DASH #99: Jogos de Lançamento

O quão importante, memorável e variada foi a lista de jogos que acompanhou o Atari 2600, o Nintendo 64, o Dreamcast ou o Xbox One? Que tipo de informação é possível extrair sobre a filosofia e a trajetória de um console através do que estava disponível em seu momento inicial?

DASH #98: God of War (2018)

Embarque em nossa viagem pelos galhos da yggdrasil à um mundo nórdico de deuses, gigantes e anões boca-suja, enquanto discutimos tudo que tange o conceito, desenvolvimento, história, mecânicas e toda sorte de teorias mirabolantes sobre God of War.

DASH #97: Grim Fandango

Recebemos Vinícius Machado (do Nautilus) para discutir a obra prima de Tim Schafer. Um point and click sem apontar e clicar, um jogo sobre morte que quase matou os adventures. Uma aventura noir num mundo asteca. Um mundo onde a morte da morte... é a vida.

DASH #96: Yoko Shimomura

Para investigar a vida e a obra de Yoko Shimomura, talvez a mais prolífica de todas as compositoras de vídeo games, voltamos às suas origens e acompanhamos sua trajetória: jogo a jogo, escutando e discutindo as trilhas que nos marcaram.

DASH #95: Hellblade: Senua’s Sacrifice

Rumo ao mundo dos mortos nórdico, recebemos os passageiros Clarice Garcia e Ivan Mizanzuk (do Anticast) para discutir as origens, significados e sentimentos de Hellblade: Senua's Sacrifice, um dos jogos mais importantes de 2017.

DASH #94: Os Melhores Jogos de 2017

É chegada a hora de definir quais foram os dez melhores jogos de 2017. Vamos todos argumentar em prol de nossos jogos favoritos, tentar chegar a um consenso e montar um Top 10 que agrade a todos. Isso não tem como dar certo.

DASH #93: Os Esquecidos de 2017

Com uma média de 17 jogos por dia sendo lançados somente no Steam, encerramos o ano comentando alguns jogos que nos marcaram e que, na nossa opinião, deveriam ter recebido um pouco mais de carinho e atenção.

DASH #92: As Melhores Trilhas de 2017

O ano de 2017 já está naquela parte da música em que se repete o refrão num tom mais alto, sabe? E para fechá-lo com chave de ouro, André, Sushi e Rafa começam celebrando suas trilhas sonoras favoritas do ano.

DASH #91: Super Mario Odyssey

Recebemos a ajuda de Caio Corraini e Heitor de Paola para escolher as melhores roupas, os melhores chapéus, tirar o livre arbítrio de criaturas indefesas e discutir tudo sobre o jogo mais feliz do ano (com spoilers!).

DASH #90: The Witcher

Celebramos os dez anos do lançamento de The Witcher junto de Ricardo Regis (Nautilus) discutindo a história, mecânicas, personagens, momentos favoritos e a curiosa origem desse jogo que só foi feito porque ninguém avisou que era impossível.

DASH #89: As Mentiras que os Jogos Contam

Seus jogos estão mentindo! Nesse podcast, investigamos os truques, omissões, desorientações e simplesmente mentiras na cara dura que os vídeo games e seus criadores nos contam para criar toda sorte de sentimentos e imersão.

DASH #88: Tacoma

Tentamos descobrir o que aconteceu com a tripulação da Estação de Trasnferência Lunar Tacoma através de gravações em realidade aumentada, xeretagem de documentos privados e uma entrevista com o escritor do jogo, Steve Gaynor.

DASH #87: Dark Souls III

Reformamos nosso pacto com Douglas Pereira (o Dougão) e Fernando Mucioli (o Tengu) e partimos juntos para discutir tudo sobre o encerramento dessa trilogia de almas, chamas, morte e um pouquinho de fanservice.

DASH #86: Primeiras Fases

Nesse mundo de atenção disputada, nos reunimos para discutir a importância (ou não) das primeiras impressões com jogos: o que os melhores e piores exemplos fazem para fisgar ou perder de vez o jogador nas primeiras horas?

DASH #85: Dark Souls II

Os amaldiçoados André e Sushi, vagando em busca de salvação, se vêem transportadas para o misterioso reino de Drangleic. Lá juntam-se à Rafael Quina e Raphael Salimena e, juntos, partem numa jornada para encontrar o Rei Vendrick.

DASH #84: Persona 5

André e Sushi arrancam as suas máscaras e invocam suas Personas: Heitor de Paola e Fernando Mucioli para enfrentar adultos de merda, solucionar mistérios e pegar alguém no fascinante, ambicioso e altamente japonês Persona 5.

DASH #83: Você Joga com o Meu Jogo? (Vol. 2)

André, Sushi e Corraini jogam cada um uma indicação do outro, e saem de suas zonas de conforto experimentando pela primeira vez Ori and The Blind Forest (Sushi), Hearthstone (André) e Bloodborne (Corraini).

DASH #82: Revistas Brasileiras

Recebemos Fábio Santana e Gilsomar Livramento para discutir a importância de revistas como a Ação Games, Super Game Power, Vídeogame e, claro, a Gamers: com direito a muitas histórias de seus bastidores durante os melhores e piores momentos.

DASH #81: The Protomen

Recebemos Fernando Mucioli para discutir o passado, presente e futuro de uma banda que decidiu criar uma ambiciosa ópera rock sobre Mega Man com muito mais profundidade, drama, emoção e poesia que se poderia imaginar.

DASH #80: Noite Animal

Discutimos o infame, ambicioso e pioneiro jogo do Casseta & Planeta e entrevistamos seu diretor, Eduardo Mace, para tentar entender como esta pérola brasileira veio a existir!

DASH #79: Limbo & Inside

Recebemos Bruna Penilhas para discutir design, mecânicas e teorias mirabolantes dos dois jogos do estúdio dinamarquês Playdead: os minimalistas, inteligentes, confiantes e levemente perturbadores Limbo e Inside!

DASH #78: Mega Man X4

Os reploids André Campos, Ricardo Dias e Eduardo Sushi infiltram-se nos exércitos dos Maverick Hunters e da Repliforce para plantar tretas discutir a primeira aventura de X e Zero no mundo dos 32-bit no quarto jogo da série!

DASH #77: Resident Evil VII

Recebemos Monique Alves e Márcio Barrios para destrinchar todos os aspectos do jogo que trouxe Resident Evil de volta às origens e soprou um ar fresco mais do que necessário na franquia. Com spoilers!

DASH #76: Streets of Rage vs. Final Fight

Uma é uma trilogia de beat'em ups exclusiva do Super Nintendo, a outra exclusiva do Mega Drive. Quem tem as melhores mecânicas, gráficos, trilha, personagens, fases? Afinal de contas: qual das duas é a melhor?

DASH #75: Os Esquecidos de 2016

Em nossa retrospectiva de 2016, decidimos nos focar nos jogos esquecidos: tanto aqueles que passaram desapercebidos ou que deveriam ter recebido mais atenção, quanto aqueles que deveriam cair no esquecimento.

DASH #74: A Cena Indie Japonesa

Recebemos Fábio Santana para discutir os comos, quandos, ondes e por quês da tímida e fascinante cena dos jogos independentes nipônicos, analisando o passado, celebrando o presente e especulando o futuro dela.

DASH #73: A História dos Controles

Percorremos toda a história dos joysticks, gamepads e outras bizarrices que usamos para controlar nossos consoles domésticos. Das origens incertas, à padronização e estendendo-se ao futuro, discutimos todos os comos, quandos e porquês.

DASH #72: Reinvenções

Selecionamos alguns bons e maus exemplos da infinita lista de jogos que tentaram se reinventar ao longo dos anos: da transição do 2D para o 3D à mudança de gênero, de Pac Man à Resident Evil, o que define uma boa reinvenção?

DASH #71: E.T., O Pior Jogo de Todos?

Em 1982 foi criado um jogo tão ruim que destruiu a carreira de seu criador, faliu a empresa que o publicou, derrubou toda a indústria dos vídeo games e teve que ser enterrado nas profundezas do deserto... Ou será que foi isso mesmo?

DASH #70: Gamescore Vol. 7, O Retorno

Num ritmo contagiante e em coreografia ensaiada chegamos para compartilhar algumas de nossas músicas de jogos favoritas neste podcast sem temas nem restrições cuja única direção foi: escolha a música que está em seu coração.
X