende de uma dedicação para pegar o jeito (como o Rick comentou, o aprendizado não vai com as souls perdidas, fica com o jogador).

    Mas vamos lá. Para começar, pegar o jeito de “timming” e distância, começaria de classe Royal, que já possui uma magia muito boa para o começo (Soul Arrow, salvo engano). Eu, nessa classe, depois de terminar a primeira parte e investir tudo em magia (int) ou um pouco em vida também (e equipar o anel Cling Ring encontrado no 1-1 quando você abriu um atalho) e no Nexus SE MATAR (para não modificar a tendência dos mundos), iria para o 4-1 pegar a http://demonssouls.wikidot.com/falchion#toc6 (junto ao esqueletão sinistro preto) – pode morrer à vontade até pegar.

    Depois disso, vá upando conforme a necessidade, mas aposto que os inimigos ficarão mais fácil.

    Se quiser uma referência de build mais bruta, veja essa p. ex.: http://demonssouls.wikidot.com/character-builds:153

    Veja a sua dificuldade e aí conte. Mas escrever aqui no geral é um pouco difícil. Contudo, acredite, não é difícil, mas é que o jogo não te conduz até você pegar o jeito… ele trata o expert e o iniciante da mesma forma, não tem curva de aprendizado ou colher de chá… fogo mesmo.

  • Bruno

    Excelente cast.
    Vocês tem corações de ouro…não deixem que tomem de vocês.

  • Bode333

    Já ouvi o cast 3 vezes e fiquei com vontade de jogar, pra alguém que vai começar agora é mais recomendável seguir guia de começo ou tentar ir na moral e arriscar dropar do jogo? Uma coisa que me chama a atenção na série souls é o nome dos lugares/chefes/coisas, são tão sonoros que tenho vários deles gravados na minha cabeça sem ter jogado nenhum.

    Queria ter ouvido a opinião final do Rick já que ele tem o perfil de jogador mais parecido com o meu. Pelo que eu acompanhei pelos streams, apesar de morrer bastante a reação do André era mais ou menos essa:

    http://youtu.be/OgCLMI3fgn0 

    Queria ter essa skill :3

  • BodeMistico

    Sushi0 BodeMistico  valeu sushi. Nota: o novo servidor está fantástico e os temas tanto dos dashs e dos vérticies também, continuem o ótimo e informativo trabalho de vocês. Vida longa ao jogabilida.de

  • Uma coisa que me afasta de Demon’s Souls é a jogabilidade. Pra mim, a jogabilidade é o fator principal para jogar ou não um game.
    Me parece que Demon’s Souls tem um tipo de jogabilidade mais travada. Tem muita gente que gosta, mas eu não consigo mais me envolver. O último jogo que joguei nessa pegada mais travada foi ‘Gods’, do Mega Drive.
    Se for pensar, Gods era um jogaço. Quem sabe eu dou uma chance ao Demon’s uma hora dessas, né?
    Valeu pelo cast, gurizada!
    Té.

  • lucasgbassi

    Cara, que aconteceu? Quando você diz travada seria no sentido de lenta? Se for,mé normal, pois tenta imitar o peso da física dos movimentos (fora o histórico ressaltado pelos dashers, que a Fromsoftware usava a lentidão para poder carregar as texturas).
    A mecânica dele é fantástica, justa. Ele pune o erro, mas igualmente recompensa o acerto, se não com souls o suficiente, ao menos com uma sensação psicológica de vitória gloriosa. Apesar da curva de aprendizado ser bem cruel (inexistente), depois de acostumar, é um maravilhoso jogo. Dê uma chance!

  • lucasgbassi

    Boa, Stockpile Thomas! Rs rs rs

  • lucasgbassi

    Só um último comentário sobre o Dash 48, agora que já o escutei 3 vezes! rs rs:

    Quando você invade no 3-2, em regra, você entra no mundo como um black phantom para matar o jogador. Entretanto, várias vezes eu fui summonado involuntariamente para ser o Old Monk, ou seja, mesmo eu não tendo colocado qualquer sinal para invadir ou duelar – só estava online. 
    É curioso – o que eu senti é que, saindo do inicio do 3-2, se você colocar sign (até para ser summonado para AJUDAR um host) na primeira escada há uma grande chance de você tomar o posto do Old Monk para ser o Chefe (ao menos, quando joguei foi isso)… e é bem bacana (sim, vc joga com as magias dele, mas não as controla, é “castada” automaticamente – e sua vida é a dele tb). 
    Para pegar o “cabeção” do old monk (que dá um acréscimo ótimo em magias), você precisa jogar como o chefe e o host morrer (ainda que vc não o mate, p. ex., se ele morrer tentando chegar na área do chefe, o que ocorre bastante, pois os protetores são fortes).

    Agora, um questionamento, por que o Yurt foi preso em 3-2? Será que foi tentando matar o Old Monk? Se foi, porque não o mataram direto, somente o prenderam? Será que queriam chamar a atenção da Mephistopheles para matá-la? Enfim, disso eu não sei, eu nunca tinha me questionado o motivo de ele estar lá (como também não o fiz com relação ao Saint Urban, poxa, será que só é um trollagem do Patches? Tipo, ele odeia clérigo, como dá para perceber no Dark Souls principalmente, mas pq tanto ódio no coraçãozinho dele? rs rs). Eu não sabia que o chefe offline do 3-3- seria o Yurt summonado, porque acho que eu sempre o matei… nunca achei ele confiável.

    Isso que é incrível… mesmo quando a gente joga muita essa série (qualquer um), o interessante é que todos tem algo a acrescentar… nossa, o Dark Souls é quase infinito de LORE e possibilidades de gameplay (quem jogou com lvl 1 sabe bem disso… é absurdo) – eu, p. ex., só descobri que podia summonar o Lautrec nos gárgulas e o Solaire no final depois de ter platinado!

  • @Gilmarzinho  Poxa, eu acho que a série Souls tem a melhor jogabilidade dos video games. E se você achou a jogabilidade do Demon’s lenta você vai morrer com a do Dark Souls 2, os personagens foram ficando mais pesados a cada jogo da série.

  • paolocezar91

    Não acredito que ninguém comentou da trilha aqui! Diga-se de passagem é muito melhor que a trilha do Dark Souls (não ouvi a do 2).
    O tema do Phalanx ou do Tower Knight cria uma tensão ABSURDA que não lembro de ter sentido em nenhum outro momento no Dark Souls.

  • paolocezar91

    Bravehunter  pega um Mage e entope em Inteligencia e Atunement. Procura nas Wikis onde vc libera os magos que te ensinam magia. Easy mode. Depois disso aí vc tenta uma build de porradeiro.

  • lucasgbassi

    paolocezar91  eles comentaram só no Dash mesmo, e rapidamente. De fato, é animal. Mas é o tipo de jogo que o silêncio é bem-vindo também. Muito tenso! O DaS 2 está muito bom também, tenho gostado da trilha, mas, confesso, nem sempre consigo prestar atenção nela (inevitavelmente a gente a sente, mas nem sempre a “ouve”). Tentarei conseguir uma OST mesmo para tentar escutar mais “dedicadamente”. Os caras mandaram bem mesmo.

  • Marukard

    Olha aí, o tão esperado cast
    sobre um jogo da série Souls, e ainda mais, com o Dougão! Ficou foda. Agora é
    aguardar o resto do Semestre Souls no Jogabilidade. =D
    Meu primeiro contato com o
    jogo foi logo assim que comprei meu PS3 em 2009. Estava em uma locadora (sério)
    para tentar alugar Uncharted 1, quando vi DeS e me interessei. Conversei sobre
    na loja e tive boas recomendações, fora que o estilo de jogo, 3ª pessoa de ação,
    é o meu preferido.
    Foi amor ao primeiro “The
    Demon was Destroyed”, já que morri umas 20 vezes para chegar lá e a sensação de
    vitória é algo intenso nesse jogo. Mas foi algo platônico, vislumbrava a
    maravilha que era o jogo e sua jogabilidade, porém tinha grande dificuldade em
    executá-la (minha build 15 em tudo também ajudava) e logo caiu no meu backlog, ficando
    por lá por uns 4 anos. Até que o hype do DS2 (e a incessante campanha de vocês
    em convencer o mundo a jogar Dark Souls) foi subindo e me vi obrigado a tirar o
    atraso da série. Deveria ter feito isso antes.
    A atmosfera sombria e
    opressiva da maioria das áreas combinada ao design medieval escolhido foi me
    puxando cada vez mais para o ciclo sem fim de morte e recomeço, onde a
    dificuldade se encontra na superação pessoal mais do que na da adversidade
    proposta pelo jogo. E esse é um ponto que sempre é discutido quando a série
    Souls é posta em conversa: que é um jogo muito difícil. Não vou falar como o Sushi,
    que é fácil e todo esse papo elite gamer, mas tenho de concordar que o pessoal
    demoniza (hã, hã) demais o jogo, sendo que tudo que ele pede é sua atenção. Vai
    tentar jogar enquanto ouve algo? Não vai perceber o barulho do inimigo se
    aproximando. Qualquer distração boba e então aquele zumbi fuleiro com tocha irá
    te trucidar. Quando você “se entrega” ao jogo ele se abre de uma forma tão clara,
    que todos os inimigos se curvam para o jogador. Claro que ter uma Dragon Bone
    Smasher ajuda a deixá-los curvados no chão, mas não seria tão diferente se
    usasse uma adaga.
    Tudo isso me deu uma ótima
    experiência com Demon’s Souls e desbravar por conta, sem saber do bug (que não
    é bug) do Maneater ou que era preciso matar aquele dregling para realmente
    vencer a Fool’s Idol entre outras coisas que teriam feito minha vida bem mais
    fácil, foi a melhor das partes. Todas essas pequenas descobertas foram algo que
    apenas somaram na diversão do jogo, algo que, infelizmente, não pude repetir
    com o Dark, mas isso fica para outra hora.
    Enfim, depois de muitas lutas
    épicas, como a da Storm King, e de umas ~50~ batalhas contra o False King,
    venci o maldito (que se tornou minha luta favorita meio que por estocolmo) e (SPOILER)
    temi que a Maiden seria o último chefe. O aperto no coração só passou quando vi
    aquela gosma falante no chão, tentando me bater. Ainda bem, pois ter de matá-la
    seria cruel demais, mesmo sendo DeS. (SPOILER)
    Um excelente jogo, que agora
    tento apresentar para todos que tenho a oportunidade.
    Ah, e só para não deixar
    passar batido, sobre a From Software, um dos jogos que eu gostaria de testar é
    o Metal Wolf Chaos. Afinal, não é todo dia que você encarna o Presidente dos
    EUA e enfrenta seu maligno Vice em batalhas de mechas muito loucas com altas
    aventuras nesse jogo que é a maior confusão. A From vai de um extremo ao outro
    em seus jogos e acho que por ela ter essa loucura tão aflorada que gosto tanto
    dos trabalhos dela (jogava muito Armored Core). Que venham mais iterações de Souls e Mechas. 🙂

  • Prodigyboy

    Que game foda é Demon Souls, que pena que vendi meu PS3. Comprei recentemente o Dark Souls 2 pra PC e está dificil para cachorro. Continuem esse ótimo trabalho parabéns.

  • andrebonifacio7

    Conheci a série souls por vocês. Obrigado. Sinceramente obrigado.

  • andrebonifacio7

    Agora que já ouvi o podcast, caramba que programa incrível. O jogo tem uma história tão rica e a maneira que foi discutida foi tão legal! Esse programa não vai sumir do meu hd!
    Conheceu pelo dark 1 e acabei de terminar o demons pela primeira vez. Acho que jogar de novo para brincar melhor com o online e conhecer a Mefistófeles e o cara de a armadura capetuda que nem encontrei.
    Que venha o programa de um dos meus rpgs favoritos. Dark souls.
    Meu amigo me emprestou o DS2, mas estou com medo de começar a jogar e não conseguir jogar mais nada por dois meses…

  • Pingback: here()

  • Pingback: locksmith locations()

  • Pingback: odejda sochi 2014()

  • Pingback: content marketing()

  • Waldir Krisanski

    muito bom,parabéns!

  • Roger Waters

    “As almas não são tão importantes”.
    Esse é o Sushi, rs. Acho que todo mundo ficou curioso em ver ele jogar (eu fiquei). Será que tem vídeo?

  • Pingback: DASH #60: Bloodborne - Jogabilidade!()

  • Pingback: DASH #85: Dark Souls II | Jogabilidade!()

  • Pingback: DASH #87: Dark Souls III | Jogabilidade!()

X