was successfully added to your cart.

Os antigos pergaminhos do povo Hylia conta dos deuses míticos que desceram dos céus para criar ordem, vida e podcasts.

O deus do frango André Campos, o deus dos cães Ricardo Dias, o deus do tênis verde Eduardo Sushi e o deus de Mococa Caio Corraini, após terminar seu trabalho deixaram nosso mundo, mas não sem antes nos presentear com um símbolo de seu poder: um podcast discutindo tudo sobre The Legend of Zelda: A Link to The Past.

O terceiro jogo dessa saga de luz vs. escuridão é um prequel que volta às origens, sendo mais uma sequência da aventura original que de Zelda 2.

Será que Shigeru Miyamoto conseguiu repetir a dose daquela caixa de aventuras, mistérios e descobertas? O quão grande foi o salto com o poder do Super Nintendo? Ele segura demais na mão do jogador? Será este o ponto que marca o início da decadência da franquia? E afinal, como se pronuncia Sahara… Shalashas… Chalaça?

Atenção: Spoilers de A Link to The Past e Ocarina of Time!

Versão 2: O arquivo original tinha problemas na sincronia do áudio. Essa nova versão corrige isso.

Tá No Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links:

Escutar

Adicionar à Playlist Baixar

Trilha do Podcast

  • “Helix Nebula”, por Anamanaguchi
  • “Unsealed”, remix de A Link to The Past, por CarboHydroM
  • “Dark Storm”, remix de A Link to The Past, por djPretzel
  • “Link’s Epoch”, remix de A Link to The Past, por Joshua Morse
  • “Theme of Laura”, por Akira Yamaoka

Blocos do Podcast

  • 0:00:00 – Intro
  • 0:02:37 – Pauta Principal
  • 1:37:00 – E-Mails
  • Juliano Almeida (Mutano)

    Isso é a vida real?

  • Henrique Tavares

    Fiquei aliviado que pularam o Adventure of Link. Até merecia um cast próprio e tudo, mas isso significaria mais três anos até A Link to the Past!

    • Carlos Eduardo Galvani Nascime

      No primeiro cast eles já falaram doAdventure of Link. Tomara que não pulem o Link’s Awakening, já que ele é basicamente os Zeldas de hoje em dia em 2D, mais que o próprio Link to the Past.

      • Henrique Tavares

        Rapaz, pior que é verdade! Mas eu lembro de tudo que falaram do 1 e nenhuma vírgula do que falaram do 2, passei anos esperando ele ser o Vol 2 :O

  • Manteiga No Biscoito

    Eita!

  • Juliano Almeida (Mutano)

    André, o comecinho está com um erro, nada que estrague o cast, mas caso tenha passado e tu não viu eu estou aqui avisando. 😀

    Beijo gato.

    • André Campos

      Verdade, valeu! Corrigido!

  • Luís Beber

    Muito bom o conteúdo do episódio, muito bom mesmo! Pena que a edição deixou a desejar um pouco, as trilhas do nada aumentavam o volume engolindo o áudio, pareciam todas bem foras. Os efeitos sonoros principalmente ficaram com um timing ruim dessa vez, em outros episódios estavam encaixados bem melhor. Poderia ter lançado na segunda feira e dar mais uma revisada. Força aí André. o/

    • André Campos

      Droga! Corrigidos!

  • Scott Pilgrim boladão

    Finalmente!!1 o/

  • Pingback: DASH #67: The Legend of Zelda (Vol.2) – Podflix - Jogabilidade - Podcast()

  • Manteiga No Biscoito

    A edição ficou meio estranha, mas foi um ótimo cast.

  • Erick Felipe Volutao
  • Henrique Tavares
    • Insidia Rock

      Não compartilho da forma que via, mas é realmente engraçada. hehe

    • Manteiga No Biscoito

      Não via assim, mas parece bem mais interessante.

  • smokingvader

    Pelamor, alguém me conta que remix é esse aos 57 min

    • smokingvader

      nevermind, é do pretzel

  • Uma pena que vocês nunca lembram de dois dos meus “Zeldas” preferidos: Oracle of Seasons e Oracle of Ages. Acho que parte do que admiro neles é como conseguiram colocar tanto conteúdo e tanto segredo em uma fitinha para Gameboy Color, fora que ambos jogos se completavam e dialogavam, como era com Pokémon (eu lembro de ter um cartucho e meu amigo outro, logo, quando você terminava um dos títulos ganhava um password para ser inserido em um new game + do outro título e isso liberava NPCs extras, anéis novos e até equipamentos diferentes, fechando o new game + você ganhava novos códigos, trocava novamente entre os títulos e vinha mais uma rodada de novos segredos no NG++). Parabés pelo cast, ficou foda!

    • André Campos

      Eu nunca terminei nenhum dos dois. Eventualmente a gente espera cobrir eles por aqui!

    • Henrique Tavares

      Isso é verdade, é incrível como esses dois jogos são divertidos. Teve um tempo na época do PS3 em que estava meio estafado de tantos jogos AAA que fui tentar jogar algo mais simples e antigo, e acabei escolhendo o Seasons. Eu fiquei maravilhado com o quanto o jogo podia ser dinâmico, divertido, e até complexo sendo extremamente limitado como é qualquer jogo de GBC. Alguns pixels pra cada objeto, umas cinco cores na tela toda, e mais imersivo do que muito jogo realista que eu tava jogando na época.

  • afonsilho

    O único Zelda que joguei foi o Ocarina, que é muito bom, eu quero ainda jogar os outros. Eu acho incrível como tem coisas que parecem inovadoras mas já existiam no Zelda, tipo eles inventaram muita coisa, uma delas que ouvindo o podcast fiquei surpreso é o baú que te segue, eu joguei o Don’t Starve e achei genial essa ideia, porem não sabia que não era o primeiro jogo a criar isso, kkkk excelente podcast.

  • Tony Horo

    Sobre o piso de gelo do LttP:

    https://www.youtube.com/watch?v=sn1GjF_6pDA

  • rafaelqa

    Gente, só um adendo, ouvindo o podcast aqui agora, a Triforce existe como algo “pegável” em Ocarina of Time. O que acontece é que quando o Ganondorf toca na triforce pra pegar ela, aproveitando a “besteira” do Link de ter aberto o ‘sacred realm’, a Triforce se parte, porque o Ganondorf não era digno de possuir ela. (Pra possuir a triforce você tem que ter coragem, sabedoria e poder em igual dentro de você)
    Quando a triforce quebra dessa jeito, os pedaços dela vão para as pessoas que mais representam cada uma das características dela. A Triforce do poder ficou com o próprio Ganondorf, a da coragem foi para o Link e a da sabedoria foi para a Zelda. Como ele não era digno de usar a triforce, o único jeito do Ganondorf abusar do poder dela seria pegando os pedaços à força. (Que nem ele faz no Wind Waker.)

    (Inclusive, outro fato curioso, o Ganondorf de Ocarina é o mesmo de Twilight Princess e o mesmo de Wind Waker também)

  • rafaelqa

    E gente…funciona sim juntar todas as histórias de Zelda em um pedaço só, todos os Zeldas pós “A Link to the Past” fazem TOTAL sentido com a cronologia. Ás vezes é decepcionante o quão pouco vocês sabem dos próprios jogos que estudaram para fazer o cast.

  • Benício

    Terminei lá no ano de 94 ou 95, sem saber sobre as flechas para matar o Ganon e foi muito demorado para mata-lo. Um dos meus maiores arrependimentos na vida foi trocar a fita dele por Monopoly do Snes.

  • Gilson Ríspoli

    Espera… Como assim teve um desejo no final do Torneio das trevas de Yuu Yuu Hakusho e esse foi o motivo da Genkai voltar viva?!?!?!! COmo assim?!?!?!? Cresci sem entender muito como ela havia voltado, achando que era desenho japonês (CDZ)… de repente a revelação….. ahuhauahuhuauh Bela surpresa

  • Jota Corrêa

    Foi o primeiro Zelda que joguei, mas tá longe de ser meu favorito… Não por limitação nem nada, mas todos os outros 2D que vieram depois são melhores que ele. Link’s Awakening que é feito naquela caixa de prego que era o Gameboy me passou muito mais prazer do que o ALTTP, mas é só eu cagando regra antes de ouvir o cast kkkk
    Espero que falem daquela bullshit que é a dungeon de gelo. Odeio aquele lugar!

  • ilucasz

    Deus… Eu ouvi mesmo gente falando que Majora’s Mask é ruim? Devo estar em uma onda de ácido mal sucedida…

  • ilucasz

    Gente… O tio do Link não morre, ele só fica mal e não pode continuar lutando. E nos créditos ele melhora e aparece junto do link, erguendo uma espada.

    • André Campos

      Morre, assim como o rei de Hyrule. Os dois aparecem vivos no final por conta do desejo que o Link faz à Triforce.

  • marcos

    FINALMENTEEEEEEEEEEEE!!!! Espero que o próximo não demore

  • Vi

    A pedidos do nosso host André venho dizer que amei o cast.
    Sim, sou um daqueles consome tudo porém raramente comenta. Mas vale ser dito que tudo deste cast foi bom. Acompanhei os streamings (não ao vivo) do jogo todo e ouvi o cast e foi fantástico.
    Continuem o bom trabalho ^^

  • Pedro Guilherme

    Pela incapacidade de comentar antes, queria apenas vir aqui e dizer que o cast foi muito bom! Tanto que eu não saberia o que acrescentar a não ser dizer que fico no aguardo do volume 3 :3

  • Dudley_o_Boxista

    Estou jogando Links Awakening e meu único desejo é não pularem ele, que jogo fantástico. No mais, muito bom o podcast, gostaria de recomendar a série de vídeos do Mark Brown sobre o level design das dungeons de Zelda, mais tarde edito com o link.

  • Pingback: Título Falso 07: O Despertar da ZELDATONA | Offline Play()