Vértice #127 (N): Goleiro Exótico +5

2017-12-01T16:05:45+00:00 1 de dezembro de 2017|Vértice|25 Comentários

Já que não conseguimos vencê-los, decidimos juntar-nos a eles e, com isso, criamos o Vértice Box.

André, Sushi, Rafael e Mell apresentam o primeiro micropodcast onde cada download vem com uma notícia aleatória, entre elas estão:

A EA “tirando” microtransações do Star Wars: Battlefront 2, os problemas envoltos no lançamento do FIFA 18, o fechamento dos servidores de Demon’s Souls, a Tencent publicando PUBG e fazendo uma versão mobile de para a China e outras notícias exóticas que vocês terão que baixar para descobrir.

Além, é claro, de responder muitas perguntinhas e discutir temas enviados pelos ouvintes.

Tá no Seu Turno!

Tem alguma dúvida, questionamento ou tópico de discussão sobre games, a vida, o universo e métodos de ganhar dinheiro? Deixe-a nos comentários abaixo ou envie seu e-mail pelo formulário de contato ou para vertice@jogabilida.de.

  • “Late Nite Funk Squad”, por David Tobin, Jeff Meegan e Malcolm Edmonstone
  • “Promise”, por Kohmi Hirose

  • EAcalypse: 00:09:56
  • Loot box = aposta?: 00:17:34
  • FIFA vs São Paulo: 00:26:35
  • #fixfifa: 00:31:22
  • Fechamento dos servidores do Demon’s Souls: 00:34:35
  • Tencent publicando PUBG na China: 00:45:45
  • Tencent publicando um PUBG mobile: 00:49:42
  • Email 1: 00:53:11
  • Email 2: 01:01:37
  • Email 3: 01:03:59

  • Henrique Tavares

    Vocês não tem o costume mesmo de vender jogo físico, né? A maioria dos argumentos usados doeram de ouvir. O troféu foi para o “revendendo você economiza R$50 [do físico sobre o digital], mas será que vale a pena?”, que, sinceramente…

    Eu revendo jogos há anos e anos, e a média de “desgaste” de um jogo que pego e vendo umas duas semanas depois é de R$20. Se fico alguns meses, ele desgasta uns R$50, digamos, ou nem isso. De fato um jogo pode desgastar R$100, mas é muito raro, e só se você dá bobeira de comprar no lançamento, onde a queda de valor é vertiginosa, mas depois de alguns meses estabiliza a queda.

    Não tem tanta regra cravada na pedra assim, é mais algo orgânico de ver o que as pessoas tão cobrando em média. Um jogo popular que muitos compraram novo (como Uncharted 4) vai ter muitos rodando e vai cair muito o preço pela competitividade, enquanto outro mais “raro” não cai tanto, como o RE7 que por aqui é difícil achar e o preço não cai porque sempre tem alguém interessado. O desgaste é pelo quanto você quer deixar a sua venda mais atrativa reduzindo o valor.

    Ah, talvez precise falar isso, mas pelos argumentos que ouço, parece que as pessoas consideram que a dinâmica é você estar lá comprando novo e vendendo usado, aí consigo entender o olho torto e achar que não vale a pena. O único jeito viável é comprar usado e vender usado, e para outras pessoas, nunca para lojas. Sobre a pena que é você negociar com outras pessoas, é só entrar em grupos de venda e troca na sua cidade ou bairro onde mora/trabalha, depois marcar locais públicos e que sejam o mais perto de caminho para os dois, poucas vezes tive que fazer muito esforço pra encontrar alguém, não é nenhum bicho de sete cabeças – pela internet, no ML é mais tranquilo ainda.

    É o jeito de uma pessoa que quer experimentar os jogos poder sobreviver nesse meio de produtos tão caros sem ter que vender a casa – imagino que se eu fosse calcular o que perdi nesses desgastes com as dezenas de jogos que comprei e vendi vou sentir a dorzinha, mas não tenho dúvida que ainda foi o jeito mais econômico possível de ter esse hobby de luxo. Claro que tem pelo menos duas concessões vitais que não funcionam para todos: o desapego tem que ser total (tem exceção, como eu com meu Witcher 3), e não dá pra viver de jogar coisas no lançamento. Eu só compro novo se tô desesperado pra jogar ou esperei anos pelo momento, etc, aí eu abro o bolso nessas situações especiais. Se a pessoa PRECISA jogar tudo quando sai, e tem condições de acompanhar tudo, aí não vale a pena físico mesmo.

    • MarcusVss

      “desvalorizar” é a palavra q vc precisava hehe

      • Henrique Tavares

        Hahahah, verdade, valeu :p

    • Márvio

      Também senti isto que você falou, eles estão totalmente fora do meio de troca/venda. Além de tudo citado por ti, acrescento que como hoje páginas e sites de promoções como o promobit são bem populares entre jogadores, querer revender um título que acabou de ter promoção será bem complicado. Um Wolfenstein 2 em menos de 2 meses já esteve por 65 lacrado, querer revender por 120 pois a pessoa comprou no lançamento vai ser difícil.

  • Gradash

    Só para avisar, no Brasil não é proibido apostas, é proibido apostas se você NÃO PAGAR GRANDE PARTE de lucro para o governo e colocar a Caixa Federal (do governo) para gerenciar.

    No Brasil é apenas uma forma de roubar dinheiro do povo, só isto. Se você abrir um Bingo no Brasil, e pagar o governo tá tudo bem.

  • Marcos De Moraes

    Fala pessoal, tudo bem ?

    O assunto lootboxes, micro-transações e afins será tratado mais a fundo ou irá aparecer quando aparecer alguma nova notícia ?

  • Arle Janso Kurogane

    BOBA FETT!

  • Manoel Junior da Silva

    Sobre jogos físicos e digitais, eu prefiro digital, tenho quase 100 jogos no meu PS4 e só 2 físicos, Mk X e Destiny 1, os quais eu comprei junto do console. Mas isso é pessoal mesmo, eu normalmente não vendo nada que eu compro, então pra mim não faz diferença alguma o valor que o jogo poderá agregar em uma possível venda, pois, como eu disse eu ainda tenho todos os consoles que eu comprei guardados desde o Play 1, Snes eu tenho mas não conto pq esse eu ganhei dos meus pais, era muito criança na época dele. E outra, eu já coleciono quadrinhos há uns 7 ou 8 anos, não tenho espaço pra jogos hehehe. E Sushi tamo junto, os dois únicos jogos que eu nunca desinstalo do PS4 é Dark Souls e Bloodborne 😀

    • Tony Horo

      É por isso que jogos fisicos e digitais tem que coexistir. Eu e muita gente pensamos exatamente o contrário de você. Acho que todo mundo se beneficia.

      • Manoel Junior da Silva

        Exatamente, eu compreendo muito quem compra físicos por colecionar ou mesmo pra agregar em valor depois. Felizmente ainda existem as duas opções.

    • Anderson

      Desde o caso do GTA San Andreas ter uma atualização tirando musicas por questão de licenças eu priorizo versões físicas principalmente de jogos que gosto muito (que hoje em dia é tudo que eu compro). Eu prefiro pagar para ter o jogo de verdade e não ter uma licença para baixar o jogo enquanto for permitido.

  • Roger Vincoletto

    50 milhoes de golpezinhos? Po gente vcs sao melhores do que isso… sem colocar politica em um cast de games… qual a necessidade?

    • Marney Fernandes

      Acho que eles usaram só pra fazer graça em cima da palavra real, eu uso vampiros no lugar de reais e nem por isso estou querendo meter política no meio, é só zoeira pela zoeira rsrsrs

    • É sério? Sério isso? Cara, para.

      • Roger Vincoletto

        Relaxa cara ja apaguei. Tenho certeza que nao teve nada por tras da inocente brincadeira e que se fosse o contrario tb seria absolutamente normal. Segue o jogo.

  • Nunca comprei loot boxes, nem em games de console, nem no celular. Saí fora, de bobo, só tenho a cara.

    PS: prefiro “golpinhos” à “estocadorazinhas-de-vento”

    • Tony Horo

      Liga não que “golpinho” veio do Rafael, que chama Mega Drive de Genesis mesmo morando no Brasil hehe

  • leonnn1

    O LA noire ocupa 24gb no switch também, depende do jogo eu acho, jogos da nitendo parecem ser menores.

  • Ricardo

    A parte de censura a culto é devido à política religiosa da China que é basicamente Ateísmo.

X