Vértice #78: Saí de Casa, Peguei Pokémon

2016-07-15T22:48:47+00:00 15 de julho de 2016|Vértice|57 Comentários

[vc_row type=”in_container” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”3/4″][vc_column_text]Depois de toda uma geração se trancando dentro de casa para fugir da realidade, eis que surge uma nova era: onde o virtual vai para a rua e deixa tudo mais bonito e divertido, uma era onde os Pokémons são tão reais quanto a vontade de viver. E nós temos que pegar todos!

Infelizmente, não é isso que André, Rick, Sushi e Corraini farão, pois eles ainda estão dentro de casa falando sobre o inseguro, mas competente Sherlock Holmes: The Devil’s Daughter, o seguro que beira à perfeição Inside e o surpreendente e inesperado Furi.

No bloco de notícias, discutimos polêmicas como a Warner Bros. pagando YouTubers para falarem de Shadow of Mordor, golpes, mentiras e crianças viciadas em apostas com Counter-Strike GO, Pokémons vindo para a nossa realidade e nos jogando numa completamente diferente, e a saída do querido Adam Boyes da Sony para voltar a se aventurar no mundo do desenvolvimento de jogos.

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de.

Links:

[/vc_column_text][/vc_column][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”1/4″][vc_column_text][fap_track url=”http://media.blubrry.com/bilid/content.blubrry.com/bilid/vertice_ep78.mp3″ title=”Vértice #78″ share_link=”http://jogabilida.de/2016/07/vertice-78/” cover=”http://jogabilida.de/wp-content/uploads/2015/11/photo_2015-11-12_15-56-43.jpg” meta=”Saí de casa, peguei pokémon” layout=”grid” enqueue=”yes” auto_enqueue=”yes”][/vc_column_text][vc_raw_html css=”.vc_custom_1448870167039{margin-top: 30px !important;}”]JTNDZGl2JTIwaWQlM0QlMjJmZWVkLWJ1dCUyMiUyMHN0eWxlJTNEJTIydGV4dC1hbGlnbiUzQSUyMGNlbnRlciUzQiUyMiUzRSUzQ2ElMjBzdHlsZSUzRCUyMmRpc3BsYXklM0ElMjBibG9jayUzQiUyMGNvbG9yJTNBJTIwJTIzZmZmJTNCJTIyJTIwaHJlZiUzRCUyMmh0dHAlM0ElMkYlMkZnYW1lcy5qb2dhYmlsaWRhLmRlJTJGJTIyJTIwdGFyZ2V0JTNEJTIyX2JsYW5rJTIyJTNFJTNDaSUyMGNsYXNzJTNEJTIyZmElMjBmYS1yc3MlMjBmYS0zeCUyMiUyMHN0eWxlJTNEJTIyZGlzcGxheSUzQSUyMGlubGluZS1ibG9jayUzQiUyMG1hcmdpbiUzQSUyMDAlMjAxMHB4JTNCJTIyJTNFJTNDJTJGaSUzRSUyMCUzQ3AlM0VGZWVkJTIwUlNTJTNDJTJGcCUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZkaXYlM0UlMEElM0NkaXYlMjBpZCUzRCUyMml0dW5lcy1idXQlMjIlMjBzdHlsZSUzRCUyMnRleHQtYWxpZ24lM0ElMjBjZW50ZXIlM0IlMjIlM0UlM0NhJTIwc3R5bGUlM0QlMjJkaXNwbGF5JTNBJTIwYmxvY2slM0IlMjBjb2xvciUzQSUyMCUyM2ZmZiUzQiUyMiUyMGhyZWYlM0QlMjJodHRwJTNBJTJGJTJGaXR1bmVzMi5qb2dhYmlsaWRhLmRlJTJGJTIyJTIwdGFyZ2V0JTNEJTIyX2JsYW5rJTIyJTNFJTNDaSUyMGNsYXNzJTNEJTIyZmElMjBmYS1tdXNpYyUyMGZhLTN4JTIyJTIwc3R5bGUlM0QlMjJkaXNwbGF5JTNBJTIwaW5saW5lLWJsb2NrJTNCJTIwbWFyZ2luJTNBJTIwMCUyMDEwcHglM0IlMjBjb2xvciUzQSUyMCUyM2ZmZiUzQiUyMiUzRSUzQyUyRmklM0UlMjAlM0NwJTNFSXR1bmVzJTNDJTJGcCUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZkaXYlM0U=[/vc_raw_html][vc_raw_html css=”.vc_custom_1448870206131{margin-top: -25px !important;}”]JTNDYSUyMGhyZWYlM0QlMjJodHRwJTNBJTJGJTJGeW91dHViZS5jb20lMkZqb2dhYmlsaWRhZGUlMjIlMjB0YXJnZXQlM0QlMjJfYmxhbmslMjIlM0UlM0NpJTIwY2xhc3MlM0QlMjJ5b3V0dWJlLWJ1dCUyMGZhLXlvdXR1YmUtcGxheSUyMGZhLTJ4JTIyJTNFJTNDJTJGaSUzRSUzQyUyRmElM0UlM0NhJTIwaHJlZiUzRCUyMmh0dHAlM0ElMkYlMkZmYWNlYm9vay5jb20lMkZqb2dhYmlsaWRhZGUlMjIlMjB0YXJnZXQlM0QlMjJfYmxhbmslMjIlM0UlM0NpJTIwY2xhc3MlM0QlMjJmYWNlLWJ1dCUyMGZhLWZhY2Vib29rJTIwZmEtMnglMjIlM0UlM0MlMkZpJTNFJTNDJTJGYSUzRSUzQ2ElMjBocmVmJTNEJTIyaHR0cCUzQSUyRiUyRnR3aXR0ZXIuY29tJTJGam9nYWJpbGlkYWRlJTIyJTIwdGFyZ2V0JTNEJTIyX2JsYW5rJTIyJTNFJTNDaSUyMGNsYXNzJTNEJTIydHdpdC1idXQlMjBmYS10d2l0dGVyJTIwZmEtMnglMjIlM0UlM0MlMkZpJTNFJTNDJTJGYSUzRQ==[/vc_raw_html][divider line_type=”Full Width Line” custom_height=”20″][toggles][toggle color=”Extra-Color-1″ title=”Trilha do Podcast”][vc_column_text]

  • “Late Nite Funk Squad”, por David Tobin, Jeff Meegan e Malcolm Edmonstone
  • “Do You Know Me”, por Vant

[/vc_column_text][/toggle][toggle color=”Extra-Color-1″ title=”Blocos do Podcast”][vc_column_text]

  • Sherlock Holmes: The Devil’s Daughter: 00:05:24
  • Furi: 00:18:21
  • Inside : 00:38:55
  • Warner Bros. sorrateira: 00:51:59
  • O esquema do CSGO Lotto: 01:07:26
  • Pokémon GO: 01:22:30
  • Adam Boyes deixa a Sony: 01:45:19

[/vc_column_text][/toggle][/toggles][/vc_column][/vc_row]

  • Manteiga No Biscoito

    Só passei pra lembar que Bulbasaur é o melhor pokemon. Até mais!

  • Rafael Nonato da Silva

    Não consigo baixar por algum motivo! 🙁

  • Corginho, o descolado!!!

    Eita Caio, que feio usar teu conhecimento sobre as dificuldades das minorias pra ficar esculachando a galera conservadora internet a fora e inflar seu ego.

    • Scaravich

      Vai tomar block só por isso. Kkkk

      • Corginho, o descolado!!!

        Mais um, pra coleção hahahahaha

    • Redator do Republika Pop

      Mas e a tolerância?

      • Corginho, o descolado!!!

        Olha você aqui, e aí Tutubarão?

        • Redator do Republika Pop

          Estou esperando meus 15 views por vídeo aumentarem. Alguém aqui tem que trabalhar.

      • Tolerância só pra quem pensa igual a mim. Estamos em 2016.

        • Redator do Republika Pop

          Tu veio aqui pra pescar? Sai dessa.

    • Você só diz isso porque você não é especial. Veja bem, eu sou especial.
      Todos aqui somos especiais, mas você não. Somos todos antenados com as
      mudanças geo-políticas que ocorrem no mundo, e estamos mudando o mundo a
      partir dos nossos twitters. Você é uma pessoa que não importa, ponto
      fora da curva, apenas pelo fato de não concordar comigo.
      Eu, por
      exemplo, só peço empatia quando estou sendo atacado pelas pessoas que me
      refiro como “haters”, mas quando outra pessoa qualquer comete um
      deslize, eu vou em cima que nem um urubu vai na carniça.
      Criei regras
      apenas na minha cabeça com as quais julgo todas as outras pessoas, mas
      essas mesmas regras não valem para mim. Sou especial.

      • Redator do Republika Pop

        Nossa cara, se mata.

        • Caro hater, eu “hatero” que sou especial. Por favor, recolha-se à sua insignificância.

          • Redator do Republika Pop

            Eu nem sei porque respondi. Pra quê essa parede de texto? Era só dizer que não concordava e ponto.

          • Pelo mesmo motivo que se faz qualquer coisa na internet, ué. Para receber aquele velho tapinha nas costas virtual, para inflar meu já combalido ego (eu uso google alerts pra procurar meu nome). Cada like, cada retweet que eu recebo causa um jorro (ui!) de serotonina no meu cérebro, como se fosse uma droga. Eu me sinto bem mesmo sem ter feito nada de importante, apenas tendo pessoas que retweetem minha opinião.

          • Redator do Republika Pop

            Ah, é uma ironia. Ah, tá.

          • Não, cara, aí é que tá! Não é uma ironia, é a mais pura verdade. Você não consegue entender? Eu até hoje estou esperando receber o prêmio de “melhor opinião da internet”. Eu sonho com isso todo dia quando encosto a cabeça no travesseiro. Eu lá no Prêmio Nobel, e sendo anunciado “Pela sua opinião na internet, o prêmio nobel da paz”.
            É tipo um vício, cara. Você não entenderia. Tente postar bobagens intelectualóider, e você vai ficar viciado em retweets e compartilhamentos, igual a mim. É um caminho sem volta, mas eu me sinto especial quando isso ocorre. Posso estar sendo despejado, minha mulher pode ter me deixado, mas enquanto eu estiver com o meu avatar de arco-íris e postar uma macro de alguma frase qualquer, tudo estará bem.

          • Redator do Republika Pop

            Eu não acho que você esteja errado (é verdade até demais…), eu só não entendi o que isso tem a ver com minorias.

          • Eu uso como pretexto para atacar os outros que discordam da minha opinião, ué. Não é o que todo mundo faz? É o escudo perfeito. Eu me ponho como defensor das minorias, e qualquer contra-argumento seu, por mais perfeito que seja, estará atacando as minorias por tandem, o que é bom para mim, pois você acabou de cair em uma armadilha falaciosa. Nenhum ataque meu, por mais pervasivo que seja, será posto em cheque, visto que foi tudo em nome das minorias. Você está entendendo? Imagine que eu faça um textão explicando o porquê dos direitos dos animais. Aí eu coloco no final “Se você não se importa com os direitos dos animais, você não é humano”. Você não tem como responder isso, pois qualquer coisa que responder cairá na armadilha de que você não é humano.
            É um jogo de vitória-vitória. Não tem como eu perder!

          • Redator do Republika Pop

            Tudo isso pra ganhar uma discussão de internet? Sei lá, isso não vai mudar nada mesmo.

          • Mas aí é que tá. Veja bem, a sua rede social hoje em dia, é como um outdoor para o mundo exterior. É o que chamávamos de “máscara para a sociedade” antigamente. Assim como num outdoor, você pode enfeitar, colocar adereços e até um slogan. Sim, um slogan corporativo! A sua imagem na internet está ficando igual a de uma empresa. Tem slogan, mote e demais bobagens publicitárias.
            Não importa que você não faça absolutamente nada de bom na vida real, que chute os pedintes na rua, que não ajude crianças carentes, que bata na mulher/marido, se você for a Madre Teresa nas redes sociais, pois assim é como a maioria das pessoas vai te conhecer. Coloca um avatar de luto do último ataque terrorista, uma bandeira de arco-íris, pinta o cabelo de azul e tira uma selfie, e segue todas as pessoas do meio. É isso que vale! Não interessa fazer algo de bom, e sim propagar aos quatro ventos que você está fazendo (mesmo que não faça). É um marketing pessoal. Você deveria ser premiado por suas opiniões.

            Digamos que você queira ajudar alguém que esteja passando necessidades. Não dê dinheiro, não dê roupas, não dê comida. Tire uma selfie com ele e peça que as pessoas do seu facebook o ajudem. Assim você não faz nada e ainda sai bem na fita. Entendeu?

          • Redator do Republika Pop

            Olha, eu tô rindo aqui, mas nem tem como discordar. Eu entrei nessa dança pensando que era só um troll do sodapop, mas realmente não tem como. As pessoas fazem isso desde sempre, tem até aquele caso antigo das pessoas irem fazer casas na África só pra tirarem uma foto. Esqueci o nome, acho que era “Turismo de ajuda”, que mais atrapalhava do que realmente ajudava, já que lá tem carpinteiros e pedreiros de sobra, o que eles precisam é de material.

            Tu é de algum outro podcast? E o que diabo é tandem?

          • Não é aquele “virtue signalling”?
            Não sou de podcast, trabalho num estúdio indie. Tandem é “junto”. Sempre use buzzwords ou palavras em latim para ganhar uma discussão na internet. Só tome cuidado para não cometer o deslize, igual o Felipe Neto quando disse que Malakoi era do Hebraico.

          • Redator do Republika Pop

            Virtue Signalling é pela internet, é o que chamam de “raising awareness”. Eu realmente esqueci o nome desse tipo de turismo, vou dar uma procurada.
            Se tu é indie, olha que os caras não te entrevistam aqui hein, hah.

          • Tem aquele slum tourism, tem até no Brasil. Visitar favela pacificada, sambar com o pessoal do movimento.
            E sobre a entrevista, tem uma galera que nunca vai ser entrevistada aqui mesmo (ha ha), e tem gente que nem quer. Essa galera fica no hangout, tem nojo de podcast. Elitismo indie, você vê por aqui!

          • Redator do Republika Pop

            Beleza. Vou te positivar só pra te manter viciado em serotonina.

          • Valeu, obrigAhhhhhhhhh

          • Timothy Daltonico

            Só uma pergunta: e vc acha isso normal? Já pensou QUANDO (não é nem “se”) todo mundo começar a fazer isso?

          • Timothy Daltonico

            Se eu tivesse 3 pedidos para fazer a um gênio, um deles seria pedir para isso que vc diz seja ironia.

    • Timothy Daltonico

      De algum modo o cara tem que demonstrar poder, para inflar o ego. Típico.

    • Eita pessoa que se esconde atrás de um nome fake e um avatar de cachorro, que feio usar seu tempo livre na internet para apenas perturbar as pessoas e não fazer nada de útil pela vida de ninguém.

  • Pingback: Vértice #78: Saí de Casa, Peguei Pokémon – Podflix - Jogabilidade - Podcast()

  • Takao

    Olá

    • André Campos

      Oi

      • Takao

        Isso aqui é meio merda

        • André Campos

          Né?

  • Benjamim Arrola

    Blastoise!

  • Corginho, o descolado!!!

    @Jonas Gaburcio – BRJAM @Redator do Republika Pop mas gente… hahahahahaha

    • Redator do Republika Pop

      Eu gostei do “eu hatero”.

      • Corginho, o descolado!!!

        Foi a parte mais xow!!! hahahahahahaha

      • Omelete Box

        Eu também, huahuahuhaua

  • Corginho, o descolado!!!

    Censuraram o Takao, fascistas!!!!

    • Omelete Box

      Ele tá com isso em todos os sites. Devem ter denunciado ele pra moderação do Disqus.

  • Corginho, o descolado!!!

    Eu também censuraria.

  • Omelete Box

    Eu ia perguntar sobre o que era o episódio, mas os comentários tão mais interessantes. Até tirei print.
    O rapaz ali falou de ser especial, ele tá falando de quem eu acho que ele tá falando?

    • Redator do Republika Pop

      Acho que foi mais um comentário geral, mas muita gente no meio age assim mesmo, só que se escondem atrás de floreios e “palavras de ordem”. Eu até fui atrás daquele negócio que aconteceu no Lektronik ano passado, com o Gus Lanzetta. Foi igualzinho ao comentário do Jonas.

      • Omelete Box

        O que foi que houve? Eu não lembro.

        • Redator do Republika Pop

          Só um paladino das internets desmascarado. Dá uma lida aí:
          https://www.facebook.com/LevanteNegro/posts/420599314817420

          • Omelete Box

            Putz, li tudo aqui. Que história foda. É bem mesmo a cara dessa galera que paga de paladino na internet. Até o comentário de “eu posso fazer piada porque sim (sou especial), mas vocês não” saiu igualzinho. Eu já sabia que a comunidade do Lektronik era um poço de câncer, mas ver eles mesmo se virando contra o Gus foi lindo e triste, ao mesmo tempo.

  • ednaldofilho

    Que pessoalzinho chato. Vamos falar sobre o Cast não ficar construindo picuinhas virtuais, não curto isso pessoalmente, muito menos pela internet. Grow up guys.

  • Corginho, o descolado!!!

    Bom, espero que não tenha levado pro lado pessoal. Apesar da minha forma escrachada de abordar o assunto a intenção era fazer você refletir sobre o assunto. Reafirmo meu ponto, ficar esculachando que não concorda com você não vai mudar nada, se tu realmente quer mudar as coisas pra melhor, reveja seus métodos. Falous.

  • Gostei bastante de Mad Max.

  • Ricardo Latoch

    O próxima saideira em versos devia ser:

    Go-pro no peito
    celular na mão
    vão para os becos de São Paulo
    pegar uns pokemons

  • Haha…. sobre o comentário de PewDiePie ser a Madre Teresa (Anjo do Inferno) em comparação as demais fraudes no CS GO…https://www.youtube.com/watch?v=_n_OcqljEUk

    Essa mulher explorou a miséria e sofrimento humano como ninguém, assistam este vídeo.

  • Imagina o quão hilário irá ser o episódio de SouthPark sobre Pokemongo GO. O jogo mais retardado e de zumbificação em massa já criado juntamente com LOL, DOTA e WOW.

X