was successfully added to your cart.

Qual o personagem mais bem vestido dos vídeo games? Que tipo de poder existe por trás das ombreiras? E, afinal, por que o Tetsuya Nomura ainda está empregado?

Nossa trupe (nem um pouco) especialista composta por André Campos, Ricardo Dias e Caio Corraini chegam cheios de estilo, cachecois e acompanhados da (um pouquinho mais) especialista Pamela Moura para discutir a moda nos jogos.

Estilo vs. funcionalidade, sexualização vs. expressão de sexualidade, Peach vs. Rosalina, Leon vs. o coração da Pam… Essas e muitas outras batalhas serão travadas nessa passarela.

Dica: por ser um podcast que está sempre referenciando imagens, recomendamos que escute acompanhado da galeria abaixo!

Tá No Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links:

Trilha do Podcast

  • “New Days”, Persona 4
  • “Ezio’s Family/Venice Rooftops”, Assassin’s Creed 2
  • “R.Mika’s Theme”, Street Fighter V
  • “One Hit K.O.”, OCRemix
  • “Blinded by Light”, Final Fantasy XIII
  • “Rondo Sanctuary”, OCRemix
  • “Crystal Gradient”, OCRemix
  • “Rabanasty”, OCRemix
  • “Simply Be-Groove-ed”, OCRemix
  • “Piercing the Sky”, OCRemix
  • “Contract Cleaner”, OCRemix
  • “Full Paragon”, OCRemix
  • “Minotaur Nightmares”, OCRemix
  • “Lizardiño Slayer Quartet”, OCRemix
  • “Lynne, a Targeted Redhead”, Ghost Trick
  • “Ending Theme B”, Resident Evil 2
  • “Mass Destruction”, Persona 3
  • “Katamari on the Rocks”, Katamari Damacy
  • “Light the Fire Up”, Persona Q
  • “Maze of Life”, Persona Q

Galeria do Podcast

  • Lucas Santana

    Acho que misturaram o Dash com o Linha Quente XD

  • Sor Lucas

    PAM <3

  • Dariecão

    O Jogabilidade precisa de mais Pam. Continuo com minha campanha para que ela participe de uma rodada do JACK

  • Anthony Santos

    Pam!

  • Warlen Silveira

    Pam pam paam!

  • Haunter

    Eu lembro que qdo joguei final fantasy X, fiquei tão fascinado pelo design dos personagens que comprei aquelas calças que transformam em shorts (tem um ziper na altura do joelho) e comecei a andar somente com uma perna da calça, igual o Tidus! Hahahahahaha
    Hoje imagino que as pessoas deviam me achar retardado andando na rua…

  • Caio C

    Caramba, que inusitado o assunto desse podcast. Nunca teria imaginado algo do tipo.

    Sobre Assassin’s Creed, adoro o design do Ezio no 2, do Altair e do Connor.
    Corraini, eu amo a Lightning também, não se preocupe. E muita gente também ama nessa internet. hahah Também adoro o design dela.
    Eu gosto do design da Yuna no X e X-II. E da Rikku no X-II também é legal.
    A Agnis também é muito interessante e fofa. E po, a roupa do Sora não faz muito sentido mas acho tão estiloso desde pequeno.. haha
    Joe Madureira é horrível como desenhista e designer.

  • Jéver Santos

    Por que tocar Blinded by Light? Agora vou ouvir em loop pra sempre. E depois ouvir denovo.

  • Bode333

    Cadê a meta do patreon pra pam entrar de vez pro jogabilidade!?!?

  • #PamnoJogabilidade #JogabiliPam

  • Aegis, também conhecida como melhor personagem dos JRPGs, por isso P3 > P4.

  • Everardo Feres

    Pra mim a melhor vestimenta dos games (uma das poucas que eu usaria) é a do Shepard, na DLC Citadel. Sapato, calça jeans, camiseta branca e jaqueta de couro com detalhes vermelhos da N7 (inclusive, eu tenho uma jaqueta dessas). Mto foda. haha

  • Jacarepaguá – A zona Negativa

    Caio, 1 bom exemplo de ombreira… Sephiroth

  • Diésio Ferreira

    Nunca me passou pela cabeça em ouvir um podcast com um titulo como este, e fomos surpreendidos novamente. Foi um ótimo cast, que pode levar a uma mini serie, pois os modelos são vastos e é um assunto cômico e divertido.

    Participação da Pam casou bem com uma visão mais feminina e mesmo por ser a primeira vez que a escuto em um podcast, ela se encaixa muito bem com o humor dos jogabilideiros. #JogabiliPam

    P.S o layout do site está cada dia melhor…PQP

  • dinopron

    Esse Dash me fez perceber que eu gosto bastante de moda, sempre tive interesse pelo assunto mas acho que eu acabava sempre me bloqueando, no meio do episódio me veio a realização: eu gosto de moda. Adorava os personagens de KOF, da Série Persona, sempre preferia a armadura mais bonita do que a mais poderosa, recentemente me tornei adepto da Fashion Souls, tudo faz sentido agora. Semana passada, no laboratório de informática, uma garota sentou do meu lado e começou a entrar em blogs de sobre o assunto, eu estava doido pra puxar conversa com ela mas não sabia como, e isso meio que ficou no meu subconsciente, e agora essa Dash, não vou mais resistir à esse chamado, está na hora de deixar o pequeno Karl Lagerfeld que há dentro de mim florecer. Nesse momento estou procurando um curso online sobre o assunto.

    Quero deixar uma pequena contribuição para o episódio de hoje, Raidou Kuzunoha do Devil Survivor (mais um dos spin off de SMT):

  • MarcusVss

    Ah, eu até gosto do Nomura. E ele fez o The World Ends With You, que é bem bonito (não sei se vcs curtem)

    • André Campos

      O jogo é ótimo, mas não sou muito fã do design de personagens (apesar de já ser bem melhor que FFX e The Bouncer, por exemplo).

  • ouvir o Dash é meio nostálgico porque lembro de quando saia 2 vezes por ano 🙂

  • Lucas Santana

    Ri demais com a Pam falando do Leon

  • Pedro Aragão

    Ótimo podcast! Divertido demais, parabéns!

    E excelente participação da PAM, mantenham-na.

  • no dia do meu aniversário! =)

  • Peraí que na leitura de emails esse cara aí falou groselha sobre o MSX. Eu tive um MSX, e vi imagens de outros modelos de MSX, e TODOs que eu lembro de ter visto vinham com dois slots para cartuchos com softwares (games, aplicativos, etc) embutidos na carcaça do mesmo. Veja a foto do modelo que eu tive um dia (há mais de 20 anos!!!)

    O que vinha como opcional era o leitor de fitas cassetes, esse nem todos tinham: o meu, por ser de n-ésima mão com certeza não vinha. Para conseguir ler as fitas com jogos e programas que vieram com ele, eu tinha que espetar um cabo p2/p2 com uma ponta no MSX, a outra no system que tínhamos em casa na época (com um adaptador de P10->p2, pois o som era daqueles plugs grandões). Sim, um daqueles toca discos com tape-deck duplo na frente. Dava o comando de Load no MAX, colocava a fita no player, apertava a tecla Play, o MSX “escutava” tudo e carregava os programas. E para gravar em fitas virgens os programas que eu fazia ia ao contrário: deixava o cabo no mesmo lugar no MSX, mas mudava a ponta do system da saíde de fones de ouvido para a entrada de microfone. E a coisa incrivelmente funcionava, apesar de ser uma gambiarra do caralho 😀

    • Parece o cruzamento do meu aparelho toca fitas com minha antiga máquina de escrever! XD

  • Artur Antunes

    Fiquei esperando o cast inteiro para ver o comentário sobre essa roupa e não veio.
    Lembre-se galera: Quanto mais cintos, melhor.

  • Outrem

    Já que vocês citaram a Lightning do Final Fantasy XIII, por mais legal que seja o desing dela dela no XIII-1, vocês deveriam ter falado mais do Lightning Returns Fashion Fantasy XIII e sua maravilhosa ferramenta de customização manual de paleta de cores de cada parte/peça de todas as DEZENAS de roupas do jogo.

  • Guilherme Barros

    Minha pequena contribuição para o time das “Meia-Capas + Ombreiras”: Chrom, do Fire Emblem: Awakening (Aliás, 90% do character design desse jogo é muito bom, na minha opinião)

    • slashrick

      Excelente escolha!

  • Henrique Tavares

    Estou rejogando a trilogia do Prince of Persia e… meu deus, Warrior Within é quase inadmissível de tão ridículo. E digo mais, achei o combate de Sands of Time muito mais prazeroso de jogar e assistir na tela. E a luta dele ser repetitivo e não ter combos é um grande mito.

    Mas falando de roupinha que é o que realmente interessa, nisso o SoT dá um banho também, com traços muito característicos da região, e a combinação de branco e azul com couro adornado com ouro é incrível. É muito simples, mas tremendamente icônico (infelizmente procurando por “prince of persia” aparece 99% a roupa de tiras de ferro/bronze genérico do WW). E, aiai, tem a linda da Farah pra comparar com aquelas duas aberrações que tem no WW…

    • André Campos

      Eu até acho que o combate fica um tanto repetitivo depois de um tempo, mas os puzzles, plataforma, história e todo o resto compensam!

  • Loajan

    Qual a música de abertura do Dash?

  • Dudley_o_Boxista

    Olá pessoas queridas, gostaria de dar minha opinião sobre esse Dash. Primeiro, que achei excelente, somando ainda a presença da Pam, foi selo Jogabilidade de qualidade.
    Gostaria de comentar sobre alguns modelitos não mencionados do podcast.

    Disgaea é uma franquia que adoro, mas tem umas roupas bem… estranhas. O Laharn, protagonista do primeiro tem um cachecol (ponto positivo) DO TAMANHO DA VIDA (ponto negativo), além desse shortinho que… nada a comentar. E o Adell, apesar de eu até gostar de quase todo visual, tem uma gravata que é sem condições.
    Estranhei não citarem o Geralt, que é um cara que se veste bem. Outro jogo que curto bastante algumas roupas e design é o Skullgirls, onde por exemplo o chapéu da Cerebella é os braços que ela usa na luta e o design sensacional do Big Band.
    Não posso deixar de citar aquele do qual roubei o nome, o sempre elegante Dudley. Quem mais no mundo toma chá usando luvas de boxe?

    Agora, tenho algumas poucas reclamações. Primeiro, estou jogando Persona 3, com umas 20~25 horas de jogo e tomei um spoiler na cara sem qualquer aviso. Sacanagem =T
    Outra coisa que achei bem estranho é o seguinte. Pode ser que nos outros Dashs também tinha sido assim e não notei, mas ultimamente me incomodou um pouco, que foi o fato do podcast acabar do além. Talvez seja uma consequência de ter jogado a leitura de comentários pro final, mas eu acho bem repentino o fim de ambas partes. Vocês terminaram tanto a leitura de e-mails quanto o podcast sem qualquer “despedida”.

    E que venha a Jogabilicasa com Dash semanal (:<

    • André Campos

      Quinzenal, calma lá! hahaha

      • Dudley_o_Boxista

        Erro meu, foi isso que eu quis dizer xD

    • Bode333

      Não me lembro de spoiler de P3, se foi sobre a Aigis ser um robô, esse spoiler está na apresentação do jogo 😀

      • Dudley_o_Boxista

        Não lembro de reparar isso na apresentação. Mas ok, acontece xD

  • Allan Belmont

    Referente ao design do Sora, mais especificamente do KH1, a Disney queria que o jogo tivesse o Mickey como personagem principal ja a Square queria o Donald. Não chegando em um acordo, decidiram criar um novo personagem baseando o visual no Mickey. Por isso ele usa o macacão vermelho e tenis gigante amarelo, que é basicamente a roupa do Mickey.

  • Armoderic

    Pam!

    Achei muito legal o cast e a maneira que vocês abordaram o assunto.

    Uma maneira de pensar o assunto é também quanto o design faz sentido dentro do tema/estética que o jogo se propõem a ser e por consequência reflete a construção de mundo e de personagem, existe um conceito bem interessante que eu vi uma designer comentar no tumblr de você ser “coerente em sua bizarrice”.

    A razão é que ás vezes só o conceito vago (deixando claro que vocês não fizeram isso, estou mais comentando uma coisa que por vezes ou outra noto em outros lugares) de “realismo/praticidade” do modo que ás vezes é utilizado não só é um tanto limitado (principalmente se pensarmos na demanda por novas coisas) quanto tanto problemático as vezes envolve noções desconexas/exageradas de realismo/história – por exemplo a ideia de que tudo na Idade Média é escuro e sem detalhes e todo mundo é “machão” e só há violência quando na real as coisas poderiam ser muito coloridas/detalhadas. Sem falar em toda a dezena de coisas, objetos, uniformes e armaduras que eram usadas, mas se só vistos pela noção rasteira de “realismo” não fazem sentido, porém, dentro do contexto que eles existiam faziam muito sentido – Se eu dizer que existe uma armadura com asas nas costas ninguém iria acreditar, mas procurem por Hussardos Alados Poloneses, aproveitem e só olhem imagens do que eram os Landsknecht (mercenários alemães do século XV famosos por suas roupas extravagantes), fora que todos os objetos não existem só em funções “práticas” mas também simbólicas ou culturais ou simples auto expressão (individual ou de um grupo)

    Jogos as vezes tem que fazer que lidar com problemas que exigem adaptações ou exageros que são muito exclusivos de cada tipo de jogo. Um caso que sempre me vem a mente é um problema curioso de design no XCOM original (1994) por causa de limitações da época só haviam dos sprites – um que parecia o Guile e outro uma mulher, para representar todos os agentes da XCOM (não havia retratos ou vozes) sendo que em média você usava uns 14-26 agentes por missão(oposto aos 4-6 do novo XCOM) sendo que eles mudavam levemente de acordo com a armadura/arma. No inicio do jogo não era tanto um problema você ainda mantinha uma certa diferenciação, mas no fim do jogo quando todos os 26 ou mais agentes tem a mesma armadura (que cobria o sprite inteiro) e armas fica desnecessariamente complicado e cansativo saber quem é quem o que ou exigia memorizar ou ficar consultando tabelas para verificar… fora que nesse momento (o que era perto do fim do jogo) eu mesmo notei que eu mesmo passei a me importar bem menos com eles, Agora pensem como jogos como Fire Emblem resolvem isso, fazendo os personagens distintos entre si, mas com alguma coisa visualmente unindo eles.

    Só para fechar alguns designs de personagens/roupas que eu gosto:
    – Valkyria Chronicles: Achei muito interessante a mistura meio de uniformes da primeira e segunda guerra com a estética do jogo.
    Squad 7
    http://vignette2.wikia.nocookie.net/valkyria/images/6/63/Squad_7.png/revision/latest?cb=20131123055858

    Empire: o Interessante é observar que o Maximillian (o de branco) tem uma roupa muito inspirada pelo traje do Napoleão no quatro que ele se torna imperador.
    http://www.zerochan.net/291921

    Apesar nem ter um 3DS ou consoles além do meu antigo ps one eu acho muito legal o design em Fire Emblem, pelo que vejo de imagens ele balanceia bem fazer cada personagem único e ao mesmo tempo fazer eles coerentes entre si.

    O Final Fantasy Type 0 também faz algo bem parecido, você tem um tema comun que une os personagens, mas cada um tem a sua marca. Fora que considerando que o jogo em si parece ser muito inspirado no Conto dos Heike (Heike Monogatari, épico que narra o conflito a ascenção e queda do clã Taira e sua luta contra clã Minamoto) eu acho curioso que Class Zero é marcada pela cor vermelha (que era a cor do clã Minamoto) enquanto que Milites Empire usa o branco (cor dos Taira), porém tem alguns subversões interessantes, Milites tem um associação com guerra e militarismo (Minamoto) e até usa um tigre como símbolo (que era também associado aos Minamotos) enquanto o Dominion of Rubrum (lar da Class Zero) tem uma ligação mais “academica/escolar” (Taira representavam de certo modo um governo mais burocrático/escolar).

    Class Zero
    http://vignette2.wikia.nocookie.net/finalfantasy/images/7/7f/AgitoXIII.jpg/revision/latest?cb=20130802165955

    Outro jogo com um design excelente é o The Witcher 2 e 3 em que os objetos refletem os diferentes grupos que existem no universo do jogo e as cores/detalhes tornam o contraste com o tema mais sério/sombrio do jogo mais interessante.

  • Shirokasi

    Uma série de jogos onde os personagens sempre se vestem muito bem (pelo menos os protagonistas) é Pokémon.

  • Alvaro

    Sobre roupas funcionais acho que todo o elenco de strange Journey é bem isso a tem que ter parte 2 falando sobre megaman,samus e street fighter(porquê foi uma vergonha falar só da mika)

  • André Luz

    ombreiras me fez automaticamente me lembra disso:
    https://www.youtube.com/watch?v=RdSmokR0Enk

  • Victor Brígido

    Pra mim, esse foi um dos piores podcasts que vocês já fizeram. Chato demais, parece até que vocês não tinham assunto. Mas, gosto é gosto, que bom que a maioria curtiu. 🙂

    • Alex

      Achei um episódio divertido, “não mudou minha vida”, mas divertido 😀

    • Andrey Santiago

      Já eu, adorei esse podcast, olha como é legal ver que os seres humanos pensam tão diferentes! hehe

  • Henrique Tavares

    Esse cast exemplifica minha relação com o Jogabilidade. Concordo com tudo 100%, mas tem sempre aquela uma coisa que eu fico “não, como vocês estão falando bem disso?”. No caso, aquela menina robô do final.

  • rafaelqa

    Que podcast bom!!!! Façam a continuação dele! =D