Vértice #120 (J): Cadê o Volante do meu Bolo?

2017-10-12T17:28:46+00:00 12 de outubro de 2017|Vértice|42 Comentários

Após dirigirem uma sobremesa pelo campo André, Sushi e Corraini resolvem tirar um tempo para descansar, falar dos joguetes e de umas tretas por aí.

Discutimos Picross S, o novo vício do Corraini; o divertido e cheio de personalidade Golf Story; a sequência que ninguém queria, mas está surpreendendo, Life is Strange: Before the Storm; o RPG que veio sem ninguém perceber, Battle Chasers: Nightwar; o jogo em que o pai do Pingu deu as caras, Middle Earth: Shadow of War e para fechar o jogo mais bonito já feito (?) e fonte de tretas, Cuphead.

E nos vemos na semana que vem para o episódio de notícias.

Tá no Seu Turno!

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para vertice@jogabilida.de.

  • “Late Nite Funk Squad”, por David Tobin, Jeff Meegan e Malcolm Edmonstone
  • “Tank!”, de Cowboy Bebop

  • Picross S: 00:07:35
  • Golf Story: 00:11:47
  • Life is Strange: Before the Storm: 00:23:01
  • Battle Chasers: Nightwar: 00:38:12
  • Shadow of War: 00:56:04
  • Cuphead: 01:18:23
  • Tretas em volta do Cuphead: 01:41:51
  • Lançamentos: 01:57:54

  • Tais

    alguém esqueceu de botar a musiquinha nos primeiros 19 segundos xD até o andré falar O VÉRTICEEEEEEE achei que meu áudio tava corrompido, uheuehueheueh

    • Hah, mesma coisa aqui. Que susto.

    • Marnei Maximiano

      Dei play, vir ler spoilers nos comentários e dai do nada… UUUUUUVEEEERTIIIICEEEE! Kct… Dei puta pulo…

  • Sávio Cross

    Esqueceram de colocar o player com o botão para download. 😫

  • This is ridiculous man

    Sobre a polêmica de dificuldade do cuphead:

    É realmente foda, num lembro se foi no mupoca ou no b9 que eu escutei, que acima de tudo joguinhos, musica, e cinema hoje em dia são bens de intretenimento e consumo, esses bens podem ser tão bons a ponto de também parecerem arte, mas isso não mascara o principal objetivo de tudo isso, que é o puro intretenimento.

    Só que eu ao mesmo tempo acredito que nós hoje, pela primeira vez na história da industria temos um estado de tamanha segmentação, que temos a oportunidade de vermos jogos completamente alternativos e caros como cuphead venderem horrores, agente precisa disso, mesmo que o jogo não tenha o level design mais abrangente da industria, por mais que a dificuldade seja terrivel de dificil, ter um cara que de a sua opnião de como a industria deveria se parecer mais é mais importante do que não ter

  • This is ridiculous man

    MEU DEUS A MUSICA DE ENCERRAMENTO É A INTRO DO COWBOY BEPOP

  • João Paulo Passos

    ok, pela primeira vez eu assustei com o grito do André com esse inicio cheio de suspense, igual o Corraini

  • Mega

    como vcs nao tinham ouvido falar no Battle Chasers? :0

    • MarcusVss

      Também achei estranho haha

  • gabiroto

    Eu acho que a dificuldade de Cuphead é justificável pelo trabalho que esses caras tiveram pra fazer o jogo. Todo mundo sabe das horas de dedicação que tiveram em animações, trilha sonora e etc. Se o jogo fosse fácil seria quase um desperdício de conteúdo, acredito que ele seja propositalmente difícil não só como uma alegoria aos jogos antigos que tinham uma dificuldade alta mas também como uma forma de fazer com que o jogador repita as fases e aprecie o trabalho que o pessoal fez. O que acho que poderiam melhorar é certas dificuldades que saem da linha dessa “dificuldade alta pra apreciação” e começam a atrapalhar de verdade a gameplay, como aquela que o Sushi falou do último chefe e também do cabeça-de-dado.

    • Henrique Tavares

      Acho que essa dificuldade pra justificar o trabalho pesa pro outro lado também, que vai espantar muita gente que só queria apreciar o lado artístico, e por isso essa discussão da dificuldade surgiu com ele, “o jogo mais bonito do mundo”, e não com um Crash Bandicoot.

      • gabiroto

        Verdade, também tem esse lado

  • Michel Aguiar

    CORRAINI, NÃO SAIA DO JOGABILIDADE. SOU SEU FÃ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    S2 S2 S2 S2 S2

  • Dimensão Interativa

    Sobre as polêmicas do cuphead:

    Currículo gamer – Eu ouvi os dois lados para entender de forma clara o que cada um estava dizendo. Bem lá no fundo, mas no fundo MESMO, o Xbox Mil Grau não estava de todo errado, pois estava apenas pedindo um pouco mais de transparência dos jornalistas de games, informando ao público se aquela resenha é de alguém que finalizou o jogo. O problema é que ele quer fazer isso da pior forma possível e quebrando a privacidade de jornalistas. O modo que ele tratou isso também foi extremamente estúpido, dizendo que não vai ler nada sem gamertag. Ele também diz que o problema não foi a nota, mas ele só persegue jornalista quando “falam mal” de algum exclusivo ou console da microsoft, então sim, ele é um fã maluco, pois na resenha não existia nenhum motivo para desconfiar que a jornalista não jogou e não adianta ele falar que não foi, pois o problema realmente é a nota do jogo.

    Dificuldade do jogo – Qualquer jogo exclui algum público, seja pela dificuldade ou simplesmente questão de gosto. Não vejo esses jornalistas americanos falando da maior exclusão de público que os jogos fazem, que são os preços deles em países subdesenvolvidos. Isso sim é uma exclusão preocupante, pois o cara quer jogar, mas não pode, porque não tem como pagar. Ao menos lançamentos desse ano como o cuphead e o Sonic Mania não exigem máquina muitos potentes e estão com um bom preço. Enfim, de modo geral, concordo com o Corraini.

    • Anderson

      R$229,90 em um jogo que nem texto em português tem é foda mesmo. Digital.

  • Tiago Zircon

    Sobre a parte que o Sushi falou sobre o bug no Diabo boss final, acontece esse bug mesmo, no lado esquerdo, eu achava que era algum monstro q n via, mas no lado direito não acontece nada e a gente desvia normal do ataque. Eu vi alguns bugs em outros chefes de animações deles que eles ficaram estáticos, e eu tive que reiniciar a luta, e outras coisinhas mais, pra mim isso não estragou em nada a experiência com o jogo. E eu amei demais <3

  • Moacir Lourenço

    Como vcs nao conheciam o Battle Chasers? Joe Madureira é foda.

  • Heider Mesquita

    ”André, Sushi e Corraini”
    HELL YAHHH!!!

  • André Matulionis

    MUITO OBRIGADO Corra. O que você falou do Shadow of War é justamente o que eu sinto com o primeiro jogo.
    Todo mundo falava bem, e quando fui jogar eu fiquei um misto de decepcionado e entediado.

  • Esse negócio do Cuphead só me fez ver como ainda tem muita gente hipócrita no meio. Foi só falarem um A pra menina que foram já acusando de misoginia. E sempre a mesma galerinha, a menina mesmo não tava nem aí.

  • Alessandro

    Qual o jogo que os NPCs aprendem com o jogador ? eu n consegui achar

    • Sushi0

      É o ECHO.

  • Henrique Tavares

    Acho estranho pagar pra jogar Picross, que tem muita coisa ótima para o celular (como a série Luna), e ainda tem touch, que só atrapalha quando as telas ficam lá no seu 20×20. Acho que no último mês é só o que tenho jogado, vicia muito.

  • Guilherme Sena C C

    Então, os Metal Slug do 4 pra frente são bem ruins mesmo. O Metal Slug bom do PS2 foi o 3, que inclusive é o melhor de toda a franquia. Depois do 3 o único mais ou menos legalsinho foi o XX no PSP (que acho que também saiu pro DS como Metal Slug 7).

  • losk

    Sobre a dificuldade nos jogos, deve sair uns 500 jogos por ano. Desses 500, 5 tentam trazer uma dificuldade a mais para as pessoas. E tem gente que não aceita esse número?
    Me parece muita presunção. É querer muito ser o centro do universo.

  • Jeoval Chamusca

    Essa parada de “currículo gamer” é ridículo mas concordo que um jornalista que faz critica precisa ter o mínimo de conhecimento sobre o assunto, imagina um critico qualquer querer fazer um analise sobre um Filme Japonês na lingua original sem conhecer o Background da cultura e do cinema local. O mesmo com jogos, se espera que o jornalista tenha o mínimo de conhecimento sobre o que ele vai falar ou vai falar merda.

  • Márvio

    Quando o Corra falou de Shadow of Mordor lembrei de uma experiência minha com um jogo citado na mesma conversa. Eu odiei Watch Dogs 2, tenho o primeiro num lugar bem especial no coração. Não o acho o melhor jogo do mundo nem nada, acho o Aiden muito sem graça, mas jogar com aquela galerinha descolada do segundo me deu uma aversão a tudo ali. Para mim era tudo “Too much hipster”.

  • Elon Musk Reverso. Terra 2.

    Falando em beyblade… vcs já viram o último episódio da primeira saga ? É muito bom, parece algo dirigido pelo Nolan.

  • Vassago

    O cast tá sem música aqui.

  • Gabriel Raposo

    Sushi, naquela parte do dragão você só precisa se agachar entre as ondas do corpo dele (assim você também consegue atirar em qualquer diabinho que vem de trás do trono, só ficar agachado)
    No início eu também tava fazendo assim e ainda acho errado que aquela hitbox só pega de vez em quando, mas teoricamente tem uma outra forma “certa” de fugir do golpe

  • o Vértice vai ficar sem trilha como padrão agora?

  • Rafael Bard

    É forçar muito a barra chamar perfil da live ou psn de curriculo de alguma coisa. Joguei muita coisa foda no Ps2 que agregaria muito mais em um “curriculo” do que muito jogo atual. Até do Ps1, Alundra é uma pica de zerar. Mas enfim, tem amigos que nem tem esses perfis mas jogam bastante. Não da pra julgar assim.

    Mas também não vejo problema em divulgar gamertag justamente por nao significar muita coisa. O pessoal do Inside Xbox divulga. Você não quer adicionar conhecidos? Não adicione! No Xbox One ficou igual ao Twitter, você que tem que escolher seguir a pessoa de volta. E mensagem e essas coisas voce pode silenciar notificações e coisas do tipo. É que vocês não conhecem bem o console e não manjam das paradas.

  • Eu conhecia a HQ de Battle Chasers e fiquei super empolgado com o game, aí vi o preço. Por 119 reais, prefiro comprar um triple A

  • Chris Pimentel

    Bizarro mas Shadow of War tem seleção de dificuldade siim. Estou jogando no mais difícil e passando por uns perrengues pelo menos no inicio do jogo.

  • SmokeE3 .

    Caraca, essa capa ficou muito maneira! Parabéns, ficou muito maneira, além de facilitar a ideia de que esse é o vértice de jogos, tbm mostra os assuntos principais. Bem criativo.

  • Décio S. Júnior

    po, ja tava mó afim de jogar o Battle Chasers, agora deu mais ainda. Pena que é difícil arrumar tempo husahuhsua

  • Felipe

    Não existe bug no ataque serpentedragão do Devil. Sempre que o jogador desvia abaixando vem um inimigo aleatório que causa o dano, como a gente fica bem no cantinho fica difícil notar, mas é só ficar atirando no canto da tela pra matá-lo.

  • Rafael Marques

    Existe sim um modo facil, não elitista, onde qualquer um pode apreciar a arte do Cuphead, sem ter nenhuma experiencia anterior com jogos, se chama YOUTUBE:
    PQP
    Até nisso problematizam.
    Por essas e outras, que quando um problema sério ocorre, ele eh abafado por esses probleminhas de primeiro mundo,.

X