O Vértice completa meia centena de edições e comemora com um especial sobre as relações entre Star Wars e a cultura mexicana!

Entre um Ewok e outro, André, Rick e Sushi juntamente de Caio Corraini, o onipresente, tiram uns minutinhos para discutir Assassin’s Creed Chronicles: China, Broken Age, Titan Souls e Chroma Squad, mantendo sempre chama dos jogos acesa no coração.

E nas notícias mais polêmicas das últimas semanas: a Konami tirando o PT de nossas vidas, o Steam experimentando dar preço aos mods, ex-desenvolvedores da Rare tentando um revival dos jogos de plataforma 3D com Yooka-Laylee e Taikodom saindo de cena.

Envie Sua Pergunta!

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Você pode também enviar sua pergunta pelo nosso Ask.fm!

Caixa Postal

Se você também acha que se comunicar somente através e-mails ou comentários conosco nos traz mais e mais próximos das máquinas que um dia nos dominarão, você pode também enviar suas cartinhas, desenhos, presentes e qualquer outra coisa (inofensiva e não explosiva) que quiser para:

Links:

  • Rafael Bard

    Entre um Ewok e outro, André, Rick e Sushi juntamente de Caio Corraini, o onipresente, tiram uns minutinhos para discutir Assassin’s Creed Chronicles: China, Broken Age, Titan Souls e Chroma Squad e Bestialismo mantendo sempre chama dos jogos acesa no coração.

    xD

  • Eita porra ♥ Corraíno

  • Vinicius

    Snif, snif… perdi o Live no Twitch.
    Ouvindo… e ja curtindo! I’ll be back!

  • Ué ué? Vocês ainda fazem podcasts? ;P

    • Sushi0

      HÁ!

  • Heider Bmth

    Que maravilha o/

  • Eu não concordo que o MMORPG vá morrer, eu sei que vocês tem um ódio mortal por MMO e querem ver eles morrer e queimarem no inferno, mas eu por exemplo gosto bastante de entrar em um jogo e não ter objetivo, jogar por jogar e MMOs são ótimos jogos para isto, eu detesto seguir uma linha de história, ter que fazer aquilo por que a história quer aquilo. E além disto eu não gosto de jogos de Lobby, Call of Duty, BF, MOBAs, TF e qualquer outra merda desta que você vai para um lobby e fica entrando em partidas me irrita ao absurdo, eu gosto do mundinho e da liberdade. Gosto de jogos como Elders Scrolls, Fallout e wRPG (que posso criar o meu personagem e me perder no mundinho) em geral.

    Preciso ir para aquele local por que tenho que ir, estraga o jogo para mim. E muitas pessoas pensam como eu e gostam de jogos como eu. Se não fosse assim Star Citizen não teria vendido 860.000 cópias para ser feito, EVE que é um MMO com mensalidade não teria 250.000 jogadores ativos mensalmente, não é muito? Não mas você vai e pega o Dead or Alive 5 que não vendeu somando PS4, XONE e PC 250.000 cópias não é algo ruim.

    O maior problema das pessoas é acreditar que um jogo precisa vender 500.000 ou mais para ser um sucesso, ele não precisa. Jogos que passam dos 500.000 são gigantescos sucessos, a grande maioria não chega nem perto.

    Estou na espera do Black Desert vir para o ocidente que é só em 2016 e outras coisas.

    E antes que me respondam, eu joguei e detestei Uncharted, o novo Tomb Raider, God of War, e qualquer outro jogo desta forma, gosto de jogos que me deem liberdade. O número de jogos que terminei nos últimos 10 anos? 7 jogos e isto que sou um grande fan das franquias que foram Bátima (não terminei o Origins), Mass Effect e alguns outros. Eu jogo até cansar um jogo, e se eu cansar antes do final eu abandono, então para mim jogos focados em um enredo não interessam tanto assim.

    • Sushi0

      Eu não curto muito MMO, mas estou longe de ter um ódio mortal por eles, já joguei bastante WoW, Cabal e quero muito jogar FFXIV, e ele estará aí pra sempre, já que nenhum gênero morre por completo. Só que uma coisa é inegável, MMO está fazendo menos sucesso que já fez e está cada vez mais arriscado e é isso que queríamos dizer.

  • Vinicius

    Estou com o Sushi, o jogo que gostaria de voltar no tempo seria o Journey. Infelizmente eu não tive a experiência da época.

  • Outrem

    Sushi, você precisa jogar Danganronpa.

  • Marlon Leal

    André acabou de conseguir me vender o Broken Age.

  • Fernando Augusto

    Corraino, nem ouvi e já gostei.

  • Então o Sushi conhece o filme pr0n que tem a transição do brioco abrindo com efeitos especiais? ahuhauhau
    Não lembro o nome do filme. Alguém sabe?

    Valeu, gurizada!
    Té.

    • Sushi0

      Não faço ideia que filme seja, eu vi isso em um gif perdido pela internet. ahuauhaua

  • Caio Ribeiro

    Faltou citar PES como franquia da Konami haha E cara, se a Konami realmente sair Fifa, Splinter Cell e Resident Evil vão dominar o mercado

  • DarkMiles

    Qual o nome da música de encerramento?

    • Bode333

      Mestre sushi, ilumine-nos pfvr

    • Sushi0
      • DarkMiles

        Vlw mesmo, vocês andam detonando nas músicas de encerramento (e o cast tbm). Esse pertubator não seria a mesma que participou de algumas trilhas do Hotline Miami, seria?

        • Sushi0

          Esse lindo mesmo.

  • Anthony Santos

    O momento que você percebe o motivo do título é sublime.

  • O problema do título é o da Konami ou o do Bestialismo?

    • Sushi0

      Fica aí a duvida.

    • Bode333

      Da Konami, óbvio. Não existe problema nenhum com o bestialismo. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

  • Bode333

    MMOs estão longe de ser o que já foram um dia. Foi uma bolha que
    estourou igual os jogos de banda, ainda existem mas não tem mais o mesmo
    impacto. É só observar como os MMOs estão cada vez mais casuais e nem
    assim conseguem atingir o mesmo público.

  • Gabriel Barbosa

    Cara, gostei muito do novo layout do site. André que fez?

    • Sushi0

      Ele mesmo!

  • Dudley_o_Boxista

    Nesse podcast em vários momentos apoiei a opinião de um membro diferente e as vezes de nenhum deles. Esse é um dos motivos de adorar o site.
    Ainda tenho vontade de jogar Titan Souls, fiquei feliz que ao menos o Corraini curtiu, deu mais esperança.
    Eu tava botando mais fé nesse Assassins Creed que nos outros pelo simples fato de ser diferente, mas esmagaram toda minha fé no podcast.
    Broken Age mostrou como o Sushi não tem coração. E a impressão que fica com os jogos que o Sushi citou é que ele apoiou sabendo que não ia curtir. E foi bacana o Sushi citar um dos meus adventures favoritos, Gemini Rue, que história.
    Fiquei bem feliz com a recepção de Chroma Squad, tenho sempre vontade de apoiar jogos brasileiros e apesar de concordar com o Suhi sobre o primeiro game deles estava com medo deles novamente falharem em partes cruciais do Chroma Squad. Ainda não conferi o jogo, mas devo pegar ele em breve, um género que gosto e aparentemente bem executado.

    Sobre as notícias, discordo de todos e to botando muita fé em Yooka-Laylee, é algo que quero jogar mesmo que seja só um jogo que repete o que os antigos fizeram, pois é um jogo novo do estilo.
    Das tretas da Steam, gostaria de ressaltar que concordo plenamente com o Rick sobre o Greenlight, a galera faz muita tempestade em copo d’água, sendo que não é esse problema todo. E quando falaram sobre monetizar o site como exemplo, to só esperando o Patreon pra poder contribuir com o trabalho de vocês.

    • Juliano Da Silveira Riça

      a parte do Yooka-Laylee eu achei um absurdo sobre o que disseram, existem tantos generos saturados hoje como shooter e sandbox, pq não pode haver mais um game de plataforma 3d mundo aberto? A unica coisa que me importa é o Level design que o pessoal da Rare já fez e pode reproduzir nesse game, eu acredito que não será apenas uma Banjoo da vida, inclusive seus desenvolvedores falaram tal coisa, vamos esperar o jogo terminar de ser feito antes tentar prever o futuro. A existência desse game é um grito por mais variedade no mercado de jogos.

      • Sushi0

        Acredito que nenhum de nós acha que não deva existir outro jogo de plataforma 3D, só que a nenhum de nós tem esse gênero no coração e gostaria de ver esse pessoal tentando fazer outra coisa ou que ao menos não seja só um repeteco. E ninguém estava tentando prever o futuro, só estávamos discutindo o que achávamos do projeto e imaginando como o jogo poderia ser, se fossemos apenas citar os fatos da notícias iriamos dizer “Ow, vocês viram que agora tem kickstarter de um jogo lá? Que coisa, né?” e seguir em frente.

        • Juliano Da Silveira Riça

          Que pena sushi, porém, esse é o tipo de jogos que eles estavam acostumados a fazer e já faz bastante tempo que algo parecido com isso não sai, por isso acho que já estava na hora de um jogo assim sair, é apenas o primeiro game dessa nova empresa, foi uma sábia escolha começar com algo que eles são bons em fazer e ao mesmo tempo irá preencher uma lacuna. Nada impede que seu proximo jogo seja algo totalmente diferente como na época da RARE que além de plataforma 3d mundo aberto fez FPS como Perfect Dark e 007. Por ultimo volto a repetir que seus desenvolvedores afirmaram que esse jogo não seria apenas uma Banjoo com outra skin, se no final das contas for apenas um repeteco pelo menos que seja um excelente repeteco, então provavelmente venderá bem e com isso a Playtonic terá grana pra fazer algo novo e diferente, uma coisa de cada vez.

          • André Campos

            Independente do que os desenvolvedores disseram, o que eles mostraram foi sim Banjo com outra skin. E essa foi a crítica que fizemos: o problema que vimos não estava no gênero, inclusive a Rare, dentro desse gênero, fez vários jogos bem diferentes entre si… É ficar tão dependente da nostalgia e do que funcionou antes que decepciona.

          • Juliano Da Silveira Riça

            Sim, se for julgar apenas pelo que foi mostrado nos pequenos minutos de gameplay conceitual, o jogo não evolue nada além dos titulos anteriores da RARE, porém, ainda é muito cedo, muita água pode descer por essa torneira.

          • Sushi0

            Sim, eu entendo a decisão deles fazerem algo que já manjam de como fazer e que seja nostálgico para gerar um capital pro estúdio. De qualquer forma, agora é torcer para que arrisquem um pouco mais num próximo projeto.

    • Sushi0

      Eu jamais compraria algo achando que não iria gostar, não tenho dinheiro pra isso. Eu ajudei no Kickstarter por que eu joguei os dois primeiros Monkey Island e Day of the Tentacle e gostei bastante deles, ao menos na época, e queria que o Tim fizesse mais um desses.

      • Dudley_o_Boxista

        Entendo, não joguei muitos dos clássicos ainda, minha visão são de jogos fortemente baseados nos puzzles e menos na história, porém posso estar redondamente enganado. Fico triste pelo Broken Age não ter despertado em você o sentimento que despertou em outras pessoas.
        E parabéns pela platina do Shovel Knight, tensíssima de fazer D:

  • Rodolfo

    Achei o programa ótimo como sempre. Aconselho dar uma olhada no site Nexus, especificamente o Skyrim Nexus, que é o verdadeiro e maior site de mods dos jogos da Bethesda e outros da internet. Achei a visão de vocês quanto ao assunto muito limitado ao workshop do Steam. Os mods do Skyrim dependem de inúmeros fatores para rodarem direito, principalmente quanto a conflitos e load order (este o mais importante) e esse tipo de controle é impossível com as limitações da oficina, sendo necessária a utilização de programas, como o Nexus Mod Manager ou o Mod Organizator. O Workshop bloqueia mods muito grandes. Então, impossível aproveitar grandes overhauls ou mesmo aventuras com desenvolvimento profissional, como Falskaar e Wyrmstooth, por exemplo, que têm tempo de gameplay e qualidade de DLC.

    Ao contrário do que foi dito, a Bethesda sim, apoia e permite a livre modificação. Podem baixar o Creation Kit, disponível no Steam, de graça para quem tem o jogo, e fazer desde a espada com bolhas de sabão até um jogo completamente novo. Sem gambiarra, só imaginação, talento e paciência.

    Sobre o pagamento:os modders apresentam em suas páginas opções de contribuição livre através do paypal. Eu mesmo comprei uma assinatura vitalícia no Nexus, para poder usar os melhores servidores e contribuí com algumas equipes, como do RCRN, do Climates of Tamriel, do Skyrim Redone, Immersive Creatures, Falskaar e Wyrmstooth.

    Ótima participação do excelente Caio Corraíni.

    Abraços a todos.

    http://www.nexusmods.com/skyrim/?

    http://www.creationkit.com/

  • Tais

    Fui backer do chroma squad e embora esteja me amarrando pra caralho no jogo, dizer que ele é o melhor BR é meio difícil, tem altas concorrência aí =P como Qasir Al-Wasat. JOGÃO, na boa. tô esperando há meses vê-lo lançado no steam, pois ele vai receber alguns acréscimos como localização. Temos Toren sendo lançado daqui a pouco, Distorções com uma cara bem promissora…

    • André Campos

      Bom, desses aí só não joguei o Distorções (e pelo que vi dele, acho que trocaria “promissor” por “ambicioso”), mas dentre eles continuo considerando o Chroma Squad o melhor. De qualquer forma, não disse que era o melhor que existe, somente o melhor que já joguei! =p

      • Tais

        ok, ambicioso é mais preciso, hahahaha.

  • Rafael Rigon Maier

    Demon’s/Dark Souls MMO NOW!!!

  • Rafael Rigon Maier

    Konami tb tem o Yu-Gi-Oh!

  • Ghost

    Depois de ouvir o podcast, eu vi que não sou só eu que estou pessimista com Kickstarters: é que a grande maioria dos jogos lançados por ele é uma porcaria. Lembro de 3 anos atrás, eu investi em vários deles, e quase nenhum entregou o que prometeu, ou foi de tal mediocridade que me fez repensar se crowdfunding é tudo isso mesmo. Eu investi nestes:
    1) FTL: o único que saiu bom.
    2) Shadowrun Returns: a versão original é um cocô. Pelo menos saiu o DLC depois, e eu não fiquei totalmente decepcionado.
    3) Mighty No.9: a cada versão que sai do beta, eu me decepciono mais. Não é querendo acusar ninguém de nada, mas acho que o Inafune usou o dinheiro foi para fundar a empresa dele. 4 milhões não é “nada” para um jogo AAA, mas No.9 tá parecendo um jogo de início de PS2. E o último chute no saco: o Inafune arranjou uma publisher para o jogo… velhos hábitos nunca morrem.
    4) Pillars of Eternity: investi pensando que ia sair um Baldur’s Gate 2, e saiu pior que o Baldur’s Gate 1. Eu adoro CRPGs, mas esse foi um dos piores que já joguei. Só a escrita mesmo é que salva, pois a jogabilidade, ó…
    5) Chroma Squad: é… bom, não me decepcionou tanto. Só tenho que dizer que quem escreveu esse jogo deveria ter umas aulas, pois tem uma das piores escritas que já vi, mas talvez ganhe do Gigantic Army… Me parece também que escreveram uma parte (até o capítulo 2) uns dois anos atrás, e o resto dois meses atrás. Encheram os dois primeiros capítulos de memes, que é um dos modos mais preguiçosos de se fazer humor, e o resto tem uma diferença gritante desses dois primeiros. E aquela batalha de robôs, que safadeza, hein.
    6) Broken Age: eu adorei a parte 1, mas a parte 2 é um lixo. Já fiquei puto quando pediram mais dinheiro para completar a parte 2, e ainda iam usar as vendas do Early Access para dar um boost. A Double Fine simplesmente CAGOU no modelo Early Access, e depois do que ela fez lá atrás com o Spacebase DF-9, eu também não compro mais nada em Early Access. O que mais me incomodou na parte 2 foi: a) reuso de assets e localidades, b) o garoto não tem importância alguma depois de um ponto, c) a garota é um dos personagens mais vazios que já vi, d) aquele final de desenho de sábado de manhã.
    7) Aquele Projeto Phoenix… lembram quando lançaram? Ia ser o revival dos RPGs, vários veteranos da indústria trabalhando nele… e hoje, o resultado é um Warcraft com gráficos chibi.
    8) Star Citizen: sei lá o que diabo estão querendo fazer com esse jogo. Estão jogando rios de dinheiro neles, e eles nem terminam o jogo, e ainda ficam vendendo naves por milhares de dinheiros. O fórum deles é um poço de lágrimas e enganação.

    Por isso eu digo que não vou mais ficar maluco com qualquer kickstarter que sair. Esse Yooka-Laylee tá prometendo demais para dinheiro de menos. Sim, eu li que o jogo já estava sendo feito, mas prometeram ports para 6 plataformas (PC, Mac, Linux, 3 consoles) por 1 milhão de euros? Só pode estar brincando.

    Talvez eu tenha um azar do diabo por só ter dado backing em porcaria (tirando o FTL), mas ouvindo um podcast passado com o Rick, ele disse que era melhor não ficar com hype muito alto, pois geralmente ia sair decepção mesmo. Pelo menos você ia ter o jogo ali, e no fim das contas o dinheiro não teria feito muita falta mesmo. Eu devia era ter dado backing no Risk of Rain ou algo menos pretensioso. Kickstarter pretensioso demais = decepção.

    Quero stream do Projeto Phoenix quando lançar, hein.

    • Dudley_o_Boxista

      Talvez você só tenha um gosto… excêntrico.

  • Armoderic

    Na minha opinião, que acontece com mmos, foi que o sucesso do wow gerou um padrão e expectativa irreal, pois a exceção foi tomada como a regra. O mais natural (e realista) seria considerar que enquanto há mais jogadores entrando do que saindo e o número total sustente quaisquer sistemas do jogo (como raids, pvp, rvr, grupos para fazer quests, ect…) e que não haja prejuízo, como em si sucesso. O problema é, creio que atualmente há o seguinte ciclo – mmo é lançado -> vários jogadores entram -> números crescem -> há uma queda de jogadores (que retornam a outros mmos, por exemplo) -> comparações com números do wow -> developers entram em pânico -> várias modificações feitas às pressa -> isso gera incomodação e mais pessoas saem -> conversão para Free to Play feita as pressas e assim vai. Porém, seria mais natural: mmo é lançado -> vários jogadores entram -> números crescem ->
    há uma queda de jogadores (que retornam a outros mmos, por exemplo) -> espera para estabilizar ->retorno do crescimento (com uma expectativa não tão irreal).

    Acredito que outros elementos também ajudaram, no ocidente mmos perderam muito do que lhes tornava único (mundo aberto por exemplo), pois existem jogos que fazem quase o mesmo só que single-player, exceto o fato que obviamente não há a experiência de jogo massivo. No oriente, no entanto, ainda há uma forte distinção visual (no sentido de qualidade geral e no sentido de não haver comparação) que ainda torna os mmos deles distintos (não necessariamente bons, mas “únicos”, enquanto alguns mmos ocidentais tem visuais bem medianos). O fato de haverem vários mmos free to play que possuem uma qualidade superior (em comparação a outros free to play e mesmo alguns pagos) significa que há mais alternativas que podem ser melhores que um com subscription.

    Não imagino que MMOs vão desaparecer, até por que este é um gênero de jogo que tem vidas ridiculamente longas, exceto se for um fracasso muito grande (sendo que alguns mmos conseguiram se reinventar após grandes desastres) ou se os próprios desenvolvedores desligarem, eles ainda resistem (Não digo que deem lucros imensos, nem tenham tanta gente, mas ainda estão lá). Vide que até hoje o Ultima Online continua ai (em subscription se não me engano), o que talvez mude sejam as expectativas que vão se tornar mais realistas.

  • mrgapman

    Esse negócio de mod pago é um tiro no pé. Veja um exemplo: O Sky UI é um mod que melhora a interface horripilante do TES: Skyrim e é um dos mods mais essenciais porque ele melhora uma falha de desenvolvimento do jogo. Não é justo a Bethesda receber dinheiro por um mod feito única e exclusivamente porque a desenvolvedora fez uma inteface porca.
    Imaginem as consequências disso. Uma empresa nem iria mais se preocupar em lançar um jogo finalizado ou fazer patches para o mesmo, basta abrir pro Workshop Steam que algum modder iria (de graça) consertar os bugs, melhorar os gráficos, fazer ajustes finos e etc. E a empresa ainda receberia uma porcentagem por isso. Seria a microtransação levada ao limite.

    • André Campos

      Talvez você esteja sendo pessimista demais. Eu acredito que todo desenvolvedor quer sempre fazer o melhor jogo possível, quando algo sai uma merda (e discordo de você sobre a interface do Skyrim aí… pode não ser perfeita, mas acho longe de “porca”) nunca (ou quase nunca pelo menos) é por má fé dos desenvolvedores. Sem falar que isso nunca daria certo porque a) a recepção do público seria desastrosa, e b) a maioria dos jogos maiores lançam para consoles também, e por não ter mods por lá, isso aí não funcionaria.

      • Ghost

        O pessoal reclama da UI padrão de Skyrim pois ela foi feita para consoles (eixos = alavancas analógicas), e é bem chato de usar no PC.
        Também acho que não iriam deixar que os jogadores consertassem os bugs deles – pode ter uma ou outra developer mais safada no meio, mas duvido que isso se espalhasse e virasse comportamento padrão.

  • Blone

    Pessoal, vou ser um pouco off topic, mas vamos lá. O Kotaku Brasil acabou e eu estou nem aí, digo, estou arrasado. Mas agora queria poder acessa o Kotaku US e não consigo. Consigo ver o Kotaku UK e também buscas que faço no Google, que tenham kotaku.com/xxxxxx. Se eu tentar entrar na home, ou seja, apenas kotaku.com, sempre sou redirecionado para o Gizmodo Brasil. Cáspite! Alguém me ajuda nessa minha inaptidão em me adaptar aos novos tempos?

    • Mistérios da Meia-Noite

      Eu diria que você ficaria melhor sem o Kotaku, mas se for só para ler a notícia mesmo, entre aqui: https://www.filterbypass.me/ e coloque kotaku.com na caixa.
      Se não quiser usar o FilterBypass, procure no Google por “Web Proxy” para várias outras opções.

  • tiagocartum

    Sobre Broken Age, achei o jogo excelente também. Muito carismático e esteticamente único. Ainda longe dos tops da Lucas Arts, mas muito bom. Quanto aos puzzles, não tive muito problema com praticamente nenhum, alias, achei no geral todos bem “óbvios” e não impeditivos. O único desafio que achei MUITO mal elaborado foi o da árvore, sendo que a fala correta a ser escolhida aparece de maneira aleatória apos diversas tentativas q aparentemente levam a lugar nenhum. Ainda achei que nessa parte o jogo faria uma homenagem ao Mokey Island e seus combates de insultos…. mas não… só foi ruim mesmo

  • Jonathan Menegalli

    agora da pra comprar tempo no wow com gold, é meio que um play to play, mas ainda tem que comprar o jogo e tudo.