Fora da Caixa #42: Velozes, Furiosos & Cócegas

2017-04-28T13:43:12+00:00 28 de abril de 2017|Fora da Caixa|28 Comentários

[vc_row type=”in_container” scene_position=”center” text_color=”dark” text_align=”left”][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”3/4″][vc_column_text]Após sessão de cócegas eróticas e desviar misseis com as mãos está na hora de dar um tempo da caixa do cotidiano.

Nessa escapada André, Sushi e Corraini se juntaram pra bater um papo sobre o documentário Supersonic, que conta as origens da banda OasisTickled, um documentário sobre o submundo das cócegas (?); o estranho porém interessante Um Cadáver para Sobreviver (Swiss Army Man) e também Velozes e Furiosos 8 (Fate of the Furious).

Tem algum feedback, sugestões de filmes, músicas, séries, apresentações de balé ou qualquer outra coisa? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de.

Links:

[/vc_column_text][/vc_column][vc_column column_padding=”no-extra-padding” column_padding_position=”all” background_color_opacity=”1″ background_hover_color_opacity=”1″ width=”1/4″][vc_column_text][fap_track url=”http://media.blubrry.com/bilid/content.blubrry.com/bilid/Fora_da_Caixa_ep42.mp3″ title=”Fora da Caixa #42:” share_link=”http://jogabilida.de/2017/04/fora-da-caixa-42/” cover=”http://jogabilida.de/wp-content/uploads/2016/02/fdc-capita.png” meta=”Velozes, Furiosos, Cócegas e Oasis” layout=”grid” enqueue=”yes” auto_enqueue=”yes”][/vc_column_text][vc_raw_html css=”.vc_custom_1449180476769{margin-top: 30px !important;}”]JTNDZGl2JTIwaWQlM0QlMjJmZWVkLWJ1dCUyMiUyMHN0eWxlJTNEJTIydGV4dC1hbGlnbiUzQSUyMGNlbnRlciUzQiUyMiUzRSUzQ2ElMjBzdHlsZSUzRCUyMmRpc3BsYXklM0ElMjBibG9jayUzQiUyMGNvbG9yJTNBJTIwJTIzZmZmJTNCJTIyJTIwaHJlZiUzRCUyMmh0dHAlM0ElMkYlMkZuYW9nYW1lcy5qb2dhYmlsaWRhLmRlJTJGJTIyJTIwdGFyZ2V0JTNEJTIyX2JsYW5rJTIyJTNFJTNDaSUyMGNsYXNzJTNEJTIyZmElMjBmYS1yc3MlMjBmYS0zeCUyMiUyMHN0eWxlJTNEJTIyZGlzcGxheSUzQSUyMGlubGluZS1ibG9jayUzQiUyMG1hcmdpbiUzQSUyMDAlMjAxMHB4JTNCJTIyJTNFJTNDJTJGaSUzRSUyMCUzQ3AlM0VGZWVkJTIwUlNTJTNDJTJGcCUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZkaXYlM0UlMEElM0NkaXYlMjBpZCUzRCUyMml0dW5lcy1idXQlMjIlMjBzdHlsZSUzRCUyMnRleHQtYWxpZ24lM0ElMjBjZW50ZXIlM0IlMjIlM0UlM0NhJTIwc3R5bGUlM0QlMjJkaXNwbGF5JTNBJTIwYmxvY2slM0IlMjBjb2xvciUzQSUyMCUyM2ZmZiUzQiUyMiUyMGhyZWYlM0QlMjJodHRwJTNBJTJGJTJGaXR1bmVzMi5qb2dhYmlsaWRhLmRlJTJGJTIyJTIwdGFyZ2V0JTNEJTIyX2JsYW5rJTIyJTNFJTNDaSUyMGNsYXNzJTNEJTIyZmElMjBmYS1tdXNpYyUyMGZhLTN4JTIyJTIwc3R5bGUlM0QlMjJkaXNwbGF5JTNBJTIwaW5saW5lLWJsb2NrJTNCJTIwbWFyZ2luJTNBJTIwMCUyMDEwcHglM0IlMjBjb2xvciUzQSUyMCUyM2ZmZiUzQiUyMiUzRSUzQyUyRmklM0UlMjAlM0NwJTNFSXR1bmVzJTNDJTJGcCUzRSUzQyUyRmElM0UlM0MlMkZkaXYlM0U=[/vc_raw_html][vc_raw_html css=”.vc_custom_1448870206131{margin-top: -25px !important;}”]JTNDYSUyMGhyZWYlM0QlMjJodHRwJTNBJTJGJTJGeW91dHViZS5jb20lMkZqb2dhYmlsaWRhZGUlMjIlMjB0YXJnZXQlM0QlMjJfYmxhbmslMjIlM0UlM0NpJTIwY2xhc3MlM0QlMjJ5b3V0dWJlLWJ1dCUyMGZhLXlvdXR1YmUtcGxheSUyMGZhLTJ4JTIyJTNFJTNDJTJGaSUzRSUzQyUyRmElM0UlM0NhJTIwaHJlZiUzRCUyMmh0dHAlM0ElMkYlMkZmYWNlYm9vay5jb20lMkZqb2dhYmlsaWRhZGUlMjIlMjB0YXJnZXQlM0QlMjJfYmxhbmslMjIlM0UlM0NpJTIwY2xhc3MlM0QlMjJmYWNlLWJ1dCUyMGZhLWZhY2Vib29rJTIwZmEtMnglMjIlM0UlM0MlMkZpJTNFJTNDJTJGYSUzRSUzQ2ElMjBocmVmJTNEJTIyaHR0cCUzQSUyRiUyRnR3aXR0ZXIuY29tJTJGam9nYWJpbGlkYWRlJTIyJTIwdGFyZ2V0JTNEJTIyX2JsYW5rJTIyJTNFJTNDaSUyMGNsYXNzJTNEJTIydHdpdC1idXQlMjBmYS10d2l0dGVyJTIwZmEtMnglMjIlM0UlM0MlMkZpJTNFJTNDJTJGYSUzRQ==[/vc_raw_html][divider line_type=”Full Width Line” custom_height=”20″][toggles][toggle color=”Extra-Color-1″ title=”Trilha do Podcast”][vc_column_text]

  • “First Crush”, por Saberpulse
  • “Live Forever”, por Oasis
  • “Mann Gegen Mann”, por Rammstein
  • “Six Days”, por DJ Shadow & Mos Def

[/vc_column_text][/toggle][toggle color=”Extra-Color-1″ title=”Blocos do Podcast”][vc_column_text]

  • Swiss Army Man: 00:03:34
  • Supersonic: 00:17:09
  • Tickled: 00:30:32
  • Velozes e Furiosos 8: 00:46:17

[/vc_column_text][/toggle][/toggles][/vc_column][/vc_row]

  • MarcusVss

    Eu me distraí ou o André ficou 10 minutos falando sobre uma música sem falar o nome dela?

    • André Campos

      É possível! Mas se eu tiver, provavelmente a música era The Masterplan.

  • Machisto opressor 2.0

    Vocês que vivem falando mal de u2. CARAS VOCÊS POR ACASO JÁ ESCUTARAM WAR? War é simplesmente o melhor album dos anos 80, (sim supera substance, sim supera appetite for destruction, tá, não supera london is calling), mas foda-se é impecavel, são 10 ou 12 faixas extremamente complexas com letras incríveis, que ao mesmo tempo que são muito tecnicas e acessiveis. Realmente esse é o unico CD caralhudo do u2, acho que nos seguintes eles se tornaram melódicos demais, e começaram a aplicar muitos efeitos no vocal e na guitarra, e esse polimento exagerado não me agrada muito, mas war em si é fantástico, escutem esse cd e tentem odiar a banda depois disso.

    • Sushi0

      O War eu nunca ouvi, na verdade eu nunca peguei álbuns específicos pra ouvir, eu ia ouvindo em casa quando pessoal lá colocava e achava bacana, não ao ponto deu colocar pra ouvir, mas curtia. E por isso eu nem saio falando mal da banda e acho bem fascinante que tenha tanta gente que ativamente desgosta da banda haha

    • Ikaro Bagano

      Gosto do War, mas o Joshua Tree é um discaralhaço (provavelmente o melhor do U2) a guitarra minimalista do The Edge, o Bono fazendo excelentes performances vocais em Where the Streets Have no Name, Still Haven’t Found What I’m Looking For, um baita álbum, o Achtung Baby tbm é bom. O U2 dos anos 80 em geral é bom, quando o Bono não se achava o salvador do mundo e eles não eram tão pretensiosos.

      • Machista Opressor

        Eu curto a pegada um pouco mais crua e sincera do war, war não é um album partidario nem idealista demais, ele só é um disco de uns moleques que já não aguentavam a tenção violencia dos anos 80 e decidiram gritar isso pro mundo, eu acho isso, a sinceridade, a inocencia, algo muito bonito, war pra mim é o ápice dessa mensagem do pacifismo que o u2 sempre tentou passar…. Eu gosto muito de comparar war com sobrevivendo no inferno, num tem ninguém falando o que vc tem que fazer, só tem uns caras muito indignados e muito cansados jogando uma realidade na sua fuça

    • Thiago Nunes

      U2 pra mim é tipo o TITÃS. Galera vive falando mal por conta de fases muito bosta, mas tem álbuns genuinamente bons.

      Aliás, pensando agora, a fase bosta de ambas as bandas foi bem ali começo dos anos 2000.

  • Machisto opressor 2.0

    U2 é tipo pearl jam dos anos 80, tem um cd muito acima da média, e o resto da discografia é um pouco mais mediana.

    • Ikaro Bagano

      Vitalogy e Ten são absurdos(fora o MTV Unplugged deles que só não é melhor q o do Alice in Chains que é a perfeição), concordo q os outros são mais medianos. Ai eles vem e lançam o Lighting Bolt que é um esculacho de foda.

      • Machista Opressor

        Lighting bolt só escutei aquele single mais famoso , seirens, e odiei, decidi nem escutar o resto, o que eu gosto do pearl Jam grunge são as pontes mega agressivas que tem no meio das faixas, sem isso pearl jam pra mim é só mais uma banda folk com um vocalista com uma voz muito boa… Nada que me faça ficar correndo atraz dos discos

    • ogeid

      Eu acho que quase toda banda que conheço é bem por aí. Muito dificilmente chego a gostar de mais de duas ou três músicas de uma banda só.

  • MarcusVss

    Eu nem sabia que as pessoas odiavam U2.

  • Matheus

    Falando em documentários diferentes, não sei se vocês se interessariam muito, mas uns tempos pra cá em descobri alguns documentários da NHK sobre o modo de como os mangakas trabalham, o primeiro deles é uma série de documentários do Naoki Urasawa, o autor de Monster, 20th Century Boys, Pluto e outros, chamada de “Manben”, na qual ele entrevista outros autores, vendo como eles fazem suas histórias, discutindo entre eles vários aspectos da área, seu estilo, suas origens. A série já está na quarta temporada, contendo 15 episódios com autores como Inio Asano, de Oyasumi Punpun, Solanin e Nijigahara Holograph, Junji Ito, de Uzumaki, e o autor de Golgo 13, um mangá que está em publicação a 49 anos. Porém, a série ainda não foi levada ao ocidente, então o único jeito de ver é baixando em algum lugar, e os fansubs só traduziram só até a segunda temporada, mas é bem interessante de se assistir.
    A outra série da NHK que gostaria de recomendar sobre o assunto é a “NHK Professional”, em especifico os episódios focados nos autores Naoki Urasawa, já mencionado anteriormente, e Takehiko Inoue, autor de Slam Sunk, Vagabond e Real, pois essa série não é só focada em mangakas, e sim sobre profissionais de diversas áreas no Japão. Ao contrário da Manben, essa tem uma pegada muito mais forte de documentário com uma “linha de roteiro”, tendo então um final mais satisfatório do que a de Naoki Urasawa. São episódios bem interessantes e prefiro essa a outra. E o modo de assistir é semelhante a anterior.
    E, por fim, um documentário, também da NHK, sobre o Hayao Miyazaki, do Studio Ghibli, chamada “NHK Documentary – Never-Ending Man: Hayao Miyazaki”, onde conta os dilemas do diretor em relação a sua aposentadoria do ramo de animação, sua idade e a morte, seus anseios de continuar a fazer filmes, a dificuldade na criação de um curta para o Museu da Ghibli, e como agir diante do avanço da tecnologia e da popularização da cg. Esse também é bem bom, e pra essas assistir é igual aos outros.
    Bom, todas essas coisas tem em média 40 – 60 minutos, então não é nada muito complicado de assistir e tal. O cast foi bem bom, obrigado pelo trabalho e dedicação que vocês vem fazendo por todo esse tempo, até mais o/

    • Sushi0

      Olha só, bom saber que a NHK faz tantos documentários sobre essa área. Vou dar uma caçada nele. Vlw <3

  • Guilherme Antônio

    O Caio não ia falar do “minha vida não faz sentido”?

    • Tu acredita que eu nem lembrava que havia prometido isso no episódio passado? hahaha

      • Ethel

        o povo clama pela sua crítica da peça, senhor Caio!

  • Victor HorugoSsauro

    qual o nome da musica que toca no final?

    • Matheus

      Oasis – The Masterplan

      • Victor HorugoSsauro

        valeu

  • Ethel

    [SPOILER ALERT DO FILME SWISS ARMY MAN]

    Quando terminei Swiss Army Man eu interpretei que o Hank é um homem morto “por dentro” e vivo por fora e o Manny é um homem morto por fora e vivo por dentro. Na minha cabeça o Manny era o que o Hank queria ser na totalidade e quando ele se acertou com ele mesmo deixou o Manny (que é a representação do que tinha de bom dentro do Hank) ir. Por isso eu amo esse filme, pra mim ele trata sobre se aceitar e os peidos são uma metáfora pra tudo o que a sociedade obriga a gente a confinar em nós por considerar desagradável, nossa espontaneidade, nossos sentimentos, da pra ver o Hank ensinando o Manny que todos os instintos dele são repugnantes, e no final aquilo leva o Manny a ficar totalmente depressivo à ponto de um morto morrer.

    Enfim, uma dramédia musical, com uma trilha deliciosa que se vc abre sua cabeça pode tirar muita coisa dali. Inclusive existem diversas teorias, uma delas é que o Hank é uma mulher transgênero em fase de transição que não se aceita. Não é a teoria que eu mais acredito, mas só ter essa possibilidade explode minha cabeça!

    Pra quem quiser teorias: http://www.npr.org/2016/06/24/483426590/swiss-army-man-directors-explain-the-symbolism-behind-a-farting-corpse
    https://www.youtube.com/watch?v=0hHTOHhrbG0
    https://www.youtube.com/watch?v=HHrFVmYRngQ

  • ogeid

    Assim, eu até sabia que podia ter gente que não gostasse do Oasis, principalmente por causa das tretas dos irmãos, mas que tem gente que adora odiar U2 eu nunca ouvi falar, mas não duvido que seja fácil encontrar pela internet.

    De certa forma, quando se trata de gosto musical acho meio difícil as pessoas entrarem em um consenso, ainda mais pelo impacto emocional mais direto das músicas e pela própria diferença e motivos para os ouvintes gostarem delas.

    Por exemplo, em geral os jogabilideiros indicam músicas bem pesadas sonoramente (pelo menos as que eu ouvi até hoje), mas não achei nenhuma delas extraordinárias pessoalmente.

    Normalmente gosto das músicas pelo som em si e até costumo ignorar a imagem dos músicos ou o conteúdo das letras em prol disso, ainda mais porque uso elas para criar um mood e não para ter um contexto.

    Além disso, Cedarwood road é provavelmente a música que mais gosto de escutar do U2, mas quase nunca vejo ela entrar no top 5 de alguém.

  • Gabriel Azmodam

    MEU DEUS DO CEO QUE DOCUMENTÁRIO MARAVILHOSO, QUE SUBMUNDO MARAVILHOSO COROLHO DO CEO…
    Pessoas me apresentem documentários de Submundos bizarros desses eu amo essa porra.

  • ogeid

    Nunca ouvi pessoal falar mal de U2, ainda mais com bandas por aí com músicas piores.

    Mas pela minha breve pesquisa pela internet, me parece que o motivo de desgostarem deles é mais pelas ações de um dos membros do que pela música em si.

    • King Buddy Holly

      O motivo é mais simples, eles são uma banda ruim!

      beijos no coração!

  • Vitor Calfa

    André, compartilho do mesmo processo seu com relação ao Osais, com o pequeno diferencial que eu comecei a escutar porque todo mundo na minha sala no colégio detestava. Mas parei de acompanhar depois do Hindu Times também.

  • Matehuos

    [OFF] Como eu faço pra entrar no grupo do telegram do jogabilidade? Já pago o padrim tem 1 mês :/

  • Daniel Leonhart

    Comentário atrasado… também acho The Masterplan foda. Não sei porque deixaram como um b-side. Mas, que no fim resultou em um álbum igualmente foda de b-sides também chamado de The Masteplan.
    Ai um comentário de um Ainda fã de Oásis e do U2… ?

X