was successfully added to your cart.

Quando confrontados com 14 andares de escadas, foi decidido que era melhor ir para fora da caixa e evitar a fadiga.

E dessa vez uma caixa um pouco diferente, já que André, Rick e Sushi recebem novamente a convidada Miriam Castro (do canal Mikannn) para falar sobre os restaurantes KomahTan Tan Noodle Bar (de novo) e o Taverna Medieval. Mas como nem só de comida vive o ser humano, a gente falou um pouco também do aparentemente assustador Babadook e voltamos 15 anos no tempo para falar de Blink 182 e seu novo álbum.

Tem algum feedback, sugestões de filmes, músicas, séries, apresentações de balé ou qualquer outra coisa? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de.

Links:

Escutar

Adicionar à Playlist Baixar

Trilha do Podcast

  • “First Crush”, por Saberpulse
  • “Magia” por Kalafina
  • “The Bard’s Song”, por Blind Guardian
  • “Humans Are Such Easy Prey”, por Perturbator
  • “What’s My Age Again”, por Blink 182
  • “San Diego”, por Blink 182

Blocos do Podcast

  • Komah: 00:03:03
  • Tan Tan: 00:34:14
  • Taverna Medieval: 00:45:52
  • Babadook: 00:59:57
  • Blink 182: 01:08:22
  • Aehooooo Miriam Castro!! o>

  • Henrique Tavares

    O André apresentou a melhor defesa para o Babadook: assistir o filme pelo filme, não pelo gênero. Como construção de personagem é um filme excepcional. Eu me senti fudido, cansado, destruído como aquela mulher. É um filme absolutamente desgastante de se assistir, mas não se faz ruim por isso. É uma experiência de estar na pele de outra pessoa, uma situação que tenho sorte de só precisar conhecer por um filme. Além disso, o monstro, que argumentam ser desnecessário, eu conseguir enxergar ele, no final, como representação do luto dela pela morte do marido, o que praticamente mudou muito positivamente minha visão sobre ele. Acho que a cena do bicho ainda estar “vivo” no porão deixa isso bem claro e é uma boa sacada.

    • Sushi0

      Quando o filme está com fama de não só ser um bom filme de terror, mas também que é um dos melhores filmes de terror de não sei quantos anos quando a pessoa vai ver ela esperar o que: comédia, drama, ação, western ou terror?
      E quando eu critico o filme eu nem digo que eu acho ele um filme de terror fraco, eu acho ele um filme fraco de modo geral, em momento algum eu comprei a situação da mãe ou me interessei por qualquer coisa rolando nele.

      • Henrique Tavares

        Eu discordo, e que pena que tenha sido uma experiência ruim pra você.

      • Anderson Costa

        achei legal o filme, pq não é um filme sobre um monstro, mas um filme sobre depressão

        • Michell Ribeiro

          Gostei bastante de Babadook quando assisti, e logo em seguida fui ler comentarios sobre ele na internet. Quando eu soube que o Babadook era uma alegoria pra depressão que tomou conta da mãe depois da morte do marido o filme ficou ainda melhor. O cansaço, o surto de raiva, o final com o monstro morando com eles e tendo que ser cuidado. tudo fez muito sentido.

  • Artsyrobo (Marlon)

    slogan de graça pro restaurante:
    “Venha komer no Komah!”

    • André Campos

      Sdds Marlon

  • Outrem

    Babadook é que nem A Bruxa, são ótimos filmes, mas são categorizados como terror sendo que são mais dramas e o sobrenatural é plano de fundo.

  • Verônicaㅤ ‏

    Corraini viajou?

    • Sushi0

      Ele tava editando na hora e não pode participar, mas dá pra ouvir umas ridas dele de fundo haha

      • Verônicaㅤ ‏

        Suspeitei desde o princípio que era ele no fundo xD
        Sushi <3

  • Yuri Ortin Elste Bileski

    O André comentou rapidinho sobre o filme “Precisamos falar sobre Kevin”. Eu só vim aqui ser chato e falar: leiam o livro, pelo amor do buda satânico!
    beijos

    • MarcusVss

      Vim aqui só pra isso tb. Não conheço o filme, mas recomendo demais o livro.

  • Anderson [RiversCroft]

    Eu já falei como eu amo Perturbator nos podcasts? Amo Perturbator nos podcasts.

  • AnaniasJr
  • ArcanoXV

    Dropando uma bomba de nostalgia com umas bandas que vi aqui no meu HD antigo: Ash, Bad Religion, Blink 182, Bowling For Soup, Box Car Racer, Goldfinger, Green Day, Jimmy Eat World, Less Than Jake, Lost Prophets, Motion City Soundtrack, My Awesome Compilation, New Found Glory, NOFX, Offspring, Punchline, Rancid, Rise Against, Rufio, Unwritten Law, Yellowcard.

    Hahaha que época! Às vezes pego pra ouvir de novo, mui bão.

  • Mateus

    Moro no interior e quando fui pra capital comi em restaurantes parecidos com esse, onde a comida é inacreditável e tem coisas diferentes, etc. Lembrei na hora de vocês haahah. Só acho meio assim pagar R$ 120,00 por uma refeição

    • Sushi0

      Concordo que é foda, por isso é pra ir de vez em nunca mesmo.

  • André, Blink 182 foi sim quem trouxe a pegada emo pra grande mídia, mas o gênero tava ali se desenvolvendo no underground desde os anos 80 (post-hardcore), diria até que oficialmente o gênero se afirmou de fato com Sunny Day Real Estate, Cap n’ Jazz e creio que Husker Dü. Mas da leva mainstream recomendo ouvir Dashboard Confessional. Curiosamente atribuem ao Pet Sounds do Beach Boys o álbum mais influente para o gênero mais melódico dentro do hardcore.

    • Ícaro Melo

      Sunny Day Real Estate é excelente, tá esquecendo de Far também, mas não sei se encaixa no meio emo ou mais no post-hardcore.

    • marcelo

      Disse tudo.

  • Jonathan Menegalli

    eu acho que a historia do prato com o nome de bukakke, é tipo o “frango assado” do japão.

  • Lucas

    Blink é nostalgia pura pra minha adolescência e tentativas de montar banda. Valeu pela lembrança André!
    OBS: a Mikan é uma fofa e tem uma química muito legal com vcs. Abraço!

  • Jan Leonardo

    Jesus Cristo, ouvir Blink é muuuuito nostálgico, eu voltei pra San Diego aqui, tanta coisa q vem na cabeça, montar uma banda, andar de skate, quando os dias eram felizes kkkkk, muita coisa.
    Pqp muito foda, acho q chorei um pouquinho aqui kkkkk

  • Babadook é o maior bom

  • Tiago Origuella

    Putz, achei que todo mundo que assistiu Babadook tinha notado que o monstro é a representação da dor que os dois sentem pela morte no pai/marido. Por isso que quanto mais tu tenta esquecer dele, mais forte a dor fica. No fim eles descobrem que tem que enfrentar aceitar essa dor e aprender a conviver com ela.

    Imagino que pra quem não pegou a metáfora, o filme seja ruim mesmo.

  • Fabiano Novaes Ferreira

    Sou muito velho pra Blink, pop punk e tudo isso … acho pop punk uma porcaria gigante.

  • Bonidex

    Babadook é muito bom. Vocês estão malucos. Kkkk No meio do filme eu fiz um milk shake para me confortar de tanto que eu estava com medo. Mas pode ser porque eu estava vendo o filme sozinho, com fone e no escuro. Se eu estivesse vendo com a galera também ficaria fazendo piada e achar engraçado. Mas eu acho o filme muito bem feito.