JACK #02: Kids on the Slope

2014-05-15T15:31:18+00:00 15 de maio de 2014|JACK|85 Comentários

Benquistos membros remotos, reunimo-nos novamente para uma agremiação do JACK, nesta instância para confabular sobre a obra Kids on the Slope (Sakamichi no Apollon), eleita pelo nosso estimado Superintendente Rick, que torna a presidir esta sessão na ilustríssima companhia do Raugrave André, Barão Sushi e o Califa Corraini, como de costume.

É recomendado o consumo prévio da obra, pois todos os seus detalhes e minúcias serão expostos em completude.

Ao final do debate, um dos outros membros será sorteado e escolherá o tema da próxima reunião. Mas caso já queira saber de antemão, clique aqui.

O que achaste?

A sessão do clube continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes!

Links

 

  • quando vão fazer o Jack de Tenjou Tenge?

  • Allexmarc

    Sound of music é o famoso noviça rebelde.
    Vai entender esse povo que traduz nomes de filmes.

  • ALisson001_

    Califa Corraini foi sorteado?

  • atosfm

    Hosana nas alturas. Obrigado Jesus, Zeus, Buda, Alá e todos as outras divindades responsáveis por fazer do menino Sushiro um rapaz eficiente na hora de trazer o podcast de animes mais badalado dos últimos tempos. O inimigo pode atentar contra a vida dele, mas o bem sempre prevalece. Praise the Sushi o/.

  • Estranhow

    Caraca, no aguardo forte da obra prima do próximo JACK!

  • CaioCorraini

    ALisson001_  Se panz eu fui, olha… Se panz.

  • CaioCorraini

    Allexmarc  Eu estou abismado agora de ver que eu reconheci a música da Noviça Rebelde no anime, mas quando disseram “Sound of Music”, achei que tinha confundido D:

  • NacibVeio

    YAY! 
    Achei que o anime fugiu um pouco do jazz em algumas partes e ficou muito no amorzinho, o que me frustrou um pouco, mas no fim acabei adorando esta beleza.
    Bora ouvir que este promete! <3

  • _vdomiciano

    Odido  meio q seria um anime com outros parecidos do genero – acho que a ideia do JACK é meio animes q fogem do estilo e historias de animes – nada contra Ten Ten, mas ele tem semelhanças com outros do genero.

  • NacibVeio  http://blog.animeinstrumentality.net/wp-content/uploads/2012/05/20943556.jpg

  • sehesael

    Só um detalhe quanto a discussão de qual é o gênero de Sakamichi no Apollon, no Japão os mangás costumam ser classificados por demografia e não por gênero como fazemos aqui no Ocidente, o mais famoso de todos é o Shōnen que são as histórias para jovens garotos que tem recorrência de temas, como ação, fantasia, aventura e etc… Já Sakamichi no Apollon é um Josei, ou seja, um mangá voltado para mulheres já na fase adulta, onde os temas do slice of life e romance são frequentes,

  • CaioCorraini

    Gostaria de aproveitar e já pedir desculpas por todas as vezes em que meio que “interrompia” as outras pessoas.
    Como gravei com uma internet muito merda daqui de Manaus, estava uns 2 ou 3 segundos atrasado em relação ao resto do pessoal ):

  • maajin

    _vdomiciano Odido  Até rolaria um anime mais tradicional de vez em quando, acho… Mas torço pra que ninguém escolha Tenjou Tenge, que é uma série que não me desce de jeito nenhum! D:

  • CaioCorraini

    maajin _vdomiciano Odido  Eu tentei ler o mangá e vish… Começou ok mas depois ele viaja demais e fica um saco.

  • maajin

    sehesael  Isso faz muito sentido! Ficarei atento pra demografia nos próximos episódios!

  • Armoderic

    maajin Ainda não tive tempo de ouvir, mas apenas para complementar o que o Sehesael comentou, aproveitando que meu tcc havia sido sobre isso, mais ou menos: desde o final da década de 60 o Japão tem mulheres como autoras de mangá (um pouco antes disso já havia um reconhecimento da existência de um público feminino que consume mangás, mas antes os autores eram homens), principalmente com a “Geração de 24” quanto tem a explosão do número de autoras, com uma entrada de um grande de mulheres (todas nascidas mais ou menos período e idade).
    Elas definiram o que a gente chama de Shoujo (normalmente voltado para garotas mais jovens) e Josei (mulheres mais adultas) e foram responsáveis por muita revolucionar muita coisa nos mangá. Fora que elas escreviam todos os tipos de histórias (não só romances, na real tem muita coisa por ai, que o pessoal acha que é shoujo, tipo Love Hina, mas não é, por outro lado X parece um shonen, mas é shoujo).
    Uma coisa que pode ajudar para melhor saber que se é shonen, seinen, josei ou shoujo – ver qual era a revista original de publicação, pois ela revela o público alvo e linha editorial. No caso, o Kids on the Slop foi na Flowers. Já que existem mulheres que são autoras de shonen e seinen também, assim como homens autores de shoujo.

  • pandelicia123

    Corraini escolhendo oretama… Vou ter que ler isso escondido fe algum jeito…
    E by the way, todas as vezes que vejo os JACK’s me pergunto: Será que o distinto Rugrave André pagou sua divida à Fred em Darker Than Black?

  • _vdomiciano

    CaioCorraini maajin _vdomiciano Odido  meio que no inicio ele parecia com Rival Schools e era divertido. Mas no meio ficou com a historia de clã-antigo-de-linhagem-sanguinea-do-capiroto-que-dá-superpoderes-mas-que-te-phode-todo descambou .

    Só terminei de comprar todos pela compulsão de terminar o que começa – agora to sofrendo desse mal no Freezing.

  • maajin

    pandelicia123  Não! =P

  • VitorAffonso

    pandelicia123 Po, seria foda, eu assisti Darker than black de tanto ouvir o Fred falando dele.

  • VitorAffonso

    UHU, mesmo não conhecendo o anime, é bom ter um podcast a mais pra ouvir : )

  • pandapedinte

    Minha tentativa de sabotar a internet do Sushi para ele não fazer o upload do podcast antes de eu terminar de assistir o anime foi em vão. D:

    Brincadeiras a parte, irei escutar esse JACK quando eu terminar os episódios mas até o presente momento estou gostando bastante baseado no que assisti.

  • CaioCorraini

    _vdomiciano CaioCorraini maajin Odido  Freezing eu peguei pelos peitinhos e quando vi O MUNDO VAI ACABAR, ESSAS GURIAS FEITAS NO COMPUTADOR SÃO MELHORES E meu Deeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeus

  • slash_rick

    maajin _vdomiciano Odido  Antes de recomendar Tenjou Tenge eu recomendo Tengen Toppa! =P

  • slash_rick maajin _vdomiciano Odido  Tengen Toppa Gurren Lagaan, melhor anime.

  • ALisson001_

    CaioCorraini Lembro de ter ouvido falar dele no Animecast de Ecchi e depois quando você falou dele no GOTR.
    Só confirma pra mim se é esse mesmo -> http://goo.gl/40UHwq

  • Pergunta otakutard: porque chamar pelo nome em inglês? O.o Faz parte do nome original, a transliteração em inglês, como é em Hagane no Renkinjutsushi (para os leigos, http://pt.wikipedia.org/wiki/Fullmetal_Alchemist) e Shingeki no Kyojin (Atack on Titan. Aliás, essa tradução não é fiel ao nome em japonês, invertendo o sentido da frase :D)?

  • _vdomiciano

    CaioCorraini _vdomiciano maajin Odido

  • dan_smith7

    Eu curti bastante o anime, realmente as partes do draminhachoradeira as vezes me incomodaram, mas eu gostei bastante das partes das musicas e gostei que os personagens foram bem desenvolvidos durante o anime, também curti que a temática é mais pé no chão nada de demônios,imortais,lutas mirabolantes e tal é bacana ver um anime assim, vou tentar ver o Beck que foi citado no cast que eu só ouvi falar mas parece interessante.

    Sobre o Sentaro ter fugido, sei la se eu interpretei errado mas na parte que o Kaoru fala com ele no teto do hospital a primeira coisa que o Sentaro faz é meio que uma oração dizendo para Deus tomar a vida dele no lugar da irmã dele ou algo assim, e ele só foge depois que a cirurgia da irmã dele é bem sucedida pelo que eu lembro, como ele acaba virando padre eu acho que alem dos motivos já citados de culpa e tal talvez também teve mais esse motivo religioso.

    Agora sobre a recomendação do Corraini acho q ele já tinha comentado sobre esse manga no GotR mas que bizarra a ideia do anime… o Japão nunca para de me surpreender… mas vamos lá vou dar uma chance sem preconceito e ler o mangá, só quero ver o que o Sushi vai fazer com a trilha sonora do próximo cast.

  • maajin

    Marcio Neves  Imagino que seja o mesmo caso! Além de ser um nome mais curto e fácil de falar!

  • dan_smith7  Eu também quero ver.

  • espero que um dia role um sobre o clássico KareKano

  • Sushi0 dan_smith7  só pegar a trilha sonora da A Lenda do Demônio (Choujin Densetsu Urotsukidoji) aquele que passava na band, nossa minha mente foi longe agora.

  • juliocesarp94

    Uma coisa que eu não sei se vocês perceberam ou esqueceram de comentar é que todos os nomes dos episódios são nomes de músicas também.

  • atosfm

    Terminei de escutar o cast e tenho algumas considerações a fazer. Gostei muito do anime e fico agradecido pela recomendação do mesmo. Eu entendo a raiva que vocês sentem pelas besteiras que o Kaoru comete durante o anime, mas ao meu ver ele é apenas age de forma impulsiva nos momentos de tensão, tanto que toda vez que ele faz algo de errado ele se arrepende em seguida.
    E uma coisa que incomodou nessas duas edições do Jack foi ouvir vocês comentarem a respeito de expectativa sobre coisas que vocês não conhecem. Acho esse tipo de pensamento muito perigoso, pois ela pode estragar um pouco a experiência das coisas. Eu prefiro ver no que dá e terminar de ver uma obra antes de fazer qualquer tipo de julgamento de valor. E fica uma dúvida: O feedback dos Jack’s ocorrerão apenas nos comentários ou vocês posteriormente pretendem ter uma sessão para leitura de e-mails? No mais abraços e continuem com o bom trabalho. Praise the JACK o/.

  • JP_Oliveira91

    Consegui terminar de ver antes de lançar o cast o/

    Ficam aqui alguns pontos que notei durante os epis e ouvindo o JACK (Spoilers):

    – As passagens de tempo são bem mal feitas. Entendo não querer colocar muito na cara em que mês e ano está, mas certas vezes meses se passam e o anime não dá um indício disto. Além do fato que só descobri que se passa nos Anos 60 (Mas em boa parte é culpa minha isto)
    – Interessante reparar na mudança em como o Sentaro segura as baquetas no último Ep. Ao invés de segurar uma “como talher” e uma para a frente, segura as duas para a frente.
    – Foda perceber como a Ritsuko melhora vocalmente, tendo mais confiança, durante a My Favorite Things. Não curti muito o vocal dela, mas foi um trabalho foda da trilha isto.
    – Achei o Sentaro egoísta para caralho, fugindo ignorando o sofrimento da família inteira não sabendo onde ele foi.
    – Não curti o Deus Ex Machina fudido para encontrarem o Sentaro 8 anos depois. Ainda mais ao considerar a Ritsuko e Kaoro indo no mesmo dia ver o Sentaro.
    – Interessante ver a percepção japonesa sobre os Católicos. E Samurai X teve cristãos na última saga, para quem questionou se já apareceu católicos em Animes.
    – Sobre o Kaoro encontrar bateria na igreja, a cena é ainda melhor pelo fato que inicialmente ela está coberta por um pano branco, dando a impressão que o Sentaro estaria ali e relembrando o Ep 1 e Ep 11.

    Esperando o próximo JACK pelo fator bizarro, e vai ser bom pelo fato que dificilmente vai ter um Anime/Manga mais zoado

  • JP_Oliveira91  Não achei tão forçado o Kaoru encontrar o Sentaro, a meneira que a informação chegou nele é muito crível, pra mim. A Ritsuko recebeu uma carta falando sobre o Sentaro e foi conferir. Os dois irem no mesmo dia é uma licença, né, não vamos ser chatos demais com cada detalhe.
    Eu cheguei a falar do samurai cristão, mas devo ter tirado na edição por algum motivo.

  • atosfm  Não sei você, mas pra mim é quase impossível não criar expectativa sobre algo. O nome, quem indica, o tema, quem está fazendo, os avaliações, tudo isso gera um tipo de expectativa, algumas coisa mais outras menos, mas ela sempre está lá.

  • juliocesarp94  Olha, só, não tinha percebido.

  • atosfm  Sobre o feedback, o JACK não terá leitura de emails, mas não deixe de mandar email ou comentários, a ideia do clube do livro não termina com a gente, continua aqui, com vocês deixando suas impressões, indicações e gerando discussões. Sem contar que o feedback é um combustível para continuarmos fazendo. xD

  • pandelicia123  Eu nunca vi Darker Than Black, mas gostaria de indicar um dia, em homenagem ao Fred.

  • Armoderic

    Muito bom o cast, vocês se superam!
     Bom, agora após ter escutado. lá vai o post gigante:

    – Uma nota, na real Inuyasha e Ranma 1/2 foram escritos por uma mulher, Rumiko Takahashi. Inclusive Sakamichi no Apollon também é escrito por uma mulher, Yuki Kodama.
    – Não achei problema quanto ao drama na narrativa, achei até bem resolvido e focado e não chegava a ficar forçado como acontecia no anime de Karekano.Inclusive esse tipo de drama foi algo muito usado em shoujo e josei, parte vem da televisão e outras mídias de lá.

    – Quanto a perceber ao período histórico, bom eu não achei problemas nessa parte – meio que logo de cara eu vi que eles não estavam em tempo atuais e pelo uniformes saquei deveria ser pelos 60. Porém, por não ser muito familiar com jazz não saquei as referência feitas ali.
    – Sobre animes com personagens cristãos, tem sim – Maria-sama ga Miteru, um mangá e anime shoujo, que meio um drama relata as relações pessoais de um grupo de garotas dentro de um escola católica só para mulheres (é uma abordagem leve, mas séria), inclusive fica a dica.
    – Falando em dica: Nana é um ótimo anime e mangá (pena que nunca mais se sob o que houve com a autora) com um forte tema musical, principalmente sobre música punk underground e pop. Já que comenteram sobre otakus, que tal Kuragehime? (Jellyfish Princess) um anime sobre um grupo de garotas otakus que moram juntas. Tem o Dorama, Anime e acho que até mangá de Nodame no Cantabile, que é excelente.

    – Por fim, achei o anime excelente – e felizmente existe sim muita gente produzindo coisas diferentes como ele, mas o que a gente mais vê falar é só uma parte (inclusive pelo que lembro, me parece que há percepção maior que todo mundo, no Japão lê mangá, logo dai que tem tanto mangá para tantos públicos diferentes, ao invés de só um tipo de público, dai que a gente acha estranho quando vê algo tão diferente ou algo voltado um público mais específico).

    – Só uma última nota, o declínio de casamento não é tanto por causa de otakus ou coisa do gênero, e sim pelo altos custo de vida e pelo interesse maior, tanto dos homens e das mulheres, em seguir carreiras.

  • Armoderic  Indicações anotadas.
    Sobre personagens cristãos, acho que o Rick só quis dizer que não é algo que vemos com frequência. Eu mesmo só conhecia o samurai cego do Samurai X.
    E, por favor, continue mandando seus comentários gigantes! xD

  • Blashter

    slash_rick maajin _vdomiciano Odido  Tengen Toppa Gurren Lagaan é um anime que me surpreendeu de uma forma maravilhosa. Achei que era fraco mas se mostrou uma ótima história.

  • GuttoChaos

    Assisti o anime completo na segunda, depois de ver o Corraini falando qual seria o tema do JACK.
    Como sou apaixonado por jazz, resolvi que valia a pena dar uma chance. Se eu não gostasse, ao menos eu tentei.
    E fui sendo levado pela história. Mais pelo jazz que pela história, mas ainda assim saí com um resultado positivo. 
    Claro, tiveram vários pontos que me desagradaram, como a citada grande choradeira na trama, mas são mais qualidades que defeitos no final das contas 🙂

  • GuttoChaos

    e nessa madrugada eu li Oretama completinho, pra preparar pro próximo JACK

  • Lemongrab

    Armoderic  Tem também o mangá, filme e ova’s Saint Young Men, que é protagonizado pelo próprio Jesus Cristo, além do Buda. Acho que é uma obra que renderia um bom JACK.
    Sou um grande fã de Kuragehime, pena que o o anime só cobre o começo da história e nunca teve novas temporadas, mas o mangá continua excelente até hoje.

  • Bom, terminei de ouvir o podcast, e ficou bem bacana, parabens!
    Já tentei assistir esse anime no passado, mas em dois episódios ele não conseguiu me fisgar, então abandonei-o. Como não pretendo voltar a vê-lo, ouvi sem culpa e medo de spoiler. Gostei da conversa e quase me convenceram a tentar assistir de novo, mas ficarei satisfeito em só ouvir a soundtrack (que na real foi apenas o que me agradou quando tentei assistir).
    Mas independente da minha relação com esse anime em questão, o formato, o clima e os temas abordados durante podcast estão bem legais, gostei bastante desse formato do JACK (não ouvi o primeiro, ainda quero assistir Durarara). Sou da turma de ouvintes que acompanha os podcasts sempre mas que nunca comenta, porém como vocês estão se embrenhando na minha área de especialidade (mais ou menos, sou da turma dos mangás, e não dos animes) resolvi dar um feedback geral sobre o programa.

    E aproveitando que citaram de passagem… o Corraini comentou sobre Black Jack, que é algo com a arte do Astro Boy porém sério. O Tezuka foi uma máquina quando vivo e fez muitos mangás, e muitos de temáticas bem diferente entre si. Mais pro final da sua carreira, ele tem várias obras que não tem nada de fofinhas, muitas delas com grande conteúdo psicológico e filosófico. Deixo aqui a recomendação de Adolf, mangá dele de 5 volumes que você encontra facilmente para comprar internet afora, e que fala da história de 3 “Adolfs” diferentes no período da Segunda Guerra Mundial (sendo um deles, obviamente o Führer).

    Fico no aguardo o podcast de My Balls! No meu círculo de conhecidos que lêem mangás, ele já é um mito, uma obra quase obrigatória e muito utilizada para piadas de tiozão do tipo “você já viu My Balls?”.

    Abração! o

  • RenatoLauriano

    caraca, o jack no.3 vai ser o podcast mais awkward que eu ja ouvi XD

  • Estranhow  No JACK #01 só falamos de Baccano mesmo, se o problema for spoilers de Durarara pode ir sem medo.
    E, por favor, continue comentando e deixando sua impressão sobre as obras comentadas, para manter o espirito de Clube do Anime nos comentários. xD

  • firekuro

    Obrigado
    pelo projeto! Já conheci dois animes fantásticos que jamais iria conhecer sem a
    recomendação de vocês. Dito isso, aqui vai a minha pequena contribuição:
    -Achei
    um anime excelente, porém achei a trama bem simplória ou as vezes arrastada.
    Como citado pelo RIck no JACK, o jazz  foi o que me prendeu do episódio 7 (Na minha
    opinião a melhor parte do anime) em diante.
    -Um
    detalhe que passou despercebido dos amigos, a primeira vez que a Ritsuko vê o
    Kaoru sem óculos, ela comenta o quanto ele fica melhor sem eles, e dali em
    diante ele passa a tirar os óculos todas as vezes que quer impressionar a
    mesma.
    -Achei a
    ambientação bem mediana, o anime se passa nos anos 60s más não parece. As ruas,
    construções são todos do modo “padrão visual anime”.
    No mais
    apenas ansioso pela discussão dessa obra peculiar escolhida pelo Corraino.
    Abraços
    o/

  • slash_rick

    RenatoLauriano  Pode ter certeza que sim

  • A.B.Sena

    Seria legal vocês falarem sobre Ranma 1/2 mas ele é bem grandinho. Só que não precisa ler tudo pra analisar ele é bem formulaico. 
    Caramba vocês vão falar de My Balls! Eu lembro de ler a sinopse e ter essa mesma reação na época. “TENHO QUE LER!” lol

  • Armoderic

    Sushi0 maajin ah, apenas mais uma adição visto vocês estavam comentando sobre essas divisões no stream de dark souls: elas não existem como limitações (ninguém é impedido de gostar de nada, tem tanto mulheres que curtem muito Jojo, Sengoku Basara, Bleach, ect… fora as que escrevem shonens assim como tem muita homens que curte shoujo/josei).
    É mais interessante se usado para observar o reconhecimento de vários tipos de públicos. Fora os cruzamentos que vão acontecendo, por exemplos alguns tipos de dramas/arquétipos/tramas de um lado que aparecem do outro sobre novos olhares e abordagens o que ajudou no desenvolvimentos das narrativas.

  • Junior_FRP

    Saudações a todos!

    Ótimo cast como sempre, apesar de vir aqui pelos casts sobre jogos, essa nova seção reacendeu a paixão por animes que tive a anos atrás. 

    Quando comentaram sobre o anime ter um estilo diferenciado e sobre otakus, lembrei na hora do anime que assisti novamente recentemente NHK ni Youkoso ou Welcome to NHK. 
    Este anime retrata a vida de um cara que se isola do mundo até que uma garota aparece para mudar a sua vida, essa é a ideia que os primeiros episódios passa. No decorrer do anime, somos apresentados a outros personagens cada um com suas angústias.

    Da primeira vez que assisti tinha me identificado muito com o personagem principal e sua história, pois passei por problemas muito parecidos durante o fim da minha adolescencia. Ao reassistir, dessa vez acompanhado de minha namorada, descobri que o anime retrata as angústias, são só minhas mas as dela e de de qualquer pessoa, e curiosamente, dessa vez os ninjas de cebolas nos atacaram diversas vezes, coisa que não tinha acontecido da primeira vez.

    Esse anime com certeza está entre os meus TOP 5, talvez nem tanto por suas qualidades – até por que em vários momentos tem inconsistências- mas por ter me identificado com sua história e seus personagens.  O final inclusive deixou muito a desejar para mim, fui atrás do mangá e vi que o final é diferente, além de aparentemente ter uma história mais pesada.

    Por fim galera, essa então é minha recomendação, gosto muito de animes com o tipo Slice of Life, porque além de ter histórias mais críveis, conseguem mostrar melhor como é o estilo de vida em países estrangeiros, sobretudo no Japão.

    Redundantemente falando, parabéns pelo site. Continuem trazendo o excelente conteúdo de sempre.

    Abraços!

  • Junior_FRP

    Saudações a todos! La vai um post gigante…

    Ótimo cast como sempre, apesar de vir aqui pelos casts sobre jogos, essa nova seção reacendeu a paixão por animes que tive a anos atrás. 

    Quando comentaram sobre o anime ter um estilo diferenciado e sobre otakus, lembrei na hora do anime que assisti novamente recentemente NHK ni Youkoso ou Welcome to NHK. 
    Este anime retrata a vida de um cara que se isola do mundo até que uma garota aparece para mudar a sua vida, essa é a ideia que os primeiros episódios passa. No decorrer do anime, somos apresentados a outros personagens cada um com suas angústias.

    Da primeira vez que assisti tinha me identificado muito com o personagem principal e sua história, pois passei por problemas muito parecidos durante o fim da minha adolescencia. Ao reassistir, dessa vez acompanhado de minha namorada, descobri que o anime retrata as angústias, são só minhas mas as dela e de de qualquer pessoa, e curiosamente, dessa vez os ninjas de cebolas nos atacaram diversas vezes, coisa que não tinha acontecido da primeira vez.

    Esse anime com certeza está entre os meus TOP 5, talvez nem tanto por suas qualidades – até por que em vários momentos tem inconsistências- mas por ter me identificado com sua história e seus personagens.  O final inclusive deixou muito a desejar para mim, fui atrás do mangá e vi que o final é diferente, além de aparentemente ter uma história mais pesada. Ah! a trilha sonora quem acompanha o anime é nada menos que excelente!

    Por fim galera, essa então é minha recomendação, gosto muito de animes com o tipo Slice of Life, porque além de ter histórias mais críveis, conseguem mostrar melhor como é o estilo de vida em países estrangeiros, sobretudo no Japão.

    Sobre o anime desse programa, não cheguei a me interessar a assisti-lo principalmente por ser um tema que não me apetece muito em animes (musica) ou por seu estilo (e meu preconceito) josei. Recomendei-o a minha irmã, que no momento está assistindo NANA e quem sabe eu assisto com ela. 

    Redundantemente falando, parabéns pelo site. Continuem trazendo o excelente conteúdo de sempre.

    Abraços!

  • Jhonatan Carneiro

    Saudações, nobres membros desse tão seleto clube!

    Diferente do primeiro JACK, que ouvi sem ter assistido previamente o anime comentado, a minha experiência com o Kids on the Slope foi muito mais satisfatória, pois os quinze dias entre os episódios foram mais do que suficiente para poder sorver completamente essa obra que me agradou tanto.

    Demorei para comentar, pois comecei a ler o manga após ouvir sobre o fato de que ele complementar um pouco mais a história do final. O pulo de tempo que ocorreu no anime é muito menos brusco no manga, pois ele nos apresenta muitos mais detalhes a respeito da mudança do Kaoru. Recomendo muito que todos leiam ao menos os volumes 9 e 10.

    Quanto ao anime em si, devo agradecer muito à vocês pela indicação. Costumava consumir constantemente animes e mangas, mas acabei perdendo o interesse, pois sempre era apresentado à obras com os mesmos estereótipos e narrativas “de ação”. Além de possuir uma trilha sonora fantástica, com o tão agradável gênero Jazz, gostei bastante da narrativa em si.

    Agora, estou ansioso pelo próximo episódio. Já passei pela experiência de ler Oretama e fico bastante curioso para ouvir a opinião de vocês, principalmente levando em conta o quão destoante é esse manga do que vimos até agora no JACK.

    Abraços,
    Senna

  • sehesael

    Outro detalhe, vocês comentam que inicialmente sentiram uma “vibe” de yaoi no anime principalmente entre o Sentarō e o Kaoru, um dos motivos para isso é que autora do manga, Kodama Yuki, também já escreveu um outro manga que realmente era yaoi e também essas cenas de bromance é um tipo de fanservice para um dos públicos alvos dos mangas josei que são conhecidas como fujoshi, que são as garotas fãs de Boys Love (Romance entre garotos)… Ou seja, o Sentarō dando uma de bela adormecida e o Kaoru sendo o príncipe encantando, é o equivalente a um protagonista de shōnen tropeçar no nada e acidentalmente cair em cima dos peitos de uma garota…

  • Silxs

    slash_rick RenatoLauriano  Isso até a segunda indicação do Corraine

  • MrSchrodinger

    Olá, nobres senhores.

    Venho aqui relatar como foi minha primeira experiência ouvindo um JACK, já que ainda não assisti Bacanno.

    Gostei muito do formato e fiquei feliz que logo no inicio vocês pararam de se chamar de Califa, Barão etc porque aquilo estava me deixando com vergonha alheia. A edição está muito boa, Sushi, apesar da fantástica trilha sonora desse anime dar uma ajudada.

    Tenho uma pequena dúvida e não sei se vocês falam isso no primeiro JACK já que não ouvi: vocês só pretendem falar de obras 100% finalizadas ou pretendem quebrar mangás/animes que não acabaram em arcos(ex: Berserk até o final de Golden Age) ou pegar animes com temporadas fechadas, mas que não terminaram ainda(ex: Primeira temporada de Kuroko no Basuke)

    Se vocês pretenderem pegar temporadas fechadas, mas que não terminam o anime, recomendo fortemente Gin no Saji/Silver Spoon da Arakawa, escritora de Fullmetal Alchemist.

    Um abraço e até o próximo JACK que ouvirei sem ler o Oretama porque me recuso a ler isso.

  • MrSchrodinger

    PS: As vezes eu sentia que vocês se forçavam a usar o termo “desenho” ao
    invés de “anime” e soava meio estranho, principalmente por parte do
    Corraini. Não sou o tipo de pessoa que diz “Anime não é desenho” porque
    anime é desenho, mas acho que as vezes ficava meio forçado.
    Não
    tenho muito o que comentar sobre Kids on the Slope porque assisti na
    época que saiu e não me lembro em detalhes. Lembro que ficava
    embasbacado com a animação durante as partes musicais e que, ao
    contrário dos senhores, me identifiquei bastante com o Kaoru – talvez
    por ter problemas de socialização e ansiedade.

  • MrSchrodinger  A ideia é de fazer de animes/mangas que já terminaram ou de temporadas fechadas, pois discutir sobre o anime sem eles estar completo não faz muito sentido com o formato.

  • MrSchrodinger  Não evitamos falar anime, nem nos forçamos a falar desenho simplesmente falamos, não sei o que te faz achar que foi forçado.

  • Juliano Da Silveira Rica

    pessoal, eu sei que vcs escolhem o manga e o anime entre vcs, mas eu vou deixar a dica aqui pra um anime chamado Aku no hana que é curto e completo, gostaria se possível algum cast sobre tal anime pq eu fui um incompetente em entender essa obra, quem sabe vcs conseguiriam elucida-lo melhor.

  • Richard Serikawa

    Juliano Da Silveira Rica O legal dele é que além de ser curto e fechado. Tem até um certo preconceito com relação ao mangá e ao anime em relação a traço

  • Richard Serikawa

    @Lemongrab Armoderic Interessante como Kuraguehime me fez perder certos preconceitos em relação a Josei de um jeito tão simples e engraçado. O Noitamina em especifico normalmente é algo de bom gosto

  • Richard Serikawa

    Eu não tava prestando atenção e pensei que era Gintama o próximo episódio T-T

  • davidwfranco

    Vish, 2 JACK’s e dois animes que eu falhei miseravelmente em assistir antes do episódio… T_T

    Primeiro eu gostaria de dizer que eu continuo achando o JACK um podcast coisa-linda-de-deus e espero que muitos ainda venham pela frente.

    Sobre o anime eu não posso dizer muito, pois como eu disse eu falhei com os senhores, mas já posso dizer que estou ansioso para assisti-lo.

    Esse tipo de obra com as características de “anime de esporte” que vcs citaram muito me agrada, pois mostra uma paixão por um certo assunto que geralmente me contagia (Eyeshield 21, Slam Dunk, Kuroko no Basket eu estou olhando para vocês) e eu sempre acabo de ler com um baita interesse pelo assunto.

    Já entrando na parte romântica da coisa eu também me irrito um pouco com a punhetagem e a idealização infantil do amor que rola em muitas obras como por exemplo Bakuman e toda aquela história do Mashiro. 

    Eu gostaria de citar um mangá (não sei se tem anime) que, na minha opinião se destaca por tratar as relações de uma forma um pouquinho mais crível que é Good Ending, ele começa nesse esquema de amor platônico de um rapaz timido, mas evolui muito por todas as fases de um relacionamento chegando até os finalmentes sexuais entre alguns personagens e me lembrou muito dos dramas, dúvidas e tudo mais da minha adolescência, claro que elevado a uma certa potência pela sociedade japonesa.

    Fica ai o meu pingo de sabedoria (ou não)

    • Mario

      I”s : tbm tem um romance que sai do lugar… começa com primeiro bj e desenrola pro mundo adulto… os problemas tbm evoluem com a idade dos personagens… é um manga velhinho mas o traço é bem bonito.

  • Richard Serikawa Um JACK sobre Gintama seria incrível, mas provavelmente não vai acontecer tão cedo por causa do tamanho da obra.

  • Silxs slash_rick RenatoLauriano depois dessa o medo de alguém recomendar Bible Black é real

  • Juliano Da Silveira Rica

    Richard Serikawa Juliano Da Silveira Rica se o problema fosse só traço, recentemente saiu o ultimo capitulo do manga encerrando tudo e eis que eu fiquei tão sem entender como no inicio, muitas metáforas visuais, muito simbologismo e pouco entendimento da minha parte, no final fiquei tão puto que mais me pareceu que o autor não tinha visão real do que estava fazendo. A gente historias com muitas metáforas visuais como o filme Cisne Negro e deu pra entender.

  • Aproveitando esse intervalo entre os programas e essa incursão de vocês no mundo dos mangás, posso deixar uma pequena recomendação de leitura que é foda demais e que todo mundo que conheço que leu colocou entre seus favoritos? Procurem o mangá The Music of Marie (ou em japonês Marie no Kanaderu Ongaku). 2 volumes apenas e uma história incrível.
    Se lerem, depois comentem aí em baixo o que acharam.

  • _vdomiciano

    Acabei de assistir o anime e digo: além de ser um excelente anime é uma excelente história. Diferente dos membro do JACK não senti tanta enrolação dos episodios, e a passagem de tempo não soou tão brusca assim. 

    De parte homoafetiva foi mais no primeiro episodio e antes do festival de música. Mas o que parece é que o Kaoru via o Sentaro como uma pessoa a se espelhar, e por ter ciumes

    Pelos comentários aqui e nas andanças das web percebi que não é para todos os públicos que assiste animes – diferente de Baccano que tem elementos surreais, Kids on the Slope tem os dois pés fincados na realidade.  Com certeza se eu tivesse assistido à uns 5 anos atrás iria achar qualquer coisa ou até largar no meio, mas com a cabeça e a visão de hoje 

    Com a falta de tempo – e paciência – em acompanhar séries longas, séries menores e fechadas tão sendo minhas favoritas.  

    E na pegada já posto um indicação  – Usagi Drop. QUe conta a história de uma rapaz que resolve criar a filha de 6 anos de seu falecido avô (que escondeu de toda a família). Tem a mesma pegada slice of life, mas não tem como não gostar dele. To no meio dele ainda, é curto e divertido.

  • fereletron

    amigos, quando sai o proximo?

  • fereletron Nessa quarta!

  • SergioPedroOliveira

    não creio, caio corraini no podcast.
    to acompanhando ele desde a época de mrg -> arena -> e agora jogabilida.de
    (por coincidência)
    sobre o anime, muito bom. assisti por causa de vocês.
    e descobri muitas musicas/artistas legais por causa desse anime. me incentivou a comprar um teclado e começar a estudar musica. (sim comprei um teclado e estou começando a estudar. valeu jogabilida.de)

  • CaioCorraini

    SergioPedroOliveira Eu achei que já ia me xingar D: hahahaha

  • SergioPedroOliveira

    CaioCorraini SergioPedroOliveira que nada, chorei que nem um ninja silencioso no podcast do de despedida do arena. bom saber que não largou a vida de podcast. =D

  • Desde que Sakamichi no Apollon saiu, ele entrou para minha lista de “animus” favoritos. Para quem sente falta de uma trama sendo abordada de um modo mais adulto, essa obra foi um alivio, algo realmente significante no meio de tantas coisas merdas que saem em toda temporada.
    Não sou muito chegado em jazz, mas depois de ver essa animação, fui atrás e realmente acabei gostando.
    Será que só eu que não vi a insinuação de viadagem entre os dois protagonistas? Isso é uma coisa meio comum em obras Shoujo/Josei, mas assim como em xXxHolic, eu não vi nada insinuado ali.

  • Juliano Da Silveira Rica Bom, eu não curto muito Aku No Hana. Apesar de gostar do traço da animação por ser algo original, eu achei a trama muito juvenil, embora ela tenha um terror psicológico interessante.

  • gabrieldoppler

    Na verdade não, galera. Não entendi porque optaram por não mostrar no anime, mas no mangá o Kaoru troca cartas com a Ritsuko desde a partida dele pra Tokyo.

  • Bonidex

    Caramba! Mais um!!! Caramba!! Muito muito bom!
    Moanin na cabeça a semana toda… Estou correndo atrás para me atualizar no clube e esse foi mais um espetacular. Valeu Tarantino. E Rick. Claro, o Rick.

  • Panino, o Manino

    Na verdade os japoneses tem bastante vida social sim, eles não fazem muito sexo apenas porque não querem. Ou poder-se-ia até dizer que fazem sexo normalmente, não há crise de motéis por lá, o problema é apenas de se casar e fazer filhos. As pessoas por vários motivos não querem casar, e depois de casar não querem filhos.

  • Calyane Collet

    Não sei nem se vocês continuam vendo comentarios de podcast antigo mas né n custa 8D
    Eu achei super bacana ter Sakamichi aqui, fiquei surpresa quando vi na lista! Assisti quando lançou e admito que nem me lembro muito bem mas lembro de ter achado interessante e nem ter considerado o final porque achei que era um caso de “ah, não tem mangá pra continuar então eles fizeram qlqr coisa lol”.

    Uma coisa que eu queria dizer, juro que não quero ser a rainha da chatice nem nada, mas… Normalmente quando o pessoal BR fala os nomes de personagem com a entonação errada eu já nem ligo muito (tipo madóka ao invês de mádoka / ritsûko ao invês de rítsuko) mas tenho que dizer… como fazia tempo que eu vi o anime levei uma cara pra entender que vocês estavam falando sentarou e não centauro 8D 8D Fiquei mó “wtf o nome do cara não era centauro era?”
    E tipo quando é jogo ou mangá que vc só lê o nome tudo bem mas quando é anime… poxa pessoal, custa falar igual eles falam? não é uma pronuncia tão complicada dizer sentarô e não sentáro. Só comentei mesmo pq dificultou minha compreensão no começo, pq como disse nem ligo mais se as pessoas falam “azúna” e não “ássuna” XD
    Mas sério, acabada a chatice, parabéns pelos podcasts, estou ouvindo vários e estão sendo ótimos! (y)

X