Vértice #39: Lamen Tável

Alô, criançada! O Vértice chegou falando de tudo que vocês gostam: vídeo game, alegria, diversão e a difícil tarefa de se organizar um grande evento para um público aparentemente desconhecido, ao mesmo tempo que se subestima a popularidade e imaturidade de um número considerável de figuras internéticas.

E se o assunto é a Brasil Game Show, é claro que o Evandro (do 99 Vidas) volta para dar seu parecer junto dos sempre presentes André, Rick, Sushi e Márcio, que além de comentar a feira brasileira e a insistência dos jogadores por mais frames e os pês, também discutem o que jogaram nas últimas semanas: Shadow of Mordor, Alien Isolation, Okami, Company of Heroes e Yoshi’s New Island!

E atenção: mesmo pra quem assistiu ao vivo, temos um DLC gravado com o Diego (do Fênix Down) enriquecendo e dando outros pontos de vista sobre os polêmicos eventos da BGS!

Envie Sua Pergunta!

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Você pode também enviar sua pergunta pelo nosso Ask.fm!

Caixa Postal

Se você também acha que se comunicar somente através e-mails ou comentários conosco nos traz mais e mais próximos das máquinas que um dia nos dominarão, você pode também enviar suas cartinhas, desenhos, presentes e qualquer outra coisa (inofensiva e não explosiva) que quiser para:

Jogabilidade
Caixa Postal 24553
CEP: 03365-970 / São Paulo – SP

Links:

  • Dariek

    UHU,VÉRTICE!

    • Dariek

      Cada quarta feira com vértice e uma alegria e uma tristeza. Tristeza por que é um Vértice, e não um Jack.

  • Nacib Véio

    O DLC do Diego vem com a skin do Blanka? 😀

    Baixando! o/

    • diegogc

      Nem veio! #MalditaCapcom

  • Ghost

    Quero ver o que falaram da tret@.

  • F’

    Sobre o que rolou na BGS, achei esse vídeo interessante: https://www.youtube.com/watch?v=19lckox-Z2E

  • Alisson André

    Boa adição.

  • DDD

    Duas palavras sobre essa BGS: Lamentável

  • Lucas2099

    O_O

  • Dudley_o_Boxista

    Quem chamou o Sushi pro podcast?
    Falar mal de Okami é errado. Okami é o melhor Zelda da vida. A história simples do Okami é muito mais prazerosa de se acompanhar. As Dungeons me animam muito mais, pois a mecânica do pincel dá uma dinâmica mais interessante nos puzzles. Além disso, discordo do Sushi sobre o combate, pois encaro ele com outros olhos, acho que não ser tão rápido faz parte do jogo. Se eu tivesse mais tempo e menos backlog, queria jogar novamente esse crássico do PS2.

    Mas nós da família Okami te perdoamos, Sushi.

    • Juliano Da Silveira Riça

      OKAMI é perfeito!

      • André Campos

        Não é pra tanto também, né? xP

        • Sushi0

          Deixa o menino ser feliz, André!

          • Engels Marx

            Estamos juntos Sushi. Lembro que tentei jogar no Wii e foi decepcionante.

        • Juliano Da Silveira Riça

          Desculpa André, mas como opinião cada um tem a sua, pra mim é sim top 1 do ps2 junto Shadow of the colossus. Todos os aspectos que o Sushi falou de negativo do jogo eu discordo quase 100 por cento, a historia tem muitos diálogos sim mas pra quem tá acostumado com FF, diálogos que são maiores pro inicio depois diminuem, além disso o jogo te recompensa com muito gameplay, o tal final que nunca chega sinceramente eu zerei esse game e nem vi a hora passar ainda mais que o game te oferece uma grande quantidade de cenários diversificados, o contrário do AC2 por exemplo que esse sim eu achei que não ia acabar nunca. O combate eu acho divertido mas como todo FF não é legal random battle, vc pula, esquiva, ataca e tudo com fluidez, quanto ao sistema de desenhar pra usar os poderes são 12 poderes no total, imagine implementar isso no combate por meio de botões? a solução de desenhar é genial e traduz ao jogador o que na verdade a Amaterasu faz com a força do pensamento e não é obrigado usar essas pincelas toda hora pra mim pareceu mais que o sushi tem algum problema de coordenação motora, fora que está dentro do contexto que o jogo é uma pintura. Ai vai falar do jogo e só falou de aspecto que achou negativo, mas e quanto o gameplay, tem partes de plataforma? os comandos respondem bem? trilha sonora? level design? quem é o diretor? tem puzzles legais e bem feitos? jogabilidade? sistemas de itens? aspectos de RPG? Amaterasu interage com a fauna e flora, e como? minigames?
          Opinião é de cada um, e não estou aqui para impor a minha, mas na minha os 93 na metacritic que OKAMI tem não é atoa.

          Só uma ultima coisinha, esse jogo tem uma coisa que valorizo bastante, a final boss pede tudo o que vc aprendeu no game, coisa mais difícil ter nos jogos hoje em dia.

          • Dudley_o_Boxista

            Não podia concordar mais sobre AC2. As 40~50hrs que passei no Okami foram muito mais mágicas e prazerosas que as 19h de AC2. E as 19h de AC2 pareceram um passeio no parque perto das 14h do primeiro AC.

        • Elber Nogueira

          Concordo com o André, eu gosto muito de Okami, mas não é tudo isso xP
          É como o cara aqui disse, cada um tem sua opinião. Eu não gosto muito de jogos orientais mas adoro Okami. Que pena que o Sushi não curtiu. 🙁

          • Victor Domiciano

            Se ele tivesse umas 10 horas a menos seria melhor – fica cansativo pela proposta dele (de ser um jogo de aventura) – RPGs passam facil de 30 horas mas o público que o consome já sabe disso.

  • Juliano Da Silveira Riça

    Colocar Okami no podcast já me ganhou!

  • Juliano Da Silveira Riça

    Tem como colocar o link no site pra compartilha os cast no FACEBOOK?

    • André Campos

      Já tem! Lá em cima, em baixo do título do post, tem o botão SHARE!
      A menos que não seja isso.

      • Juliano Da Silveira Riça

        tem tipo curti, mas não compartilhar nesse botão share, enfim, vou ver se descubro.

  • Victor Domiciano

    Eventos em São Paulo estão passando por um momento conturbado – seja que qual tipo for.

    Na última bienal do livro no Anhembi enfrentei o pior evento que já fui, a começar pela fila do ingresso que partia da bilheteria e ia até a saída do estacionamento do Anhembi – quase 2 horas pra comprar ingresso.

    Dentro dele estava um formigueiro, com estandes mal distribuiídos – deixaram a Rocco e a Record quase lado a lado + com a Sylvia Day autografando livros em outro estande. O resultado é inferno na Terra. Espaço pequeno, apertado, abafado e mal organizado.

    A Panini foi quase 1 hora pra entrar e outra hora na fila do caixa – perdi a paciência e nem fui em outros estandes. A praça de alimentação um hot-dog com pão salsicha e batata 10 reais (catchup e mostarda davam separado em sachê) . Refri 6 e água 5 reais é um assalto.

    Tento até agora comprar no site os ingressos pra exposição do Castelo RáTimBum, mas cada nova leva se esgotam rapidamente – comprar na porta as filas chegam até a 7 horas.

    Depois de todo o estresse no evento decidi não ir para a BGS por já prever o caos – mesmo com o aumento do espaço não quis arriscar e passar raiva já prevendo novos problemas.

    Infelizmente há uma falta de preparo dos organizadores de eventos, muitas vezes não prevendo o aumento de público e acomodações confortáveis. Como a bgs do ano passado foi um estrondoso sucesso eles imaginaram “coloca qualquer coisa aí que vai lotar” – e no fim acabou sendo mais fraca.

    Só com a queda de visitantes farão eles repensarem.

    Sobre os Youtubers o Google está com propaganda em toda a cidade promovendo os de pessoas no Youtube – Porta dos Fundos, Volta ao Mundo, etc – no próximo evento a BGS poderia tentar uma parceria com o próprio Google e montar uma estrutura com os Youtubers de games, assim teria melhores condições para todos.

  • MELHOR MÚSICA DE ENCERRAMENTO ♥

  • Homem Absorvente

    Existe realmente um perfil do Jogabilidade entre os curadores de conteúdo do Steam??
    Procurei como Jogabilidade, dash, vértice, sushi0, maajin… Não achei…

    Eu quero ver a lista de vocês e colocar coisas na minha!!! 🙂

    Abraços por trás;

  • Elber Nogueira

    Eu já sabia do caos que é a BGS no Sábado e Domingo. E nesse ano fui na sexta. Achei infinitamente melhor. Cheguei lá por volta do meio-dia e fiquei até as 18, consegui jogar todos os jogos que queria, com exceção do The Order( que por causa das benditas camisetas que a Sony tava dando, a fila é a maior da BGS). Achei o evento mais organizado do que nos outros anos. Os estandes estavam menores, mais espaçados, dava pra circular melhor. Só o estande da Warner que tava meio cheio depois das 16h por causa da presença do Ed Boon e do Jovem Nerd.

    No geral, achei o evento muito melhor só de ir em outro dia. O único problema mesmo é a alimentação que é cara e ruim. Mas se vc levar alguma coisa na mochila dá pra passar tranquilo. Mas enfim, provavelmente minha experiencia foi melhor por ter evitados os dias de maior movimento. Minha noiva foi comigo, e também achou bem melhor do que nos 2 anos anteriores(que são os que nós fomos). A dica é: tentem pegar um dia de semana no trabalho pra ir à BGS.

    Edit: acabei de receber um email da organização com uma tabela do número de pessoas que esteve na feira em cada dia:

    08 de outubro (quarta-feira)
    Jornalistas e Profissionais 14.358 pessoas

    09 de outubro (quinta-feira)
    Aberto para o público 34.370 pessoas

    10 de outubro (sexta-feira)
    Aberto para o público 52.760 pessoas

    11 de outubro (sábado)
    Aberto para o público 78.920 pessoas

    12 de outubro (domingo)
    Aberto para o público 72.558 pessoas

    TOTAL DE PÚBLICO CIRCULANTE* 252.966 pessoas

  • Patrick Ribeiro

    Belo podcast. Foi o primeiro que ouvi e gostei muito. Irei ouvir todos. Finalmente vejo um podcast inteligente e com comentários decentes e adultos. Achei que não existia mais vida inteligente no mundo gamer. Abraços e parabéns pelo trabalho.

    • Sushi0

      Muito obrigado e seja bem-vindo! xD

      • Yellow King

        Falando em Dash tem que ter um logo, o de Bioshock é simplesmente o MELHOR podcast sobre um game que eu ja ouvi na minha vida.

    • Dinopron

      Ouça o Dash primeiro, é o podcast principal, ele é mais sério e tem discussões e temas bacanas. O Vértice é tipo um spin off sobre notícias e o que os caras estão jogando no momento. O Jack é outro spin off, mas o tema é anime, não ouvi nenhum ainda pois não assisti as séries ainda >:)

    • Felipe Lins

      Jogabilidade vem do NowLoading que foi na sua época, na minha opinião, o melhor podast de jogos que eu já tive o prazer de ouvir.

      Eu recomendo também alguns que você pode gostar, que é o MRG e o Cast Potion. Além do DASH tbm :3

  • Zeroum

    Falaram do 3DS e não de Zelda Link to Between Worlds??? Que vergonha… Aposto que ninguem jogou. Me dá agonia vê old gamer sem jogar esse belo game.

    • André Campos

      Eu joguei, é bom mesmo.

    • Márcio Barrios

      mais um que jogou aqui tbm. Inclusive foi um dos motivos pra comprar meu 3ds. Jogão

  • Rodolfo

    Caras, eu adoro ouvir vocês, mas dizer que para rodar Far Cry 3 a 1080p 60 fps no ultra tem que botar duas VGA de 1000 dólares ? Vocês como formadores de opinião têm que se informar melhor sobre assuntos que desconhecem. Far Cry 3 roda em ultra a 60 FPS e 1080p com uma GTX 680, uma GTX 770 ou correspondentes da AMD. A NVidia lançou agora a GTX970 que é quase superior a uma 780 TI e custa 399,00 dólares. SLI é se você quiser jogar em 60 fps ou mais, em ultra e em 4K (ao invés do 1080p). E o valor a mais que você gasta num PC (que não precisa ser high end para superar em muito os consoles) em pouco tempo retorna com os baixos valores dos jogos. Paguei 69,90 no Sombras de Mordor, por exemplo.
    Não sou master race. PC é minha plataforma principal por motivos pessoais óbvios mas gosto do PS3/4, da Nintendo (adoro Zelda e Metroid é a franquia da minha vida)… não desencorajem os seus ouvintes a adquirir um material claramente melhor, tanto em desempenho quanto em custo-benefício. Dizer que não se adapta, que não tem saco para jogar no PC (ainda que seja possível jogar na sala, com o controle e no modo big picture, como eu faço) eu até aceito. Mas depreciar a plataforma como algo inalcançável, para a elite, é um baita desserviço que vocês promovem.

    • Dudley_o_Boxista

      Se não me engano o André falou que na época que Far Cry 3 saiu era assim. Ainda pode estar meio exagerado, mas acho que nem tanto.

      • Rodolfo

        Cara, Far Cry 3 é um jogo recente. O que ele falou não faz o menor sentido. Eu joguei no lançamento em Ultra a 60 fps e 1080p com uma GTX680, que na época já custava menos de 400 dólares. Poderia também jogar numa GTX670, em High (que já é espetáculo) também em 1080/60fps. Uma placa que custava 200 dólares na época.
        Você pode ver nesses testes aqui a GTX660Ti, que é inferior à 670, rodando em 1080p, very high, a 60 fps.
        http://kotaku.com/5965973/far-cry-3-pc-performance-test-graphics–cpu

        Uma placa que custava 800 reais aqui, no lançamento.
        Você pode ver a GTX570, que se bobear compra usada, por 300 reais por aí fazendo 43fps.
        As 960 serão lançadas a um valor abaixo dos 300 dólares, chegando aqui a 800 reais e rodando Shadow of Mordor liso e rápido.
        A placa top da Nvidia que custa 12.000 reais e tem 12 gb de VRam é a Titan Z. Só um rico muito trouxa ou um babaca muita ostentação ou um profissional de 3D compram. Essa placa é um mico dentro da comunidade pc gamer.
        Não discuto preferência, respeito quem prefere o console. Mas as informações têm que ser coerentes.

        Ah, e digo mais: OKAMI É FODA !

        • André Campos

          Eu lembro especificamente disso porque na época do lançamento do Far Cry 3 foi quando montei meu PC, e nenhuma placa da época rodava ele com tudo no máximo. Se um mês depois disso saiu uma que rodasse eu não sei, porque desde lá não prestei mais atenção nisso.

    • Rafael Souza

      “não desencorajem os seus ouvintes a adquirir um material claramente melhor, tanto em desempenho quanto em custo-benefício”

      Meu amigo, melhor custo benefício é comprar um Xbox 360 que você acha até por 350 reais semi novo (mais barato que um ps3), paga 89 reais por 1 ano de gold e fica recebendo jogo de graça por 1 ano e tem uma imensa biblioteca de games que agora estão baratos e ainda compra com desconto os digitais. Os que tem preço tabelado são só R$ 5,00 mais caro que na Steam (já pesquisei).
      Agora me fala como que com o mesmo dinheiro eu monto um PC bom pra rodar os mesmos jogos do Xbox 360 / Ps3 tudo full com a mesma grana. Acho que você não compra nem o monitor.

      Resumindo: PC = melhor desempenho
      Essa história de melhor custo benefício é lorotinha de Master Race

      • Rodolfo

        Não estou aqui para convencer ninguém. O fato é que os caras falaram muita coisa errada no programa sobre essa história de placa de vídeo de 1000 dólares. Claro que o console custa baratinho, ele tem mais de 7 anos. Tudo é questão de exigência pessoal. Quando eu comprei uma GTX460, há 6 anos atrás, ela já era muito superior ao que o 360 fazia (eu tive um xbox 360, que deu 3RL e tenho um ps3). Sobre os preços, só digo que você só pode estar me zoando em comparar os preços do steam com a live ou a psn. A gold e a plus são bom negócio sim (eu assino). Para quem passou a geração sem jogar muita coisa ou para quem não tem pressa. Eu paguei 69,90 no Shadows of Mordor e o mesmo no Alien Isolation. Dois super lançamentos. Qual o valor deles para consoles ? Bem mais caros.
        Existe a “lorota”do Master Race assim como a do “consolista peasant”, que é esse discurso todo aí que você fez. Cada um com sua opinião e respeitemos todas.
        E segue uma screenshot de um jogo de 2004, no qual paguei uma merreca no steam e ainda atualizei com um mod (outra grande vantagem do PC) sensacional, grátis, feito pela comunidade, que deixa o mesmo com cara de 2011.
        Essa é a última vez que respondo aqui nos comentários. Já deu esse assunto.

        • Rafael Souza

          Ué, mas eu falei a realidade. Se você quer um pc que rode direito as coisas, mesmo não ligando pra 1080p, você gasta uma grana alta.
          Eu citei a geração passada porque na nova é tudo tão caro que vale mais apena montar um transformer do que ostentar um next gen.
          E sim, comparei os preços da Steam com a live pra saber o quanto que estou perdendo nesse meu “investimento”. Eu quero saber o que está mais em conta. Então levando em conta que eu jogo ou compro mais os arcades, o preço não é muito diferente da Steam ou Psn então pra mim é tranquilo.
          E como você citou respeito ali em cima, só quero deixar claro que não quero te desrespeitar, só estou comentando

  • Rafael Souza

    Esse papo sobre FPS, Master Race e tal me lembrou uma coisa.
    Levei meu 360 na casa do meu primo que é game designer pra poder mostrar pra ele meus joguinhos e tal. Dai levei o meu querido Blazblue pra dar uma surra nele, afinal, a gente já jogava uns versos tensos no Guilty Gear. Aí, tinha um amigo de trabalho dele lá. Não lembro se ele era programador ou sei lá, enfim, na hora que mostrei a biblioteca de jogos começaram os comentários sobre valor dos jogos. Que “consolista” gasta muito dinheiro e blablabla. Sendo que eu comprei o 360 por causa dos arcades. E tem muito jogo alí que eu amo que não tem na steam e a maioria que tem só tem a diferença de 5R$ no valor. E como eu sou gold faz uns 3 anos e to um tempo desempregado, uns 70% dos jogos eu ganhei só por ser gold.
    Daí eu coloco o meu lindíssimo Blazblue CS Extend pra rodar e começam os comentários sobre frames, o cara pega o controle da Tv e fala que tem algo errado que ta tudo zuado e que não da pra jogar. Eu tive que mexer na configuração do meu Xbox porque só configurei pra cabo VGA, nunca tinha plugado HDMI. Ai mesmo assim ele reclamou e soltou um “eu consigo ver o stop motion dos perssnagens cara, que merda”.
    Isso me deixou muito puto. Porque entre os jogos de porradaria 2D, o Blazblue é um dos que tem a melhor animação de personagens. Imagina se eu chamo ele pra jogar KoF, ele se mata.
    E assim, ele e meu primo jogam SF4 ou Injustice como jogos fodões de luta, mas é algo completamente diferente. Eu, particularmente acho que jogo de luta tem que ser 2D como GG, BB, Persona Arena…enfim…
    Eu acho que como desenvolvedor de games, ele teve um comentário bem babaca.

  • Armoderic

    Só para adicionar um pouco mais sobre a outra franquia da Relic, o Dawn of War, que talvez seja uma das melhores franquias a usar a IP do Warhammer 40K: o primeiro é bem mais próximo de um RTS padrão, mas ainda sim excelente. Já o Dawn of War II é mais no estilo do Company of Heroes, sendo bem mais focado nos heróis (você joga como os Space Marines do Blood Raven Chapter) e quase sem construção de base. Eventualmente eles lançaram o Dawn of War II Retribution é uma versão standalone – a principal diferença é possibilidade de jogar com outros exércitos do universo de Warhammer (como o Imperial Guard, Tyranids, Eldar, Orks, ect…).

    O que vocês comentaram de como alguns RTS ficam muito confusos pelo volume de coisas acontecendo foi muito acertado. Esta é justamente das razões da queda deles – inicialmente eles funcionavam muito bem, pois meio meio jogava em seu ritmo contra o AI. Mas com o advento de jogar online a jogabilidade passou a ser muito mais de eficiência que era agravada pelo modo que alguns jogos adicionavam mais e mais mecânicas. Jogos como o Company of Heroes e outros foram um modo de repensar as coisas.

    Para quem quiser algo mais próximo de um RTS com construção de base, porém mais tranquilo – os primeiros jogos da série Settlers são muito bons. Sins of Solar Empire é um ótimo mix de RTS e 4X (jogos tipo civ).

    Pelo que estou entendo da história da BGS me parece que houve uma falha séria na hora de usar o espaço e entender como as pessoas se movem no evento. Eu já foi em vários eventos de anime inclusive um aqui em Porto Alegre que estava o JN e alguns blogueiros – tipo eles fizeram de um jeito que não dava confusão pois os convidados se moviam por caminhos diferentes do resto as pessoas (olha que esse evento não era lá o primor da organização), tanto é que quando o JN estava no palco principal, o pessoal que iria para o desfile de cosplay e moda japonesa (e eu incluido), que seria nesse mesmo palco, nos movemos meia hora antes para um lado do palco, porém quando o JN saiu ele fez um outro caminho sem esbarra em ninguém. Depois a gente se moveu todo para uma parte atrás do palco e fomos reorganizados para começar o desfile.

    Fato é que os eventos estão aumentando em demanda, mas nem todas as produtoras tem a manha (e recursos) de faze-los direito, já vi evento bagunçado (incluindo o quase tragi-cômico anime z aqui em poa) já vi evento pequeno/médio muito bom (e alguns grandes um pouco melhores), já vi evento cancelado por falta de documento (duas vezes, pelo menos aqui as exigências subiram bastante). Há também uma falta de espaço dedicados ou adequados (ou simplemente saber como usar o que você tem, novamente já vi, dois eventos usarem um mesmo espaço, um de forma boa e outro de forma ruim).

  • Marcus Vinicius Lima Martins

    Nossa, rolou uma seção playboy forte na leitura de perguntas desse cast. “Vale a pena pagar por um videogame que custa 3x mais e que tem poucos jogos”. Parabéns pelo colega que tá podendo esbanjar e envia um PS4 para minha casa.

  • Pingback: O Melhor e o Pior da BGS 2014 | OBJECTION! #98 | Fênix Down()

  • Gabriel.psd

    Uma pergunta de extrema importância tem estado na minha cabeça desde o lançamento deste podcast, por que diabos o nome do Vértice é Lamen Tável em vez de Palha Assada? Vocês não querem ser mainstream, é isso o que vocês estão dizendo?

    • Sushi0

      Huahauhauhau
      É que um rapaz fez um vídeo falando das tretas da BGS e ele mandou a perola: “Só duas palavras para essa BGS: Lamentável” xD

  • Marcos

    Metallica!!! yeah! S&M Master of Puppets

  • Henrique Tavares

    Vim atrás do podcast novamente procurando pelo Alien Isolation, e me deparo com este sendo o podcast em que o Sushi revela odiar tão profunda e visceralmente Okami 🙁