Você que procura a iluminação ante as diversas mazelas da existência, que anseia por trilhar caminhos menos tortuosos em busca de uma presença confortável neste plano astral, que suplica por uma migalha de sabedoria no átimo mais importante de uma rotina desregrada… Você veio ao lugar certo.

No Linha Quente, este nosso novo canal de sapiência e muita streetwise (todos tiramos vinte no dado e somos os Lordes das Ruas), responderemos todas as suas questões sobre qualquer assunto.

É sério. Qualquer um.

Neste quarto episódio, oferecemos um pouco desta nossa extrema erudição sobre assuntos que passam pelos melhores armamentos para o apocalipse zumbi, o que fazer ao encontrar seus pais na sex shop, como lidar com um pênis pequeno, a importância da peteca na saúde das pessoas e muito mais.

Abunde-se em um lugar confortável e esteja preparado(a) para expandir os horizontes de sua mente!

Tem alguma dúvida insaciável?

Basta clicar aqui e enviar sua pergunta.

Links:

  • Pingback: Linha Quente #04: Regime da Peteca | Podflix()

  • Eu poderia jurar que li “regime da pepeca” na primeira olhada e fiquei seriamente assutado com o provável conteúdo deste podcast.

    • leoleonardo85

      E no cast eu acho que em algum momento ouvi regime da punheta

    • Henrique Tavares

      No final o conteúdo foi basicamente esse mesmo, hahah

  • Mike

    opa

  • Atos Ferreira Machado

    Muito bacana esse linha quente. Estou gostando cada vez mais do podcast. No início eu achei a proposta do podcast meio boba, mas programas como o dessa semana valeram muito a pena por abordarem temas muito controversos com bom humor e sempre passando conselhos de amigo. Parabéns pelo bom trabalho.

  • Mário César San Felice

    O equipamento para guardar flechas e virotes chama aljava, não alfange (que alias é uma arma melee interessante contra zumbis :D). E uma besta combina as vantagens de maior potência e facilidade de aprendizado do fuzil (rifle) com a facilidade de manutenção e munição do arco e flecha.

  • Vinicius SS

    sobre o cara de pau pequeno e ejaculação precoce… Aqui vão meus dois tostões. De tiozinho pro rapazinho. Sexo é uma parada que você sempre acha que sabe mas quando olha pra trás vê que não sabia. Você vai descobrindo o que é, o que você gosta, o que o outro gosta. Não entra na pilha de ter um jeito certo de fazer ou na performance. Apenas o seguinte: preste atenção na garota. Só isso. Ela já se dispôs a fazer sexo com voce. Não se cobre demais.

    Agora vou concordar com o Corraini numa coisa: 99% do que faço NA VIDA é pra comer minha esposa melhor. Um exemplo. Me dedico muito a cozinhar bem. Leio bastante, vejo receitas no YouTube, faço testes (uma vez utilizei duas dúzias de ovos apenas testando diferentes preparos de omelete). Depois de comer olho pra minha esposa e pergunto:
    – e aí?

    Estabelecemos uma escala de nota com dois valores: daria e não daria.

    Ela pressupõe a hipótese de que estamos num primeiro encontro e fiz aquele prato pra ela. Baseado somente nele ela daria pra mim? Ele seria um fator que, em caso de dúvida ela dissesse “ah, foda-se, vou dar pra ele”.

    Caras, sério. Estou com minha esposa desde 1994 (janeiro!) e tudo gira em torno disso. Mas isso não me impede de cumprir minhas funções sociais e profissionais hahahahahaha que fique claro.

    Sobre essa questão de estar confortável com o corpo e todo mundo se cobrar. Na pós um professor apresentou uma pesquisa onde o grupo com o maior número de insatisfeitos com a vida sexual era justamente o dos…. SARADOS! O cerne da questão era que eles não entendiam como que com aquele corpo eles não eram uma fonte inesgotável de prazer (para si ou para o outro). Ou seja, num extremo você tem quem se envergonha e no outro você tem a frustração.

    É isso amigos!

    Abraço,
    Vinimzo

  • Sobre a questão de ter libido e tal, acho que vocês confundiram um pouco essa vontade de ter sexo e a vontade de ter algum(a) companheiro(a). Eu me descobri como um graysexual (é um tipo de assexuado um pouco menos extremo) há pouco tempo e eu diria que o fato de eu não querer sexo com tanta intensidade como a maioria é bom e ruim ao mesmo tempo. O lado bom é o lado que vocês já mencionaram, que você consegue se focar melhor em outras coisas, etc etc etc. Mas o lado ruim é que você ainda é um ser humano e pode se sentir sozinho, e achar uma pessoa que aceite esse lado pode ser mais difícil do que achar alguém que aceite seu “pinto pequeno” haha

    Principalmente se você for um homem assexuado, visto que nossa sociedade já espera que o padrão do homem seja querer sexo 24h/dia. Daí se você é assexuado, a chance de você não estar afim é grande, e pra uma mulher isso geralmente é o pior feeling ever, e a frustração acaba chegando no limite muito rápido. O lado bom é que existem mulheres assexuadas também, daí tudo funciona direitinho :p

    • E é tão curioso ver esse pensamento do Corraini de fazer quase tudo pensando em comer alguém haha
      Isso não passa pela minha cabeça praticamente nunca, é intrigante.

  • Sexo: Esforço para agradar o parceiro.

  • Caio: Jiu Jitsu vai te libertar em relação ao peso. Só fazendo pra entender! Já fez uma aula experimental?

    • Mas eu vou ter de ficar com a orelha daquele jeito? Porque se for, nope

      • III jamais caio…aquilo é atleta que treina todos os dias ae não dá tempo do corpo recuperar. Treino ja faz 6 anos segunda quarta sexta e nunca aconteceu de estourar minhas orelhas. Tb acho muito bizarro aquilo. Mas cara, vc vai ver…jiu jitsu é uma terapia para o corpo e pra alma rsrsrrss experimenta uma vez só pra vc ver. No geral os companheiros de treino são gente boa tb. Tem todo tipo de gente lá.

        • Kadu

          Cara, eu tbm curto muito Jiu Jitsu, quando eu entrei eu já vinha de anos de Judô, eu queria melhorar o meu “chão”, a academia foi perdendo praticantes de Judô e eu acabei migrando pro Jiu Jitsu.

          Nas duas modalidades, pra min o segredo sempre foi “gameficar”. Tipo Streets of Rage, o cara que antes eu considerava um boss, depois de muito treino, ia virar um minion, mas ainda poderia ser perigoso. Os mais graduados eram os chefões que eu queria alcançar e caa treino me dava mais xp. E dá pra escolher as classes: guardeiro ou passador. Rsrsrsrsrsrs. Não to sabendo explicar, mas pra min funciona.
          Pode imaginar tipo um anime, pois a superação só vem com os treinos.

          Dá pra perder muito peso, virou meu meio principal de me exercitar pois um “esporão” no calcanhar me impede de correr ou caminhadas longas.

          Quanto a orelha, eu tbm já treino a algum tempo(uns 5 anos) e a minha tá normal, nunca aconteceu de inchar ou algo do tipo.

  • MarcusVss

    Eu não usaria nenhuma arma com lâmina pra enfrentar zumbis, sempre penso que a lâmina vai agarrar no zumbi e vai ser difícil tirar. Um taco de baseball ou pé de cabra me parecem mais efetivos. E as armas de fogo têm a vantagem de serem melhores pra ameaçar outras pessoas, afinal, vc nem precisa que ela esteja carregada para usá-la com esse propósito.

  • Gente, não tem UMA atividade física que eu goste. Eu odeio qualquer coisa que me force a sair de casa e gastar energia. Comofas? XDD

    • Jiu Jitsu, já tentou?

      • Vixe, não só tenho que sair de casa e gastar energia, como também tenho que interagir física e socialmente com outras pessoas, que é algo ainda pior! Tô fora hahaha

    • Julio Cesar

      Ai complica, uma atividade física maneira sem sair de casa e/ou gastar energia praticamente não existe… Tenta o básico pelo menos, uma corrida no parque. Eu sai de um sedentarismo de 10 anos direto para um parkour e foi a melhor coisa que fiz.

      • Haha that’s my point. No meu caso não há possibilidade de fazer uma atividade física que eu goste, tem que ser algo que eu não goste, porque não gosto de nenhuma. Não tem jeito :'(

    • Sedentário

      To contigo cara, fazer exercícios é MUITO CHATO.
      Eu faço boxe hoje em dia por que é a coisa menos chata que eu consegui achar até agora, mas confesso que eu faço pela obrigação de fazer uma atividade física.
      Pular corda, fazer abdominais, aquecer para o treino é uma MERDA, e quando chega a hora que deveria ser legal que é espancar o saco de areia, eu não aguento 5 FUCKING MINUTOS e já estou acabado!

      Já tentei malhar, natação, muay thay, correr, aero boxing, pedalar, pilates (me julguem), nada me deixou interessado por mais de 3 meses.

  • Raoni DIniz Neves

    O pessoal do Velhas Virgens concorda com o Caio.
    https://www.youtube.com/watch?time_continue=21&v=Jq2kXmNGP4g

  • Alex

    “Hoje mereço um almoço mais caro”
    Melhor frase kkkk

  • Janderson Oliveira

    juro que li regime de pepeka aushaiushauish

  • Caio C

    Nossa, juro que li regime de pepeca. LOL Baixando o cast.

  • Gabriel PS
    • Kadu

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk caramba, ri muito!

    • Chega nessa violência que tu vai tomar o maior coice da sua vida hahaha

    • Tais

      Se chegar assim vai ter a cara esfregada é no asfalto…

  • IcaroBrendel

    Sushi a besta nunca seria mais pratico, você já tentou recarregar uma besta?

    • Sushi0

      As bestas modernas são mais praticas e tem ferramentas pra ajudar. E usar um arco também precisa de bastante força.

  • Thiago ‘Wally’

    André, quando você
    falou que a origem da religião é principalmente pelo medo, gostaria de corrigir,
    sem ser pedante, que essa teoria já é obsoleta.

    Pode-se dizer que algumas
    religiões usaram (e usam) o medo como propaganda de conversão, como ficaram evidentes no caso da Idade Media a Igreja Católica,
    ou a disputa entre Islã e Judaísmo. Porém não se pode generalizar para todas as
    religiões e nem mesmo para os praticantes das citadas. As generalizações são normalmente
    levianas. As religiões têm suas origens normalmente para unificar um povo e ensinar
    um modo de vida. Por isso que têm o conceito bem forte de comunidade.
    E quanto a
    essa pratica da propagando do medo ainda foi (e é) usada por grupos e ideias extremistas
    não religiosos, como as caças as bruxas dos americanos com os supostos comunistas
    dentro da América e depois com a Guerra ao Terror, ou mesmo o preconceito com
    imigrantes que temos hoje, mesmo no Brasil. Essas ideias extremistas são às
    vezes adotadas até mesmo por pessoas moderadas, fora de grupos extremistas, mas
    não para toda a população. O sentimento que eu acredito ser o mais problemático
    nisso é o egocentrismo: achar que não podemos mostrar que somos falhos para o
    outro; que nossas ideias, ações e modo de vida são melhores que a do outro; que
    somos o ser mais especial do mundo.

    Pra mim, esse sentimento é que causa a
    ganancia, a ambição e inveja exagerada, e principalmente, a intolerância. E
    assim, ocorrem guerras, corrupções, abusos do poder, brigas de torcidas organizadas etc. Muitas
    vezes, fora da questão religiosa. Até mesmo no Oriente Médio, as disputas tem interesse
    econômico e estratégico envolvido, que usam uma fachada religiosa.

    Desculpa o comentário
    longo, é que por ser nerd de questões sociais, tento fazer meu papel de
    andorinha e tentar desmitificar algumas coisas que são adotadas como certas. É meu
    lado egocêntrico de achar que tenho uma obrigação moral para isso. Hehehe.

    • Toda generalização é burra, isso é óbvio. Temos diversas religiões cujos dogmas sequer passam perto da alimentação do medo e da punição, entretanto é alarmante a maneira com que diversas dessas ideologias ainda são transmitidas nos tempos atuais, em que todos temos tanto acesso à informação.

      Fazer musiquinha pra criança dizendo que se ela pecar, vai morrer e ir pro inferno, não só é irresponsabilidade, deveria ser crime, passível de processo e indenização.

      É foda ver que muitas das intolerâncias que temos hoje em dia protagonizadas pela nossa bela “família tradicional brasileira” ante a minorias que não seguem o seu “modelo” são incitadas por líderes religiosos, o que – na minha opinião – acaba empurrando as pessoas contrárias a este tipo de pensamento em uma direção oposta à toda religião e não apenas aos seus péssimos interlocutores.

      Eu não sou contra religião alguma, acredito que todas possuem seu lugar e, se oferecem paz para as pessoas, que continuem. Entretanto, o nojo que avassala este meu ponto de vista quando vejo pastores bradando para uma legião de fiéis de que determinadas minorias estão “erradas” e deveriam ser combatidas, é muito maior do que este pensamento positivo ao culto.

      Daí fica essa impressão de visão contrária.

      • Thiago ‘Wally’

        Entendi Corra. E é de se indignar mesmo na atual situação do Brasil. Com uma bancada evangélica e grupos religiosos espalhando a falsa ideia de Ditadura Gay, mentindo descaradamente que há uma campanha para destruir do casamento hetero. Oi? Pedir pelos mesmos direitos é muito diferente de limitar os direitos do outros. É verdade, deixou de ser revoltante para nojento.
        Ainda nesse sababo, num canal evangélico estava passando um programa chamado “sem Tabu”. Minha esperança na humanidade cresceu, só pra ser completamente destruída. A entrevistada falou que os lgbt com a ideia de direitos iguais, querem na verdade, destruir a “familia tradicional” e disse o termo ditadura gay, num canal aberto e sem provas nenhuma nos seus argumentos. Isso, também na minha opinião, deveria ser crime.

        E a impunidade por ser protegido pois se tratar de algo religioso, deve ser revista. Eles estão abusando demais disso.

  • Almighty

    Malhar é chato demais. Recomendo artes marciais, é divertido, útil, ajuda a ficar mais tranquilo e é uma baita atividade física. Atingi minha melhor forma física quando treinei kickboxing.

  • Danilo

    Sobre exercício físico, tenho uma esteira em casa que sempre usei desde que comprei ela (as uns 2 anos). o que eu faço para me manter motivado é assistir algo, ler ou jogar enquanto uso a esteira. Faço qualquer que seja divertida enquanto ando/corro. Isso me mantém distraído enquanto estou fazendo o exercício e o tempo acaba passando mais ‘rápido’.

    Outra tática que uso é assistir à shows de bandas de metal extremo (recomendo thrash metal) durante a caminhada/corrida. É sabido que metal extremo conduz o ouvinte ao estado de adrenalina (vide como os headbangers se comportam nos shows) e a adrenalina te deixa mais tolerante a dores/desconfortos do exercício e menos sucetível ao cansaço. Isso sempre me manteve motivado. Além de curtir a música, ganho um ‘boost’ de euforia.

  • Israel Riegel

    Um adendo: espadas, tanto as japonesas quanto as europeias não são uma boa pedida pra um apocalipse zumbi. A área da lamina que realmente faz um estrago é pequena, requerendo habilidade, treinamento e tudo mais pra ser a Michone. Fora que se der alguma merda de quebrar f-o-d-e-u.

    Acho que armas “blunt” são sempre a melhor pedida. Um machado, um porrete ou um martelo são mais que capazes de quebrar um crânio, não requerem nenhuma manutenção, cuidado ou habilidade pra manejar e ainda (no caso do machado e do martelo) tem outras utilidades “ferramentícias”.

    Talvez eu tenha pensado de mais sobre isso.

  • inominavel

    De longe o linha quente se tornou meu podcast não jogos da VIDA! ahhahaha literalmente, muito do que fala aqui apesar da zueira é bem próxima mesmo de uma roda de bate papos que grande parte das pessoas com essa nossa cultura tem comum.

    • Sushi0

      Mas sempre lembrando que a gente fala coisas algumas coisas zuera, mas sempre tentamos ajudar de verdade nas mais sérias. =D

  • Ezequias Campos

    Melhor arma para apocalipse zumbi… A LOBO, quem leu guerra mundial z entende.

  • Schmidt

    Linha Quente é ótimo!!

  • Gabriel Moreira

    Depois de ouvir o Caio falando sobre fumar, acho que..

    Deveria ter uma meta no patreon onde o Caio pararia de fumar!

  • Não existem arcos compostos na série Far Cry, apenas recurvos.