was successfully added to your cart.

Desde os tempos mais primórdios, a vontade de se juntar e falar de coisas está aí. E por isso mesmo que André, Sushi e Corraini se reuniram mais uma vez e discutiram joguinhos e notícias.

Desta vez a conversa em ritmo carnavalesco foi sobre o fofo e real Night in the Woods, o surpreendente e excelente Horizon: Zero Dawn e o nem tão elite assim, Sniper Elite 4.

E nas notícias, o fim do Steam Greenlight e o que o substituirá, Eric Wolpaw, escritor de Portal, deixando a Valve para vender limonada, o possível retorno de Call of Duty para segunda guerra mundial, a história do Switch roubado e a recente polêmica em volta de PewDiePie.

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de.

Links:

Escutar

Adicionar à Playlist Baixar

Trilha do Podcast

  • “Late Nite Funk Squad”, por David Tobin, Jeff Meegan e Malcolm Edmonstone
  • “Desde os tempos mais primórdios”, por Unidos do Caralho a Quatro

Blocos do Podcast

  • Sniper Elite 4: 00:06:19
  • Night in the Woods: 00:21:00
  • Horizon – Zero Dawn: 00:35:11
  • Fim do Greenlight: 01:00:52
  • Eric Wolpaw deixa a Valve: 01:14:06
  • Call of Duty na Segunda Guerra?: 01:17:52
  • Era uma vez um gênio que comprou um Switch roubado: 01:28:02
  • PewDiePie e suas polêmicas: 01:36:07
  • Gradash

    qual o link do questionário?

  • Henrique Tavares

    Eu estava conversando com uma amiga sobre o PewDiePie quando as notícias dele tavam pipocando o tempo todo, e curioso como chegamos à exata mesma conclusão: ele provavelmente não é nenhum nazistinha, só realmente BURRO.

  • Anônimo

    Interessante, mas eu acho que quando 99% da opinião de todo mundo é contrário a sua mas mesmo assim vc so sabe gritar racista, opressor… Interessante como ninguem no planeta terra que discorda da visão de vcs de qualquer ponto de vista, como por exemplo a eleição de Donald Trump.. E olhe que não estou aqui para apontar se ele é o certo ou errado, so estou falando que pelo fato do cara ter votado ou ter considerado que por algum motivo Donald Trump seria melhor que a Hillary Clinton esse cara a partir deste momento é um ser humano desprezível.

    Vamos então concluir que quase 50% das pessoas dos Estados Unidos são pessoas deploráveis, então logo vem a questão… o que seria melhor para os USA, visto que na opinião de vocês o processo democrático falhou e simplesmente ninguem que é contrário a Trump consegue seguir em frente nas suas vidas? Seria melhor então uma ditadura? visto que o povo não sabe escolher?

    Essa cultura de pensamento binário que as redes sociais ajudaram a disseminar está beirando o insuportável, você não consegue mais considerar os dois lados da questão, raciocinar por si só e chegar a uma conclusão que não seja extremista para um lado ou para o outro.. Ou é Like ou Dislike, ou é um extremo ou é outro…

    Lembrando que não votei no Trump, e sequer votaria, tão pouco na Hillary.. Sendo eleitor nos USA, exerceria meu direito de NÃO votar e o resultado seria o mesmo, novamente a questão, o certo seria então uma ditadura de esquerda? Visto que o povo não sabe escolher(seguindo o pensamento amplamente difundido pelos ilustres amigos).

    Por fim, gostaria de receber uma resposta honesta, sem trollagem, visto que não entendi o hate pelo jontron, foi por causa dos tweets dele sobre a woman’s march? quer dizer que por que ele simplesmente não concorda com isso agora ele é um vilão, e no caso do Elon Musk? pq ele de alguma forma concorda com qualquer coisa que o trump fala ele é o vilão? Cadê o direito de pensar e tirar suas próprias conclusões? Estou aqui fazendo questionamentos e não afirmações, mas esses questionamentos não vão atingir a maioria de vocês, se é que vai ao menos ser considerado por alguém.. Não se existe liberdade quando se é exigido que todos pensem igual, tá mais para uma ditadura velada… A soberba precede a ruína, tenho 30 anos e no decorrer deles ja mudei de opinião a respeito de muitas coisas nessa vida e tenho certeza de que vou mudar muitas vezes mais, so acho impressionante o fato de vcs acharem que detêm todo conhecimento, moral, razão e lógica do mundo e qualquer um que discorde de vocês automaticamente é o hitler encarnado…

    Quanto ao PewDiePie, definitivamente concordo com o que vcs falaram, embora considero que o WSJ fez foi pra chamar atenção, e usou de má fé para descontextualizar todas as “piadas” do cidadão..

    • André Campos

      “So acho impressionante o fato de vcs acharem que detêm todo conhecimento, moral, razão e lógica do mundo e qualquer um que discorde de vocês automaticamente é o hitler encarnado.”

      Meu deus, que podcast você escutou? Hahaha! A gente só expressou desapontamento por que pessoas que a gente admirava expressaram pensamentos com os quais a gente discorda. Em nenhum lugar dissemos que eles são monstros, em nenhum lugar dissemos que quem votou no Trump é um ser humano desprezível (embora o Trump sim seja), em nenhum lugar sequer chegamos perto de propor uma ditadura de esquerda. Do que você tá falando hahaha?

      Nesse exato mesmo podcast eu defendi que, mesmo com tudo de ruim que ela pode trazer, não existe sistema melhor que a democracia, na parte do Greenlight.

      É ok discordar de pensamentos que você não curte, é ok ficar decepcionado com pessoas que você se identificava e percebe que pensam diferente em pontos tão importantes (no caso do Jontron foi, por exemplo, dizer que há um sentimento anti-brancos, e que a Women’s March é sexista), e é ok continuar ou não acompanhando eles depois. Eu continuei acompanhando o Louis CK e provavelmente continuarei acompanhando o Jontron se os vídeos dele continuarem sendo tão bons. Em nenhum momento eu ou qualquer outro participante se posicionou dessa forma extremista que você pinta aí.

      Ao meu ver uma das atitudes que deixa conversas sobre política tão tóxicas na internet e me dá tanta preguiça de participar delas, é o famoso “time to Hitler”, que é quando alguém pega o argumento do outro e hiperboliza ao extremo para mostrá-lo errado, eventualmente chegando a compará-lo com Hitler. Que foi meio que o que você fez no seu comentário.

      E sim, pelo menos concordamos que o WSJ agiu de muita má fé e de forma sensacionalista.

    • Redator do Republika Pop

      Todos somos especiais na internet, Anônimo. Alguns mais do que outros. Tenho mais ou menos a mesma idade que você, e te digo que apenas relevo esse tipo de preciosismo adolescente que a mídia podcast (não só este podcast, deixo bem claro), começou a disparar de uns tempos para cá. Se for ficar puto com cada besteira que dizem por aí, você não vai ter mais tempo para nada, só para ficar puto. Então, apenas entenda que as pessoas se acham especiais, e que nada vai mudar isso.
      Como aquela frase do Clint Eastwood bem preconiza: “dentro da sua cabeça você é uma lenda, garoto”. Só que na realidade, heh…

      • Malvadão

        Eu concordo discordando.
        Existe mesmo essa tendencia de pessoas que pertencem ou falam sobre a area cultural se colocarem numa posição se superioridade moral, e já é assim a muito tempo, mas discordo que a gente tenha que relevar tudo.

        No podcast eles se colocaram do lado da mídia, mesmo com todo esse lance de fake news, só para atacar o humor políticamente incorreto do Pewdiepie e posar de bacana. Com essas besteiras eles acabam influenciando pessoas. É o tipo de postura que tem que ser criticada mesmo.

        • Redator do Republika Pop

          Eu entendo a sua posição. Me refiro a relevar aqui no Jogabilidade, já que eles já tem um histórico de cagar regra, e todas as críticas que vi aqui sempre foram respondidas com “Estou sendo haterizado” ou o já clássico “Então por que ouve?” do André. O conteúdo dos caras é de boa qualidade (embora tenha decaído esse último ano), por isso eu relevo esse tipo de cagação de regra passivo-agressiva, principalmente do André. Você tinha que ver a época que o Corraini trazia as brigas de twitter dele pra cá, e algum mod passava e apagava uns 40 comentários. Era bem pior. Hoje em dia só tem alguns fãs emulando o jeito, pode ver que nem se dispuseram a argumentar, só chegaram e disseram “parabéns a todos por perder tempo com isso.” Especiais.

          Por isso eu digo que todos somos especiais. Ponha o bigode, o chapéu, e aproveite a estadia.

          • Anônimo

            ainda tem gente apagando comentários amigo, comentei respondendo ao @disqus_WgU7F4T3Sv:disqus o motivo de eu postar anonimo, que seria porque eu nao estou disposto a aturar chatos de plantão me enxendo no meu email / redes sociais. E também questionando quem colocou o jogabilidade como barômetro moral da sociedade.. nunca fui informado dessa lei universal.

            esse comentário ultra ofensivo foi excluido quero so ver quanto tempo demora para eles excluirem esse também, lembrando que no último linha quente a lei que eles acham principal num eventual país que tivessem poder seria não seja escroto… a turma de jogabilideiros esquece de falar sobre um parágrafo dessa lei, escrito em letras minúsculas num cantinho do documento. Não seja escroto de discordar de absolutamente nada que eu penso..

          • Redator do Republika Pop

            O jeito é mudar então amigo. Esse tipo de crítica já foi feito aqui várias vezes, e nunca se tocaram. Sempre acharam que estavam sendo “haterizados”, ou talvez até postem o fatídico “a sessão de comentários tá igual ao G1” no twitter. Como eu disse acima, é melhor ir pra outro lugar e evitar de ficar puto por besteira, ou não vai fazer outra coisa na vida além de ficar puto.

            Esse negócio de discordar me lembrou do cara do Anticast. Acho que era Ivan o nome dele? (participou daqui já). Nunca gostou de ser contrariado, até que desabilitou os comentários do blog dele. Sob a mesma alegação de “a sessão de comentários virou o G1”.

            Na boa, eu achava o PewDiePie um tremendo bosta. Nunca gostei do seu conteúdo e do personagem, que era um palhaço para crianças. Mas depois de todo esse embróglio, a única coisa que sinto por ele agora é respeito. Peitou a grande mídia e não se curvou.

          • Malvadão

            Relevar aqui significa relevar em qualquer lugar.
            Gente que se coloca nessa posição de superioridade moral não é aberta ao diálogo em lugar nenhum mesmo, os amigos jogabilideiros não são exceção.

            Ao meu ver, ou você para de consumir os produtos deles, ou, se você ainda tem algum amor pelo que eles fazem, faz as críticas necessárias.

          • Redator do Republika Pop

            Já fizeram esse tipo de crítica a eles diversas vezes, e eles não se tocam. São apenas “haters”, segundo eles. Eu é que não fico dando murro em ponta de faca. Teve um cara que fez uma paródia do Caio aqui, e apagaram todos os comentários dele, pois no fundo era verdade.
            Acho que se você procurar “todos somos especiais na internet” no twitter, vai achar a imagem. Eu não salvei no dia (eu pensava que era só um troll), mas alguém salvou.

          • Malvadão

            Iriam se importar se o público deles começasse a diminuir.

          • Anônimo

            Viram o vídeo do Castanhari sobre bolha social? faz todo sentido, resume bem a situação.

  • Anônimo

    Apagaram o comentário? Sério mesmo, argumentar é muito ofensivo para vcs, alias ter a OUSADIA de questionar vossa magneficiencia é um disparate, uma ofensa digna de ser censurada.. Parabéns por extinguir o resto de credibilidade que eu lhes confiava.

    • André Campos

      Opa, não! Acho que seu endereço e-mail ~pouco usual~ foi barrado pela moderação automática, mas já liberamos! Nem tudo é uma grande conspiração! #fikdik 😉

    • Thiago Nunes

      É muito engraçado anônimo com e-mail falso chilicando na Internet.

  • Crow

    >Polygon

    Dava para pegar um site mais enviesado ? É óbvio que eles iriam crucificar o pewdiepie pela “piada”.
    Vocês claramente só viram o aftermath e opinaram em cima disso, fica claro quando o sushi fala que o pewdiepie humilhou os dois rapazudos e tirando sarro sendo que isso NUNCA aconteceu no vídeo, o que ele fez foi esboçar uma reação de choque, outra coisa não comentada foi o “subscribe to keemstar” que era quem ele está direcionando a “piada”.
    Por favor quando resolverem falar de um assunto mais polêmico tentem ao menos tirar conclusões própria ao invés de deixar outros tirarem por vocês.

    • Redator do Republika Pop

      Polygon é o Meia Hora do jornalismo de videogames. Eu ia dizer Dark Souls, mas já está batido.

      Notícia relacionada: A ligação acidental de For Honor com grupos neo-nazistas

  • Sparkly Bit

    Cheguei atrasado aqui no Vértice.
    Só queria deixar a minha opinião em relação ao caso Pewds comentado por vocês…
    Eu sinto que por conta de toda a repercussão que o caso ganhou, vocês acabaram “pendendo” para o lado da mídia. Quem viu essa história desde de o começo sabe como o tom do vídeo era outro, e que essa polêmica só tomou tamanha proporção pois grandes redes de notícias — estas que vem de um contexto completamente diferente do que estamos acostumados e expostos aqui na World Wide Web, ou seja, extremo politicamente correto ~não pode nem usar um nome sem ser autorizado que você corre o risco de perder a cabeça~ — tentaram de forma descarada chamar a atenção e fazer tempestade em copo d’água. Nesse momento, apontar o PewDiePie no lado “errado” e “vilão” da história é dar mais poder para os mesmos.
    Tudo é uma questão de contexto, e no contexto original do vídeo, não foi ofensivo. Quem caiu de pára-quedas no meio da shit-storm já vem logo querendo se distanciar da figura Felix só pelo excesso de politicamente correto.

    “Grandes poderes vem com granes responsabilidades”
    Não é novidade para ninguém que não só o PewDiePie, assim como diversos outros grandes YouTubers “family-friendly” mudaram o conteúdo de seus canais, e isso não é de agora, na verdade já tem um bom tempo. Não acho que seja “justo” dizer o que ele pode ou não pode fazer só porque é o YouTuber com mais inscritos na plataforma. Assim como ele tem o direito de de produzir o conteúdo como ele bem entender, ele também deve receber punição pelo mesmo, IGUAL QUALQUER OUTRO YOUTUBER.
    É bizarro ver o cerco montado pela mídia em busca da “cabeça do PewDiePie”.

    • Redator do Republika Pop

      Não é de hoje que a mídia tradicional odeia youtubers. Não sei se você lembra, mas eles ficaram com cara de tacho quando o PDP disse que ia acabar com o canal dele, e acabou não o fazendo. Se você for pescar opiniões desses jornalistas da blogosfera americana (Kotaku, Polygon, IGN), vai ver que eles odeiam youtubers com todas as forças. Uniram o útil ao agradável. Esperaram um vacilo dele e foram pra cima que nem urubus.

      Como o amigo disse há muito tempo aqui: “Só peço empatia quando é pra mim. Quando os outros erram, vou em cima que nem urubu na carne podre”. Ou algo assim.

    • leonnn1

      Eu concordo, acho estranho alguém que também tem conteúdo no youtube repudiar a postura dele, no fundo ele é só um cara que as vezes faz piadas “pesadas”, nem sei se foi pesada, mas todo mundo faz isso, é ridículo crucificar o cara por uma coisa assim, fora isso ele pediu desculpas, e explicou que não acredita naquilo, e tirou sarro da situação.

      • Shini

        Né? Fui ver o vídeo do cara agora e pra mim ele parecebeu bem ciente de que ele fez merda (diz que acha que você pode fazer piada com tudo, mas tem formas menos ofensivas de faze-las). Não entendi o pessoal falando que ele não se arrependeu e que por isso pode acabar fazendo de novo.

    • Louelson Costa

      Disse tudo, brother.

      Não é de hoje que eu acho que ele exagera na piadas, mas nunca entendi as piadas como ódio. Eram só piadas ruins (para o meu gosto). Mas nesse episódio a mídia realmente caiu em cima. Em alguns vídeos depois da polêmica ele até “brinca”: não vou levantar muito meu braço, se não vão dizer que estou fazendo uma saudação nazista.

      Fora que não é de hoje que a mídia vem pegando frases pontuais dele tirando de contexto e usando pra clickbait. Inclusive fizeram isso com um vídeo em que ele criticava a descontextualização, só evidenciando o que os caras fazem.

      Também não acho que ele humilhou os indianos das plaquinhas, ele ate fez uma “campanha” pro site desbaní-los e tal. Se foi efetivo ou não, não sei dizer.

      Entendi a opinião de vocês, mas achei o comentário do Sparkly melhor colocado.

  • Elon Musk Reverso. Terra 2.

    E esse jogo da sniper ai ein ?

  • Cesaeer

    Unidos do Caralho a Quatro foi a melhor parte do programa.

  • Thiago Nunes

    No nível em que a discussão, reação e reação a reação do lance do PewdiePie chegou, a relevância do ocorrido pro jornalismo de games tá no mesmo nível do twitter do Roger pra música nacional.

    No final, gostei da pontuação do Markiplier sobre o embroglio todo:
    https://www.youtube.com/watch?v=YBMkrXG8KMY

  • Malvadão

    Se o humor do Pewdiepie é de bom gosto ou não é debatível, mas isso não importa nem um pouquinho.
    O que o Wall Street Journal e outros veículos de mídia fizeram é INJUSTIFICÁVEL, atacaram o cara, chamaram ele de fascista e nazista com base em mentiras e piadas tiradas de contexto, tudo para se promover, e não, não se trata de “abrir os olhos das pessoas” como o André sugeriu, isso é assassinato de reputação. O Pewdiepie vai ficar bem, ele é rico, vai continuar fazendo o que faz e provavelmente isso pegar pior para a grande mídia do que para ele, no fim das contas, mas e as pessoas que trabalhavam no programa que foi cancelado? Elas é que vão ficar desempregadas. E essa cultura de fake news que a gente ta vivendo? Ta complicado esse mundo.

    E sobre o humor em si, acho que as piadas são um pouco ácidas as vezes sim, mas não é nada criminoso. Eu gosto particularmente, e até entendo que alguns possam se ofender, mas isso se chama vida. Toda piada tem um alvo.

  • Edson de Freitas

    Sobre o Mel Gibson, ele não misturou o pessoal com o profissional.
    As opiniões dadas por ele na vida pessoal foi a muito tempo, não acredito que uma pessoa tem que pagar pra sempre por um erro.

    Até pq a musica de encerramento do podcast tem frase machista.

    • Julio Cesar

      Ia fazer um comentário parecido, parar de apreciar a obra de alguém, porque, esse alguém é uma pessoa “escrota” é um julgamento seletivo, você não confere a vida de todas as pessoas que produziram algo que você gostou. Mel Gibson é/foi um puta cineastra e como ele leva a vida pessoal dele não vai mudar isso. Se quer julgar a vida pessoal dele, pelo menos saiba separar as coisas.