Vértice #122 (J): Fórum do Guidão

2017-10-26T08:15:29+00:00 26 de outubro de 2017|Vértice|46 Comentários

Os jogabilideiros estão em busca de um novo lar para discutir seus hobbies favoritos. Felizmente, para falar de jogos aqui ainda é o lugar ideal!

Com isso em mente, André, Sushi, Corraini e Mell se juntam para falar sobre o improvável The Mummy Demastered; o engraçado(?) e polêmico(?) South Park: A Fenda que Abunda Força; o rápido e colorido High Hell; o bacana que vacila, The Evil Within 2 e aquele jogo que é melhor não saber nada sobre, o Doki Doki Literature Club.

E nos vemos na semana que vem para o episódio de notícias.

Tá no Seu Turno!

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para vertice@jogabilida.de.

  • “Late Nite Funk Squad”, por David Tobin, Jeff Meegan e Malcolm Edmonstone
  • “Speed of Light”, por Chris Dane Owens

  • Sushitch: 00:05:04
  • Mummy Demastered: 00:15:12
  • South Park: A Fenda que Abunda Força: 00:26:38
  • High Hell: 00:48:53
  • Evil Within 2: 00:57:12
  • Doki Doki Literature Club: 01:14:12
  • Lançamentos: 01:30:16

  • SmokeE3 .

    Cara, sério q se vc escolher um personagem afro-descendente no South Park vc recebe menos dinheiro? Caraca mais absurda q um jogo poderia fazer… e certamente foi feita por brancos querendo dar uma de defensores…
    Pq imagina só, sou afro-descendente, sofri muitas descriminações, sei que recebo menos e tenho um cargo menor por causa da minha descendência, aí chego em casa do serviço, ligo o videogame e vou jogar pra passar o tempo, e ATÉ LÁ os caras vão me dar menos dinheiro por eu ser afro-descendente?

    Por mais q seja uma crítica social bacana, na hora de jogar, ou eu escolho ser o que não sou ou eu vou sofrer NOVAMENTE uma discriminação racial durante toda a jornada do jogo?

    • SmokeE3 .

      E vamos concordar, se fosse colocar dificuldade pela cor, a maior dificuldade seria á de um albino? A primeira missão no turno da tarde você já não poderia sair de casa pra realizar.

    • SmokeE3 .

      Se tivesse veículos pra dirigir no jogo, eles colocariam uma jogabilidade “especial” ultra difícil de controlar caso você fosse asiático, e aí iam fazer uma campanha de marketing: “O controle de veículos para pessoas que forem asiáticas será mais difícil, pra condizer com esse preconceito da sociedade e as pessoas saberem que isso é errado”. ahauehauehauehuaeahuehaue, cara, seria muito mal…

      • Anderson

        Isso seria racista da parte deles. A sua raça no jogo não lhe altera e sim a percepção da sociedade sobre você. Os atos racistas no jogo são bem focados na comédia e chama atenção para o racismo além dos nazistas marchando em Charlottesville que muita gente quer acreditar ser a única forma de racismo.
        Claro que você tem o direito de achar isso absurdo, mas pessoalmente não vejo malícia nenhuma nisso. Quer um jogo em que o racismo nunca é abordado dessa forma? Todos os outros jogos ainda existem,.

      • Cecília Macedo

        É como o Anderson falou, fazer isso de asiáticos seria escroto demais. E muito racista.Seria o tipo de coisa que fala mal dos asiáticos.

        O que fazem do negro receber menos não fala mal dos negros. Não mostra negros como inferiores. Mostra negros como pessoas que tem mais dificuldade por causa de algo injusto das “regras” do sistema… como é na vida.

        É um comentário social que, inclusive, está sendo bem efetivo.

    • MarcusVss

      Cara, é um jogo de South Park. Se vc não gosta desse tipo de coisa nem deveria estar jogando.

      • SmokeE3 .

        Cara, o negócio é que vc está desinformado, South Park foi ELOGIADO por fazer isso. Meu argumento é que isso não é algo pra ser elogiado. Em nenhum momento levantei a hipótese de quem deve jogar ou não, além do mais é South Park, precisava dizer algo mais?

      • SmokeE3 .

        Além dessa sua atitude ser bem errada. O jogo é feito pra todos, mas vai ofender categoricamente os afro-descendentes, e o que você recomenda: negros que se sentem ofendidos, não joguem.

        • MarcusVss

          Mas isso não foi feito pra ofender os negros e sim os brancos.

          • SmokeE3 .

            Mas se os brancos vão jogar o jogo de um modo normal, e os negros num modo onde o jogo pune com menos dinheiro, como você está ofendendo os brancos? Seria a mesma coisa q Call of Duty lançar um update q dá menos xp pra jogadores negros, “pra ofender os brancos”.

          • MarcusVss

            Mas Call of Duty não é South Park. Vc não pode jogar South Park e achar que não vai ser “trollado”. Essa questão da cor é um comentário sobre o fato de que o negro é menos valorizado q o branco na sociedade e tem que se esforçar mais pra conseguir o mesmo que o branco consegue. Até onde eu vi isso não faz tanta diferença assim no jogo, é mais pra zoação mesmo. Além disso, vc pode simplesmente fazer o personagem do jeito que vc quiser, não precisa se representar no jogo. Eu sinceramente achei uma sacada muito legal, mas sou branco, vale dizer, né. Mas já pensei que quando eu jogar vou fazer o personagem pardo pra aumentar um pouco a dificuldade já q geralmente esses jogos tendem a ser mais fáceis.

          • SmokeE3 .

            Eu sei q Call of duty não é South Park, era só um exemplo.

    • ogeid

      Não sei se a diferença de dinheiro no jogo é lá tão grande assim…

  • Paulo Ricardo Galhardo

    Savecoins foi criado pelo moderador/criador da página de facebook Nintendo Switch Brasil, o trabalho do cara foi excelente!

  • Stephann Vasconcelos

    Criador do Save Coins aqui! o/
    Feliz por saberem que o serviço está sendo útil pra galera, e feliz demais vendo que os caras que eu acompanho enquanto vou pro trabalho estão curtindo uma parada que eu fiz. Valeu mesmo. E acho que o máximo que a Nintendo vai fazer é bloquear a mudança de região, mas com outras contas talvez ainda será possível comprar seus jogos, aí criando uma no México, África do Sul, EUA, Canadá, Japão, Rússia e Brasil já vai conseguir uma economia boa nas compras.

    • Lucas Vinicius

      Uma pena que a nintendo vá bloquear isso ajuda tanto num país como o nosso.E bom trabalho cara.

    • Pois é, só nesse mês eu estive no México, Japão e Africa do Sul… ACHO que logo eles limitam essas mudanças hahaha

    • Márvio

      Eita Stephann, você que é o criador do Save Coins?! Olhei para sua foto e o reconheci do grupo do Facebook do Wii U/Switch. Boa iniciativa e parabéns!

      Acho que um modo de bloquear isto seria o mesmo que a Microsoft faz. Você pode mudar de região, mas não consegue comprar com o cartão de crédito de outro país.

      • Stephann Vasconcelos

        E ae, valeu mesmo. Mas esse grupo Wii U/Switch não é mais meu desde 2015. Agora meu grupo é Nintendo Switch Brasil (facebook . com / groups / SwitchNintendo)

  • Arle Janso Kurogane

    Obrigado por esse belo presente de aniversário. Muito em breve começo a apoia-los também, um abraço e obrigado por tudo o

  • FoodPoisoning

    Que cartões vocês recomendaram para usar o Save Coins? Eu vou comprar um Switch semana que vem e ter um banco do tipo seria útil.

    • Lucas Vinicius

      O Sushi falou que ele usou o Nubank.

    • Eu tô usando um do Neon, porque o meu do Itaú não rolou ):

    • Stephann Vasconcelos

      Uso nubank mas já usei banco do brasil

  • André Matulionis

    Sushi, queria dar uma sugestão aqui.
    Na sua análise do jogo da Múmia, você passou bastante tempo criticando o jogo, mas no final acabou recomendando por ser um jogo OK.
    Entendo completamente você querer desmiuçar as partes ruins do jogo, mostrando exatamente porque você não gostou. Eu considero isso um ponto forte de suas críticas.
    Mas do jeito que você focou na parte ruim, eu não vi sentido acabar sendo um jogo OK. Eu não entendi direito a parte boa. Uma “boa arte” e “boa trilha sonora” foram termos bem genéricos.
    Sugiro você também esmiuçar o que faz ele ser um jogo ok. Não quero que omita as partes ruins, mas que consiga trazer a sua mensagem final sem ambiguidade.
    Agradeço muito as suas recomendações. Um beijão no coração.

  • Gustavo Dias Gonçalves

    Na Live também dá para mudar a região da conta.

    • Márvio

      Mas você só consegue comprar um jogo com gift card. Não é possível fazer compras com cartões de crédito de outras regiões.

  • Olá, vim comentar sobre os comentários do Sushi em relação a The Evil Within 2 e contribuir de maneira geral para a discussão aqui trazendo minhas opiniões sobre ele. Desculpa a divulgação desnecessária, mas eu também escrevi um artigo sobre The Evil Within 2 – eu me recusei a dar nota para ele, só preferi destrinchar os meus sentimentos em relação a ele: http://www.otakupt.com/jogos/the-evil-within-2-review/

    Agora falando sobre o jogo: Eu terminei o jogo na sua dificuldade mais alta de primeira, por conta de ganhar três troféus consecutivos porque eu sempre faço isso, se existe um troféu para você zerar em uma dificuldade alta, eu tento zerar na máxima possível para ganhar muitos troféus de uma vez só – me poupa depois ter que zerar o jogo mais uma vez do que o necessário. E eu achei a dificuldade desse jogo bem imbecil, eu concordo com o Sushi que no segundo, eles abaixaram muito a inteligência artificial dos inimigos, a maneira como eles se comportam apesar de serem um pouco imprevisíveis, eles também são muito facilmente manipuláveis e ridiculamente fáceis mesmo nas maiores dificuldades. Mesmo no modo “Clássico” que é a última dificuldade do jogo, ela ainda sim é extremamente fácil e não chega a ser comparável a qualquer dificuldade que o primeiro jogo tenha alcançado, sabe? Porque a única coisa que o jogo te limita é nos Checkpoints, porque tudo bem que o seu personagem ele não vai ser capaz de realizar upgrades tanto fisicos quanto nas suas armas, mas o jogo possuí um pecado de Design que é em alguns momentos, vai aparecer munição DO ALÉM então você, primeiro, não precisa focar tanto no Stealth e, segundo, ainda por cima você tem munição aparecendo do além nos momentos críticos. O que torna tudo bem menos… “prazeroso” quando em comparação com o primeiro. E eu não quero dar a entender que jogo bom é jogo difícil, mas quando o jogo ele está deliberadamente pegando na sua mão mesmo quando estamos em uma dificuldade suposta a ser desafiadora: É decepcionante, no mínimo, ao menos dentro do meu ponto de vista.

    Porém, em outra perspectiva, eu gostei bastante da história do The Evil Within 2 e de como a narrativa dele está mais presente do que no primeiro jogo onde grande parte do contexto que levou você a estar naquela situação, era a melhor parte do jogo que acabava por ficar escondida. Uma das coisas mais divertidas de The Evil Within 1 era buscar pela história do Sebastian, porque ele virou ranzinza desse jeito, como ele virou um babaca com os amigos dele, o quão alcoólatra ele virou e acompanhar a decadência de um Detetive alegre e feliz da vida, para se transformar nessa pessoa extremamente babaca e que está aprendendo a lidar aos poucos com a perda dele da pior maneira possível. E o The Evil Within 2 ele trás os traumas do Sebastian como formas separadas, algumas vezes dentro de Side-Quests onde a gente se depara com um determinado inimigo que aparece momentaneamente atrás dele, mas que também corresponde no que ele acabou se tornando e sem nenhum pudor, o jogo continuar com a personalidade babaca dele, tratando aqueles que só querem o bem dele da pior maneira possível.

    Outro fator que eu gosto muito em The Evil Within é o aspecto “SILENT HILL” dele onde monstros que você encontra possuem uma explicação para serem do jeito que são e eu gosto bastante de como ele brinca muito com o aspecto de muitos dos inimigos terem elementos de “cera”, uma forma de contrastar com os desejos doces e inocentes que foram mortos pelo passado do Sebastian e se tornaram pedra mas que de alguma forma, constroem uma figura que escala entre o horroroso e o belo em forma de arte – o que também existe outros fatores para contribuírem nessa construção de ambientação, como o próprio Valentino, o primeiro vilão do jogo. (Aliás, Shout Outs para a Obscura, um dos melhores monstros do jogo – pena que a Boss Fight dela, para mim, é horrorosa. Eu não gosto nem um pouco dela.)

    Agora, um aspecto que eu queria rebater o lindo do Sushi é sobre a Boss Fight que acontece na segunda metade do jogo, especificamente no Capítulo 14 – ao menos eu acredito que é dessa batalha que o Sushi está falando, onde enfrentamos uma sequência de chefes. E… Eu não gostei nem um pouco e queria entender quais os aspectos que o Sushi gostou dela porque uma coisa que eu tenho uma resistência absurda e desde muito tempo, é referência. Eu gosto que em títulos que vão ganhando continuidade, eu seja surpreendido cada vez mais com coisas além daquilo que me foi mostrado antes. Dark Souls é um exemplo e é um dos motivos para eu odiar a aparição de Anor Londo em Dark Souls 3. O Número de referências que ocorrem nessa parte, são justificáveis mas eu tenho uma resistência enorme a ela justamente por ela não estar me entregando uma experiência nova, e sim “mais do mesmo em The Evil Within”. (PORÉM: A Trilha sonora nessa parte é espetacular, eu sou apaixonado pela música que eles colocam nessa sequência de chefes)

    Mas em contrapartida, eu acredito que um dos momentos que eu mais goste – na verdade, é o meu momento favorito de The Evil Within 2, está no capítulo 16 e é um momento singelo, não tem cutscene, é coisa de “momento” mesmo onde nós voltamos para a Sala do Sebastian em dado momento em um certo lugar. A Trilha sonora, a construção que te levou até ali, tudo que você passou e, literalmente, estando a poucos passos do seu objetivo: quase me fez chorar.

    Anyway: Eu fico bem empolgado com o que mais a Tango pode entregar daqui para frente e fico feliz desse voto de confiança que a Bethesda deu para eles – a ponto de dedicarem uma Engine praticamente só para fazer The Evil Within. Estou ansioso para mais projetos da Tango.

    Obs: O Diretor do Jogo é o John Johanas que, até onde eu sei, é o primeiro trabalho dele dirigindo jogos também.

  • This is ridiculous man

    mas o gamevicio sempre publica as fontes D:

    • Publicar fonte não dá o direito a ninguém de ganhar view em cima do trabalho dos outros.

      • This is ridiculous man

        Realmente, mas meio que todos os sites fazem isso aqui no Brasil, tirando algumas coisas da euro pt, todos os sites soltam meio que as mesmas notícias, oque muda é que a GV só cópia é cola, eu leio la mais pelos comentarios. apesar do xorume da GV as vezes saem coisas muito engracadas de lá.

        • Eu acho que não tem muito como fugir disso no BR, pois o conteúdo é tão parco (e eles pagam tão pouco pra escrever algo original), que é bem mais fácil pegar tudo requentado lá de fora mesmo. Uma coisa que eu notei que muita gente faz, é de não se importar se o conteúdo é roubado ou não, visto que a “comodidade” de se ter todas as notícias no mesmo lugar é melhor do que ter um conteúdo original. o GV já chegou até a ter resultados tolhidos do Google porque copiavam tudo na cara dura mesmo.

          Pelo menos não fazem aqueles clickbaits nervosos da IGN, mas de resto…

          Eu ainda acho que no Brasil têm público para notícias de games, mas não adianta nada se está no meio de um site “nerd” com notícias de 500 outras coisas, e pagam 20 reais pra você escrever um texto.

          • This is ridiculous man

            Ah, eu sempre acessei a gamevicio por isso mesmo, pela facilidade, como eu falei, eu percebi que o que era publicado em outros sites era basicamente a mesma informação, num tinha um colunista, um reviewer que eu admirava, o que na real eu comecei a prestar mais atenção agora, dai eu me mantia informado por lá mesmo.

            Num fazia noção que tinha toda essa treta com o site não. E na real acho que a maioria não sabe

          • Pois é. Assim como aconteceu com o Steam, que facilitou de encontrar todos os jogos num mesmo local, esses agregadores de notícias, mesmo que se utilizando de métodos excusos, ainda são uma mão na roda para o consumidor final.

        • Copiar e colar é crime. Ponto. Não tem desculpa pra isso. Por isso eles sempre foram processados pelos veículos que tinham uma boa parte jurídica.

          Mas vamos elaborar:

          Hard news, realmente, nenhum veículo brasileiro tem acesso às informações/fontes que os gringos. Então o trabalho é mais de traduzir/adaptar ao seu público.

          O trabalho ali é pequeno e tá mais pra encher linguiça, na minha opinião.

          Mas, ninguém copia e cola nada. Tu pega uma informação divulgada e refaz a notícia pro teu site, dando o link da notícia original no primeiro parágrafo do texto.

          Mas o maior problema do lixo do GameVício é copiar não só notícia, mas copiar trabalho original da galera.

          Eu cansei de ter review copiado lá.

          É a MINHA opinião, o MEU trabalho que estes safados estavam ganhando dinheiro em cima.

          E o “link” que eles davam pro site original é passado por um caminho que disfarça de onde veio, pra que eles não apareçam no teu analytics.

          GameVício é um câncer e todo mundo que acessa ele tá corroborando com esse tipo de comportamento e iniciativa.

          • This is ridiculous man

            Mas ser sincero pra você corra, eu sem duvida alguma seria infinitamente mais fiel aos sites se eles dessem mais destaques pros colunistas mesmo. Se na pagina inicial tivesse destacando um review ou uma analise de mercado de um cara que manja de verdade de jogos, e não uma penca de hard news chupinhada dos sites gringos, é por eu só encontrar esse conteudo com opção no jogabilidade que eu sou apaixonado pelo trampo de vocês de vocês. E é pela falta disso que eu cago e ando pro fato da noticia ter saido primeiro no jovem nerd e vou direto pra gamevício pela facilidade.

            Tipo, num estou desmerecendo o trampo de ninguém, soube que isso prejudicava a vida de outros sites agora que eu li esse seu comentário, mas como consumidor essa é a minha opnião.

          • Eu te apresentei os fatos. Se tu escolhe ainda dar view pra criminoso, daí é contigo.

  • A máscara do Corvo é a mais fácil de encontrar: ela está logo no começo do jogo, dentro de um dos vagões.

  • El Luchador

    Ainda no aguardo da parte 02 de Hamilton.

  • Eu acho que o GameVício é meio que uma imagem espelhada do NeoGAF. Ambos já foram fóruns muito bons, mas isso é coisa de 7, 8 anos atrás. Hoje em dia, ambos têm um estigma do qual não conseguem mais se desvencilhar: NeoGAF por ter aquela moderação draconiana (se travestindo de “progressista”) e o GameVício por roubar conteúdo de tudo que é lugar, e ainda colocar um wall esperto para a pessoa acessar… o conteúdo dos outros.

    Esse negócio das traduções é complicado, pois eles já brigaram algumas vezes com a galera do Romhacking.net.br por causa disso. A regra do GV é que as traduções não podem ser postadas fora do site de jeito algum, mas isso ferra com quem quer fazer um arquivo das traduções, como a RHBR faz. Ou como citaram, pegam a tradução dos outros e colocam atrás de um registro maroto.

    • Quem não deixa postar as traduções é a Tribo Gamer, não o GameVício. A GV não faz mais traduções há um tempão, acho que desde 2013 ou 2014.

      • Putz, troquei os nomes totalmente. É a Tribo Gamer mesmo que faz isso.

  • André Matulionis

    Vocês não sabem o quão revigorante é uma mulher estar falando sobre jogos no Vértice. É muito tempo ouvindo só homem. Obrigado Mell Pereira!

    Seria legal se as outras jogabilideiras, Clarisse e Talissa, participassem também

  • Danilo Soares

    Uma dica da eshop, alguns países funciona com PayPal, testei na canadense e na russa.

  • Armoderic

    Sobre o Doki Doki Literature Club: Jogo muitas Visual Novel (é um dos tipos de jogo que eu mais gosto), em geral, várias delas tem avisos semelhantes (mesmo se o conteúdo do jogo não for muito pesado), porém em geral são um pouco mais genéricos. Para mim, que vejo direto esses avisos, o do Doki Doki não me estragou a experiência.

    Eu tinha visto o jogo no steam, mas não tinha me chamado a atenção – só depois, quando vi um amigo em um fórum do discord comentar sobre ele e outro amigo tentou joga-lo ter relatado sobre como o negócio foi um “wild ride”, que resolvi também tentar. Inicialmente (sabendo quase nade sobre o jogo) eu espera algo tipo “alguma delas vai virar meio yandare e matar todo mundo” ou ia ser meio “tentativa” forçada de paródia de VN, mas como eu fui surpreendido. O primeiro ato é aquele golpe certeiro que já te deixa meio atordoado e faz o resto (e principalmente o meio) funcionar bem, apesar que concordo que o meio do jogo se perde um pouco, mas no fim a coisa pega de um jeito que realmente você precisa fazer tudo no jogo para vê-lo.

    Spoilers!
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .
    .

    Uma cena que me surpreendeu foi a morte de outra personagem, pois tendo jogado várias VN, você em geral não espera ver os sprite muito animados (exceto se o jogo usar algo com o live 2d, tipo Nekopara), logo aquela morte me pegou de surpresa, não pelo ato em si, mas pelo sprite – pois em geral VN quando tem um tipo de cena como aquela, fazem ela mais por meio de CGs e descrição, algo que tipicamente fazem com maestria – uma cena de uma outra VN que me pegou de jeito simplesmente envolvia uma personagem no meio de uma conversa te chamar de mentiroso e o sprite dela mudava um pouco – isso combinado coma descrição me assustou na hora.

  • Anderson [RiversCroft]

    Eu realmente não sei do que vocês tão falando.
    DOKI DOKI DÁ MEDO PRA CARALHO, NUNCA MAIS CONFIO EM VOCÊS

X