was successfully added to your cart.

Em busca de teorias, um grupo de jogabilideiros começa a gravar o podcast.

Mas não sozinhos: André Campos, Eduardo Sushi e Caio Corraini recebem Bruna Penilhas (da IGN) para discutir os dois jogos do estúdio dinamarquês Playdead: os minimalistas, inteligentes, confiantes e levemente perturbadores Limbo e Inside.

Como se deu a formação do estúdio e qual foi a importância de Limbo quando lançou em 2010? Por que seu estilo visual funciona e quais as regras que regem seus puzzles e desafios? Seria nosso protagonista um sádico? E o que aconteceu com a irmã dele?

E pulando seis anos no futuro, discutimos os motivos que levaram Inside a demorar tanto para ser lançado, como uma equipe tão pequena foi capaz de criar um jogo tão polido, seguro de si e alguns dos momentos mais tecnicamente impressionantes dos vídeo games, quais os simbolismos e segredos que o jogo esconde, qual o papel de um crânio humano nisso tudo e, afinal, seria o Lula lindo?

Atenção: Esse podcast está cheio de SPOILERS de Limbo e Inside (e um de Braid, desculpa)!

Tá No Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

Links:

Trilha do Podcast

  • “Helix Nebula”, por Anamanaguchi
  • “Light Pollution”, por Lifeformed
  • “Cobalt Blue”, por Lifeformed
  • “New Machines”, por HOME
  • “Tides”, por HOME
  • “Achievement Unlocked”, por Lifeformed
  • “Above All”, por HOME
  • “Deviant”, por DEADLIFE

Blocos do Podcast

  • 00:02:31: Avisos
  • 00:04:11: Limbo
  • 00:44:25: Inside
  • 01:49:55: O Futuro
  • Jandson Vilagrand Joestar

    Oi pessoal, como vão vcs?

    • Gabriel Macena

      Bem, e tu?

    • Alex Amaro

      Tudo ótimo

    • Felipe Fernandes

      oooooooooooooooooh xanaina

    • André Campos

      Eu tô bem, comi cachorro quente com purê de batata hoje, tava bom. Obrigado por perguntar!

  • Gabriel Waltrick

    top 3 melhores aranhas dos games

  • Alex Amaro

    É agora que finalmente vou entender esses jogos m/
    Ou não…

  • Felipe Pimentel

    Ué, cadê o Dudley Boxista que ainda não apareceu aqui com a teoria do câncer?????

    • Dudley_o_Boxista

      Assim que tiver tempo de ouvir eu venho novamente defender essa bela teoria.

  • [SPOILERS]

    A explicação que me dei para as crianças cabeludas, é que eu morria afogado engolindo água tentando me libertar.
    Quando a criança finalmente te conecta ao cabo é tanto pelo cabo estar perto quanto o garoto ter percebido que estando tão fundo, não valia a pena lutar.

  • Doutor Rey Strange

    No fim do programa vocês citam uma maquete de inside, revirei a internet e não achei nada sobre isso…

  • LyC

    Parabéns a todos os envolvidos na ideia de colocar um belíssimo gif na capa do episódio

  • SmokeE3 .

    Notei essa trilha do Furi ein… muito boua!

  • SmokeE3 .

    Sobre a menina na água, eu tenho uma teoria bem diversificada. Ela está lá desde o início querendo te ajudar. Mas por quê então te mata quando você não chega a ponto X, onde ela te salva?
    Porque esse ponto de vista jogável. Mas se vermos a história de uma forma linear, ou seja, os verdadeiros fatos que ocorrem (como se fosse um filme), os cachorros nunca te matam, você consegue escapar deles e ela também nunca te mata, ela está apenas indo atrás de você, e como você está correndo de tudo, você não sabe até aquele momento, que ela estava lá pra te ajudar.

    • SmokeE3 .

      Achei engraçado a teoria do proletariado, já que além de tudo que vocês falaram, o menino (#lulalindo) só consegue manipular as pessoas sem cérebro, com o único objetivo de conseguir realizar o seu próprio objetivo, sem se importar á mínima com eles no final, já que quando ele alcança o seu objetivo, mata o CEO, o que ele faz? Liberta os demais? Não, ele pega o seu grupo seleto do Blob e foge todo atrapalhado, e no fim ele morre na praia.

      • Eu tô esperando muito mais dedo no cu e gritaria com essas nossas piadas hahaha

        • SmokeE3 .

          kkk tbm… no fim faz TODO sentido

        • SmokeE3 .

          caraca, meia hora depois é q realmente entendi o seu comentário… você acha que isso q eu disse é uma gritaria ou q eu escrevi isso pq eu discordava d vcs? Pq não é não, concordo totalmente, mas é claro, essa parte que eu disse á algo que vcs não poderiam comentar no cast por parecer ofensivo á alguns (q vc deve ter achado q sou eu) e tbm pq talvez isso não deve ter passado na ideia de vcs já q pelo jeito vcs realmente adoram o Lula. Então peço desculpas se o ofendi.

  • Excelente edição! Terminei de ouvir e estou fascinado com o tanto de interpretações que eu pude obter depois de jogar, não ter entendido mas finalmente após essa atual edição do Dash eu possa ter pontos nos quais posso me segurar e dar uma linha narrativa maior para minhas experiências com esses dois jogos que, inicialmente, eu admito não ter absorvido quase nada. Prestei atenção mais pelo momento mecânico e seus desafios e depois que eu buscava entender algo além do que somente desafios.

    Parabéns mais uma vez, meninos e que a Bruna volte mais vezes. <3

  • Ótima participação da Bruna. Tomara que ela volte mais vezes.

  • Gabriel Waltrick

    Querido Lula, também conhecido agora como Playdead, melhor parte do episódio

  • FHC

    Gente, essa palestra sobre o Blob não tem link pq faz parte do conteúdo pago da GDC?

    • André Campos

      Exato, infelizmente! Mas acredito que em breve devem liberar, como costuma acontecer.

      • Pedro Marinelli

        Isso é realmente bem ruim pra industria. É tipo paper pago de pesquisa… Só coloca a info atras de um muro. =/

  • Pedro Marinelli

    Hello! Ótimo cast! 😀
    Adorei a participação da Bruna! Volte sempre! 😀

    {{{{ FUCKING POSSÍVEIS SPOILERS }}}}

    Alguns pontos…

    1. A parada das explosões de vento é você que liga! Para sair da área anterior – a dos 20 bonecos – para a próxima a alavanca que abre porta e ativa o contador também liga as rajadas.

    2. Teoria: Eu acredito na seguinte teoria (não fui procurar, só elaborei pra meu conforto): Tudo aquilo é uma empresa testando criação artificial de corpos como mão de obra. Os bonecos são o produto final para se usar em um mundo decadente onde os humanos se tornaram poucos, por isso precisavam dos bonecos.
    Todas as outras partes são testes do que poderia se fazer com os bonecos. Resistência a preção, grandes profundidades, habilidades diferentes, força, resistência a impacto, gravidade e etc. Que podem ser extremos porque o mundo de Inside se tornou extremo e os bonecos seriam forma de explora-lo de forma segura através do controle mental, que seria a ultima e mais poderosa peça: o Blob.

    3. Seguindo essa teoria, a parte da fabrica pra mim eles estão testando e condicionando os bonecos para ver quais podem ir “a campo”, como um teste de qualidade. E eles matam qualquer um (no caso o garoto) que não estiver de acordo pois os bonecos são FEITOS de carne, estrutura biológica humana (como homúnculos), mas precisam não ter mente para facilitar o controle. Qualquer um que desperte qualquer impulso de vontade própria ou não responda corretamente é descartado. Por isso todos os bonecos que usamos durante o jogo tem algum tipo de defeito: andam tronxos, mancando, arqueados, faltam partes ou tem instintos de proteção, comunidade, preservação do próximo…

    4. A parte dos porcos pra mim mostra, como vocês disseram uma ligação com limbo e tal, mas também que algo deu muito errado como uma epidemia algo que matou não só muitos porcos mas muita gente. E o motivos dos caminhos nessa parte seria “que lugar melhor para testar mão de obra escrava descerebrada do que no campo?” e para ver se os bonecos são imunes a merda que deu. Talvez?

    5. Uma das dicas visuais que me faz acreditar que os bonecos são construídos e não humanos é que em diversas partes, conforme vamos entrando na fabrica, vemos eles menos humanos (sem roupas e tal) e ligados a maquinas mas ainda disformes como se ainda não estivessem prontos e até em salas de vidro sendo testados por pessoas (bem ao estilo Westworld alias). E as outras coisas que vemos como a sombra em um painel parecendo uma criatura marinha desforme que pode ser um “falha” na criação de um ser que respirasse em baixo d’água.

    6. Por ultimo sobre os bonecos, apesar de alguns demonstrarem instintos e tal eu acredito que quanto eles estão sendo controlados eles SÃO VOCÊ, e todo o intuito de te ajudar e de ter manter vivo seria como seu corpo tentando se manter junto e vivo, uma consciência com varias partes como coral. Por isso mesmo em partes eles tentam seguir juntos.
    E isso reforça o tema do jogo: Inside, pra mim, significa que – e isso foi uma revelação pra mim – você faz e sempre fez parte do Blob ou da consciência dele e esta tentando VOLTAR PARA DENTRO. Você também é um boneco! Mas consciente e/ou com parte da consciência do Blob por isso você sabe cominho e o que tem de fazer mesmo sendo só uma criança. E seu instinto é o mesma dos outros bonecos: ficar junto, auto preservação…
    Essa parte só não encaixa bem com o final extra, dai dividi em duas ramificações:
    A. Você é uma pessoa mas por influencia do controle mental ou comunicação com Blob você controlado para ir ajuda-lo.
    B. Você não é um boneco e mas conhece os experimentos e alguém próximo a você foi ferido por causa deles, por isso você quer acabar com a porra toda.
    C. Você é um boneco e alguém de dentro que quer acabar com a porra toda esteve te controlando pra fazer isso.

    7. Pra mim o Blob morreu. E ele só queria sair, tanto que a 1a alternativa dele é voltar por onde veio (com o garoto no caso) e alguns ainda tentam impedi-lo, mas quando vêm que não é possível tentam joga-lo em um novo tanque e depois o ajudam por falta de alternativa. Não acho que ele está sendo guiado pois o caminho que ele faz é muito aleatório, não pare realmente um caminho, ele cai diversos andares antes mesmo de chegar a tal maquete e mata umas pessoas no caminho. Fora que o tanque não parecia ser uma falha proposital, parecia ser uma prisão improvisada da qual ele consegue sair.
    E sobre a maquete, acredito que era só mais uma área projetada pela corporação (se você reparar, diversas áreas incluindo a inicial tem uma versão dentro da fabrica como se fosse um teste de recriação de ambientes controlados) e o modo como o Blob chega lá é basicamente colina abaixo, nem ele nem ninguém parecia ter planejado aquilo. Fora que tem muita cara de easter egg de game designer.

    8. Eu sei que o final extra é muito mais uma piada com “o jogador no controle” e tal. Mas tentei conectar o máximo de pontos possíveis. rs

    Valeu pelo ótimo cast novamente e espero ter contribuído com a discussão! o/
    PS: Lembrando que essas são só minhas interpretações. ;D

  • Jeremias Jonas

    Muito legal, parabéns a todos, principalmente a Bruna. E coincidentemente o pessoal lá do Reloading também fez uma edição excelente sobre esse tema esses dias.

  • João Dobbin

    Foda! Daqueles DASH pra apresentar pra galera o site, tamanho orgulho. Só eu pensei o quanto Inside parece um episódio jogável de Black Mirror (mêo)?

  • Anderson

    Eu tava vendo uma entrevista com o criador do jogo Ultima um dia desses, e daria um Dash interessante. Foi muito influente e pouca gente hoje em dia fala sobre.

  • Marcos Henrique

    Qual musica de encerramento? não achei no post de vcs.

  • Limbo é uma obra prima galera. Excelente jogo simples e ao mesmo tempo intenso e profundo. Boa edição e ótimo cast bros!

    Rafael F. Camarda
    Podcaster no Geeks Lab > http://www.geekslab.com.br

  • Darley Santos

    Gosto da presença da senhorita Bruna Penilha. Hey, comunistas everywhere?!? Achei inusitado e legal esta conversa 😉

  • João Vitor Gabler Forni

    Acho que não tem nada mais satisfatório do que já ter jogado os jogos de um DASH antes de ouvir.

  • Tito Oliveira

    Uma coisa que vocês não perceberam e que cementa ainda mais a teoria de que no final o blob simplesmente foi direcionado a outra prisão, é que aquelas árvores da montanha onde ele rola estão completamente fora de escala. O blob tem mais ou menos a altura de duas ou três pessoas, e quando ele está rolando aquela montanha, as árvores são mais baixas do que ele.
    Um forte indicativo de que aquilo tudo é uma grande maquete.

  • Esquerdopata

    DASH é sempre uma alegria