was successfully added to your cart.

Videogames são lançados todos os dias. Aos montes.

Em um mercado onde temos mais opções do que tempo e dinheiro para consumir tudo, é muito fácil esquecer que todos aqueles produtos são desenvolvidos por pessoas. Pessoas com sonhos, medos e histórias próprias.

O objetivo do Construindo Mundos é tornar estas pessoas o foco da discussão. É trazer para a luz os responsáveis por erguer todos os universos fantásticos onde exaurimos nosso tempo livre.

Sob o comando de Caio Corraini, este programa é focado em entrevistas com desenvolvedores brasileiros que trabalham ativamente na indústria de games.

Nesta oitava edição a convidada é a Mariana Boucault, que é economic game designer na Behavior. A Mari passou por diversas empresas do Brasil como a Glu, Insolita, Level Up e a Tapps, em funções que passaram por QA, game designer e até product manager.

Feedback?

Deixe seus comentários, sugestões, críticas e o que mais tiver em mente nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de.

Links:

Trilha do Podcast

  • “Yeah!”, por Magnus “Souleye” Palsson

Blocos do Podcast

  • Introdução: 00:00:00
  • Entrevista: 00:01:17
  • Gilliard Lopes

    Fantástico episódio, muito legal conhecer um pouco mais da história da Mari. Parabéns!

  • Fabricio Santos Roncarati

    Muito boa essa série Corraini, parabéns!

  • Waldir Rodrigues Junior

    Gostei bastante do episódio, sou desenvolvedor de jogos e é sempre muito bom poder escutar quem está há mais tempo nesse mercado e a Mariana tem grande experiência, mas eu também gostaria de passar a minha experiência aqui.

    Uma das últimas perguntas foi sobre o mercado brasileiro de games onde a Mariana comentou de dois tipos de jogos que “seguram” o potencial que são os jogos de zueira e os jogos retrô, eu fiz o jogo Senhora Volta Aqui, um jogo de zueira e retrô com mais de 830 mil downloads, a história do jogo é legal, sou programador há 6 anos e desenvolvo jogos há 4 e trabalho com desenvolvimento de jogos, enfim, participei de uma jam onde um amigo criou um aplicativo engraçado baseado em um meme e tive vontade de fazer algo assim, uma semana depois vi o meme da senhora correndo da repórter e fiz alguns pixel arts baseado na senhora (sou programador, mas eu consigo brincar um pouco com pixel art) para rir com os amigos e eles gostaram, então veio a ideia de fazer um jogo, o mais simples possível, só para ter mais algum jogo publicado em nosso portfólio, então eu e um amigo pegamos os sons, fiz a arte e parte da programação e fizemos em três dias (pegando nosso tempo livre entre trabalho e faculdade) o jogo Senhora Volta Aqui, publicamos sem esperar nada, divulguei apenas em grupos de desenvolvedores no Facebook para que pudessem trazer algum feedback, publicamos em um sábado à noite e no final de domingo o jogo já tinha mais de 70 mil downloads e em uma semana tinha mais de 600 mil downloads, o jogo foi divulgado de uma maneira surpreendente, foi na mesma semana da BGS onde fomos reconhecidos, tiramos fotos, fizemos entrevistas, conversamos com várias empresas de desenvolvimento de jogos que estavam lá, fora da BGS também demos entrevistas até mesmo para o Washington Post, participamos de um podcast, apresentamos o jogo para um pessoal de um instituto de jogos da Inglaterra e eles acharam muito interessante o nosso case, fomos convidados para dar palestra em eventos e claro, nos trouxe dinheiro, uma brincadeira simples que foi fazer o jogo Senhora Volta Aqui nos trouxe tanta coisa e influenciamos tantas pessoas a conhecer o mercado de games ou fazer jogos baseados em memes, esse jogo foi muito mais do que ganhar dinheiro, mas ganhar espaço e oportunidades no mercado de games até porque não é meu desejo ser um desenvolvedor de jogos de zueira, mas tenho certeza que as minhas conquistas com esse jogo que vão me trazer oportunidades para fazer algo maior.

    Espero que eu tenha conseguido mostrar a vocês que todo tipo de jogo, seja ele de zueira ou não, tem seu potencial e seu ponto no crescimento do desenvolvedor. Enfim, eu espero ansiosamente o próximo Construindo Mundos e continue com a mesma qualidade.

    • Animal, Waldir. Puta história maneira. Taí um ponto de vista que eu nunca havia levado em consideração, principalmente por não ouvir o “depois” desses casos dos jogos de zoeira.

      Logo menos o entrevistado pode ser você, olha só 😀

      • Waldir Rodrigues Junior

        Aguardo ansiosamente o convite 😛

  • Lucas Santana

    Muito bom o episódio, legal saber essas coisas sobre os jogos de celular 🙂

  • Carol Campoli

    Show a entrevista e a Mari! =D