DASH #49: Dark Souls

Na Era dos Podcasts Atrasados o mundo era triste, coberto por áudios corrompidos. Uma terra dominada por Vértices, JACKs e streams de Dark Souls 2 para suprir tamanha falta. Mas eis que surgiu o DASH e com ele as discussões. O lore e as mecânicas, as pioras e as melhorias, os segredos e especulações, sobre é claro… Dark Souls.

Do seu feed eles vieram e encontraram as Almas de Podcasters dentro da chama. André Campos, o primeiro dos Ornitorrincos; Eduardo Sushi e seus tênis verdes do caos; Douglas Pereira e seus fieis cavaleiros. E o furtivo Fernando Mucioli, em sua primeira participação.

Com o Poder da Wikidot eles desafiaram o tema. Relembraram seus personagens, chefes e lugares favoritos, teorizaram sobre o primogênito de Gwyn, o real significado dos finais e o propósito de Ariamis, discutiram as novas mecânicas, armas e covenants.

E assim começou a Era do Clica no Play Pra Escutar e Depois Comenta.

(Esse podcast contém todos os spoilers de Dark Souls!)

Tá No Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links

  • erickseika

    Terminei Dark Souls nesse domingo e ESTOU PRONTO PARA ESSE CAST! =D

  • ItalloAlexsander

    PRAISE THE SUN!

  • gasparnolasco

    Podcast sobre o melhor jogo de todos os tempos? Graças ao Sol!

  • DeltaSnake

    PRAISE THE SUN!!! E3 fica pra depois, ouvindo Dash #49

  • ALisson001_

    Baixando!

  • MrSchrodinger

    Você perderam a gravação de Dark Souls e regravam, mas não regravam The Walking Dead, o jogo com a melhor história e personagens dessa geração

    Deus tá vendo.

  • legendarysnake

    AEEEE POOORAA!

  • NacibVeio

    Olha esse Dash! *—*

  • slash_rick

    MrSchrodinger Foi frustrante d+ perder The Walking Dead. O cast ficou gigante, falamos MUITO sobre o assunto e não teve rotação de participantes para dar um “extra life” no cast.

    Até hoje não tenho vontade de regravar.

  • GabrielValente

    slash_rick MrSchrodinger qual gravação de Dark Souls que vocês perderam? Era com outros convidados?

  • GabrielValente slash_rick Era Eu, André, Rick e Dougão, aí para dar uma dinâmica nova chamamos o Mucioli.

  • denisccarvalho

    Só pra ter mais comentários que o Jack

  • Jhonatan Carneiro

    Longos dias e belas noites, jogabilideiros!
    Fiquei bastante ansioso para o lançamento desse cast. A curiosidade
    sobre qual seria o “momento mais assustador em games” do André foi grande, só
    para não citar o fato de que vocês estariam falando de um dos melhores games
    que joguei nos últimos tempos.
    Devo confessar que, por não ter tido o prazer de jogar o Demon’s Souls,
    a sua continuação espiritual acabou passando desapercebida. Fui comprar o jogo
    bastante tempo depois do lançamento, com a promessa de um amigo que o jogo era
    fenomenal. Na época que comprei, joguei a primeira hora, passando apenas do Asylum
    Demon, e acabei largando-o, não enxergando tudo o que o jogo tinha à me
    oferecer. Foi só depois de ouvi-los comentando tanto sobre o jogo e acompanhar
    alguns streamings de vocês que fui criando o hype para retornar ao jogo. Agora,
    depois de umas 35 horas, estou “empacado” no Centipede Demon (que, fiquei
    triste, vocês não comentaram durante o cast!).
    Quanto ao cast em si, creio que a presença do Rick fez um pouco de
    falta, pois, imagino eu, ele seria um “contrapeso” às opiniões mais do que
    positiva dos demais membros. Não que Dark Souls tenha muitas falhas à serem
    destacadas, contudo, seria interessante, talvez, uma quebra do constante “Praise
    the Dark Souls” que aconteceu durante o cast.
    No mais, devo agradecer à vocês por me incentivarem à dar uma segunda
    chance ao Dark Souls. E que venham o cast sobre Dark Souls 2!
    Praise the Dash!

  • NilsonDinizVieira

    Podcast muito aguardado por mim, não tive acesso ao Demon Soul, comecei a conhecer a franquia pelo Dark Soul mesmo, e realmente o jogo ganha muito quando vc o joga conhecendo um pouco da lore dos personagens. Quanto a maneira como a história é contada no jogo achei muito inteligente, pois ele só passa para vc aquilo que pode ser visto pela perspectiva do personagem  que vc controla, sendo que a única informação com a qual ele começa é a história que ele deve ter escutado quando em vida, aquela contada no preludio.

  • NilsonDinizVieira

    A arte desse jogo esta de parabéns, principalmente por usar armas e armaduras de design clássico e realmente funcionais na vida real, sem apelar em demasia para as maluquices que geralmente encontramos em jogos vindos daquele lado do globo. A dificuldade depende muito mais de seu domínio do jogo do que da sua escolha de armas, deixando vc mais a vontade para usar aquilo que vc gosta e recompensando o jogador que realmente domina a jogabilidade do combate desse jogo. E principalmente por não tratar o jogador como um retardado dando tudo de mão beijada como fazem a maioria dos jogos novos.

  • NilsonDinizVieira

    O mapa dá até a impressão que fizeram uma maquete gigante dele em miniatura (fica a dica pra quem é bom em minecraft ou lego), pois realmente, como foi comentado, parece que todos os lugares se encaixam perfeitamente e vc vê-los a distancia e sem usar mapa é uma sensação de imersão sem igual em qualquer outro jogo. e as dicas do jogo são passadas de players pra players da melhor maneira possível dentro do jogo, seja vc lendo as mensagens feitas de palavras limitadas para resolver o problema com spolios, ou vc sendo sumonado para ajudar outro player e termina vendo passagens que vc simplesmente ignorou no seu jogo, isso e a variedade de pactos dentro do jogo só o torna muito mais rico em termos de interação online inovadora.

  • Eu aqui arrumando minha caminha pós-E3 e vejo essa novidade
    Adeus, noite de sono

  • RafaelSchebuk

    praise the dougào

  • Patrick Martins

    Caraca… de novo sem o Márcio???? 
    Que chato ='(

  • VitorAffonso

    André, lembra que tu falo que os comentarios do DASH de To the Moon era a maior concentração de amor da internet?
    Acho que esse cast vai superar ele.

  • lipepimentel89

    Olá, amigos Jogabilideiros!!

    Excelente cast sobre esse jogo fenomenal!!
    Gostaria de comentar e acrescentar algumas coisas sobre o jogo.

    1 – Concordo 100% com vocês sobre a queda de qualidade do jogo logo após Anor Londo. Não só pela parte criativa/artística mas também pela qualidade técnica. O jogo sempre pareceu se preocupar, até então, em deixar os fundos dos cenários com paisagens e com o próprio mapa. Mesmo os buracos infinitos davam uma impressão de abismo. Mas nada no jogo me ofende tanto na parte técnica quanto o fundo cinza chapado no fundo do cenário em Lost Izalith, logo na fog gate da Bed of Chaos. (Mais tarde eu acrescento uma imagem pra ilustrar isso)

    2 – O 3D Map Viewer ajuda a ter noção da grandiosidade e da conectividade do mapa de Lordran. Segue o link:

    https://www.youtube.com/watch?v=tyTB5vhKGSI

    3 – O Sushi comentou sobre como o posicionamento dos itens ajuda a contar a história e o lore do jogo. Mas o posicionamento dos itens também ajuda a ensinar alguns aspectos do jogo.
    Por exemplo, na parte tutorial do jogo, logo após passar direto pelo Asylum Demon, você encontra o seu escudo inicial num lugar seguro pra se proteger do arqueiro no corredor enquanto o equipa. Com o escudo equipado, você pode seguir com segurança pelo corredor até a sua arma e, como o inimigo é um arqueiro, ele vai correr pra tomar distância, dando tempo pra você equipar a sua primeira arma. Após isso, o próximo item adquirido é o Estus Flask pra você poder recuperar a energia, já que você provavelmente foi acertado pela bola rolando a escada.
    Outro exemplo interessante, é na parte do javali em Undead Parish. Naquela plataforma acima dele com os hollows com bestas, você encontra os Alluring Skulls, que são os itens usados para atrair alguns inimigos. Com esse item, o jogo te ensina duas coisas ao mesmo tempo: como atrair os inimigos pra uma posição favorável a um ataque crítico (um plunging attack, no caso) ou, ainda, como utilizar o cenário a seu favor, podendo atraí-lo pra perto da fogueira e matá-lo com o fogo.

    Por enquanto, eu acho que é só isso, dashers. Parabéns pelo ótimo cast!! Realmente, foi o programa definitivo sobre Dark Souls xD

    Um abraço e Praise The Sun!! [T]/

  • Feraligatr

    Finally!

  • lipepimentel89 Droga, eu havia comentado sobre o uso dos itens para ensinar e guiar o jogador na primeira gravação, mas esqueci de falar nessa. Eu acho esse um dos aspectos mais fodas do level design, pois ele te ensina inconscientemente a seguir certo caminho ou agir de certa forma e senti falta disso no Dark Souls 2.
    Muito foda esse map viewer, o mundo realmente é todo conectado (também é algo que senti falta no Dark Souls 2). <3

  • lipepimentel89

    Sushi0 E enquanto isso, no 2, tem aqueles elevadores sem sentido… =(

  • Jeronimous_

    Música de Transistor!!!1 Infinitos obrigados, André <3

  • brunobbessa

    FINALMENTE! PRAISE THE SUN!!
    Devo deixar marcado aqui que eu, no meu primeiro playthrough, matei Ornstein e Smough de primeira. Desculpa aí.
    Maior orgulho da minha vida nos joguinhos hahaha

  • vinicius_ba

    PRAISE THE SUN!

    Eu tenho uma relação um pouco estranha com a série Souls.

    1. Peguei Demons Souls praticamente no lançamento, mas abandonei. Nem lembro onde.

    2. Mesmo assim, gostei do jogo o suficiente para fazer pré-venda de Dark Souls, essa história de inspirar do jogo inspirar medo. Eu sempre joguei vendo algumas dicas e para onde eu tinha que ir desde da série Demons(me julguem :P). Lembro de ter derrotado o Capra Demon, pegando uma chave e estar em um local cheio de ratos malditos que dão curse!. Outros jogos foram sendo lançados e meio receio com os malditos ratos e ter que voltar num lugar distante(pelo menos na minha memória) para curar o curse, acabei “abandonando”.

    Apesar de ter oportunidade, nunca utilizei muitos as iterações online além das mensagens(deixar summon stone e etc).

    3. O Dark Souls 2 eu esperei sai em versão pra PC peguei no lançamento, ainda estou jogando(e acompanhando o streaming de vocês), acredito que pelo fato do jogo ser mais acessível(despawn e viagem entre os bonfires), e eu estar usando mais as iteração online, desenvolvi uma “tática” assim que chegou em uma bonfire nova, deixo meu sinal de invocação dessa forma quando invocado, faço o reconhecimento dos locais e inimigos e não perco a minhas amas quando morro, além de receber almas. 

    É o jogo que tenho mais horas e que com certeza progedi mais (estou em Dragon’s Keep, creio que esse fim de semana ou daqui a 15 dias eu termino).

    Ouvi os 2 casts de vocês(Demon e Dark) e realmente é um universo muito abragente com a história bem cativante.

    Tanto que ainda pretendo fazer o caminho inverso, terminar o Dark Souls 2, e retomar os anteriores, agora utilizando a mesma tática de deixar minha marca de summon assim que chegar num lugar (só não sei se os servidores do Demon ainda estão com uma quantidade razoável de gente jogando.

  • Zabuzeta

    erickseika eu queria estar pronto, mas ainda estou longe pacas lá no pântano maldito

  • Dinopron

    Sou mais um que começou a jogar a série Souls por influência do André, e acebei me apaixonando por ela, Demon’s Souls destruiu completamente as minhas expectativas, e Dark Souls é o meu jogo favorito de todos os tempos, ponto final. Platinei os dois. Agora estou jogando Dark Souls 2 no ps3, mas pretendo jogar no PC também. Tenho certeza que vou comprar um PS4 por causa do BloodBorne, acredito que o Hidetaka Miyazaki possui uma daquelas mentes abençoadas que são capazes de transformar a sua visão única em um mundo interessante e especial, assim como o Miyamoto, o Kojima ou o Suda.

     Eu posso dizer que a série Souls me fez voltar a gostar de games. Veja bem, quando comecei a jogar Demon’s Souls eu estava me afogando em dúzias de jogos que pareciam vazios, que eram só mais do mesmo, jogava algo por alguns minutos e já estava de saco cheio, “Qual o ponto disso tudo?”, tinha dificuldade para ligar o videogame e jogar qualquer coisa e quando jogava eu claramente não me divertia, e não entedia o porquê. Eu que quando criança, acordava às seis da manhã nos finais de semana e corria, sem escovar os dentes, pra jogar Link to the Past, Shadow Dancer, Super Famitsu 2, ou qualquer coisa aleatória que eu ou meu irmão alugasse, eu que acompanhei a evolução dos games comprando revistas e discutindo em fórums e torcendo para a minha empresa favorita no momento, estava pronto para abandonar os games de vez e não olhar pra trás, a chama estava quase se apagando.

       Então eu comprei o Demon’s Souls, só por influência do André mesmo, nunca tinha ouvido falar dele antes, esperava que ele fosse o messias dos games, e de fato foi. Eu lembro que a minha primeira impressão foi de achar a abertura muito impactante mas os gráficos bem feios, a parte de criação de personagens é muito triste, assim como os menus. Logo mudei de ideia quando cheguei no Nexus, aquele lugar é incrivelmente misterioso, as coisas que os NPC falam e a forma como falam, aquela música, tudo isso junto me ganharam quase que instantâneamente. A movimentação meio pesada do personagem e o sistema de combate metódico me fizeram continuar empolgado durante todo o jogo, por fim, os equipamentos, o lore, os personagens e o mundo acabaram me conquistando. Foi então que eu percebi que eu não estava velho demais para os games, mas que eles mudaram aos poucos, sem que eu percebesse, abusando de mecânicas que diminuem a satisfação por ter completado algo  no jogo e oferecendo recompensas instantâneas e supérfluas, algumas que eu consigo lembrar facilmente são: vidas infinitas, checkpoints frequentes, energia que se regenera, itens de cura demais, tutoriais longos, linearidade… O problema não é usar essas mecânicas, mas sim usa-las em excesso.

       A série Souls me fez sentir criança de novo, querendo jogar o jogo pelo que ele é, somente para me divertir e descobrir coisas novas, não para acompanhar o que todo mundo está jogando, ou para conseguir troféus, ou porquê isso é o que eu tenho feito nos últimos quinze anos. Pra mim essa série se resume em: exploraração como um fim em si mesma, ambientação imersiva, sensação de descoberta, superação de desafios e narrativa vaga e por vezes ambígua. Agora eu procuro essas características em outros jogos, e as tenho encontrado frequentemente, principalmente nos jogos indies. Tenho certeza que sem a série Souls eu seria outra pessoa hoje, talvez tivesse abandonado esse meu hobby, que formou grande parte do que eu sou, ou pior, teria continuado jogando games sem gostar e sem entender o porquê, bebendo vagarosamente um doce veneno, me tornado uma pessoa amarga, sem grandes expectativas. Praise the sun!

      Obrigado Hidetaka Miyazaki por existir e por ter criado a série Souls. Obrigado André por tê-la apresentando para todos nós.

  • dan_smith7

    Praise the jogabilideiros! Finalmente os astros se alinharam e saiu um novo Dash! Gostei muito das participações dos convidados e finalmente o Sushi e o Andre puderam falar tudo o que queriam sobre Dark Souls, pena que o Rick e o Marcio não participaram mas acho que o resultado final ficou excelente.

    Agora sobre Dark Souls na minha opinião ele mantem todas as qualidades e peculiaridades que fizeram de Demon’s Souls um jogo único e melhora em vários aspectos, eu gosto bastante do sistema de covenants, da remoção do sistema de tendencias, da maior variedade de armas e equipamentos, o fato de o mundo ser interligado e deixar o jogador se locomover livremente por ele ao invés de você escolher um mundo para acessar em um hub principal, o genial sistema de bonfire, enfim ele é realmente um dos melhores jogos da geração por tudo isso. 

    Sobre o truque do Ceaseless Discharge eu acho que é intencional ou se começou como bug depois eles resolveram deixar, porque é uma situação muito especifica e não creio que seria tão difícil de remover se eles quisessem, explico das ultimas vezes que eu joguei no PC eu notei que na verdade ele só pula para aquele lugar se você conseguir fugir dele logo depois de roubar o set que esta no altar, se você morrer nesta primeira interação ele não faz mais isso nas próximas vezes que você volta na sala, é quase como se ele perdesse a cabeça por raiva e fizesse um movimento precipitado no calor do momento, caso ele consiga te matar na primeira interação ele esfria a cabeça e evita esse erro usando ataques de longa distancia se você insistir em ficar no inicio daquele lugar.

    Arma favorita: Men Serpent Greatsword por eu jogar de build de força e gostar do move set dela, e na mão esquerda um escudo xigante para me defender das monstruosidades e situações adversas deste jogo por favor.

  • lipepimentel89

    Sushi0 Toma aí mais um motivo pra não gostar de Lost Izalith:

  • lipepimentel89

    Sushi0

  • lipepimentel89

    Sushi0

  • Cast ouvido, vim aqui postar minha humilde opinião sobre o tema e sobre o programa em si. Se este comentário original uma Wall of Text, peço desculpas antecipadamente, mas Dark Souls pede.

    Primeiro, vou contar minha história com essa trolha. Basicamente, fui na onda dos senhores (André e Sushi) pra decidir ir atrás do game. Eu já conhecia a fama, e a forma como a internet trata a série Souls me afastava muito do produto. Não me lembro qual cast exatamente foi, ou se foi alguma stream, mas ouvindo um relato cheio de emoção do menino Majin falando sobre como ele encarava a os dois jogos (Demon’s e Dark, até o momento) me convenceu a dar uma chance. Coincidentemente, nesta mesma época o jogo estava em promoção.
    Um detalhe, junto nessa onda, um amigo meu decidiu comprar Dark Souls pro console dele e iriamos começar a jogar juntos.
    No começo achei tudo bem feio. A criação do persnagem… ah! Era mais feio que Oblivion, e eu sempre usei Oblivion como comparativo pra personagem feio.
    Mas relevei, afinal, se Oblivion era um bom jogo, Dark Souls também havia de ser. 
    Fui me aventurando por Undead Asylum e estava tudo indo bem, sofri um pouco pra aprender as mecânicas básicas, mas rapidamente tava inserido naquilo. Morri pro chefe só 3 vezes. Achei um avanço.
    As aventuras prosseguiram bem, só que as coisas começaram a desandar em Dark Root Garden. Depois de matar a Moonlight Butterfly, achei o caminho pra Dark Root Basis, e ali achei que era o destino mais correto de todos.
    Detalhe, eu nem tinha ido matar o Capra Demon ainda.
    Nessa brincadeira aí, andando meio perdido, matei aquela Hidra (esqueci o nome) e o Havel, quase chorando de ódio. Do jeito que eu fui, com build toda errada, sem seguir guia, era quase one-hit-kill pra qualquer inimigo que eu tomava porrada.
    Algum dia, conversando com este meu amigo que comprou o jogo quase que junto comigo, ele me contou sobre uma porta que eu não tinha aberto, e que eu era louco. Nem ele tinha matado Havel ainda, e ele já tinha tocado os dois sinos. Eu mal sabia onde esse segundo sino tava.
    Fui seguindo, passei o Capra Demon, fui pra Dephts, passei meus apertos nos Basilisks, mas o sofrimento foi recompensado quando derrotei o Gaping Dragon. Ou era isso o que eu achava.
    Blight Town. Aquele cenário lindo de Deus que mamãe amou e papai cuidou com carinho. Foi ali, em meio aquelas casinhas de pau a pique e bambu que, sem saber pra onde ir, fiquei quase uma semana agarrado sem sair da mesma bonfire. Nesse ódio desisti do jogo totalmente frustrado.
    Só voltei a jogar Dark Souls perto do lançamento do segundo jogo. Eu tinha gostado do primeiro, e queria entrar no famoso zightgeist da comunidade. Pra não entrar enferrujado no game, decidi rejogar o primeiro. E que belezura. Dessa vez, com energia renovada passei pelos desafios bem mais facilmente, quase como andar de bicicleta (que eu não sei, mas se soubesse eu não esqueceria). Jogo lindão. 
    Vi tudo com outros olhos, e amei cada momento. Talvez não tenha amado Blighttown, mas é perdoável.
    E então joguei o Dark Souls II, quase que em seguida, e zerei ele em 40 horas, e consegui muitas histórias por lá, mas isso é comentário pra outro cast.

  • lipepimentel89 Sushi0 O que você fez para ficar assim? Eu nunca vi esse lugar assim.

  • lipepimentel89

    Sushi0 Eu não fiz nada… ele sempre foi assim pra mim… será que é bug da versão do X360??

  • Great Grey Wolf Sif

    Velho, como tem nego puxando o saco. O jogo estava aí, era só achar e
    jogar. Quem é o André pra apresentar pra alguém ou influenciar? Geral dá
    muita moral pra esse gordinho de apartamento rsrs. O cara é só um
    GAMER, pasmem. Jogar qualquer um joga desde a época do River Raid.

  • slash_rick
  • dan_smith7 Só gostaria de dizer que eu não falei tudo o que queria sobre Dark Souls. Sendo sincero, acho que nunca conseguirei falar tudo o que quero dessa série, pois eu amo falar sobre ela.

  • legendarysnake

    Sushi, eu procurei sobre culto de telema no google e não achei nada.

  • DeivideElven

    Então, joguei no máximo 10 minutos o Dark Souls que havia ganho no steam e tive problemas com câmeras, já que não possuía controles. Depois em outra oportunidade joguei pelo xbox na casa de uma ex namorada, joguei até chegar no boss que fica num muro tentando te empurrar, com esqueletos em cima da torre dando flechadas.
    Muito desespero, muitas cagadas de principiante (por saber o que me esperava e jogar mega cautelosamente).
    Hoje em dia não tenho vontades de jogar por problemas envolvendo a pessoa que me deu como presente na steam. Mas de forma alguma deixo de escutar o Dash e me aprofundar mais no enredo.
    Agora é o momento clicar no play e ficar quieto.

  • maajin

    Great Grey Wolf Sif <3

  • legendarysnake Grupos de Thelema não são bem cultos, são mais um fraternidade. Quando eu for na casa dos meus pais e achar meus materiais antigos eu te falo o nome do grupo lá.

  • MrSchrodinger

    Olá, nobres senhores.

     Adorei o episódio. Sou um dos que começou a jogar Dark Souls por influencia do jogabilidade.

    Eu peguei numa promoção no Steam porque estava influenciado pelos streamings do André e da forma como ele e o Sushi falam do jogo. Juntando isso com os comentários de pessoas como o Dougão, Mucioli, Natchy, Corraini e outros, acabei começando a jogar mesmo não gostando de Demon’s Souls. 

    Não sei exatamente qual a diferença dos dois que me fez ter sentimentos tão diferentes, acho que as bonfires e os estus flasks principalmente, mas eu me vi viciado por Dark Souls em pouco tempo

    O combate, o estilo de arte, o clima meio melancólico e o mundo interconectado fizeram ele acabar no meu Top 5 da Jogos da Vida.  Engraçado que minhas partes favoritas do jogo além opcionais, que no caso são Painted World e o DLC.

    Acho o DLC fenomenal e só não digo que é o melhor DLC de todos os jogos pra mim porque ele está empatado com Shadowbroker de Mass Effect 2, enquanto a luta contra o Artorias é mecanicamente minha luta de chefe favorita, ela fica atrás da luta final de Metal Gear Solid IV pelo seu contexto na história e toda a direção fantástica durante o combate.

    Esperarei um DASH de Dark Souls II num futuro bem distante(Quem sabe perto do lançamento de Bloodborne?)

    E agora do meu Top 5 Jogos da Vida só falta Dash de The Walking Dead season 01 e Ocarina of Time, uma vez que já existem de Persona 4, Mass Effect e Dark Souls.

    Até mais.

  • VitorValadares

    Toda vez que eu vejo algum cast sobre Dark Souls eu me convenço mais um pouco de que eu joguei ele meio errado haha. Assim que eu  cheguei em Fire Link, após morrer para os esqueletos algumas vezes, eu me dirigi até undead burg para enfrentar o taurus demon PORÉM, após isso, ao invés de ir atrás do capra demon, eu fui para a floresta (primeiro erro). Chegando lá,  abro o caminho até aquela borboleta gigante e luto contra sem a ajuda da bruxa. Na sequencia, meu próximo objetivo, ou erro, foi querer abrir a maldita porta. Para isso fico farmando nos gigantes de pedra durante um bom tempo… Conseguindo juntar as 20k almas necessárias, vou lá, abro a porta e gasto mais um tempo imenso até conseguir chegar E mais um tempo para conseguir derrotar o sith. Tendo feito essa louca jornada, resolvo voltar para FK para só então me ligar da história dos sinos, mas é claro que o primeiro lugar que eu vou é no sino de baixo, e é claro que eu chego na queelag estando em curse. Bem, depois disso eu taquei o foda-se e comecei a olhar a wiki e alguns vídeos para saber o que fazer direito. Apesar de tudo, acho que foi esse perrengue todo que me fez gostar jogo.

  • VitorValadares Know that feel, bro

  • VitorValadares Eu não acho que você não cometeu nenhum erro, o jogo é aberto para você seguir pro caminho que quiser e na ordem que quiser.

  • VitorValadares

    Sushi0 VitorValadares eu considero um erro quando eu penso que poderia ter feito sino de cima >> sino de baixo >> lobo. Mas ao menos serviu para me dar experiência e um bom farm no começo do jogo. No segundo jogo que eu fiz eu joguei dessa forma mais linear.

  • Jeronimous_

    “Metade muito bonita, metade uma aranha peluda” Esses meninos exigentes de hoje em dia…

  • dan_smith7

    Sushi0 dan_smith7 sei como é, também me sinto assim sobre a série Souls, mas bom o cast ficou excelente e sempre tem novos vertices, dashs e jogabilistreams para vcs continuarem falando sobre Dark Souls =)

  • Great Grey Wolf Sif

    Velho, sempre achei que esse Capitão Gay do Rick era o macho do André. Isso sempre ficou nas entrelinhas, tipo: “Ai Rick, estou muito orgulhoso de você ter tentado jogar Dark Souls” e o outro: “Também estou orgulhoso de você ter jogado um dotinha” HAIUEUAIHEUIAHEIOAOHEIAHEIUHAIEHIUAHEUAOHEA. Vocês dois são como Batman e Robin *-* Foi só falar do gordinho de apartamento antissocial que o barbudo se doeu. Pra mim o máximo que vocês influenciam é na compra do pacotinho de Cheetos. Chora André, você nunca será um Guilherme GAMER

    HIAUHEIOAHEOAHIEHIUAHEIAOHEIAHIUHEIAHEAUOEIHAIUEUHAIOHEUAIUHEUHAIEHIAHEUIAHEUIAOHEUOIAHEIOAHEIOA

  • maajin

    @Great Grey Wolf Sif Então fica ligado que mudaram a receita do de requeijão. Somando a isso o fato de que o pacote dele costuma vir mais vazio, a melhor decisão no momento está sendo voltar pro bom e velho clássico Cheetos Lua. Claro que, no fundo, todos torcemos pelo glorioso retorno do Cheetos Tubo… Mas aí já é sonhar alto demais não é verdade? =D

  • Malditos, o cast foi tão bom que me deu vontade de rejogar mais uma vez, coisa que não posso pois não estou com uma TV decente pra ligar o PS3 e jogar! 🙁

    O que eu mais gosto em Dark Souls, além de como é um jogo com uma dificuldade que respeita o jogador e o incentiva a melhorar, é o level design dele. Muitas vezes enquanto eu jogava eu meio que chegava à conclusão de que Dark Souls é tipo um Metroidvania 3D com uma ênfase bem grande no combate, além da exploração, obviamente. Uma outra decisão boa de design que vocês não chegaram a comentar é como durante 80% (excetuando apenas o Ash Lake, o Firelink Shrine e as batalhas contra os chefes) do jogo não há música de fundo. Tudo que se ouve é o silêncio, o barulho de seus passos, da armadura e das criaturas no seu caminho. Acho que isso dá uma sensação maior de imersão e enriquece a aura de “jornada solitária” que o jogo possui. É fascinante.

    E isso de descobrir segredos do jogo em conjunto me faz pensar em como se Dark Souls tivesse saído há uns 20 anos atrás ele teria sido um grande causador de lendas urbanas em videogames. Sempre que discuto com amigos meus que jogaram também, acabo descobrindo coisas novas e detalhes que nem havia reparado, desde coisas do level design ao lore do jogo.

    Não sei pode divulgar coisas aqui e tal, mas… recentemente eu escrevi sobre o que penso do jogo em detalhes num blog que participo junto de alguns amigos, e cheguei a comentar algumas de DaS que vocês também falaram no cast. A quem quiser dar uma lida: http://missionfiction.wordpress.com/2014/05/16/minha-volta-ao-mundo-em-menos-de-80-dias-com-dark-souls/

    Abraço, senhores Jogabilideiros e cotinuem com os ótimos casts.

  • gasparnolasco

    Uma das coisas que eu mais gosto nos sistemas dessa série é a maneira com que ela evita a fórmula clássica de RPGs de Espada > espada mais forte > espada mais mais forte. Na série Souls QUALQUER arma é viável, e você raramente vai largar uma arma pra trás em troca de outra melhor dentro de uma chest por aí como é de costume em geral.

    Anyway, ótimo trabalho — Graças ao Sol! Quem dera eu pudesse ter tal brutal incandescência.

  • Dinopron

    @Great Grey Wolf Sif Enquanto que eu reconheço que o Cheetos oferece um bom custo benefício e agrada ao paladar do popular brasileiro, eu o considero extremamente overrated, pra mim salgadinhos devem não apenas oferecer um sabor residual agradável mas também um aroma complexo e uma textura consistente, dessa forma eu recomendo fortemente que você experimente Fandangos queijo ou Fandangos presunto. Sou um grande evangelizador dessa marca de salgadinhos por considera-la superior em todos os sentidos, não deixe que qualquer um influencie suas decisões de compra, experimente Fandangos e seja feliz <3

  • realsyberg

    EU ESPERO QUE VOCÊS JA TENHAM OUVIDO ESTA MUSICA

    https://www.youtube.com/watch?v=ngsKqZSiT8c

  • marciosbarrios

    @Patrick Martins estão me boicotando 🙁

  • slash_rick

    @Great Grey Wolf Sif

  • RenanDaemon

    lipepimentel89 Esse map viewer é sensacional mesmo, lembro de ter ficado horas e horas fuçando nele, maravilhado com o mundo de Dark Souls!
    E realmente, esse fundo cinza é grotesco, no PC também é assim!

  • thomyorkshire

    VitorValadares Depois do primeiro sino eu pulei Depths e a floresta e fui direto pra Blighttown por um atalho que passava no Valley of the Drakes.
    Não sei se isso é um caminho errado, mas foi muito mais difícil do que deveria ser

  • thomyorkshire

    brunobbessa Eu quase desistir de jogar quando cheguei neles ;-;

  • RenanDaemon

    Dark Souls! O cast ficou legal, gostaria de ficar ouvindo
    por horas os comentários sobre as histórias dos NPCs, hehe…
    Comecei a jogar por influência de vocês. Terminei semana
    passada. Achei o jogo muito, muito bom, top 5 da geração com certeza.

    Uma das coisas que eu mais gostei foi o cenário, a geografia
    do mundo. Não consigo me lembrar de nenhum jogo que tenha mapas tão bem feitos,
    tão encaixados. Cada atalho que pegava era uma explosão de cérebro. Girar a
    câmera para reconhecer o cenário em volta era uma das coisas mais divertidas! Undead
    Parish vista de Sen’s Fortress, as muralhas altíssimas de Anor Londo, Blightown
    vista de Firelink Shrine… Caras, que maravilha. Recentemente eu baixei um
    programinha visualizador de mapas 3D do DS, que o lipepimentel89 já postou
    aqui em baixo. Sério, vejam, é uma coisa simples, mas eu perdi uma noite inteira
    olhando o mapa, as conexões e tal, haha…
    O balanceamento das armas também é excelente. Quando, vendo
    rapidamente os status, penso que uma arma é claramente melhor que outra, logo
    depois vejo que o peso é maior, ou que o hitbox é menor, etc. Eu ADOREI isso,
    porque dá muitas opções… Num primeiro momento é até confuso, porque usei a
    mesma arma praticamente do início ao fim, o que num RPG é bem estranho!

    Foram muitos momentos marcantes: Depths foi um inferno, desisti
    de matar o rato gigante, depois peguei curse… Tentei ir pra New Londo e fui
    massacrado pelos fantasmas. Fiquei apavorado quando, após matar o Gaping
    Dragon, segui inocentemente para Blightown e quase perdi as 25 mil almas. Ornstein
    & Smough quase me fizeram abandonar o jogo (sério). Tomb of the Giants
    também foi um teste de perseverança…
    Não sou nem de longe expert na história do jogo, mas para
    mim há um final “bom”, mas que favorece muito mais os deuses/semideuses e um “não
    tão bom”, mas que desfavorece bastante os deuses/semideuses.

    O grande problema de Dark Souls para mim foi ser tão
    grande… Estou com pouco tempo para jogar, e foram quase 70 horas de jogo,
    espalhadas em três meses. Eu ainda queria muito fazer novas builds, explorar
    arcos de NPCs que passei batido, sei lá, tem tanta coisa para ser feita, da
    muita vontade de jogar novamente. Mas aí teria que abandonar outros jogos, e a
    backlist é gigante, a começar por Dark Souls 2, hahaha…

  • Olá a todos.
    Tenho muita vontade de jogar Dark Souls e ainda não o fiz por falta de oportunidade (sou amaldiçoado e tenho PC da Xuxa). Enfim, o que eu posso dizer é que eu fico impressionado com as similaridades que o combate de Dark Souls/Demon Souls tem com o de Monster Hunter. Provavelmente vocês não devem saber porque ninguém ai dele ter jogado algum game dessa série, mas o Monster Hunter tem um personagem pesado, com armas de pesos e animações diferentes, além de sempre ter que ficar preocupado com a barra de estamina. A diferença é que aparentemente os monstros de Dark Souls comparados com os de Monster Hunter, tem uma defesa muito menor e um ataque muito mais destrutivo.
    Ai eu fico me perguntando: Será que existem muito mais jogos que ficaram só no Japão que apresentam essas mecânicas de combate similares?
    Enfim, eu vejo que o cast foi feito para quem já tinha jogado, mas eu me perdi em alguns momentos. Alguns cenários não foram exatamente descritos e simplesmente falaram os tipos de inimigos que tem lá e tal. Talvez fosse melhor vocês pensarem em uma forma melhor de descrever para quem não liga para spoilers e quer conhecer mais sobre o jogo.
    Bom, é isso ai e até mais.

  • Danilo

    Vi que existe um patch (feito por fã) de correção gráfica para a versão de PC. Alguém reparou na qualidade gráfica do port atual de PC com relação ao dos consoles? É algo perceptível? Vale mais a pena comprar a versão para PC ou para console?

    • A de PC, com esse patch, é bem superior a versão dos consoles.

  • vinicius_ba

    Acabo de zerar Dark Souls 2, como disse no meu comentário anterior pretendo voltar pros anteriores(que joguei, mas não trerminei).

    Mas no momento estou procurando outros jogos com a mesma vibe. Tipo…

    Super Mariod 3D World 😛

  • Outrem

    Eu joguei Dark Souls por vocês tanto falarem dele, mas não gostei. Simplesmente não sou o público alvo deste jogo. Não gosto muito de explorar, mas tolero de acordo com minha motivação por seguir em frente, o que normalmente é a história, como nos jogos de Resident Evil ou Shin Megami Tensei, coisa que não acontece em DS por ele até pra contar história eu que preciso explorá-lo. Sem entender por que eu estava fazendo aquilo e sem ser recompensado pelo meu progresso acabei ficando cada vez menos imerso no jogo ao ponto de não me sentir satisfeito ao derrotar um chefe, o momento de superação de um desafio difícil que finalmente teve sucesso e deveria ser seguido por um contentamento orgásmico me foi substituído por uma broxada pois eu não mais me importava com o jogo, que só me causava frustração e nenhum entretenimento, o que finalmente me fez dropá-lo pela total falta de interesse em continuar me torturando sem propósito enquanto poderia estar gastando todas essas horas desperdiçadas jogando outra coisa mais compatível com meu gosto.

  • Kaiketsu

    Outrem Parabéns. Você acabou de descobrir que gosto é que nem cu: cada um tem um.

  • Dinopron

    Outrem Eu entendo perfeitamente, cá entre nós eu tentei mas não consigo gostar de Bioshock, o hype atrapalha muito, acho que todo mundo tem uma franquia famosa que não gosta, e isso é ok. Além disso você gosta de SMT então tem crédito.

  • Dinopron

    @Artur Antunes Eu diria que o sistema de combate de Monster Hunter é bem melhor que do Dark Souls, principalmente o sistema de colisão. Aliás, essa é uma série extremamente injustiçada aqui no ocidente, ela possui uma das melhores jogabilidades de combate que eu já vi e as pessoas não a jogam por não ter um modo história ou pelo tutorial ser um pouco comprido. Fifa também não tem histoŕia e todo mundo adora, e como o jogo é um pouco complexo tem que ter um tutorial um pouco maior mesmo. É claro que por não haver uma grande base instalada de portáteis os jogos da série perdem o apelo do modo multiplayer, mas nem de longe isso justifica ter tão pouca gente jogando.

    Antes eu jogava sozinho o Freedom Unite no PSP, então comprei um Vita e a versão digital, agora eu jogo com meu irmão mais novo. É bem legal jogar um coop local com cada um com a sua tela, juntando forças para caçar aqueles dinosauros gigantes. http://www.youtube.com/watch?v=2TOf53VonL0.

  • Dinopron

    @Danilo A versão de PC com certeza, mas um contrlole é obrigatório. O patch (DSFix) é extremamente recomendado pois sem ele a resolução é travada em 720p @ 30 fps.

  • Vi

    Querer jogar o jogo só porque o compositor é o http://pt.wikipedia.org/wiki/Motoi_Sakuraba é válido?

  • @Vi Muito.

  • Dinopron Esse seu comentário sobre a colisão de Monster Hunter só confirma o que eu vi no jogo, pois antes de realmente jogar, via muita gente reclamando das hitboxes quebradas, mas quando joguei mesmo, tirando o khezu, todos os monstros que eu vi tem hitboxes muito bem feitas, sendo possível até dar um rolamento quando o monstro tenta te dar uma rabada.
    Eu acho que o problema do ocidente nem é muito o fato de não ter história, mas sim o pacote completo de ser um jogo que inicialmente você tem que ter muita paciência com ele, pois vai demorar pelo menos umas horas para completar o tutorial e pegar os macetes do jogo, sem falar que o próprio tutorial em si é incompleto, sendo necessário que o jogador conte com ajuda de alguém ou vá atrás de alguma documentação. Pelo que eu vi em alguns gameplays, o MH4 parece que tem alguma historinha para que os chorões não fiquem bravos, mas fica aquele negócio do jogo ser obrigado a contar um enredo quando não é necessário e isso geralmente rende histórias intragáveis, vide jogos de luta. Mas depois que God Eater trouxe um enredo em um tipo de jogo estilo Monster Hunter e teve uma maior aceitação no ocidente, (até por trazer uma jogabilidade mais fluída, porém muito menos complexa) a série Monster Hunter parece que sentiu necessidade de copiar. Outra coisa também é que o jogo é muito focado no loot, então caras como o Majin não vão gostar.
    Deixa eu ver se entendi uma coisa: Você joga Monster Hunter Freedom Unite do PSP em rede local com o do Vita? Se for, é bom saber que existe essa possibilidade.

  • Dinopron Discordo totalmente, nobre cavalheiro. Verdade que cheetos não tem uma boa consistência, mas Fandangos está longe de ser o ideal. Já provou Skinny? A primeira vista você pode confundi-lo com um Fandangos, mas a consistência de massa de milho que ele tem é totalmente diferente, com um sabor magnifico, além de um valor nutricional muito mais elevado. Infelizmente essa iguaria não pode ser encontrada em todos os estados do Brasil, mas fica a dica.

  • Poisony

    @Artur Antunes Dinopron Ignoro todos os vossos comentários e defendo que o sabor do salgadinho Torcida sabor cebola e salsa é extremamente subestimado em relação a esses salgadinhos AAA que vocês financiam. A empresa de salgadinhos evoluiu, é cada vez mais caro produzir um salgadinho e se continuarmos financiando essas megaempresas, estamos limitando nossas experiências para esse cenário independente de novas ideias e sensações.

  • Great Grey Wolf Sif

    http://www.livefyre.com/profile/48933065/, eu até posso entender o apego emocional que você possa ter com o Fandangos na sua infância, porém… NADA PODE SUPERAR O CLÁSSICO PINGO D’OURO enquanto assistia Jaspion e depois mascava umas balas 7 Belo. Fandangos e Baconzitos não me agradam porque eu não como salgadinhos rsrs. Artorias comia Doritos antes de ir pro abismo. Isso lhe dava stamina recovery. E pra não dizer que não falei de flores, Cheetos Lua é coisa de gordinho que dá a bunda ahahaha

  • Great Grey Wolf Sif

    @Vi Seria válido se fosse o Daisuke Ishiwatari. Pensando bem Valkyrie Profile fodeia então é válido.

  • Armoderic

    Excelente o podcast! Muito legal a participação do Dougão e do Mucioli
    Enquanto vários rpgs (e outros jogos) sobrecarregam no volume de diálogos e textos para forçar uma ideia de um background desenvolvido que muitas vezes não deixa nenhum espaço para o jogador refletir ou debater. Dark Souls segue um caminho tão oposto a isso que é genial, e consegue melhor que muito jogo transmitir a ideia que havia um mundo ali até um sentido quase arqueológico, tudo isso com mínimas descrições e dialógos, ele simplemente joga as pistas e dá um passo para atrás e diz “debatam”.
    Mas não é só isso, o que eu acho muito interessante em Dark Soul evita um dos clichés mais comuns do “desastre instantaneo” (zumbis/demônios/sei lá aparecem, civilização some imediatamente) você tem pela a história na verdade houve um desastre em camada ou degraus, que as coisas foram progressivamente ficando piores e piores e em cada etapa as pessoas a volta reagiam (como por exemplo quando a New Londo foi afundada) e muito a história é justamente você achando esses passos etapas.

    Bom, apenas jogar uma pequena teoria que na real é quase “festival da livre associação de ideias 2014” um coisa na trama de Dark Souls que é meio o seu tema principal me lembrou algumas coisas de quando eu fiz duas cadeiras sobre Cultura Japonesa e que meio se refletem em vários aspectos, desde mais tradicionais a mais pop da cultura.
    Vou falar meio de cabeça, logo é provável que eu erre algo: um preceito do budismo é que o sofrimento surge do desejo das coisas, pois no fundo nada realmente existe. Mas quando desejamos algo, essa coisa passa a existir e por consequência torna-se passível de corrupção e degradação, logo sofremos pois vemos isso em decadência.
    Ligado a isso há o conceito da impermanência, que nada dura para sempre e a beleza das coisas está que as coisas são perenes e nunca vão se repetir ou durar para sempre. O Conto dos Heike um épico que narra a ascensão e queda dos Taira e o (que julgavam-se eternos e invencíveis) e o conflito deles com os Minamoto, e que de certo modo é o modelo de épico japonês tem a famosa citação “..reveals the truth that the prosperous must decline. The proud do not
    endure, they are like a dream on a spring night; the mighty fall at
    last, they are as dust before the wind” que é um tema bem comum.
    Em Dark Soul você meio vê isso, primeiro com os Dragões, que julgavam que iriam durar para sempre e caem, depois com o Gwyn e sua turma que igualmente achavam que iriam durar para sempre e desejavam o fogo (que decaiu) e com eles “sofrendo” tentando se agarrar a algo que estava sumindo (até você chegar e acabar com o que sobrou deles). Nem mesmo Anor Londo durou para sempre (também decaiu). Dai que de certo modo, em uma interpretação muito livre, o Kaathe ao querer que a chama se apague estaria ajudando as coisas a seguir seu rumo, no outro caso o fogo continua, mas  a sua custa (sofrimento) e no fim seria questão de tempo até outra pessoa vir e tomar o seu lugar.

  • Dinopron

    @Great Grey Wolf Sif Eu não gosto de pingo d’ouro pois quando criança eu comi demais, só porque era o salgadinho mais barato que vinha tazos, e eu era viciado nessa porra (depois passei pra CAPS que vinham nos chicletes Buzzy, mas essa é outra história). Fandangos me lembram de uma época bem legal da minha vida, juntava uma galera e comprávamos uns dois pacotões quase todo dia, então ele sempre vai ter um lugar especial no meu coração (provavelmente dentro em alguma artéria semi obstruída). Se Artorias comia Cheetos então kudos pra ele por conseguir manejar  com tanta habilidade a Abyss Greatsword mesmo com as mãos engorduradas de salgadinho. 

    Agora que tiramos isso do caminho, eu preciso dizer que te amo. E sim eu sou um homem. Haha, engraçado né? na verdade não, não por ser politicamente incorreto fazer piadas de gays (eu adoro o Louis CK aliás), só é meio bobo e infantil atacar a sexualidade, ou etnia, ou aparência de alguém, ou o fato de que o nome dele rima com pênis… isso é tão “adolescente em busca auto afirmação humilhando pessoas vulneráveis” sabe. Eu sei que você é um cara inteligente e não precisa isso, o André é um cara inteligente também e eu tenho certeza que ele não se afeta mínimamente com esse tipo de coisa (e por isso ele não precisa de ninguém para defender a sua honra, haha!), no fim fica somente uma sensação de vergonha alheia. Além disso se você espera jogar o fruto da discórdia e assistir satisfeito as reações furiosas acho que você vai se decepcionar um pouco, acompanho o podcast desde o começo e flame wars são bem raras aqui, acho que ninguém tem mais energia ou tempo pra isso, eu mesmo só me dei o trabalho de responder porque você parece ser um cara legal.

    Todos que dizem que não querem parecer pedantes já o são automaticamente, então eu não vou dizer isso, mas eu queria te dar um conselho bem legal, consuma só produtos de mídia que você gosta. Meu pai por exemplo ODEIA o Faustão, mas assiste o programa todo domingo só pra falar mal, acaba se irritando e de leva toda a família também, quanta energia e tempo gastos para nada. Eu não suporto o pew pew die, então eu não me imagino ter o trabalho de abrir um vídeo dele só pra fazer um comentário e irritar os fans, não vale a pena cara. Mas se você quiser continuar está OK também, mas saiba que eu vi as melhores mentes da minha geração destruídas por discussões infrutíferas na internet, triste.

    Ah,  seu irmão mais novo manda lembranças,  The Little Brown Corgi Pif.

    https://lh4.googleusercontent.com/-Glt3j0mPpGg/UYUQ-Z6pd0I/AAAAAAAAXJQ/pMWNVBKtoJw/s506/tumblr_mm7y43fUWN1qcw66ho1_500.jpg

  • Dinopron

    @Artur Antunes Dinopron Concordo com tudo que você disse, ou melhor quase tudo, achei God Eater bem fraco e com um enredo e estilo visual meio sem personalidade (anime genérico), espero que não seja isso que o ocidente quer. Outro jogo do mesmo estilo que parece ter feito sucesso por aqui foi Soul Sacrifice, um dos poucos jogos que eu me arrependo amargamente de ter comprado (na pré-order ainda), o jogo tem idéias legais mais é muito desbalanceado e tem umas mecânicas horrorosas que te deixam sem suas magias no meio da fase, te obrigando a morrer e grindear loucamente em fases anteriores, mas não o tipo de grind de monhun em que você fica melhor, é do tipo ruim que deixa o personagem mais forte, eca.

    E sim, o Vita se conecta com o PSP tranquilamente, e no Vitinha você tem uma tela maior, melhor e dois analógicos, uma maravilha de deus, não precisa mais usar the claw (ou suas variações http://fast1.onesite.com/capcom-unity.com/user/snow_infernus/fa12c2598adc24d218c8225bf201251e.png?v=202200) para mover a câmera 😀

  • Dudley_o_Boxista

    Finalmente posso vir comentar. Podcast mais uma vez EXCELENTE, adorei como tudo foi feito. Sobre os comentários, acho que deveriam, se possível, separar em dois audios o podcast e os comentários, daí ouve quem quer na hora que quiser. Eu adoro ouvir a leitura de e-mails/comentários de podcasts que ouvi, mas gosto de pular caso não ouvi por motivo de spoiler e tal. Tendo o arquivo separado, facilita pros ouvintes, não sei como fica em relação a outras coisas, mas acho uma opção que pode agradar a todos.

    Sobre o tema, gostaria de falar sobre outra teoria de que Priscilla não é filha da Gwynevere. Motivos: Ela não é gigante, pois o que a gente via era somente a ilusão criada pelo Gwyndolin. E além disso, as estátuas do Gwyn e a dela são quase do mesmo tamanho se me lembro bem. Além do que não há motivos para ela ser realmente gigante. Priscilla como foi dito é encontrada no quadro, que é o lugar das coisas relacionadas a Velka, certo? Logo ela seria filha de Velka com Seath. Acho uma teoria bacana, assim como todas as que vocês discutiram no Dash.

    Continuem com o excelente trabalho e no aguardo do próximo Dash =D

  • legendarysnake Lembrei o nome da parada, é CIH – Circulo Iniciático de Hermes http://cih.org.br/cih_new/

  • BrunoDolabelaGalodoido

    Caras, vocês fazem um trabalho muito bom.

  • I haz two questions! o/
    Se a fumaça que deixa flexas atravessarem é bug, porque a desenvolvedora não solta um patch consertando? Esse cosplay do solaire tem um yaranaika no sol ou eu estou tempo demais nas interwebs?

    • Paolo Pestalozzi Cezar

      Eu acho que você está vendo demais. Imagens de sol em roupas medievais eram comuns. No Monty Python E o Calíce Sagrado tem um dos cavaleiros com um sol na roupa, por exemplo.

  • Flecha* perdão o analfabetismo.

  • maajin

    Bode333 Acho que é tipo no DOTA, onde vários bugs viraram features! =p

  • Great Grey Wolf Sif

    Dinopron Nossa, o que temos aqui? Um pseudointelectual que gastou suas energias para defender dois gordos babacas. Acredite, não vale a pena, pois eles só querem a sua audiência. Eles devem me agradecer por essa visita no “site” deles. Estou gerando tráfego e ajudando a posicionar melhor a página no Google. A discórdia existe quer você queira ou não. Eu consumo games e não pessoas, chapa. Não é defeito ser gordo, defeito é ser babaca e chato. Não é bobo atacar a sexualidade, amigo, você está muito moderninho. Não existe opção sexual, nunca existiu Adão e IVO. Eu por exemplo não te amo. Você é gay demais com todo esse mimimi sobre seus ÍDOLOS rsrs. O teu amado é inteligente mesmo ou quem sabe sejam a mesma pessoa? Caras inteligentes jogam games o dia inteiro? Eles são apenas GAMERS. Lógico que alguns “GAMERS” além de jogar ganham o dinheiro que eles queriam ganhar. Tá aí uma boa ideia, Dinopron. Você podia fazer banners e espalhar pela internet, vestir uma camisa com a foto de seus balofinhos favoritos para divulgar ou quem sabe juntar aquela mesada marota do papai e doar pra eles, não é? Afinal de contas, alguém precisa colocar COMIDA NA MESA DO POBRE SQUIRTLE  AHAHAHAHAHA
    Barbados brincando de bichinhos fofinhos? Ah vai capinar um pátio, vagabundo!

     
    PS: Cuidado pra não rasgar o saco dele (se ele tiver) com todo esse Praise the André, fanboy.
     

     UAHAUAHUAHAUHAOAHAUAHAOHAHAHEUOHAOUEHAUOEHUAOHEUAHOEAUOHEUA

  • Leandro Roussoulieres

    Qual o nome da musica que toca no final? Um remix com o audio da abertura..

  • giantdad

    https://www.youtube.com/watch?v=6x2SRF5JcjU Queria que existisse algo assim no Dark Souls 2

  • TiagoZircon

    Roussoulieres Eu também adoraria saber!

  • TiagoZircon

    Por favor alguém acabe com meu sofrimento, queria muito saber onde encontrar a música do final desse cast, Até hoje me rôo por dentro por causa da música no final do podcast da E3 do ano passado! E não teve aplicativinhos de android que dessem jeito 🙂

  • TiagoZircon

    Encontrei! thanks god!

  • TiagoZircon

    Roussoulieres Eu encontrei amigo https://www.youtube.com/watch?v=6hoFZaIMmF0

  • TiagoZircon

    As duas, nossa, quem faz as trilhas aí vai longe e tem um ótimo gosto!

  • Roussoulieres

    TiagoZircon Roussoulieres Nossa cara.. tu eh pica! Procurei muito e não achei!! Você tem a minha eterna gratidão! 😀
    ps: qual a outra musica que você achou? abração!

  • TiagoZircon

    Roussoulieres A do encerramento do cast da E3 do ano passado!

  • ViniciusTeixeira1

    Pu** Merd* Majin,  não acredito no que vejo! Outro podcast de games! Eu estou procurando à algum tempo um podcast que se igualasse a qualidade do meu querido Nowloading. Descobri o Now loading Podcast à 5 Meses, ouvi todos apartir do 25 pelo menos três vezes cada. Mal posso acreditar que vc continuou editando podcasts, mesmo só falando dos games antigos (19**-2009) eu adorava ouvir a opinião sobre os games com toda a descontração e, ao mesmo tempo, a seriedade com que os temas eram abordados. Qual não é minha surpresa ao ver que vcs decidiram falar de Dark Souls, o jogo em que estou mais vidrado no momento! só queria mesmo ter a chance de agradecer por todas essas horas de podcasts, vlw majin!

  • gtoaraujo

    Boa
    noite seus putos!
    Gostaria
    de lhes agradecer por apresentar essa serie que sempre passou por despercebida
    pela minha pessoa que me mantinha afastado principalmente pelo fator
    dificuldade alta que tantas pessoas comentavam.
    Após
    escutar o cast (Que escutei justamente na abertura da Sale da Steam em que
    coincidente o jogo estava em promoção xD) decidi me aventurar nesse universo do
    jogo, e que apesar de passar quase cinco horas morrendo tentando chegar aonde
    fica o Taurus não me abalei e continuei jogando e me adaptei as mecânicas e
    fiquei vidrado no jogo por longos dias.
    Exatamente
    hoje na data dessa postagem fechei o jogo e pretendo em breve voltar para se
    aventurar no NG+ mas não sem antes fechar o DK2 (Adquirido no último dia das
    Sales).
    Obrigado
    por abrir meus olhos e me fazer jogar esse que agora está no TOP 10 da geração.
    Segue abaixo
    uma Screen de como eu terminei o jogo em mais ou menos 63 horas (de acordo com
    steam)
    http://steamcommunity.com/sharedfiles/filedetails/?id=285766325

  • WelitonJoelmir

    Eu tenho algumas dúvidas sobre Dark souls 2, no xbox eu bati offline, mas se eu jogar online mesmo não tendo gold, terei essa parte multiplayer de ser invadido?
    E outra dúvida é que no 360, quando estava com uns 60% de progressão, o meu modo de fast travel começou á mostrar todas as localidades e dizer quantos fire links teria, mas sem a imagem, então quando chegava no local, a imagem era ajustada, no fim percebi que havia umas 2 localidades que não fui, depois que bati, isso saiu, é normal?

  • lipepimentel89

    WelitonJoelmir Se vc não tem uma conta gold o jogo vai entrar automaticamente no modo offline (pelo menos, era assim no DS1).

    E essas imagens das bonfires são normais. Após falar com a rainha em Drangleic Castle, as bonfires não acesas aparecem marcadas com uma interrogação.

  • WelitonJoelmir

    Quando o ceaseless discharge cai, acredito que seja um bug, pois eu jogo com o último patch e por mais que tenha tentado e levado o ceaseless na beirada, ele não cai, ele nem se aproxima, aí tem uma outra forma de matá-lo que sem ela, é praticamente impossível, mas é facílima da mesma forma.

  • gtoaraujo

    WelitonJoelmir Quando passei por ele acho que semana passada ele caiu sim e olha que acredito estar com o jogo atualizado já que steam baixa automaticamente as updates.

  • lipepimentel89

    gtoaraujo WelitonJoelmir Na verdade, o lance do Ceaseless Discharge cair só funciona se vc matá-lo logo quando vc pega o Gold-Hemmed Black Set no altar. Se vc morrer ou usar um Homeward Bone, vc terá que ir novamente até o altar e voltar pro fog gate pra estratégia funcionar.
    E por questão de lore, acho que não é bug. Ele está lá só guardando o corpo da irmã. No momento em que alguém entra lá pra “roubar” o set dela, ele entra numa fúria cega e se descuida por um momento em sua loucura, abrindo brecha pro ataque.

  • Hi Bard 009

    Eu antes via o Sushi como o gamer hardcore do cast mas to vendo que nem é tanto assim. Como ele achou Sen’s Fortress dificil?
    Eu achei tão fácil que eu ria a acada 5 minutos e eu acho até agora que é uma das partes mais fáceis do jogo. Porque é só você prestar atenção no chão e se ligar onde estão os buracos para usar isso tudo contra os inimigos.
    E assim… Contra é bem difícil sim. Eu sou a unica pessoa que conheço que já conseguiu zerar Neo Contra perdendo apenas uma vida. E ainda assim tem contra tipo o Shattered Soldier que eu não consigo fazer nem o final ruim do jogo de tão bizarro de difícil que é.

  • maclaud7

    Pessoal, eu já estava jogando DS quando ouvi o podcast – que está fantástico, ouvi umas três vezes até agora – e em seguida desafiei meu filho adolescente a jogar também.
    Realmente, a experiência de ver alguém desavisado passar pelos perrengues que a gente já passou, não tem preço! É muito divertido!
    E a gente até criou uma frase, quando um vê o outro lutar contra algum chefe, e não presta atenção na barra de vida: “TOMA O SUCO! TOMA O SUCO, AGORA!!!

  • Henrique Gardin

    Conheci vocês através destes podcasts sobre sobre a série souls gostei muito…
    gostaria que vocês voltassem a falar sobre a série souls…
    tenho um canal no youtube focado em lores sobre dark souls e acho que por esse motivo me chamou muito a atenção este podcast muito bom gostei demais ^^’

  • Patrick Ribeiro

    Cara, foi um dos melhores podcasts que já ouvi. Joguei DS 3x.. e graças a esse podcast, jogarei pela quarta (perdi o save do meu jogo). Abraços!

  • DEVIL PIGGY

    belé…

  • Leandro Tavares

    Sou um dos caras citados que fugiu do jogo após a primeira parte. Ouvir vocês falando do jogo com tamanha paixão até me deixa com vontade de dar mais uma chance, mas não entrei muito no espírito (ahn, ahn) da mecânica do game.

    • SmokeE3 .

      aheuhauehuae. Entendi o que você fez ai^^…
      Mas cara, eu me assemelho muito á você nessa parte, eu peguei o Dark Souls pelo que as pessoas falavam, de tão bem que eu ouvia do jogo. Após a primeira parte eu fiquei perdido, pois havia uns 3 caminhos, mas eu só conhecia os 2 que não era pra eu ir (voltei á jogar umas 3 vezes mas não conseguia). Depois que vi outros jogando e passando essa parte, eu voltei á jogar e consegui seguir um rumo certo. Depois disso eu amei a série, comprei os seguintes já no lançamento e recomendo á todos.

      • Leandro Tavares

        Acho que vou entrar na série pelo Sanguenascido mesmo

  • Pingback: Uma fogueira para chamar de minha – Parte II | geek Eremita()

  • SmokeE3 .

    Curiosidades sobre Dark Souls:

    Sabiam que alguns lugares são baseados na vida real? O maior destaque fica pra caverda do dragão sem escamas Sith (fica no México): https://ambientalistasemrede.files.wordpress.com/2012/05/caverna-cristais.jpg

    Busquem no Gloogle “Angkor Wat” pra encontrar a inspiração de partes da cidade de lava.

    Mas isso é o que a maioria sabe. Alguns monstros são baseados no Mangá Berserk.

    Para saber mais sobre a inspiração (que pelo menos eu acredito que seja) para o Skeleton Wheel (esqueleto que roda), leiam apenas esse mangá, sem spoilers e nem é necessário ter lido algo do mangá anteriormente: http://centraldemangas.org/online/berserk/132#1 (vale a pena)

  • Conde Ferreira

    Cara, eu tenho DarkSouls para meu X360, e ate joguei ele um momento, realmente é jogo que passa muita tensa e tais,dificil sim… mas não me predeu.. acabei indo jogados outros jogos e ainda não voltei para ele(ate porque jogo por pouco período) , hoje estou dedicado meu tempo a Serie Metal Gear Solid… Mas espero pode voltar a dá mais um chance a esse jogo,pois que gosta,gosta MESMO! e sempre falam com toda essa emoção e paixão…. e que eu sou cara que gosta de jogos de ação com jogabilidade rápida e fluida (DMC,God of War…SOmbra de MOndor… Serie Batman… Unchanted…) dai para mim é mais dificil se “apaixonar” por essa serie “souls”

  • Pingback: Podcast: A História de Dark Souls | Gaveteiro()

  • Pingback: Gavestática+ Entendendo o Mundo de Dark Souls | Podflix()

  • Pingback: DASH #60: Bloodborne - Jogabilidade!()

  • Pingback: Demon’s and Dark Souls – Press Start()

  • Antonio Carlos

    Quando sai o podcast do Dark Souls 3? Durante o jogo vi que ele preenche algumas lacunas da história.

  • Léu Borelli

    E no fim o Solaire não era filho do Gwyn. haha.

  • Jhonathan Francioli

    BKH é realmente a melhor arma hahah.