DASH #93: Os Esquecidos de 2017

2017-12-27T11:16:54+00:00 27 de dezembro de 2017|DASH|45 Comentários

De janeiro a dezembro de 2017, foram mais de 6 mil jogos lançados, uma média de 17 jogos por dia. E isso apenas dentro da plataforma do Steam.

E como está cada vez mais difícil separar o joio do trigo, nossa equipe composta por André Campos, Eduardo SushiRafael Quina e Mell, encerram o ano comentando alguns jogos que os marcaram nos últimos 12 meses mas que, na opinião deles, deveriam ter recebido um pouco mais de carinho e atenção.

De misteriosas estações espaciais a casas abandonadas, de filhos perdidos a pais perturbados, do golfe ao basquete mágico, recomendamos de tudo um pouco que você não deveria deixar passar desapercebido.

E deixe nos comentários aqueles jogos que foram tão esquecidos que nós também esquecemos!

Tá no Seu Turno!

Nossa discussão continua com você: comente abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para contato@jogabilida.de. Concorda conosco? Discorda? Dissemos algo herético? Sua opinião e feedback são muito importantes! Os melhores, mais relevantes e/ou mais aleatórios e-mails serão lidos na próxima edição do DASH.

  • “Helix Nebula”, por Anamanaguchi
  • “Life Goes On”, de Persona 5
  • “Forgotten City”, de Rime
  • “La Di Da”, de Yakuza 0
  • “Sugar Land Shimmy”, de Cuphead
  • “Stardust Speedway Act 2”, de Sonic Mania
  • “Stardust Speedway Act 1”, de Sonic Mania
  • “Judgement”, de Yakuza 0

  • 00:02:25: O Tema de 2017
  • 00:15:32: Os Esquecidos de 2017

  • Tacoma
  • Pyre
  • Hob
  • Stories Untold
  • Ruiner
  • Reigns
  • High Hell
  • No Heroes Here
  • Necrosphere
  • Snake Pass
  • Tumbleseed
  • Golf Story
  • Everything
  • What Remains of Edith Finch
  • Guardians of the Galaxy
  • Finding Paradise
  • Rakuen
  • Little Nightmares
  • The Evil Within 2
  • Prey
  • Rime
  • Wonder Boy III
  • Observer
  • Detention
  • Hand of Fate 2

  • Snake

    porra, pq o corraini não tá nesse dash?

    • Jabez Asafe

      Pq ele saiu do jogabilidade, não ta mais oficialmente desde o jogabiliday, mas as vezes ele participa de um podcast ou outro.
      Agora tem que acostumar com os Dash sem ele, triste por isso, porem bom pra vida profissional dele que ta indo bem e espero que vá cada vez melhor.

      • Diego Uesugui

        Mas ele esteve pelo menos em metade do ano de 2017, eu acho que pelo menos no proximo Dash de melhores ele poderia participar

        • MarcusVss

          Eu estou esperando por isso.

      • Cadu

        triste mesmo tá o linha quente sem o rick

  • Jar Jar Binks Was Right

    Comprei um kit de minigolfe pra jogar aqui na sala e é INCRÍVEL! #chupaswitch

  • Diego Uesugui

    A Mell agiu com preconceito ao falar do Golf Story porque ela não gosta de golfe.
    Como eu queria que lançassem um mini golf de Star Wars só para ela entrar em parafuso 😂

    • Tony Horo

      Isso porque golf story é muito bom. Eu acho ela bacana, mas ela não entende de nada que não tenha sabre de luz ou seja jogo de celular.

  • Caio_RB

    Só uma correção, a Nintendo revelou o nome do console e o console em si em outubro no primeiro trailer do Switch (que vocês até transmitiram po haha) com mais detalhes em janeiro de 2017.

  • César

    Vocês resumiram perfeitamente o “What Remains of Edith Finch”, uma mistura de Tim Burton com o realismo mágico de Gabriel García Márquez (autor de Cem Anos de Solidão). Do Burton Top mesmo, lembra demais o Big Fish, melhor filme dele aliás.

    Alguns outros jogos que achei que foram esquecidos:

    Ainda é de nicho, mas já bem popular, o Danganronpa V3. Saiu em Janeiro desse ano, mas vi pouquíssimos comentários por aí. Tem alguns dos melhores casos e momentos da série e, pra mim, um final espetacular. Gosto demais, mas é daqueles que precisa estar investido na série, por isso a falta de repercussão.

    Outro é o A Hat in Time (ou o Poor Man’s Odyssey). Se prejudicou demais na época que foi lançado, entre Cuphead e Mario Odyssey, além da desconfiança que o Yooka-Laylee gerou. Não é um jogo bonito (os assets são bem feios), mas esbanja carisma, tem bons controles e tá sempre reinventando sua jogabilidade. Serve muito bem pra quem tem saudades de um jogo de plataforma como Psychonauts ou do “humor ácido em um jogo fofinho” de Paper Mario: Thousand Year Door.

    • Mateus Massa

      Se tu curte realismo fantástico recomendo a leitura dos contos de Murilo Rubião

      • César

        Já ouvi falar, mas nunca li nada… Vou conferir sim!

  • Matehuos

    Caramba, a Mell estava muito chata com o golf story, são questionamentos que tentam talvez uma coisa engraçada?
    Pra mim só foi um grande incomodo que quebra o ritmo do podcast. Além que são uns questionamento muito qualquer coisa que pouco acrescentam no debate ou que sejam interessantes. Parece parente chato reclamando de vídeo game.
    Espero que essa critica não seja descartada como hate ou qualquer coisa, curto muito o trabalho de vocês e só quero que o projeto cresça.

    • Mellissa Pereira

      Não era pra ser engraçado eu estava realmente perguntando 😉

  • Jabez Asafe

    Acho que principalmente no Dash deve se pensar mais ao fazer alguns questionamentos, tudo bem que esse pareceu mais um vertice e vertice é uma conversa sobre coisas mais informal sobre jogos, já o Dash é mais para passar informações ou questionamentos relevantes sobre a industria ou o jogo em si.

  • Gaspar

    Sobre jogos que até vocês esqueceram, recomendo Rain World, Tooth and Tail que é MARAVILHOSO e Superflight que apesar de ser um jogo pequeno e simples no escopo, é bem divertido de se jogar

  • Mateus Massa

    Uma pergunta: Vocês estão fazendo a tradução do Finding Paradise?
    Sobre o haterismo da Mell, parece muito opinião de quem nunca jogou golfe ou assistiu golfe e nem ao menos assistiu Happy Gilmore (aquele filme de golfe do Adan Sandler). Dito isso, joguinho de esporte com história são legais, e Golf Story é uma “decepção” para mim porque é exclusivo do Switch.
    Por causa de vocês devo comprar o Necrosphere nessa promoção (se a demonstração agradar)

    • Sushi0

      Ainda não começamos, mas iremos traduzir sim. =D

      • Mateus Massa

        Excelente, gostei muito da tradução de vocês no To The Moon e no Tacoma!

  • AnaniasJr

    Sobre golfe: é um esporte tão chato que quem joga menos ganha. Todavia, Golf Story parece maneiro.

    • Everardo Feres

      Assim como qualquer corrida, por exemplo.

  • Nelson Rosa Junior

    Tadinha da Arkane, mais esquecido que Prey foi Dishonored: Death of the Outsider né?

  • Main Mercy

    Al

  • Main Mercy

    Alguns jogos que acho que, na minha opinião são bons o bastante para ter um reconhecimento maior do que o pouco que teve:
    -STRAFE (Publicado pela Devolver)
    -Battle Chef Brigade (talvez?)
    -Sundered (De alguma maneira. Talvez?²)
    -Nex Machina
    -Overgrowth (Que meu Deus, 9 anos de desenvolvimento e floppou foda desse jeito)
    -Pit People (Da The Behemoth [Castle Crashers e Battleblock Theater])
    -Tokyo 42 (Que jogo bonito da porra como assim tão bonito????)
    -Kingdom Hearts 2.8 (Eu como grande fã da serie acho que posso dizer que mesmo sendo um remaster/collection com uma mini-historia exclusiva não teve o reconhecimento que deveria)

    -E finalmente, o próprio Hollow Knight (Na minha opinião é de longe o melhor do ano e sendo o melhor metroidvania moderno?)

    E sim, Mell. Golf é chato até demais. Em jogo ou IRL.

    • André Campos

      Boas dicas! Talvez alguns desses não tão aqui porque vão aparecer na lista dos melhores do ano! *wink wink*

      • Mateus Massa

        Finalmente chegou o dia em que Kingdom Hearts vai estar na lista de melhores do ano!

  • Gabriel Azmodam

    Battle Chasers né gente, pelo amor de Silvio Santos.

  • Lucas Lima

    Essa trilha sonora de sonic mania de fundo Ó uma delicia.
    Desejo um ano novo cheio de sucesso pra vocês :*

  • Decepcionado

    Coisa de amador esse spoiler – sem aviso prévio – de “To The Moon”.

    Spoilers sem aviso são constantes em todos os podcasts do Jogabilidade e são eles a maior prova de que vocês precisam melhorar muito ainda para se tornarem profissionais – e um podcast decente.

    Repensem para quem vocês fazem o podcast e deixem claro, se for o caso, que seus podcasts são apenas para os ouvintes que já jogaram os mesmos jogos que vocês.

    Da parte dos que não podem jogar tanto quanto vocês, digo para melhorarem isso antes de ficarem chorando apoio.

    • MarcusVss

      Não avisaram mas meio q deu pra ver chegando, tanto q eu pulei na hora.

    • Marco M

      Nem percebi. Ainda bem q eu já tinha jogado assim q o 99 Vidas recomendou ele.

  • Everardo Feres

    Vocês estão brincando que Batman da Telltale está sendo muito elogiado né?! O jogo é bugadíssimo e não faz releitura da mitologia do personagem, ele caga pra ela mesmo.

    O Batman é um anão no jogo. TODO mundo é maior que o Bruce Wayne. TODO MUNDO, até o Pinguin. Por falar em Pinguim, personagens como ele e o Coringa foram completamente descaracterizados (não é releitura, é avacalhação mesmo). E o pior de tudo foi o que fizeram com o Thomas Wayne, e que eu direi no parágrafo seguinte, então se não quiserem spoilers, pule-o.

    [SPOILERS] O pai do Batman é transformado num criminoso chefe da máfia, e o assassinato dele foi encomendado, e não um assalto. Isso não seria um problema se o jogo AVISSASSE que você de que essa história é de um universo que não tem basicamente NADA a ver com o original. Pois eu passei a porcaria da temporada inteira trabalhando com a hipótese dos pais do Bruce terem sido falsamente incriminados, e escolhendo decisões em que o Bruce sempre dissesse isso, uma vez que os reais Thomas e Martha Wayne NUNCA se envolveram ou envolveriam com o crime. Isso estragou boa parte do jogo pra mim. [FIM DO SPOILER]

    A identidade do vilão do jogo foi outro plot-twist MUITO barato, pois, novamente, você não espera que o jogo vá cagar em outro personagem como fizeram com os Wayne. Mas não… Eles fazem de novo. Não é algo que você diria “minha nossa, que surpreendente”. Mais sim algo como “minha nossa, que forçado”.

    E por fim, os bugs. O jogo tem MUITOS e MUITOS bugs. Problemas de frame rate, travamentos e transições truncadas pra caramba. Mas o pior dos problemas técnicos é que o jogo as vezes simplesmente ignora a decisão que você tomou. Em dado momento eu tinha que escolher ser violento ou não com um bandido pra tirar informação dele. Eu escolhi não ser, e o Comissário Gordon até notou minha tática não-violenta. Na cena seguinte o Bruce Wayne aparece tomando sermão do Alfred por ter “espancado até quase a morte aquele bandido” e “estar se tornando um monstro”, no que o Bruce responde: “Ele continua vivo”. Isso quebra TOTALMENTE a imersão. Falando nisso, Alfred é outro que tá merdeiro pra caramba nesse jogo e você tem que ficar aturando as baboseiras que fazem ele falar.

    A história também é bem mais ou menos, e os detalhes de escolha são ainda mais ilusórios do que em outros jogos. Exemplo. Eu passei o jogo todo apoiando um personagem especifico importante. Toda decisão, mesmo quando ele fazia merda, eu o apoiava. No final, isso não serviu de nada, visto que ele ficou puto comigo de qualquer jeito e se virou contra o Bruce Wayne.

    Por incrível que pareça, o Gordon e a Mulher Gato ficaram bons. Gordon é basicamente o mesmo. E a Selina provavelmente é a melhor que já vi fora dos comics. A personagem está muito bem.

    Enfim, é isso. Eu daria uma nota 4.5, no máximo 5 de 10 pra primeira temporada. Não joguei a segunda, mas espero que melhore muito.

    • Carlos Eduardo Galvani Nascime

      Mas eles estão falando da segunda

    • Marco M

      Vc tá esquecendo q na série Gotham o Thomas Wayne já foi mostrado como corrupto e criminoso tbm…

  • Por mais que não defina o ano, acredito que 2017 tenha sido marcado pela volta do gênero de jogos de plataforma. Knack 2, Sonic Mania, Cuphead, Sonic Forces, Crash, Bubsy, Super Lucky’s Tale, Mario etc

  • Manteiga No Biscoito

    Golfe é chato mesmo, Mell.

    • Manteiga No Biscoito

      Mas Star Wars não fica muito atrás.

  • Enzo Pinto

    Por mais que não defina o ano, acredito que 2017 tenha sido marcado pela volta do gênero de jogos de plataforma. Knack 2, Sonic Mania, Cuphead, Sonic Forces, Crash, Bubsy, Super Lucky’s Tale, Mario etc

  • Agente P

    Sabe o que eu queria? STRANGER THINGS DA TELTALLE

  • Armoderic

    Estava pensando no que no Rafael comentou sobre um tema de 2017 ser reinvenções e de fato, um caso em particular, que é um do meus GOTYs desse é uma reinvenção: o Total Warhammer II, sendo o primeiro o Total Warhammer já era uma impressionante reinvenção da série Total War (primeiro jogo como tema de fantasia que eles fizeram) e o segundo jogo consegue meio ser um “reinvenção da reivenção” sé que isso faz sentido. Fato é que o Total Warhammer II, entre a campanha do “Eye of the Vortex”, as facções novas com temas/design mais únicas (incluindo principalmente os Skaven), os Mortal Empires (um dlc gratuito que une o contéudo do Warhammer I e II em um mapa massivo) e uma outra serie de novas mecânicas e mudanças, o Total Warhammer II é um dos GOTY desse ano.

    Mas falando de jogos esquecidos, eu não sei se esquecido seria o termo, pois ele nem é desse ano, ainda que veio para o Steam esse ao, Lost Dimension com a sua mecânica de tentar descobrir quem é o traitor em seu grupo a cada passo da história é muito interessante e merecia mais uns comentários, principalmente que não basta você saber, é preciso convencer os outros membros do grupo de votar ao seu jeito além de que você pode errar, tipo matando a pessoa errada sem saber enquanto o real traidor continua de boa.

    Não diria que esquecido também, mas o Tokyo Xanadu eX+, para um jogo da Falcom feito com o time b deles (sim, pelo que li a idéia era justamente dar uma chance dos novos funcionários terem a experiência de fazer e lançar um jogo) é um jogo excelente que saiu bem no final do ano, tanto que para mim ele meio é um GOTY de 2017 e possivelmente de 2018.

  • MarcusVss

    Minigolfe é chato, mas jogos de golfe são muito legais (pelo menos os Hot Shot Golf).

  • Jewiton Léo Garcia Junior

    Qual a música do final do podcast?

  • Wanderson Santana

    Mell virando a minha integrante favorita quando questionou a necessidade de um jogo de golfe em pleno século 2017/18

  • Guilherme Barros

    Podia ter rolado um aviso antes de mandar o spoiler de To The Moon =(

  • Marco M

    Jogabilideiros, coloquem no post a lista dos jogos q vcs comentaram no cast!

X