was successfully added to your cart.

Nesse Vértice histórico(?) André, Sushi e Corraini se juntam uma última vez para misturar notícias, joguinhos e princesas beijando cadáveres.

E nisso, eles acabam batendo um papo sobre o surpreendente Injustice 2, o belo e ágil Dead Cells e também do morno, porém divertido The Surge.

Além do joguinhos, também discutiram sobre a Square se desfazendo da IO Interactive, o edital de games da Ancine, a série do Witcher produzida pelo Netflix, Sonic Forces se rendendo à internet e o polêmico texto(ão) sobre o jornalismo de games no Brasil.

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de.

Links:

Trilha do Podcast

  • “Late Nite Funk Squad”, por David Tobin, Jeff Meegan e Malcolm Edmonstone
  • “When the Lights are Down”, de Kamelot

Blocos do Podcast

  • The Surge: 00:04:42
  • Dead Cells: 00:38:12
  • Injustice 2: 00:49:23
  • Square vendendo a IO Interactive: 01:08:56
  • Edital de games da Ancine: 01:17:13
  • Série do Witcher pela Netflix: 01:24:24
  • Sonic Force dando a arma na mão do bandido: 01:29:15
  • Polêmicas sobre jornalismo de games no Brasil: 01:33:58
  • Julio Cesar

    Acho muito furada esse edital da Ancine, primeiro acho que nem deveria existir a Ancine (recomendo verem o link do Izzy Nobre sobre isso, lá embaixo). Segundo, se é para ter, seria melhor que fosse para desenvolvedores verdadeiramente independentes, que com esse dinheiro iriam montar um empresa e entrar no negocio. Para entrar no edital você tem que ter no minimo uma micro empresa, algo inviável para o desenvolvedor informal, que muitas vezes só consegue trabalhar em seu jogo nas horas vagas. E quem já tem uma micro empresa, já esta no mercado, ou já tem capital. Isso parece mais um bolsa empresario da vida. Sinceramente, a Behold Studio precisa de 1 milhão? Sendo que ela já esta bem estabelecida no mercado com jogos de sucesso.

    Link do Izzy:
    https://www.youtube.com/watch?v=0VCYo-j1Tik

    • Douglas Marques

      Concordo com cada palavra.

    • Edital de qualquer coisa sempre foi para a panelinha que é chegada dos ministérios/agências. Não só aqui, mas em outros países também. Só ver o que o Uwe Boll fez uns 5 ou mais filmes, tudo com edital de incentivo.

      Quem é que vai avaliar quem é “realmente independente”? Pois cada um vai ter uma opinião sobre isso. É claro que o estúdio que já fez vários jogos vai ter mais chance do que o meu amigo que passa o dia todo reclamando das normas de gênero no twitter, mesmo que o estúdio não precise tanto do dinheiro quanto o meu amigo.

      • Julio Cesar

        Acho que não é muito difícil avaliar isso. Seria só limitar para pessoas físicas que não possuem empresas ou sociedades do tipo. Obviamente que essa pessoa teria que provar que tem condições técnicas para desenvolver o jogo, mostrando um protótipo, modelo de negocio, etc. Ai sim, os selecionado receberiam o dinheiro e mais um suporte para montar a empresa. E nesse modelo ainda existiria uma boa motivação para desenvolver um jogo competente, pois o fracasso significaria o fim da empresa. Agora uma empresa bem estabelecida pode desenvolver um jogo meia boca, sem muito compromisso (não que isso vá a acontecer), porque eles já tem a renda garantida de outros projetos de sucesso.

        • Complicado. Se forem colocar critérios mais exclusivos, vai parecer que é algo arbitrário, para direcionar o edital para alguém específico. Por isso eu acho que eles não restringem tanto.
          E eu acho que é inconteste que quem já é amigo da galera lá dentro sempre vai ter vantagem em um edital desses. Seja por saber de antemão a proposta do edital, seja por sair na frente das outras pessoas interessadas, que terão que se adequar. Por isso falei que era panelinha – quem tem amigo lá dentro sempre vai saber do edital primeiro, e ficar na frente da fila. O cara que realmente precisa fica na míngua. Acho que isso é um problema de investimento, que ninguém quer investir em jogos no Brasil. E assim como no vídeo que você postou, governo não tem que se meter nisso… mas se não se meter, aí é que não tem investimento mesmo. É complicado.

          • Julio Cesar

            Então seria melhor um edital baseado apenas no projeto (ideia, modelo de negocio, protótipo, etc). Se o cara já tem empresa, blz, se não, então possibilita um meio para o cara abrir uma empresa caso selecionado. Se der uma procurada na internet vai achar bastante projetos interessantes de pessoas informais (eu mesmo tenho um protótipo) e essas pessoas estão sumariamente excluídas do edital por não terem uma micro empresa, e é totalmente inviável abrir uma micro empresa só para tentar esse edital.

            Mas enfim, aqui no Brasil o governo te quebra a perna para depois doar a muleta e parecer que ele é bonzinho. O ideal seria ter menos burocracia, impostos, regulamentação, direitos trabalhistas excessivos, uma economia mais livre, isso seria útil não só para os jogos, mas para toda a industria.

      • Tem que ver que a galera que julga as propostas também não quer ter trabalho de ir atrás dessa galera que realmente batalha. Então o primeiro que chega e atende os critérios (provavelmente amigos deles, né?) já leva o edital. Mais uma vitória da preguiça.

  • FoodPoisoning

    Que eu saiba as únicas coisas que tu pode comprar no Injustice são skins e cores, que não mudam nada em gameplay.

  • BrunoArce

    “Se você colocar seu nome (+) the hedgehog no google imagens vai aparecer um personagem”
    As vezes o Sushi exagera demais, não é possivel que exista uma fanbase assim.

    *Pesquisando Bruno The Hedgehog no google
    https://www.google.com.br/search?q=bruno+the+hedgehog&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ved=0ahUKEwj_0dmt4v7TAhUHG5AKHUKqCGUQ_AUICigB&biw=1440&bih=794#imgrc=_
    é, realmente existe uma fanbase assim

  • Douglas Marques

    Dead Cells é muito bom!

  • Machisto opressor 2.0

    Ouvindo vocês falarem sobre a falta de relevancia do conteudo de qualidade dos videos do youtube, não pude deixar de lembrar do TheAsaGames, um cara que fala expecificamente sobre industria e a filosofia por traz dos jogos, que faz reviews mega detalhadas e não bate nem 100 views por video, enclusive, faz quase 1 ano que esse cara não publica nada… é realmente muito triste você ver pessoas tão talentosas, que tentam fazer um negocio legal, mas não chegam a lugar nenhum por simples falta de incentivo

    https://www.youtube.com/watch?v=XBFD94a4njU

    • Vitor Manoel

      Outro que sofre com isso é o Araújo do Canal Capslock,um cara com seus 35 a 40 anos(não atrai a molecada de 12 a 15) que sempre busca conteúdo relevante e profundo e que tece análises detalhadas acerca do universo e dos videogames em si,mas só tem 26 mil inscritos enquanto Youtubers fraquíssimos em conteúdo batem 1M.Álias,as críticas que ele tece aos Youtubers gamers modinhas da galera são hilárias e completamente realísticas.

  • Não gostei da idéia de separar os dois blocos em programas diferentes. Vai ficar ainda mais bagunçado do que já está. O Vértice era o último programa de vocês que eu acompanhava sempre, mas agora não dá mais. Ao invés de manter o foco no conteúdo, vocês estão dispersando-se mais e mais.

  • A pedido dos casters para conhecer novos canais no youtube sobre games, segue o link de um vídeo do meu canal do Youtube: https://youtu.be/q7zm_VJVgpg?list=PL05-Jde7HcDMNi9PWE3Elk9vr1xwN5JPH

    Quem quiser conhecer, faço gameplays e reviews de JRPGs a 4 anos no youtube. Grande abraço a todos do jogabilidade!

  • Sushi não consegue aceitar que o Corraini não curte Dark Souls